Você trata bem a alguém só pela aparência?
22/10/2015
Dilma sanciona lei que regulariza mais de 6 mil lotéricas…
22/10/2015

População desocupada teve crescimento de 56,6%, são mais de 670 mil pessoas…

22102015_Emprego_NP

A população desocupada no Brasil cresceu 56,6% em setembro. A informação divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na manhã desta quinta-feira, 22 de outubro, surgiu da comparação com os dados registrados em 2014. Ainda segundo o Instituto, o número de pessoas atrás de emprego continuou a crescer no mês passado, por demissões ou por já estarem a procurar uma vaga nos últimos 12 meses.

Praticamente um terço dos 1,853 milhão de pessoas que estão desempregadas atualmente estão nas seis áreas investigadas: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife e Salvador. Ainda segundo o IBGE, a população ocupada reduziu 1,8% em setembro, em relação ao mesmo período do ano passado, e nova queda recorde foi verificada. Pelo menos, 420 mil pessoas perderam o emprego nos últimos 12 meses.

A população economicamente ativa avançou 1,0%, em setembro. Isso mostra que 250 mil pessoas abandonaram a inatividade e ingressaram ou retornaram ao mercado de trabalho. Mas, apesar de taxa inferior a observada até o fim do ano passado, a população inativa também registrou crescimento de 0,9%, o que faz referência a mais 170 mil pessoas.

Na comparação mensal, a população desocupada mostrou a primeira baixa desde dezembro do ano passado. Em setembro ante agosto, 4 mil pessoas deixaram essa condição, um recuo de 0,2% no período. Mas não significa que elas conseguiram uma vaga, já que a população ocupada também encolheu 0,2%, ou seja, foram fechados 41 mil postos. Segundo o IBGE, o fenômeno pode causado pela queda de 0,2% na população economicamente ativa, -45 mil pessoas, em setembro ante agosto e a alta de 0,1% na população inativa, +11 mil. (Agência Estado)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.