05/07/2021

Pesquisa CNT: Lula lidera com 41,3%, Bolsonaro tem 26,6%; Ciro e Moro empatam com 5,9%

O Povo O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera o cenário eleitoral para 2022, com 41,3% das intenções de voto, segundo nova pesquisa eleitoral da Confederação Nacional do Transporte (CNT), divulgada nesta segunda-feira, 5. Na sequência, aparecem o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), com 26,6%, Ciro Gomes e Sérgio Moro empatados, com 5,9%, e João Dória, com 2,1%.  Brancos, nulos e indecisos somam 16,4% das intenções de voto. Os dados se referem à pesquisa estimulada de intenção de voto dos eleitores – quando são apresentados, ao entrevistado, opções de candidatos. Foram realizadas 2.002 entrevistas presenciais, em 137 municípios de 25 Unidades da Federação. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, com 95% de nível de confiança. Confira: Voto espontâneo: Lula (27,8%), Jair Bolsonaro (21,6%) Ciro Gomes (1,7%) Sérgio Moro (0,7%) João Dória (0,7%) Outros (1,5%) 38,9% dos entrevistados estão indecisos em relação ao voto para presidente em […]
29/09/2018

Quem trabalhar nas seções eleitorais terá direito a dois dias de folga; entenda…

G1 O trabalhador que for convocado para atuar durante as eleições terá direito ao descanso pelo dobro do tempo que ficou à disposição da Justiça Eleitoral, ou seja, ganhará dois dias de folga por cada dia trabalhado. Assim, quem participa de um dia de treinamento e trabalha no dia de votação na seção eleitoral pode tirar quatro dias de descanso, sem prejuízo do salário. Em caso de haver segundo turno, e ficar novamente à disposição da Justiça Eleitoral por mais dois dias, terá direito ao total de oito dias de folga. Isso vale para mesários, secretários, presidentes de seção e também para quem exercer função durante apuração dos votos. Empregador não pode negar folga Os dias de folga devem ser definidos de comum acordo entre o funcionário e o empregador. A empresa não pode negar o descanso ao empregado. Caso ocorra algum impasse sobre a concessão do período de descanso, […]
20/09/2018

Pesquisa Datafolha em Pernambuco: Paulo Câmara, 35%; Armando Monteiro, 31%…

G1 PE Pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira (20) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para o governo de Pernambuco: (Veja vídeo acima) Paulo Câmara (PSB): 35% Armando Monteiro (PTB): 31% Julio Lossio (Rede): 3% Ana Patrícia Alves (PCO): 2% Maurício Rands (Pros): 2% Dani Portela (PSOL): 1% Simone Fontana (PSTU): 1% Branco/nulo: 19% Não sabe: 6% Os candidatos Paulo Câmara e Armando Monteiro estão empatados tecnicamente. A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal “Folha de S.Paulo”. É o terceiro levantamento Datafolha realizado depois da oficialização das candidaturas na Justiça Eleitoral. No levantamento anterior, feito de 4 a 6 de setembro, os percentuais de intenção de votos eram os seguintes: Paulo Câmara (PSB): 34% Armando Monteiro (PTB): 25% Julio Lossio (Rede): 2% Maurício Rands (PROS): 2% Ana Patrícia Alves (PCO): 1% Simone Fontana (PSTU): 1% Dani Portela (PSOL): 1% Branco/nulo: 26% Não sabe: 6% Sobre a pesquisa desta quinta-feira, 20 Margem de erro: 3 pontos percentuais […]
29/08/2018

Bolsonaro diz ao TSE que ser réu não o impede de disputar eleição…

O deputado e candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL-RJ) enviou nesta quarta-feira (29) sua defesa contra a manifestação de um advogado que pediu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que negasse o registro do candidato, por ser réu em ações penais em curso no Supremo Tribunal Federal (STF). Para o político, isso em nada o impede de concorrer e mesmo de assumir o cargo, caso vença a eleição. O advogado Rodrigo Phanardzis Âncora da Luz, autor da notícia de inelegibilidade, argumentou ao TSE que a Constituição prevê o afastamento do presidente por 180 dias caso ele se torne réu, motivo pelo qual alguém que já tenha esse status jurídico não poderia assumir a Presidência, se eleito. A argumentação tem como base decisão do STF, de dezembro de 2016, quando o plenário da Corte definiu que réus não podem substituir o presidente caso figurem na linha sucessória. Para a defesa […]
01/05/2018

Eleições com 13,7 milhões de desempregados…

Bruno Boghossian – Folha de S.Paulo A manutenção de níveis elevados de desemprego e a criação de vagas com baixa remuneração refletem o marasmo de uma economia hesitante. As crises políticas que paralisaram o governo Michel Temer e a incerteza sobre o receituário que emergirá das urnas em outubro adiaram investimentos que poderiam consolidar o ciclo de recuperação de renda e de vagas de trabalho. A trajetória vacilante das taxas de emprego será ponto central da eleição. Do eclético rol de presidenciáveis que se apresentaram até agora, emergem mais dúvidas do que indícios claros sobre a política econômica que estará em vigor em janeiro de 2019, com impacto sobre o trabalho e o rendimento dos eleitores. Qual será a política de valorização do salário mínimo de Jair Bolsonaro (PSL)? Ciro Gomes (PDT) revogará a reforma trabalhista? Joaquim Barbosa (PSB) conquistará a confiança de setores que geram empregos? Geraldo Alckmin (PSDB) ampliará investimentos para recuperar contratações na construção civil? As […]
27/02/2018

Envelhecimento do eleitorado explica 1/4 da abstenção…

Nas eleições de 2014 – as primeiras desde a onda de protestos que marcou o ano anterior –, a taxa de abstenção foi a mais alta desde 1998. Parte significativa desse fenômeno não teve relação direta com revolta ou desencanto com a política, mas com um processo natural: o envelhecimento do eleitorado. Esse fator terá um peso ainda maior na votação deste ano. Números do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) obtidos pelo Estadão Dados revelam que o comparecimento às urnas desaba depois que os eleitores completam 70 anos, idade em que o voto passa a ser opcional. Em alguns Estados, a taxa de abstenção nessa faixa etária é mais do que o triplo da registrada entre quem tem 18 e 69 anos. No caso da mais recente eleição presidencial, a idade explica 25% da abstenção: um em cada quatro dos eleitores que não apareceram para votar tinha mais de 70 anos, segundo os […]
07/11/2017

O camaleão que corre por fora…

El País Em outubro do próximo ano, os brasileiros irão às urnas eleger um novo presidente da República. Assim como outros analistas e estrategistas político-eleitorais, venho fazendo pesquisas e acompanhando de perto a movimentação dos potenciais candidatos — tenham eles declarado oficialmente a intenção de concorrer ou não. Nas últimas semanas, o potencial candidato que mais se movimentou foi o apresentador Luciano Huck: ele participou da criação de um fundo que objetiva melhorar a qualidade dos nossos representantes no poder legislativo; declarou que é hora de sua geração passar a comandar o país; conversou, a portas fechadas, com pelo menos três partidos políticos; e publicou um artigo no jornal de maior circulação do país reafirmando seu compromisso com a renovação política no Brasil. Tudo isso demonstra que Huck é candidatíssimo. De acordo com as pesquisas qualitativas que tenho feito em vários municípios do país, e com o modelo de projeções de resultados eleitorais que eu […]
06/10/2017

STF debaterá eleição com nomes avulsos, mas não para 2018…

O STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu ontem (5) que a corte deve discutir a possibilidade de pessoas sem filiação partidária concorrerem a cargos eleitorais, mas esse debate não ocorrerá a tempo de valer para as eleições de 2018. Nesta quinta, os ministros decidiram ainda que, quando o assunto for julgado, o resultado terá repercussão geral, ou seja, valerá para todas as instâncias do Judiciário. Não há data prevista para o tema entrar novamente na agenda do Supremo. Nesta quinta, estava em pauta uma questão de ordem sobre se cabia ou não ao tribunal deliberar sobre esse assunto. A Constituição exige que, para concorrer em uma eleição, a pessoa esteja filiada a um partido. No entanto, o Brasil assinou tratados internacionais, como o Pacto de São José da Costa Rica, que asseguram esse direito ao cidadão. O caso chegou ao Supremo em junho de 2017 por meio de um advogado que […]
01/07/2017

Belo Jardim – Frente de Hélio para Luiz cai de 16 para 12 pontos…

Magno Martins Na pesquisa do Instituto Opinião sobre a eleição suplementar para prefeito de Belo Jardim, marcada para amanhã, o candidato do PTB, Hélio dos Terrenos, permanece na dianteira com 40,3%, seguido do candidato do PSB, Luiz Carlos, que aparece com 28,3%. Em terceiro lugar, o candidato do PV, Gilvandro Estrela, pontua na casa dos 13,3%. Em relação ao levantamento feito nos dias 17 e 18 últimos, a diferença de Hélio para Luiz Carlos caiu de 16 pontos para 12 pontos. O trabalhista recuou de 40,5% para 40,3% e o socialista subiu de 24,3% para 28,3%. Já Gilvandro Estrela subiu de 11,3% para 13,3% e continua em terceiro lugar. Brancos e nulos, que na sondagem anterior eram 9%, agora são 5,8%. Já os indecisos, antes 14,9%, recuaram para 12,3%. Na espontânea, modelo no qual o entrevistado é obrigado a lembrar do nome do candidato sem o auxílio da cartela com […]