15/04/2019

Em cem dias de governo, Bolsonaro não surpreende ninguém…

Por Alex Ribeiro Por maior que sejam as críticas ao governo de Jair Bolsonaro (PSL), a atuação do presidente da República está seguindo quase à risca suas declarações e promessas de campanha. Alinhado as ideias de extrema direita, o estadista não abdicou de discursos contra supostas ideologias de esquerdas que, segundo ele, estão enraizadas na política e cultura brasileira. Narrativa também utilizada pelos seus auxiliares que se alimentam do repúdio ao “marxismo cultural”, conceito bastante controverso dito pelo guru Olavo de Carvalho. É preciso ressaltar que existem várias vertentes de esquerda e direita no mundo. São denominações que se adequam a realidade de cada país ou região e fazem parte da pluralidade política tão importante para o fortalecimento democrático. A diferença é quando o extremo vira a representação do poder. Quando se cultua a xenofobia e a intolerância. Quando se discursa que “as minorias se curvam ou desaparecem”, como Bolsonaro […]
14/04/2019

Reforma da Previdência: Vai passar…

Pesquisa publicada pelo jornal Valor Econômico mostra que 201 congressistas devem votar pela aprovação da reforma da Previdência. O número ainda não é suficiente, mas cresceu 35% de março para cá. A tendência é de que a reforma passe, embora com modificações. O ministro Onyx Lorenzoni justificou os tropeços dos primeiros cem dias de Bolsonaro dizendo que o presidente está fazendo os mesmos ajustes que Felipão, técnico do Palmeiras, fez no ano passado e deram certo. Onyx entende de futebol o mesmo que de articulação política. O Palmeiras de Felipão perdeu a final do ano passado para a Corinthians em seu estádio, depois de gastar R$ 60 milhões em reforços. Neste ano, está fora das finais, eliminado pelo São Paulo. Na última Copa que dirigiu, Felipão levou de 7×1. A projeção da safra deste ano é de 235,5 milhões de toneladas. Garante a alimentação interna e o superávit nas contas externas. (Magno […]
11/04/2019

51% são contra reforma da Previdência, indica Datafolha…

A reforma da Previdência proposta pelo governo Bolsonaro é rejeitada por 51% dos brasileiros, mostra pesquisa Datafolha. São favoráveis 41%, 2% se dizem indiferentes e 7% não sabem. A oposição à reforma é maior entre mulheres (56%) e supera o apoio por pelo menos dez pontos em todas as faixas etárias até 59 anos de idade. Já entre homens, 48% se dizem a favor e 45% contra, um empate técnico (a margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou menos). Há clara polarização das respostas de acordo com a posição na eleição presidencial de 2018: entre os que elegeram o presidente Jair Bolsonaro (PSL), 55% são a favor da reforma e 36% contrários. Já entre quem votou em Fernando Haddad (PT) ou branco ou nulo, 72% se dizem contra a mudança nas regras. O apoio à reforma é numericamente superior também entre os de renda familiar acima de dez salários mínimos (R$ 9.998 em […]
08/04/2019

Idade mínima de aposentadoria deve chegar a 64 e 67 anos para jovens…

Jovens que estão entrando no mercado de trabalho devem se deparar com idades mínimas de aposentadoria de pelo menos 64 anos, para mulher, e 67 anos, se homem, caso a reforma da Previdência do presidente Jair Bolsonaro seja aprovada, apontam projeções do governo. A proposta que tramita no Congresso prevê um gatilho que corrige as idades mínimas definidas no texto, de 62 anos (mulher) e 65 anos (homem), com base no aumento da expectativa de sobrevida da população. Pelo cálculo da equipe econômica, que leva em conta estimativas do IBGE, em 2060, as idades mínimas devem estar dois anos e um mês mais altas. Um jovem que entrar no mercado de trabalho em 2020 aos 25 anos, por exemplo, não poderá acessar nenhuma regra de transição proposta pelo governo e terá de cumprir as exigências de idade mínima e tempo de contribuição. Em 2060, ele terá exatos 65 anos. Porém, como a idade mínima estará em 67 anos e 1 mês, ele precisará trabalhar mais dois anos […]
03/04/2019

Após cancelar ida à CCJ, Guedes deve falar da PEC da Previdência nesta quarta na Câmara…

Oito dias após cancelar a ida à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara para prestar esclarecimentos sobre a proposta de reforma da Previdência, o ministro da Economia, Paulo Guedes, deve comparecer nesta quarta-feira (3) ao principal colegiado da Casa. Responsável pela área econômica do governo Jair Bolsonaro, Paulo Guedes desistiu de ir à CCJ na semana passada porque, na ocasião, estava incomodado com o adiamento da indicação do relator da proposta na comissão. A decisão do ministro gerou críticas por parte de deputados da oposição e até mesmo de integrantes da base aliada. Para evitar uma convocação do titular da Economia, os deputados fecharam um acordo no qual Paulo Guedes se comprometeu a ir nesta quarta-feira à Câmara para falar sobre as propostas de mudanças nas regras previdenciárias. Em contrapartida, o presidente da CCJ, deputado Felipe Francischini (PSL-PR), se comprometeu a indicar rapidamente o relator. Dois dias depois, o deputado Delegado Marcelo Freitas […]
27/03/2019

Eduardo da Fonte defende exclusão de professores da reforma da previdência…

A Comissão Especial da Câmara que irá tratar sobre a reforma da previdência vai analisar a proposta do deputado federal Eduardo da Fonte que exclui professores do novo regime previdenciário a ser discutido no Congresso Nacional. A emenda do parlamentar ao projeto propõe que o professor que comprovar no mínimo 5 anos de serviço – até a data da promulgação da reforma  – poderá optar a não seguir os requisitos de idade e tempo de contribuição garantidos pela regra anterior. Podem fazer parte da proposta professores de educação infantil e dos ensinos fundamental, médio e superior. “O professor, que em nosso País é tão pouco valorizado, desempenha uma função essencial para o desenvolvimento educacional. Nada mais justo que deixá-lo fora da reforma”, destacou Eduardo da Fonte.
27/03/2019

Fernando Monteiro apoia proposta de alteração nas regras de aposentadoria rural e BPC…

A iniciativa dos líderes partidários, nesta terça-feira (26), de propor a retirada das alterações das regras de Benefício da Prestação Continuada (BPC) e da aposentadoria rural da proposta da reforma da Previdência, foi vista como um avanço pelo deputado federal Fernando Monteiro (PP). Os parlamentares também assumiram o compromisso de “não permitir” a “desconstitucionalização generalizada do sistema previdenciário do país”. “Fiquei satisfeito, mas ainda temos muita coisa para discutir. Precisamos de mais clareza e rever muitos outros pontos. E isso requer atenção, estudo e tempo”. O parlamentar vem enfatizando que decisões que penalizem a parcela mais vulnerável da população não terão seu apoio. “Cerca de 70% da nossa população recebe menos de R$ 1.780,00 por mês. Não podemos tirar dos pobres para dar para os ricos. O homem do campo depende da chuva, está vulnerável à quebra da safra e, consequentemente, à queda do preço de sua produção, não apoiarei […]
09/03/2019

Faltam 48 votos para a Previdência, diz Paulo Guedes…

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que falta garantir mais 48 votos para a aprovação do projeto de reforma da Previdência na Câmara. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, que será publicada na íntegra na edição de amanhã, o ministro informou que o mapeamento do governo indica que 160 deputados já declararam publicamente apoio à mudança nas regras de aposentadoria. Outros 100, segundo ele, já indicaram ao Palácio do Planalto que votarão a favor da reforma. A informação do ministro, publicada no Broadcast, plataforma de notícias em tempo real do Grupo Estado, na tarde de ontem, teve efeito imediato na Bolsa. O Ibovespa, que operava em leve alta, acelerou o ritmo e fechou a 1,09%, aos 95.364 pontos. Questionado no final da tarde sobre a questão dos votos, o porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros, disse não ter conhecimento sobre o mapeamento dos votos. A […]
09/03/2019

Maia defende que BPC fique fora da reforma da Previdência…

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu ontem (8) que mudanças no Benefício de Prestação Continuada (BPC) fiquem fora da proposta da Reforma da Previdência (PEC 6/2019). “A gente tem que tomar cuidado para não incluir algo que, do ponto de vista fiscal, é nulo e do ponto de vista político pode ser mortal para a reforma”, afirmou. Segundo Maia, à primeira vista, a fórmula do BPC, enviada pela equipe econômica ao Congresso, “parece uma proposta razoável, interessante, só que não é isso que a sociedade que está interpretando”. “Acho que tudo que gera dificuldade na comunicação é melhor que não seja tratado”, argumentou. O BPC é pago a pessoas com deficiência e idosos que não têm condições de se manter. Rodrigo Maia lembrou ainda que esse é um ponto que têm incomodado bastante parlamentares de todos os partidos da Casa. Ele ressaltou que a “falta de compreensão” está gerando uma oportunidade de aqueles que vão ser […]