Sob comando de Kassab, PSD busca bancada forte nas eleições 2022
31/03/2022
Opinião: Miguel Coelho, a força que surge do sertão
31/03/2022

Doria deve anunciar desistência da candidatura à Presidência da República

g1/Por Andréia Sadi e Julia Duailibi – O governador do estado de São Paulo, João Doria (PSDB), deve anunciar nesta quinta-feira (31) a desistência da candidatura à Presidência da República nas eleições de outubro deste ano.

Ele venceu as prévias do PSDB em primeiro turno no fim de novembro de 2021. Na época, ele obteve mais que a maioria dos votos e superou o governador Eduardo Leite, do Rio Grande do Sul, e o ex-prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto.

A disputa foi marcada por divergências entre os pré-candidatos, que dividiram posições dentro da legenda. Ao longo da pré-campanha, Doria e Leite trocaram farpas, e a demora para a conclusão da votação acabou agravando a crise entre os governadores.

Leite, entretanto, vem mantendo a disposição em concorrer à presidência da República. Ele chegou a negociar uma ida para o PSD, de Gilberto Kassab, mas, após uma carta de tucanos tradicionais, decidiu permanecer no PSDB .

No final da semana passada, ele deixou o cargo de governador do Rio Grande do Sul e, no início desta semana, disse que respeita as prévias do PSDB, mas que elas não podem servir como corrente para o partido.

A última pesquisa Datafolha, feita em 22 e 23 de março, simulou dois cenários da disputa presidencial com a presença de Doria no 1º turno. Em ambos, ele tinha 2% das intenções de voto na pesquisa estimulada (em que os nomes são apresentados aos entrevistados)

Eduardo Leite atingiu 1% no cenário em que aparece com alternativa do PSDB na disputa.

Rodrigo Garcia

Doria foi eleito governador de São Paulo em 2018, após deixar a prefeitura da capital paulista no meio do mandato. Como está em primeiro mandato como governador, ele pode disputar a reeleição.

O pré-candidato do PSDB ao governo de São Paulo, entretanto, é Rodrigo Garcia, vice-governador e secretário de governo de Doria.

A sinalização de Doria de que deve desistir da candidatura à Presidência pegou de surpresa e irritou Rodrigo Garcia. Em protesto, ele pediu demissão do cargo de secretário de Governo – embora tivesse de deixar o posto de qualquer forma até o fim desta semana para disputar as eleições.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.