João Alfredo – Boletim COVID-19 | 09 junho 2020
09/06/2020
Brasil tem 38.497 mortes por coronavírus, revela consórcio de veículos de imprensa; são 1.185 nas últimas 24 horas
09/06/2020

Pazuello diz que Norte e Nordeste já passam por final da pandemia

Correio Braziliense

O ministro da Saúde interino, general Eduardo Pazuello, disse que as capitais das regiões Norte e Nordeste do Brasil já passam por fase final da pandemia. Para ele, elas já passaram pela pior etapa da pandemia. Pazuello afirma que no início, essas regiões foram mais impactadas pelo fato de estarem “mais ligadas ao inverno do hemisfério Norte”.

“Para efeitos da pandemia, nós podemos separar o Brasil em Norte e Nordeste, que é a região que está mais ligada ao inverno do hemisfério Norte, são as datas do hemisfério Norte em termos de inverno, e ao Centro-Sul, Sudoeste, Centro-Oeste, que é o restante do país que está mais ligado ao inverno do hemisfério Sul”, disse.

De acordo com ele, houve grande impacto nessas regiões em uma primeira etapa, com apenas duas exceções fora dessas áreas, sendo o RIo de Janeiro e São Paulo (pelo próprio tamanho e fluxo de pessoas).

O general citou as capitais Manaus (AM), Belém (PA), Fortaleza (CE), São Luís (MA) e Teresina (PI), dizendo que praticamente em todas dessas regiões já houve a passagem da pandemia e já está havendo redução de número de óbitos e percentual de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). “Posso afiançar aos senhores que é assim que está acontecendo. A epidemia vai se espraiando”, disse. 

Pazuello pontuou que já foi observado um “impacto” nas capitais do norte e nordeste do país e suas regiões metropolitanas. “Agora, temos o recrudescimento (maior intensidade) do interior desses estados. E essa é a terceira etapa, que nós consideramos como o final da passagem da pandemia. A estratégia é usar a estrutura já desdobrada nas capitais e regiões metropolitanas, que hoje começam a ficar ociosas”, disse.

A estratégia principal no momento, segundo ele, é tratar as pessoas que moram nos interior nas capitais e região metropolitana, onde há mais estrutura. De acordo com o ministro, o governo também tem reforçado aquelas cidades do interior que tenha condição de atender mais pacientes.

Conforme o general, após passar por esta etapa no Norte e Nordeste, “com ligação viral que vem do hemisfério Norte”, o foco passará a ser a região Sul. Pazuello pontua que o impacto deverá ser diferente, porque houve uma preparação maior. 

“Houve mais tempo para se preparar. Aprendemos que a primeira ideia do protocolo, de ficar em casa doente e só ir para o hospital quando tiver passando muito mal é uma péssima ideia. O protocolo que está sendo tratado é: ficou doente, procure imediatamente o médico, vá aos postos de triagem. O diagnóstico é clínico, inicialmente”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.