bishop-mario-olive_3083728b

Vaticano investiga denúncias de padres que aparecem nus em fotos de sites gays na Itália…

Ricardo Noblat/O Globo Mais um escândalo sexual pode abalar as estruturas da Igreja Católica. Desta vez trata-se de uma diocese na região de Liguria, no Norte da Itália, de onde chegaram denúncias Leia mais »

2014-762856199-2014102429904.jpg_20141024

PT entra com ações no TSE, no STF e no Ministério Público Eleitoral contra revista Veja…

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, afirmou ontem (24) que o partido entrou com representações contra a revista “Veja” no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), no Ministério Público Eleitoral (MPE) e no Supremo Leia mais »

Direto ao assunto

Fogo Cruzado – Inaldo Sampaio…

Aécio deverá ser o líder da oposição… Confirmando-se, amanhã, a vitória de Dilma para o segundo mandato, o Brasil terá a partir de segunda um novo líder na oposição: Aécio Neves. Ele Leia mais »

949bcca4e8c8fdb465859d9d3914027087e881c4

Debate: corrupção esquenta enfrentamento Dilma-Aécio…

No último debate da campanha presidencial, nesta sexta-feira à noite, na TV Globo, a troca de acusações que marcou a campanha veio logo no início do embate entre a presidente Dilma Rousseff Leia mais »

stiago_7

‘Amizade’ entre produtor e boi de 400 Kg é atração em sítio de São Tiago…

Na cozinha de um casarão centenário de fazenda na pequena São Tiago (MG) uma cena inusitada se desenrola. De repente, um imenso boi surge na porta da sala para a cozinha revirando a cabeça Leia mais »

A última invenção da campanha eleitoral: pesquisas para íntimos…

Ricardo Noblat / O Globo

Obs.: Desative momentaneamente a Rádio DS

Vaticano investiga denúncias de padres que aparecem nus em fotos de sites gays na Itália…

bishop-mario-olive_3083728b

bishop-mario-olive_3083728b

Ricardo Noblat/O Globo

Mais um escândalo sexual pode abalar as estruturas da Igreja Católica. Desta vez trata-se de uma diocese na região de Liguria, no Norte da Itália, de onde chegaram denúncias de padres que postam fotos nuas na internet, fazem “bico” como barman e cometem assédio a fieis. O caso chocou a cúpula do Vaticano a tal ponto que o Papa Francisco enviou nesta semana um “administrador católico” para investigar as acusações.

A diocese de Albenga-Imperia já foi descrita por um jornal italiano como a “mais fofocada da Itália”. Ela é comandada há mais de 25 anos por Dom Mario Oliveri, de 70 anos, conhecido até então pelo seu conservadorismo religioso. De acordo com o periódico Il Secolo XIX, o bispo deve ser substituído nos próximos dias.

saiba mais

“Ambiente de Guerra” – Opinião do Magno Martins…

debate3

Nunca se viu na história recente do País uma eleição presidencial de segundo turno com tamanha imprevisibilidade, agressões entre os candidatos, brigas entre militantes e tantas acusações no campo pessoal. E que chega também à corte judicial com ameaças de processos contra a revista Veja pela presidente Dilma.

Que classificou como ato terrorista a capa do periódico trazendo uma revelação do doleiro Alberto Yuossef na qual afirma que tanto ela quanto o ex-presidente Lula sabiam das falcatruas montadas na Petrobras pelo ex-diretor Paulo Roberto Costa, caixa do esquema na estatal.

Já a revista IstoÉ também trouxe na capa uma reportagem nada favorável ao PT. Informa que Dilma promoveu uma das campanhas mais sujas da história, com o objetivo de se manter no poder a qualquer custo. Diz que a tática dotada foi a do medo e do terrorismo eleitoral.

A tensão, no entanto, não se dá apenas com a noticiário quente da eleição. Os institutos de pesquisas ajudaram a elevar o tom também, gerando uma guerra nas redes sociais, porque apontam resultados discrepantes, uns favorecendo Dilma, outros Aécio.

O fato é que houve uma tendência de crescimento de Dilma pelo Ibope e Datafolha que Sensus e Veritá não apontaram. Números à parte, o que vale agora será o comportamento do eleitor, a queda ou crescimento dos candidatos por regiões. Aécio ganha em São Paulo, mas perde no Rio, enquanto em Minas se observa empate técnico.

No Sul, o tucano leva vantagem, empata no Centro Oeste, mas Dilma coloca uma frente mais ampla no Norte e Nordeste, regiões que, historicamente, apresentam grandes percentuais de abstenção quando se trata de disputa de segundo turno, na qual fica de fora a máquina montada pelos governadores e os candidatos proporcionais.

(Blog do Magno Martins)

PT entra com ações no TSE, no STF e no Ministério Público Eleitoral contra revista Veja…

2014-762856199-2014102429904.jpg_20141024

2014-762856199-2014102429904.jpg_20141024

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, afirmou ontem (24) que o partido entrou com representações contra a revista “Veja” no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), no Ministério Público Eleitoral (MPE) e no Supremo Tribunal Federal (STF). Ele disse que a legenda não pedirá a retirada de circulação da reportagem em que o doleiro Alberto Youssef teria afirmado, em delação premiada à Polícia Federal, que o ex-presidente Lula e a candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) saberiam do esquema de corrupção na Petrobras. Mais cedo, o ministro do TSE negou o pedido de liminar feito pela campanha da presidente para a retirada da publicação da reportagem da revista, publicada no site e no Facebook. Falcão também descartou a possibilidade de Lula e Dilma estarem envolvidos no escândalo da empresa.

Segundo o presidente do partido, nesta sexta-feira o PT entrou, no TSE, com um pedido de direito de resposta contra a “Veja” e seu site, além de outro para impedir qualquer publicidade da revista em rádio, TV ou outdoor, porque isso, segundo ele, configuraria propaganda eleitoral negativa. No MPE, o partido solicitou um procedimento investigativo para apurar abuso dos meios de comunicação (no caso, da revista) com a intenção de prejudicar a candidatura e desequilibrar o pleito. No STF, a sigla abriu uma representação penal de difamação, supostamente praticada pelo autor da matéria, contra o PT.

Continua…

Fogo Cruzado – Inaldo Sampaio…

Direto ao assunto

Direto ao assunto

Aécio deverá ser o líder da oposição…

Confirmando-se, amanhã, a vitória de Dilma para o segundo mandato, o Brasil terá a partir de segunda um novo líder na oposição: Aécio Neves. Ele e Eduardo Campos, como bem notou em seu livro de memórias o ex-ministro Fernando Lyra, eram os dois melhores políticos brasileiros da geração pós 64. O mineiro com 54 anos e o pernambucano com 49. Ambos foram formados pelos avôs, Tancredo Neves e Miguel Arraes, respectivamente, para abraçar a carreira política. Passaram pela Câmara Federal e pelo governo dos seus estados, sendo que Aécio foi também presidente da Casa e Eduardo ministro de estado. Os dois se prepararam, cada um a seu modo, para disputar a Presidência da República em 2014. Mas o destino foi cruel com Eduardo, não permitindo que ele se apresentasse ao país como a “terceira via” do 1º turno. Aécio chegou ao 2º com Dilma Rousseff e mesmo que perca, amanhã, está talhado para comandar a oposição.

Aécio Neves e Eduardo Campos foram preparados pelos avôs, Tancredo Neves e Miguel Arraes, respectivamente, para abraçar a carreira política

Então, pra que mudar?
Se Aécio perder a eleição, parte da culpa será debitada na conta dos seus marqueteiros, que o transformaram num político agressivo e intolerante sem de fato ele ser. Além disso, botaram na cabeça do tucano que ele deveria dizer aos eleitores que manteria todos os programas sociais do atual governo – Bolsa Família, Mais Médicos, Prouni, Pronatec, Luz para todos, etc. “Ora”, perguntou-se o eleitor comum, “se é para manter tudo que está aí, é melhor votar na Dilma”.


Massa - A campanha pró Aécio feita em Pernambuco pela Frente Popular, com a massificação do número “45”, ajudará por tabela a campanha de Daniel Coelho (PSDB) para prefeito do Recife daqui a dois anos. Em 2016 começará tudo de novo. O prefeito Geraldo Júlio (PSB) vai ter que trabalhar duro para dizer aos eleitores que o seu número não é mais “45”, e sim o “40”.

Elite – Ainda que Aécio ganhe a eleição, o PSDB terá que fazer um trabalho de marketing para livrar-se da pecha de “partido de elite”, que só teria inserção em Minas, São Paulo e Paraná.

Debate – Humberto Costa foi convidado pelo PT para acompanhar Dilma no debate da Globo e o governador eleito, Paulo Câmara, convidado pelo PSB para acompanhar Aécio Neves.

Ofensa – Quando se for escrever a história desta campanha, os tucanos Alberto Goldman (SP) e Marconi Perillo (GO) serão citados por terem chamado o ex-presidente Lula (PT) de “canalha”.

Tucana 1 – Como diz o ex-ministro José Dirceu (foto), a “Veja” é tucana e se assume como tal. Antecipou para ontem a sua edição que sairia hoje só para dizer que Lula e Dilma sabiam do escândalo da Petrobras, como forma de desgastar a presidente e ajudar Aécio Neves (PSDB).

Tucana 2 – Por falar em “Veja”, depois que a “delação premiada” de Paulo Roberto Costa for de conhecimento público, nunca mais a revista dirá, como sustentou nos últimos 2 anos, que o mensalão “foi o maior escândalo político da história do Brasil”. Perto do da Petrobrás é pinto.

Carimbo - O pernambucano Geraldo Brindeiro já está aposentado no DF como procurador da República. Mas não consegue livrar-se do carimbo de “engavetador geral” por não ter feito nenhuma denúncia grave, contra ninguém, nos dois governos de FHC, quando foi o Procurador Geral, Marco Maciel o vice-presidente da República e Everardo Maciel o secretário da Receita. O carimbo pegou.

Vitória – Dilma deve bater Aécio, amanhã, em todos os estados do Nordeste, repetindo a façanha de 2010 quando derrotou Serra (PSDB) na região por mais de 10 milhões de votos. De quebra, o PT manteve o governo da Bahia (Rui Costa), reconquistou o do Piauí (Wellington Dias) e está a um passo de conquistar também, pela primeira vez, o do Ceará com o deputado Camilo Santana. (Folha de Pernambuco)

Hoje:

25 de outubro:

Dia do Dentista.

Dia de Frei Galvão e São Crespim .

Dia da Construção Cívil.

Dia da Democracia

Dia do Sapateiro;

Proclamação de República do Cazaquistão.

Nesta data em:

1415 – Guerra dos Cem Anos: inicia-se a Batalha de Azincourt, na imagem.

1825 – Uruguai torna-se independente do Brasil.

1936 – Hitler assina aliança com o ditador italiano fascista Benito Mussolini.

Nasceram neste dia…

1806 – Max Stirner, filósofo alemão (m. 1856).

1881 – Pablo Picasso, artista espanhol (m. 1973).

1962 – Chad Smith, baterista da banda Red Hot Chili Peppers.

Morreram neste dia…

1495 – Rei D. João II de Portugal (n. 1455).

1764 – William Hogarth, pintor e gravurista britânico (n. 1697).

1973 – Abebe Bikila, maratonista etíope (n. 1932).

1975 — Vladimir Herzog, jornalista brasileiro.

1991 — Bill Graham, empresário norte-americano.

1993 — Vincent Price, ator estadunidense.

2013 — Paulinho Tapajós, compositor, cantor, produtor musical, escritor e arquiteto brasileiro. (n. 1945).

2013 — Arthur Danto, filósofo e crítico de arte americano (n. 1924).

Debate: corrupção esquenta enfrentamento Dilma-Aécio…

949bcca4e8c8fdb465859d9d3914027087e881c4

949bcca4e8c8fdb465859d9d3914027087e881c4

No último debate da campanha presidencial, nesta sexta-feira à noite, na TV Globo, a troca de acusações que marcou a campanha veio logo no início do embate entre a presidente Dilma Rousseff (PT) e o senador Aécio Neves(PSDB). O tucano, em sua primeira intervenção, disse que era alvo de boatos, como o de que tiraria do cadastro beneficiados pelo Bolsa Família, e lembrou o escândalo da Petrobras, com as denúncias veiculadas esta semana pela revista “Veja”, segundo as quais o doleiro Alberto Youssef acusou Dilma e e o ex-presidente Lula de saberem dos desvios na estatal.

— Essa campanha vai passar para a História como a mais sórdida. A calúnia e a infâmia foram feitas não só em relação a mim, em relação a Eduardo Campos, a Marina. Isso é um péssimo exemplo. A revista publica que um dos delatores disse que a senhora e Lula tinha conhecimento da corrupção na Petrobras. A senhora sabia da corrupção na Petrobras?

Em resposta, Dilma acusou o tucano de fazer uma campanha “extremamente agressiva” contra ela e negou as denúncias. Afirmou que a revista faz “oposição sistemática” aos governos petistas e promove um “golpe eleitoral”.

— A “Revista Veja” não apresenta nenhuma prova do que faz. Manifesto a minha inteira indignação porque a revista tem hábito de, na reta final das campanhas, tentar dar um golpe eleitoral e isso não é a primeira vez. Fez em 2002, em 2006, em 2010 e agora faz em 2014. O povo não é bobo e sabe que está sendo manipulada essa informação porque não foi apresentada nenhuma prova. Irei à Justiça para me defender.

COMPARAÇÕES ENTRE GOVERNOS

Aécio manteve a ofensiva e, ao abordar os problemas de infraestrutura do país, criticou o governo federal por ter investido R$ 2 bilhões na construção do Porto Muriel, em Cuba, quando, disse, o país carece de investimentos em ferrovias e portos. Na resposta, Dilma usou a estratégia, repetida ao longo do debate, de comparar os governos petistas com os de Fernando Henrique Cardoso. Disse que a iniciativa será benéfica para empresas brasileiras e afirmou que o ex-presidente também financiou empresas para “colocar produtos em Cuba e Venezuela”.

Nas seguidas comparações que fez com governos tucanos, Dilma acusou o PSDB de ter deixado o Banco do Brasil com uma “grave dívida” e de ter quebrado a Caixa Econômica Federal e o BNDES.

— Vocês reduziram (os bancos) ao tamanho que achavam que devia ter — disse Dilma.

A presidente ouviu então de Aécio a acusação de que o PT aparelha a máquina pública.

— O Banco do Brasil tem 37 diretorias, um terço delas ocupadas por filiados do PT.

No debate econômico, Dilma disse que não era verdade que ela é a primeira presidente a a entregar um governo com a inflação maior do que recebeu:

— No últimos dez anos tivemos dentro dos limites da meta. Quem não mantinha (a meta) era o governo Fernando Henrique.

— Quer dizer que foi o PT que controlou a inflação e não nós? Tenho orgulho de ter um aliado como o Fernando Henrique, a quem a senhora teceu elogios.

PARTICIPAÇÃO DE INDECISOS

No segundo bloco, em que, pela primeira vez, eleitores indecisos fizeram perguntas diretamente aos candidatos, a discussão se voltou para a vida real, tornando o debate menos agressivo e mais propositivo. Logo na primeira pergunta, sobre os altos aluguéis, Dilma e Aécio foram obrigados a discutir a inflação, sem acusações mútuas.

Dilma aproveitou a pergunta para falar de um de seus principais programas, o Minha Casa Minha Vida, destacando que ele contempla quem ganha até R$ 5 mil, com faixas de subsídio. A candidata disse que seu compromisso é fazer mais três milhões de casas, ampliando as faixas de renda.

— Tenho certeza de que você poderá ser contemplado caso seja uma das pessoas sorteadas — disse Dilma, dirigindo-se ao eleitor.

Aécio procurou desconstruir os números oficiais. Disse que foi entregue apenas metade das três milhões de casas anunciadas. O tucano prometeu ampliar os programas de habitação no país.

A pergunta sobre educação proporcionou um confronto de realizações entre Dilma, no governo federal, e Aécio, no governo de Minas Gerais. No entanto, os candidatos convergiram sobre a necessidade de mais creches, melhora no ensino médio e na valorização dos professores.

Sobre o tema da corrupção, levantado por uma eleitora de Minas, Dilma concordou que a lei é branda para punir corruptos e corruptores e enumerou propostas que fez para endurecer a lei. Aécio disse que a eleitora expressava o sentimento de indignação de milhões de brasileiros com a corrupção e afirmou que algumas propostas listadas por Dilma tramitaram no Congresso, mas sem empenho do governo em aprová-las.

— Existe uma medida acima de todas as outras para combater a corrupção, tirar o PT do governo — afirmou o tucano.

‘MEU BANHO MINHA VIDA’

No terceiro bloco, em que os candidatos voltaram a fazer perguntas entre si, Dilma alfinetou os tucanos ao falar sobre a importância do planejamento e em seguida lembrou a falta de água em São Paulo, governada pelo PSDB. Aécio disse que faltou planejamento, mas do governo federal, que, segundo ele, não teria colaborado com o governo paulista. Citou o Tribunal de Contas da União (TCU), que teria acionado o governo federal por isso. Dilma procurou ser irônica e, após, dizer que água é responsabilidade dos governos estaduais, citou o humorista José Simão:

— Vocês estão levando o estado para ter o programa “meu banho minha vida”.

Aécio, que já havia citado o “Petrolão”, referência ao escândalo da Petrobras, lembrou o julgamento do mensalão e voltou a criticar o PT por tratar os petistas condenados como “heróis nacionais”. E perguntou a Dilma o que achava da condenação do ex-ministro José Dirceu. Sem responder diretamente ao tucano, a presidente lembrou o mensalão mineiro, no governo do tucano Eduardo Azeredo (a quem chamou de Renato Azeredo):

— O mensalão do meu partido teve condenados. No mensalão do seu partido, não teve condenados nem punidos — disse Dilma, lembrando outros escândalos envolvendo tucanos que, segundo ela, não tiveram punição, como Sivam e pasta rosa.

Aécio contra-atacou e disse que um dos principais envolvidos no mensalão mineiro é ligado ao PT:

— Walfrido Mares Guias foi coodenador de sua campanha em Minas — afirmou Aécio.

O Globo

‘Amizade’ entre produtor e boi de 400 Kg é atração em sítio de São Tiago…

stiago_7

stiago_7

Na cozinha de um casarão centenário de fazenda na pequena São Tiago (MG) uma cena inusitada se desenrola. De repente, um imenso boi surge na porta da sala para a cozinha revirando a cabeça para passar seus longos chifres pelo “pequeno” vão da passagem. Calmamente ele caminha até a porta da despensa, para e aguarda sua porção de milho ser servida pelo dono. Este é o boi Tomate, um touro manso criado como bicho de estimação pelo produtor rural Sebastião Galdêncio Almeida, de 77 anos. O amor dele pelo bicho é quase de pai pra filho e o dono logo já avisa: o boi ele não vende ou muito menos jamais vai dá-lo. “Esse boi é meu ‘companheirão’, ‘nóis’ mora lá na serra, que lugarzinho bão”, recita em rima seu Tião.

Aonde Tião vai, Tomate vai atrás. Se ele pede para o Tomate sentar, ele senta. Se pede para sair, ele sai. Quando quer comida ou ficar perto do dono, Tomate encosta o focinho no rosto do seu Tião na maior polidez. O carinho é visível entre os dois e não há quem não fique espantado de ver tamanho boi criado dentro de casa que nem um poodle dos mais paparicados. “Achei ele bonito ‘né’, aí deixei ele”, conta seu Tião sobre como resolveu adotar o boi. “Ele era gordinho, redondinho, aí coloquei o nome de Tomate.”

Seu Tião cria o boi em casa desde que ele era ainda um bezerro de um mês. O animal foi castrado para que não ficasse bravo quando adulto. Hoje Tomate já tem 8 anos e segundo Tião, começou a crescer tanto assim nos últimos três. O peso do bichinho de estimação? Tião responde: “25 arrobas”, ou quase 400 kg passeando dentro de casa. Quando Tomate entra na grande cozinha do casarão, seu corpo ocupa quase metade do comprimento do cômodo, mas ele é um boi cuidadoso. Se movimenta bem devagar, sem esbarrar nos móveis ou derrubar nenhuma xícara.

stiago_5

Para que ele ficasse mais parecido ainda com os típicos cachorrinhos que a gente cuida em casa, Tião resolveu ensinar o Tomate até a “fazer graça”. Quando o dono fala para o Tomate dar bom dia, o imenso boi se ajoelha e cumprimenta os presentes. Para honrar o bom relacionamento entre “pai e filho”, Tião ensinou o boi até a “dizer” que torce pelo time do coração do dono. “Se perguntar pra ele se é do Cruzeiro, ele balança o rabo pra cima falando que sim. Do Atlético ele não é não. Pergunto e ele balança o rabo para os lados ‘falando’ que não (risos)”, brinca seu Tião demonstrando na prática que não contou mentira. Tomate balança o rabo assim mesmo.

Continua…

Arquivo Fotográfico

010806

1989 lDimas Santos e turma no dia 18 de agosto de 1991, em João Alfredo.

images010806O vereador Wilson França discursando durante sessão da Câmara Municipal de João Alfredo, no dia 1º de agosto de 2006.

10 perguntas e respostas sobre o segundo turno…

94291e9083a674bc68498850174dd5ef

O primeiro e o segundo turno são considerados eleições diferentes, resultado de campanhas com estratégias também distintas. Porém, as regras estabelecidas pela Justiça Eleitoral são bem semelhantes para as duas fases, como a obrigatoriedade de apresentar um documento com foto na hora de votar, a necessidade de justificar a ausência e a probição da propaganda boca de urna. Seguindo as leis deste pleito, oNE10 respondeu algumas dúvidas comuns. Veja:

Não, a eleição obedece ao horário local. As urnas estão prontas para receber os votos a partir das 8h e funcionam até as 17h do Recife.

A divulgação do resultado das eleições para presidente começa a partir das 19h no Recife – 20h pelo horário de Brasília. Isso acontece devido à diferença de fuso em relação ao Acre, que, devido ao horário de verão, está com três horas a menos em relação à capital do País. Já os 13 estados e o Distrito Federal, onde há segundo turno para governador, os resultados podem começar a ser divulgados logo após o término da votação.

Na hora em que for votar, o eleitor deve portar um documento de identificação com foto e o título de eleitor. O documento de identificação pode ser a carteira de identidade, certificado de reservista, carteira de trabalho ou carteira nacional de habilitação com foto. A ausência do título de eleitor, no entanto, não impede o voto.

O documento com foto é necessário inclusive para os locais com identificação biométrica. Isso porque, na hipótese de as digitais não funcionarem na hora, o eleitor poderá ser identificado por meio do documento.

No dia das eleições, é permitida a manifestação individual e silenciosa da preferência do eleitor por um candidato ou partido político, revelada exclusivamente pelo uso de bandeiras, broches, dísticos e adesivos. Também não há impedimento legal para que os eleitores usem as redes sociais para divulgar em quem votaram, com exceção das propagandas pagas feitas pelos candidatos. 

No entanto, comícios estão proibidos desde a quinta-feira e atos com caminhadas, carreatas, passeatas ou carros de som, a partir de sábado.

Estão mantidas para o segundo turno as decisões tomadas para o primeiro, como o número de policiais usados, 15.115 entre civis e militares, e o fato de não ser adotada a chamada Lei Seca, que proíbe o consumo de bebidas alcoólicas no dia da votação. 

Uma novidade é que foi prometido mais rigor na fiscalização do trabalho de ambulantes no entorno dos locais de votação, já que os pontos de venda têm que ficar a uma distância de, no mínimo, 100 metros dos prédios.

No Recife, pelo telefone (81) 3194.9400, das 8h às 17h, ou pelo e-mail propaganda@tre-pe.jus.br. No interior, nos cartórios eleitorais – a lista está disponível no site do TRE-PE.

Sim. Os dois turnos das eleições são independentes.

Segundo o calendário do TSE, o prazo é o dia 26 de dezembro, dois meses depois da votação. O último dia para o eleitor que deixou de votar no primeiro turno apresentar a justificativa é 4 de dezembro. Lembrando que são justificativas diferentes para cada fase.

A justificativa pode ser feita em qualquer cartório eleitoral. No dia da votação, o procedimento pode ser feito em qualquer em um dos postos de justificativa nas zonas eleitorais.

Qualquer eleitor que deixou de comparecer a algum dos turnos das eleições fica em débito. A situação do título pode ser consultada no site do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE), se for do Estado. Para saber onde votar, o eleitor também pode acessar a página da Justiça Eleitoral.

Os eleitores em débito com a Justiça Eleitoral podem regularizar sua situação em qualquer cartório eleitoral, nos casos de ausência às votações. Já os débitos de multas por não atendimento à convocação para os trabalhos eleitorais ou de propaganda irregular, deverão ser regularizados na zona eleitoral do domicílio do eleitor. Esses valores são definidos pelo juiz eleitoral.

Os eleitores em débito ficam impedidos de tirar passaporte ou carteira de identidade, se inscrever em concurso público ou tomar posse, receber salários de empregos públicos, participar de processo de concorrência pública, renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial.

Os mesários são convocados automaticamente para o primeiro e o segundo turno. Entretanto, se a nomeação foi ad hoc, em que o eleitor é chamado para trabalhar com a ausência de algum dos determinados pela Justiça Eleitoral, vai depender se foi feita a substituição, pelo cartório, e se a ausência foi comunicada ao juiz eleitoral. Os casos são analisados por cada juízo, que escolhe se o eleitor é convocado novamente no segundo turno.

Em Pernambuco, há 75.168 mesários, todos treinados até esta sexta-feira (23), dois dias antes do pleito.

Quem deseja ser mesário nas próximas eleições pode recorrer ao programa Mesário Voluntário. Para participar o eleitor deve entrar em contato com o TRE do seu estado ou com o cartório eleitoral no qual está inscrito e colocar-se à disposição. 

Cada dia trabalhado como mesário nas eleições dá direito a dois dias de folga em seu trabalho (público ou privado) e a um auxílio-alimentação. Outros benefícios são os créditos em disciplinas de cursos em instituições de ensino superior conveniadas com a Justiça Eleitoral e a vantagem de desempate em concursos públicos que preveem esse critério no edital.

A solicitação para votar em trânsito ou alterar os dados do pedido aconteceu até o dia 21 de agosto de 2014, período em que os eleitores puderam indicar a cidade onde estariam no primeiro ou no segundo turno para poder, mesmo fora do domicílio eleitoral, votar para presidente da República.

Quem não fez o pedido não pode votar fora da seção onde é cadastrado e, dessa forma, deve justificar a ausência. Paralelamente, os que solicitaram o voto em trânsito e não viajarem estão desabilitados para votar na seção de origem, devendo também justificar.(NE10)

Fragmento Bíblico

10489956_623799357736009_9111849998252254888_n

Ex-diretor da Petrobras diz que pagou R$ 20 milhões a caixa 2 de Eduardo Campos…

c0b08d1a64fcdf92a0227867f9486b72

c0b08d1a64fcdf92a0227867f9486b72

O ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa afirmou em depoimento da delação premiada dos autos da Operação Lava Jato que intermediou em 2010 o pagamento de R$ 20 milhões para o caixa 2 de campanha de Eduardo Campos (PSB), então candidato à reeleição ao governo de Pernambuco – Campos foi reconduzido ao cargo com 80% dos votos. Segundo Paulo Roberto Costa, o operador da transação foi o ex-ministro Fernando Bezerra, da Integração Nacional do governo Dilma Rousseff, eleito senador pelo PSB de Pernambuco e ex-braço direito de Campos.

Em 13 de agosto, candidato à Presidência, Eduardo Campos morreu tragicamente num acidente aéreo.

Costa disse ao Ministério Público Federal – em um dos vários depoimentos prestados entre agosto e setembro – que Bezerra pediu a ele o dinheiro para ser usada na campanha à reeleição do então governador pernambucano. O ex-diretor da Petrobras, que aceitou colaborar com a Justiça em troca da redução de pena, também apontou o envolvimento de pelo menos 32 deputados e senadores e o PT, o PSDB, o PMDB e o PP com os esquemas de propina nas obras da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco.

A delação de Costa foi homologada pelo ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal. Ele disse que os R$ 20 milhões foram entregues a Bezerra pelo doleiro Alberto Youssef. Também alvo da Lava Jato, o doleiro está fazendo delação premiada e citou 28 parlamentares. Youssef está preso em Curitiba, desde 17 de março.

Na época, o ex-ministro Bezerra era secretário de Desenvolvimento do governo do Estado e presidente do Porto de Suape (entre 2007 e 2010), onde foi construída a refinaria. Era ele quem tratava institucionalmente com os responsáveis pela obra de Abreu e Lima.

Iniciada em 2008, a obra ainda não foi concluída, mas já está com superfaturamento, segundo relatórios do Tribunal de Contas da União (TCU) e da Procuradoria da República.

Costa era quem presidia o conselho de administração da Refinaria Abreu e Lima S/A, empresa constituída pela Petrobras para tocar as obras avaliadas inicialmente em R$ 2,5 bilhões e que já consumiu mais de R$ 20 bilhões, segundo o Ministério Público Federal.

Bezerra foi secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco até 2011. Depois foi indicado por Campos para ocupar o cargo de ministro da Integração Nacional.

Como presidente de Suape e secretário de Estado, era ele quem negociava diretamente com a Petrobras e a empresa criada para tocar a obra, que tinha Paulo Roberto Costa como presidente do Conselho de Administração. À Justiça Federal, na ação penal sobre superfaturamento, desvios de recursos na obra, Costa e Youssef revelaram que o PT, o PMDB e o PP lotearam as diretorias da Petrobrás e montaram um esquema de propina paga por construtoras que abasteceu o caixa 2 dos partidos, principalmente para campanha de 2010.

A empresa é a mesma apontada por Costa por ter pago o achaque de R$ 10 milhões que teria sido feito entre 2009 e 2010 pelo então presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra, para abafar a CPI da Petrobrás. (Estadão)

Powered by WordPress | Designed by: diet | Thanks to lasik, online colleges and seo