Apaixona Bom Jardim…

Leia mais »

Deputado Zé Maurício esclarece incidente em audiência pública realizada na Alepe…

Em virtude da situação inesperada de desentendimento com o deputado Joel da Harpa, ocorrida após a Audiência Pública sobre o Pacto pela Vida (PPV) ontem (19), no auditório Sérgio Guerra da Assembleia Leia mais »

II Festa Retrô Entre Amigos – João Alfredo-PE…

Leia mais »

Segundo FPM do mês será 14,05% menor que do ano passado…

O segundo repasse do Fundo de participação dos Municípios (FPM) do mês será 14,05% menor do que o valor repassado em 2016, considerando os efeitos da inflação. A estimativa de redução é Leia mais »

Tasso diz a aliados que deixa presidência do PSDB se Aécio não renunciar…

O presidente interino do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), disse a aliados que vai deixar o comando do partido caso Aécio Neves (PSDB-MG) não renuncie definitivamente ao posto na semana que vem. Em conversas reservadas Leia mais »

Hoje:

Hoje são.

_________________________________________________________

.

1854 – Começam a funcionar os primeiros lampiões a gás no Rio de Janeiro.

1857 – O fonógrafo é patenteado;

1865 – A Rua 25 de Março é Inaugurada; – Fundação do Clube Atlético Mineiro;

1922 – Fundação do Partido Comunista Brasileiro, o PCB;

1970 – O presidente Médici amplia o mar territorial brasileiro de 12 para 200 milhas marítimas..

_________________________________________________________

 

Pensamento.

Arquivo Fotográfico

050193

Eliathah Cordeiro, Gilmário Almeida (+), Dimas Santos, Ivan Júnior e Carlinhos Costa, durante animado encontro realizado no dia 05 de janeiro de 1993, em João Alfredo. 

barra39

1994Confraternização de final de ano dos funcionários e alguns clientes da agência do Banco do Brasil de João Alfredo, realizada no dia 17 de dezembro de 1994. 

Eduardo Campos defende instalação de CPI da Petrobras…

20140324055209_cv_campos_gde

O governador Eduardo Campos (PSB) defendeu, ontem (24), a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a Petrobras caso seus dirigentes não esclareçam o que ocorre com a empresa. “Queremos tratar a questão com muita tranquilidade, não queremos eleitoralizar o debate, queremos ter muito cuidado para não prejudicar ainda mais a Petrobras, que já foi muito prejudicada”, afirmou.

“Mas não podemos ficar sem as respostas adequadas, a cada dia se tem uma surpresa, uma notícia diferente, uma notícia nova”, complementou o socialista ao se referir à reportagem que informa que a estatal dispensou pagamento de dívida da PDVSA referente à Refinaria Abreu e Lima, que está sendo construída em Pernambuco.

“Que (a Petrobras) tem problema tem”, observou o governador. “Não podemos imaginar que a empresa que era a décima segunda petrolífera no mundo hoje esteja caindo da centésima para baixo com perda de metade do seu valor e com endividamento multiplicado por quatro. É preciso saber o tamanho do problema para se saber a solução, inclusive”.

O governador lembrou que os senadores do PSB pediram, na semana passada, a presença, no Congresso Nacional, dos responsáveis pela Petrobras – do conselho ou da direção executiva – para prestar esclarecimentos. Segundo ele, a bancada do partido na Câmara dos Deputados também acionou o Ministério Público Federal. “Caso não sejam suficientes [os esclarecimentos] entendemos que vai ser o caso de se pedir uma CPI”. (Estadão Conteúdo)

Reflexão do dia:

1371175_698938046801283_1929731349_n

Fragmento Bíblico

1391873_617646231632637_95479872_n

Armando: “Vamos ampliar nossa aliança de forças”…

20140324031215_cv_armando_gde

Em entrevista a emissoras de rádio, na manhã desta segunda-feira (24), o senador Armando Monteiro (PTB) comemorou a aliança firmada com o Partido dos Trabalhadores para o processo eleitoral deste ano e para a construção de uma nova agenda para o desenvolvimento do estado. “É um momento importante e agora abre-se uma nova etapa nesse processo. Vamos ampliar essa aliança de forças para poder oferecer um palanque forte à reeleição da presidente Dilma Rousseff e, ao mesmo tempo, um palanque que possa oferecer a Pernambuco uma nova proposta, uma proposta que aponte para o futuro”, afirmou.

Questionado sobre os bastidores do processo de construção do apoio do diretório estadual petista a sua pré-candidatura, Armando disse que nunca deixou de acreditar no embarque da sigla no seu palanque e ressaltou que as decisões foram tomadas sob um plano de fundo “essencialmente democrático”.

“Tínhamos muita confiança de que, ao final, iriamos confirmar essa aliança e havia muitas razões para confiar nisto ao longo do processo […].  Então, ao final, foi confirmada essa nossa expectativa e, o que é mais importante, por uma larga margem e por um processo essencialmente democrático em que todos foram ouvidos, todos puderam se expressar”, disse o senador. “Isso é claro que fortalece o projeto, porque o PT é um partido que tem um enraizamento na sociedade brasileira, que tem uma trajetória, uma marca”, completou. 

Armando ressaltou ainda a importância de manter a máquina estadual parceira do governo federal e, para exemplificar os ganhos advindos dessa boa relação, o senador citou as conquistas que o povo pernambucano pode desfrutar na realidade e que, segundo ele, aconteceram, em sua maioria, devido ao engajamento dos governos Lula e Dilma Rousseff.

“Os pernambucanos associam muito as conquistas que ocorreram nos últimos anos ao apoio fundamental que recebemos dos governos federais nos últimos doze anos, no governo de Lula e que teve continuidade no governo de Dilma Rousseff. […] Vamos ampliar essa aliança de forças para poder oferecer um palanque forte à reeleição da presidente e, ao mesmo tempo, um palanque que possa oferecer ao estado uma nova proposta, uma proposta que aponte para o futuro”, disse o petebista.

O parlamentar aproveitou ainda para alfinetar a gestão do governador Eduardo Campos (PSB), retribuindo as críticas que o socialista tem feito com frequência ao Governo Federal.

“O que eu digo sempre é que os pernambucanos se tornaram mais exigentes em relação ao futuro. Todos sabem que o estado avançou, mas sabem também que o estado tem muitos problemas ainda. E para consolidar esse processo de crescimento, temos muito trabalho pela frente na infraestrutura, na educação, na saúde, na necessidade de fazer um desenvolvimento mais equilibrado, porque há regiões do estado onde esses investimentos não chegaram. Portanto, é essa agenda desafiadora que nós vamos discutir olhando para o futuro”, pontuou. (Magno Martins)

Jarbas Vasconcelos disputará mandato de deputado federal…

Jarbas-Vasconcelos

O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB) bateu o martelo: decidiu ser candidato a deputado federal.

Fará, em breve, um evento no Recife para explicar as razões que o fez disputar. Ainda não decidiu o dia. Vai combinar com o govenrador Eduardo Campos (PSB). Mas o senador já ligou para alguns amigos e não quis divulgar os nomes. (João Alberto)

Rede aprova indicação de Marina Silva para vice…

campos-marina

A Rede Sustentabilidade deu o último passo que faltava para que a ex-senadora Marina Silva (PSB-AC), enfim, integre a chapa presidencial do governador Eduardo Campos (PSB) na condição de vice. No último domingo, o colegiado que comanda o grupo aprovou documento que permite a neossocialista a realização do movimento.

Marina vem sendo apontada como a possível vice de Campos desde o seu ingresso no PSB, no dia 5 de outubro do ano passado – na reta final do período de filiação partidária com vistas às eleições.

A ideia do PSB é anunciar o ingresso de Marina Silva na chapa de Eduardo no ato de lançamento oficial do projeto nacional do partido, que deverá ocorrer em abril, em Brasília.

O desempenho que ela vinha exibindo nas pesquisas sobre a corrida sucessória – sempre registrando percentuais bem superiores aos de Eduardo – eram destacados como balizadores de uma provável troca de cabeça de chapa, que, pelo visto, não é mais levada em consideração. (Blog da Folha)

Malásia: voo MH370 caiu no sul do Oceano Índico, perto da Austrália…

O premier da Malásia, Najib Razak, participa de uma entrevista coletiva em Kuala Lumpur. Foto: Mohd Rasfan/AFP Photo

O premier da Malásia, Najib Razak, participa de uma entrevista coletiva em Kuala Lumpur. Foto: Mohd Rasfan/AFP Photo

Todos os 239 ocupantes do voo MH370, desaparecido desde o dia 8 deste mês, estão mortos. A informação taxativa foi dada na manhã desta segunda-feira pelo primeiro-ministro da Malásia, Najib Razak, durante conferência para a qual foram convocados familiares dos passageiros e tripulação. Deacordo com novos dados colhidos durante as investigações, o Boeing 777, caiu no sul do Oceano Índico, a cerca de 1.958 quilômetros da costa de Perth, na Austrália. O local apontado coincide com a área onde foram avistados dois grandes objetos, que podem ser destroços da aeronave. “A localização é remota, longe de qualquer área possível de aterrissagem”,detalhou Razak.

Vários pedaços metálicos pequenos também foram vistos boiando na área. De acordo com informações preliminares, um dos objetos maiores é laranja, cor de parte da fuselagem da aeronave. Navios da China – nacionalidade de dois terços dos passageiros que viajavam no voo – e da Malásia estão nas proximidades do local de detecção dos possíveis destroços. As buscas são auxiliadas por aviões australianos, americanos e neozelandeses e navios mercantese militares.

O voo MH370, que ia de Kuala Lumpur a Pequim, perdeu contato com as torres de controle de tráfego aéreo cerca de 40 minutos após a decolagem. Entre a Malásia e o Vietnã, a aeronave alterou a rota prevista. Ainda não há informações sobre o que poderia ter causado o acidente. Algumas teorias sustentam que os sistemas de comunicação do avião foram deliberadamente desligados e a altitude do voo foi drasticamente diminuída com o intuito de despistar radares. Outra possibilidade ventilada é a de que houve uma pane com despressurização e o piloto, sem possibilidade de fazer um pouso de emergência, decidiu voar a baixas altitudes, onde há oxigênio, para permitir que os passageiros respirassem.

Investigação complexa – De acordo com as autoridades malaias, esta foi a primeira vez na história que dados de vários radares de países distintos foram intercruzados, num trabalho minucioso e bastante complexo que envolveu um grande número de informações e especialistas e consumiu muito tempo. (Diário de Pernambuco)

PT de Pernambuco apoia Armando Monteiro Neto ao Governo do Estado…

foto6-624x467

Depois de um dia de debates internos, o PT de Pernambuco acaba de aprovar em uma assembleia no Hotel Jangadeiro, em Boa Viagem, descartou a possibilidade de lançar candidatura própria nestas eleições e optou por apoiar a candidatura do senador Armando Monteiro, do PTB-PE, para a disputa majoritária deste ano. 

No acordo aprovado neste domingo, o PT participa da chapa de Armando Monteiro Neto indicando o candidato a senador. O deputado federal João Paulo tem interesse no cargo e conta com simpatia do senador Humberto Costa, além da cúpula nacional da legenda. 

O resultado já era esperado, pois havia sido objeto de orientação da Executiva Nacional, a pedido do ex-presidente Lula. 

Em Pernambuco, a aliança ficou conhecida como tese do vingador, numa referência ao ato de vingar a perda da Prefeitura da Cidade do Recife para os socialistas, nas últimas eleições municipais. Curiosamente, o senador Armando Monteiro Neto, eleito na chapa majoritária quando da reeleição de Eduardo Campos, foi o primeiro a abandonar a gestão petista, ajudando a enfraquecer a gestão do petista João da Costa. Nesta semana que passou, conforme revelou com exclusividade o Blog de Jamildo, João da Costa levou sua corrente a declarar apoio ao senador do PTB. 

A definição reforça o palanque da reeleição da presidente Dilma Rousseff no estado, prioridade para os petistas na eleição deste ano e também o palanque de Armando para a conquista ao governo de Pernambuco. 

“Venceu a aliança. O PT vai apoiar o senador Armando Monteiro nas próximas eleições. Na minha opinião, a decisão foi a mais acertada. É o melhor para o Brasil e sobretudo, para Pernambuco”, avaliou o deputado estadual Odacy Amorim, momentos após a definição da aliança com Armando. 

Votaram a favor da tese, entre outros correligionários petistas, o senador Humberto Costa, o ex-prefeito do Recife e deputado federal, João Paulo (cotado para a chapa de Armando para o senado), a ex-deputado estadual Isabel Cristina, os deputados federais Pedro Eugênio Fernando Ferro, a vereadora e presidente do Diretório do PT de Petrolina, Cristina Costa, o vice-presidente do Diretório do PT no estado, Bruno Ribeiro e a presidente da legenda em Pernambuco, deputado estadual Teresa Leitão. 

O encontro tático eleitoral do PT pernambucano aconteceu no Hotel Jangadeiro, na zona sul do Recife. Delegados de todo o estado compareceram ao debate.

 Nesta tarde, o partido prometeu elaborar documento oficial com os critérios adotados para a união.  O senador Armando Monteiro era esperado para o final do encontro, mas não apareceu. 

Um total de 264 delegados do PT tomaram parte da votação, por aclamação. Cerca de 60% apoiou o entendimento com Armando Monteiro Neto e 40% dos votos foram contrários. 

Assim, a dúvida agora é saber se o senador do PTB contará com a totalidade do partido ou não nas eleições. Grupos ligados á sindicatos, como a CUT, manifestaram discordância, em função do perfil empresarial do postulante do PTB. No fim do encontro, o presidente do PT no Recife, Oscar Barreto, disse com todas as letras que não iria apoiar Armando Monteiro Neto. 

A presidente da executiva estadual, deputada Teresa Leitão, comemorou a decisão. “Não houve conflito, brigas nem contendas. As divergências foram superaras no voto”. No ano passado, antes de se curvar aos caciques da legenda, ironizava a aliança com Armando Monteiro Neto. 

“Quem quiser ver Revenge, que assista à serie de TV após o Fantástico”, afirmava, na época. 

Para demonstrar unidade, tanto na abertura do evento neste sábado, como no encerramento, neste domingo, o PT colocou lado a lado o deputado federal João Paulo e o ex-prefeito João da Costa, até recentemente inimigos declarados no Recife.  ( Blog de Jamildo )

A morte do Telefone…

Telefone_Antigo-640x300

Você ainda usa o telefone fixo? Provavelmente cada vez menos. Entre 2005 e 2012, houve uma queda de 19% no faturamento bruto das operadoras brasileiras com telefonia fixa. Segundo a consultoria Teleco, somente até setembro de 2013, o recuo ficou em 5%, na comparação com o mesmo período do ano anterior.

Quando o Sistema Telebrás foi privatizado, em 1998, a telefonia fixa era serviço essencial, e todo o modelo regulatório das telecomunicações foi desenhado para garantir sua continuidade. Empresas como a Telefônica Vivo e a Oi são concessionárias do serviço. Por isso, são submetidas a regras rígidas e a União tem o compromisso de assumir as concessões caso haja algum problema grave. As operadoras celulares e a GVT são autorizatárias, com menos regras e compromissos.

O problema é que o mercado mudou. Antes elitista, o celular passou a ser o serviço mais usado no País. A bandalarga nem existia na época da privatização. Em 2005, a telefonia fixa era responsável por 51% do faturamento do setor. De janeiro a setembro do ano passado, respondeu por somente 23%.

Na semana passada, escrevi sobre o livro Big Bang Disruption, que mostra como avanços tecnológicos podem destruir mercados. Segundo o livro, no final de 2011, menos da metade das casas dos EUA tinha telefone fixo. Esse porcentual deve cair para 25% em 2015.

Os autores Larry Downes e Paul Nunes destacaram que as operadoras chegam a gastar 50% de seu orçamentopara manter as velhas redes em funcionamento, para cada vez menos assinantes. São as deseconomias de escala que surgem quando um serviço ou produto entra em declínio.

Curiosamente, no Brasil, a base de assinantes de telefonia fixa tem subido. No fim do ano passado, havia 44,8 milhões de linhas, um crescimento de 15% sobre 2005. Os combos de internet, telefone e televisão são os responsáveis por esse avanço. São mais linhas fixas que, como mostram os dados de faturamento, pouca gente usa.

 Uma nova versão do contrato de concessão de telefonia fixa deve ser assinada até o final de 2015. Esse contrato passa por revisões a cada cinco anos. Haverá mais uma renovação até seu vencimento, em 2025.

Por causa disso, o debate sobre os chamados “bens reversíveis” (rede necessária à prestação do serviço de telefonia fixa, que, segundo a lei, será devolvida à União ao fim da concessão) já começa a esquentar. 

A lei não definiu quais são os componentes dessa rede. As redes atuais têm como base o protocolo de internet, e transportam, além da telefonia fixa, outros tipos de serviço, como a banda larga. Com isso, as empresas temem ser obrigadas a entregar ao governo uma rede valiosa, atrelada a uma concessão que vale cada vez menos. (Por Renato Cruz / Estadão)

Eleições 2014: Direto ao ataque…

montagem-dilma-aecio-eduardo-size-598-597x300

As crises envolvendo a Petrobrás e o setor elétrico do País colocam na berlinda a imagem de boa gestora que a presidente Dilma Rousseff explora desde a época em que ocupava o ministério de seu padrinho político e antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva. As duas áreas estão diretamente ligadas à sua passagem pelo governo federal como titular da pasta de Minas e Energia e da Casa Civil.

Seus opositores na corrida presidencial acreditam, agora, que terão uma forte arma contra a vantagem da petista nas pesquisas de intenção de voto – se a eleição fosse hoje, ela venceria Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) no primeiro turno. 

Na semana passada, o senador tucano foi o que mais tirou proveito político da crise na Petrobrás. Em uma prévia do que pretende levar à campanha sobre o tema, discursou na tribuna do Senado e cobrou a responsabilidade de Dilma. “Desde que assumiu a Presidência a atual presidente, o prejuízo, a perda de valor de mercado, somadas Petrobrás e Eletrobras, chega a cerca de US$ 100 bilhões. Essa é a gestão eficiente, é a condução dada por alguém que conhece dos assuntos?”

Conforme revelou o Estado na quarta-feira passada, Dilma apoiou em 2006, quando era ministra da Casa Civil e comandava o Conselho de Administração da Petrobrás, a compra de 50% de uma polêmica refinaria em Pasadena, nos EUA. O valor total do negócio ultrapassou US$ 1 bilhão, apesar de, poucos anos antes, a mesma refinaria ter sido comprada por uma empresa belga por US$ 42,5 milhões. (Agência Estado)

Powered by WordPress | Designed by: diet | Thanks to lasik, online colleges and seo