06/12/2019

Dirceu não queria Ana no TCU

Não sei os motivos nem quem deu a orientação para o governador Paulo Câmara (PSB) dividir a mesma ceia na casa do deputado Wolney Queiroz (PDT), quarta-feira passada, em Brasília, para, dentre outros assuntos, preparar a munição a ser usada numa bomba atômica capaz de transformar em pó a pré-candidatura da petista Marília Arraes à Prefeitura do Recife. O ex-governador Eduardo Campos, criador da criatura empostada no poder, odiava o capitão da turma da roubalheira de Lula, chefe da quadrilha. Foi Dirceu, por exemplo, que articulou a candidatura do ex-ministro Aldo Rebelo, para concorrer com Ana Arraes, mãe de Eduardo, a vaga de ministra do Tribunal de Contas da União. Pego de surpresa e sentindo-se traído, Eduardo teve que fazer do limão uma limonada, nas articulações que empreendia com maestria, para emplacar a mãe, capítulo de uma página vitoriosa na sua ascensão nacional. (Magno Martins)
05/12/2019

Candidatura de Marília Arraes pode ser benéfica para o PSB em 2020

Se em 2018 o PSB fez de tudo para retirar Marília Arraes da disputa pelo governo de Pernambuco, em 2020 o que se desenha é que a tática não será repetida na disputa pela prefeitura do Recife. Polarizada com o deputado federal João Campos, Marília Arraes poderá enfrentá-lo no segundo turno, neutralizando qualquer chance de a oposição chegar à segunda etapa. Como a oposição não tem a menor condição de chegar a um entendimento, uma vez que Mendonça Filho está decidido a ser candidato a prefeito de todo jeito e Daniel Coelho quer a todo custo ser novamente candidato, o grupo oposicionista irá novamente dividido, e neste caso fortalece a polarização entre João e Marília. Em um cenário onde parte significativa do eleitorado rejeita o PT, num segundo turno entre Marília Arraes e João Campos, é impensável que o eleitor que vota em Mendonça ou Daniel prefira votar numa candidatura […]
04/12/2019

PSB já trabalha com Marília no páreo

Pelo tom das entrevistas, ontem, no Frente a Frente, do líder do PSB na Câmara, Tadeu Alencar, e do próprio João Campos, pré-candidato à Prefeitura do Recife, já está bem digerido o cenário para 2020, na capital, tendo o PT do outro lado do balcão. Numa abordagem mais direta, Tadeu afirmou que a pré-candidata do PT, Marília Arraes, não se apresenta como bicho-papão, mesmo com Lula em seu palanque. Para ele, o PSB tem um candidato em potencial, serviços prestados ao Estado e ao Recife, particularmente, e uma vitrine – a gestão de Geraldo. Já João, ao ser abordado sobre o assunto, disse que a manutenção do PT na aliança com o PSB só entrará em discussão no ano que vem, mas que não passa pela sua cabeça nenhum temor do enfrentamento. Com PT aliado, o quadro é bem favorável para João. Sem a legenda, com Lula bombando Marília, só […]
03/12/2019

Carreras é carta fora do baralho

Se há algo consensual em Brasília, entre o Salão Verde da Câmara e os tribunais superiores, diz respeito à inviabilidade de uma possível candidatura do deputado Felipe Carreras, dissidente do PSB e punido pelo partido, à Prefeitura do Recife. Não há uma só alma viva que acredite na possibilidade dele ultrapassar as barreiras quase intransponíveis à sua frente, para reverter o tombo dado pelo PSB. Vítima de uma cassação branca, por ter votado a favor da reforma da Previdência, castigo que o afasta de comissões temáticas e de quase todas as atividades no Congresso como representante da legenda socialista, Carreras aguarda o resultado de uma consulta ao TSE para sair do partido sem perder o mandato. A sustentabilidade jurídica tem chances próximas a zero para uma manifestação positiva da corte. A ele, só restará se curvar no apoio ao pré-candidato do PSB, João Campos, ou fechar uma aliança branca com […]
27/11/2019

Candidatura de Raul Henry seria extraordinária para o MDB e para o deputado 

O deputado federal Raul Henry é um dos melhores quadros de Pernambuco, tendo a experiência de passar por cargos de relevância como vice-prefeito do Recife, deputado estadual, federal, vice-governador e secretário. Sempre por onde passou, o parlamentar demonstrou capacidade de diálogo e por isso conquistou credibilidade no meio político. Apesar de ter exercido diversos cargos públicos, foi na disputa para prefeito do Recife em 2008 que Raul Henry ganhou sua maior notoriedade na política. Ele apresentou uma campanha propositiva que conquistou o eleitorado recifense, sendo na época o candidato oposicionista que mais cresceu durante aquela disputa. É importante ressaltar que Henry deixou um legado para Pernambuco e o Recife, pois foi naquela eleição que ele apresentou a proposta do Compaz que ganhou muita aceitação e posteriormente foi executada nas gestões do PSB. Aquela eleição deixou um gosto de quero mais do eleitorado recifense em relação a uma candidatura com o […]
26/11/2019

Armando Monteiro aposta na “rebeldia” do Recife em 2020

Adversário do governador Paulo Câmara em 2014 e 2018, o ex-senador Armando Monteiro é considerado um dos principais expoentes da oposição em Pernambuco. Sempre muito sereno e ponderado, o líder petebista faz um prognóstico positivo sobre as chances da oposição em 2020 recorrendo ao histórico do Recife de ser “rebelde” com as estruturas de poder constituídas. Ele lembra que em 1994 quando Miguel Arraes elegeu-se pela terceira vez governador de Pernambuco, a capital pernambucana deu vitória a Gustavo Krause naquela ocasião, que foi o adversário de Arraes. Em 2000, Roberto Magalhães era um prefeito bem-avaliado e acabou derrotado por João Paulo numa eleição atípica. A própria eleição de 2018 para o governo de Pernambuco a capital pernambucana mandou o seu recado ao dar a Mendonça Filho a condição de mais votado para o Senado e se dependesse do Recife haveria um segundo turno entre Armando Monteiro e Paulo Câmara. Armando […]
21/11/2019

Pré-sal já sai em dezembro

Estados e Municípios vão ter o dinheiro da cessão onerosa do pré-sal mais cedo do que esperavam. A boa notícia foi dada, ontem, em Brasília, pelo presidente da Confederação Nacional dos Municípios, Glademir Aroldi. Segundo ele, o Governo Federal vai depositar R$ 5 bilhões nos cofres dos governadores e prefeitos no dia 27, com liberação três dias depois, dia 30. O anúncio foi festejado, mas Estados e Municípios só podem usar a grana em investimentos ou cobrir o passivo da Previdência. Folha de pessoal está proibida. O volume de recursos poderia ter sido bem maior se o Governo tivesse arrecadado o que previa – um valor acima de R$ 1 trilhão. Os lotes leiloados renderam R$ 70 bilhões. Mesmo assim, é uma grana razoável para Estados e Municípios quebrados, sufocados, sem uma política arrojada de ajuste fiscal. A agilidade na liberação também foi algo extremamente positivo. (Magno Martins)
18/11/2019

Caminho do PT novamente seguirá uma incógnita até 2020

Nas eleições de 2018, somente aos 45 do segundo tempo que o PT definiu qual seria seu caminho nas eleições estaduais. A retirada de Marília Arraes foi sacramentada na véspera das convenções para dar lugar a uma aliança com o PSB que foi determinante para reeleger Paulo Câmara para governador e Humberto Costa para senador. Naquela ocasião Lula estava na prisão e foi da carceragem da Polícia Federal em Curitiba que saiu a ordem para a retirada de Marília Arraes para retomar a aliança com o PSB. Assim como em 2018, Marília é novamente o epicentro de uma eleição majoritária, e a partir da decisão se ela será ou não candidata que teremos um desenho mais apurado do processo eleitoral. A indefinição de Lula e do PT sobre o caminho adotado é uma forma de valorizar o apoio do partido nas eleições de 2020. Ao mesmo tempo em que mantém […]
14/11/2019

Falta coragem cívica a Henry

Não teve a repercussão esperada o ato de filiação do prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, ao MDB, segunda-feira passada, naquela cidade sertaneja. Embora só tenha faltado o senador Jarbas Vasconcelos, estavam lá o presidente nacional Baleia Rossi (SP), o presidente estadual Raul Henry, o governador do DF, Ibaneis Rocha, e o senador anfitrião Fernando Bezerra Coelho, pai do prefeito. FBC fez o discurso mais incisivo, colocando a bola na marca do pênalti para Henry fazer o gol, quando o lançou candidato à Prefeitura do Recife. O acanhamento, típico da personalidade dele (Henry), ou frouxura, impediram que a solenidade reverberasse. O deputado, de perfil urbano, identificado com as causas da capital, só não será candidato se não quiser. Baleia Rossi disse que da parte da direção nacional não faltará oxigênio (apoio logístico, político e financeiro). Henry, entretanto, ainda não criou a chamada coragem cívica. (Magno Martins)