Pandemia não acabou, alerta chefe da ONU, que critica vacinação ‘desigual’
09/03/2022
Tabata faz duras críticas ao PT com João ao lado
09/03/2022

Delegada Gleide em ações pelas mulheres de Pernambuco

Imagem — Américo Santos

 Blog FalaPE – No Dia Internacional da Mulher, comemorado ontem (8),  a delegada Gleide Ângelo foi convidada pelo governador Paulo Câmara e pela secretária da Mulher do Estado, Ana Elisa Sobreira, para participar do lançamento de um projeto pioneiro para o fortalecimento das ações em favor das mulheres de todo o estado.
Foi o lançamento do 1º Edital de Chamamento Público para seleção de 64 projetos de Organizações Sociais, de iniciativa da Secretaria da Mulher. O projeto vai destinar mais de R$ 3 milhões para associações e organizações não-governamentais que atuam diariamente na luta contra qualquer tipo de discriminação e no combate à violência de gênero.
“Hoje é um dia histórico quando falamos sobre o fortalecimento das redes de amparo e proteção das mulheres. Quem trabalha com seriedade na área, reconhece a importância e a necessidade do papel do terceiro setor, por meio das ONGs e das associações de mulheres, e sabe das dificuldades enfrentadas por essas instituições que, muitas vezes, têm a sensibilidade e conseguem atingir onde o poder público não alcança” — explica a delegada cuja parceria com o terceiro setor é um dos pilares do seu trabalho no legislativo, haja vista que tem destinado parte de suas emendas parlamentares para o financiamento de projetos e programas para a empregabilidade e geração de renda voltados às mulheres. Instituições como a Associação de Mulheres de Nazaré da Mata, na mata norte, e o Centro de Mulheres do Cabo, na região metropolitana, são apenas alguns exemplos desta colaboração.
“Os obstáculos e as dificuldades enfrentadas pelas mulheres estão em todos os setores da sociedade: seja nas jornadas de trabalho extenuantes e acrescidas pelo trabalho doméstico, seja na desigualdade financeira quando falamos sobre a remuneração em cargos de mesma função de tantos homens, também estão nas violências e nos assédios nos lugares públicos ou mesmo na privacidade de suas casas.
Em pleno século 21, precisamos lutar para que mulheres não sejam assassinadas dentro de suas casas por agressores com quem dividiam a vida”, reflete a parlamentar, destacando ainda que a ausência de uma renda própria e a relação de dependência financeira construída com os agressores são as principais razões para a subnotificação dos casos de violência contra as mulheres (Instituto DataSenado, 2021).
JABOATÃO — Além da agenda administrativa, a delegada Gleide também participou de um mutirão de cidadania pelas mulheres em Jaboatão dos Guararapes, na região metropolitana. O evento gratuito foi uma iniciativa do Projeto Social Caminhando na Praça, criado há sete anos e que desenvolve ações nas áreas de lazer, saúde e cultura voltados para as mulheres da região.
A ação teve a oferta de serviços das Secretarias Estaduais da Mulher e de Prevenção à Violência e Drogas e do Instituto Maria da Penha, além da presença das cantoras Cristina Amaral e Pallas Pinho, da banda As Amigas do Brega. “Não podemos mais permitir que digam qual o lugar das mulheres na sociedade, temos de ocupar os espaços de fala e de poder e, isso, apenas conseguimos com representatividade”, pontuou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.