Hoje:
02/04/2021
Liturgia Católica
02/04/2021

Com 3.769 mortes por Covid-19 em 24 horas, Brasil supera marca de 325 mil óbitos

Portal Folha de Pernambuco
Mais uma vez, o Brasil registra um dado preocupante em relação ao número de óbitos por Covid-19. Nas últimas 24 horas, 3.769 pessoas perderam suas vidas na batalha contra o vírus. Ao total, no Brasil, já são 325.284 óbitos acumulados desde o início da doença. Ontem (1º) foi registrado o terceiro pior dia no número de óbitos notificados.  
Além disso, 91.097 pessoas foram diagnosticadas com Covid-19, no Brasil, nas últimas 24 horas. Ao total, já são 12.839.844 pessoas que foram infectadas com a doença. 
O número de recuperados é de 11.239.099. 
Os dados são referentes ao Boletim Epidemiológico divulgados diariamente pelo Ministério da Saúde.
Somente nesta quinta, no Brasil, morrem mais pessoas do que o montante total em 11 países: Estados Unidos, Índia, França, Rússia, Inglaterra, Itália, Turquia, Espanha, Alemanha, México e Africa do Sul. Os dados com os números de mortes registradas são do site Worldometer.
Consórcio
Já de acordo com o Consórcio de Veículos de imprensa, nesta quinta-feira (1º), foram registrados 3.673 mortes pela Covid e 89.459 casos da doença. É o segundo maior número de óbitos em 24 h documentado na pandemia. Já a média móvel de mortes, pela sétimo dia seguido, bateu recorde e chegou a 3.119.
Dessa forma, o país chegou a 325.559 óbitos e 12.842.717 pessoas infectadas pela Covid desde o início da pandemia.
Os dados do país, coletados até as 20h, são fruto de colaboração entre, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diariamente com as secretarias de Saúde estaduais.
A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorreu em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.