29/08/2016

Dilma começa sua defesa no plenário do Senado…

Começou às 9h40 o quarto dia de julgamento da presidenta afastada Dilma Rousseff no processo de impeachment que enfrenta no Senado, acusada de crime de responsabilidade. Depois de chegar ao Congresso Nacional acompanhada do cantor Chico Buarque e do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, a petista foi conduzida ao plenário pelo presidente do Senado, Renan Calheiros. Sentada do lado esquerdo do presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Ricardo Lewandowski, que comanda a sessão, Dilma já começou a discursar, inicialmente por 30 minutos. Esse tempo, segundo Lewandowski, será prorrogado pelo tempo que a petista achar necessário. O presidente do Supremo esclareceu no início da sessão que parlamentares [inclusive deputados], convidados, servidores e pessoas credenciadas poderão acompanhar toda a sessão, mas sem fazer qualquer tipo de manifestação, contrária ou a favor da petista. Cartazes e faixas também estão proibidos e qualquer tumulto fará com que a sessão seja suspensa […]
10/08/2016

Somente Dilma pode devolver direito de voto aos brasileiros, diz Humberto…

Contrário ao impeachment de Dilma Rousseff (PT) por considerá-lo um golpe de Estado, o líder do PT no Senado, Humberto Costa afirmou que a presidenta é a única pessoa, atualmente, que pode devolver o direito de voto de todos os brasileiros. A declaração foi dada nesta terça-feira (9), da tribuna do plenário, durante a sessão sobre a pronúncia de Dilma por crime de responsabilidade. Segundo Humberto, o retorno dela ao Palácio do Planalto como presidenta da República efetiva, como determinou a maioria dos eleitores nas urnas em 2014, será a volta da democracia no país. “Com Dilma, teremos plebiscito para definir novas eleições. Hoje, estamos vivendo uma triste página da nossa história e só iremos superá-la impedindo a aprovação dessa farsa”, disse. Continua…
07/08/2016

A feira do impeachment…

Bernardo Mello Franco – Folha de S.Paulo A proximidade do impeachment transformou o Senado numa feira livre. O ambiente de pechincha é o mesmo, mas as frutas dão lugar a cargos em ministérios e estatais. Na semana passada, uma gravação expôs o clima das negociações. Foi estrelada pelo senador Hélio José, do PMDB do Distrito Federal. O parlamentar é conhecido em Brasília pelo apelido de Hélio Gambiarra. A alcunha surgiu em 1995, quando ele abriu sua casa para um churrasco com a presença de políticos ilustres. Depois descobriu-se que a festa havia sido iluminada graças a um gato da rede elétrica. Hélio era suplente de Rodrigo Rollemberg, do PSB. Ganhou quatro anos de mandato quando o titular virou governador, em 2014. Na época da eleição, ele pertencia ao PT. Depois foi para o PSD. Em seguida, pousou no anedótico PMB, o Partido da Mulher Brasileira. Ao se filiar, disse que […]
07/08/2016

João Santana agora é o desconstrutor de Dilma…

Josias de Souza Quando o asfalto roncou, em 2013, João Santana, mago do marketing do PT, disse numa entrevista que “os protestos não podiam ser em relação a Dilma.” Autoproclamando-se porta-voz das ruas, Santana afirmou que madame estava a salvo da revolta popular porque seria “honesta”, teria “comando” e estaria “gerindo bem” o governo. O tripé de Santana —“é honesta”, “tem comando” e “está gerindo bem”— revelou-se uma rematada ficção. A capacidade gerencial de Dilma cabe numa caixa de fósforo. E sobra espaço. Seu comando derreteu em 12 de maio, quando foi exilada pelo Senado no Palácio da Alvorada. Quanto à honestidade, o próprio marqueteiro se equipa para transformar em pó. O repórter Thiago Bronzatto revela nas páginas de Veja: João Santana e Mônica Moura, sua mulher e sócia, se dispuseram a demonstrar à força-tarefa da Lava Jato que Dilma autorizou, ela própria, as operações de caixa dois que enfiaram dinheiro de […]
25/07/2016

Dilma apresentará carta aos senadores às vésperas da ‘prévia’ do impeachment no plenário…

Dilma Rousseff apresentará sua carta aberta aos senadores às vésperas da pronúncia, espécie de prévia da votação do impeachment, em 9 de agosto. Aliados de Dilma andam fazendo suspense sobre a estratégia para o julgamento final da petista, quando o Senado se transformará em uma espécie de júri. “O momento é de andar com transponder desligado”, diz um auxiliar da petista. Um importante petista faz a seguinte avaliação: Se, na pronúncia, Dilma não conseguir mais do que os 22 votos conquistados lá atrás, na abertura do processo, dará um atestado de fracasso. Caso o senador Eduardo Braga (PMDB-AM) e sua mulher, Sandra, optarem por não votar, a vaga irá para Lírio Parisotto, segundo suplente do ex-ministro de Dilma. O bilionário foi acusado de agressão pela ex-namorada Luiza Brunet. (Edenevaldo Alves)
13/07/2016

Em Caruaru, Lula diz que cassação de Dilma é ato criminoso contra a democracia …

O ex-presidente Lula falou ao público presente ao ato hoje em Caruaru. Ele fez uma trajetória da política e lembro os esforços feitos pelo governo dele para trazer as universidades para o Brasil. No discurso, Lula não citou o presidente interino, Michel Temer e nem o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha. No entanto, disse que a elite segue incomodada com os governos do PT, por isso que a presidente Dilma foi afastada.  Ele fez um apelo aos militantes para evitar o impechmemt no Senado e garantiu que só a pressão popular pode reverter a situação na Câmara Alta. “Só precisamos de seis senadores para que a situação fique a nosso favor. Eles votaram a favor do afastamento alegando que estavam sofrendo pressões do povo. Então chegou a hora da gente fazer pressão para evitar a cassação por motivos apenas políticos. Mandem WhatsApp, encham os celulares de mensagens dele, para que […]
17/06/2016

Dilma hoje no Recife em defesa de seu cargo…

Do Diário de Pernambuco – Sávio Gabriel Quarenta e dois dias após sua última visita ao Estado, ainda na condição de presidente titular, Dilma Rousseff (PT) desembarca hoje no Recife. Em avião fretado pela coordenação nacional da Frente Brasil Popular, ela chega ao Recife por volta do meio-dia, encerrando a “caravana” que fez pelo Nordeste nesta semana – esteve ontem em Salvador e, quarta-feira, em João Pessoa. Assim como tem feito em outras capitais brasileiras, a petista deverá defender o seu retorno definitivo ao cargo e reforçar que está sendo vítima de um golpe. Além disso, o discurso de Dilma será voltado ao protagonismo das mulheres e à defesa da democracia. Continua…
03/06/2016

Julgamento de Dilma antecipado…

  Diante da polêmica na Comissão Especial, ontem, o presidente Raimundo Lira sugeriu levar a questão para análise do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, que atua como juiz do processo. Ao chegar para a sessão do Supremo Tribunal Federal, ontem, Lewandowski, disse analisará a questão do prazo se houver apresentação de recurso. “Eu vou analisar depois que receber os recursos formalmente, com as razões de recurso”, afirmou. Ele foi perguntado pelos jornalistas se o correto seria aplicar o mesmo prazo do rito de impeachment de Collor (15 dias corridos) ou o previsto no Código de Processo Penal (5 dias úteis), mas não quis responder. Senadores favoráveis e contrários ao afastamento de Dilma da Presidência discutiram calorosamente e trocaram acusações após o presidente da comissão especial acatar o pedido da senadora Simone Tebet (PMDB-MS). Pela proposta dela, fica reduzido de 15 para cinco dias o prazo máximo […]
02/06/2016

TCU analisará no dia 15 de junho contas de 2015 do governo Dilma…

Agência Brasil  As contas da presidente afastada Dilma Rousseff referentes ao ano de 2105 serão analisadas pelo Tribunal de Contas da União no dia 15 de junho, às 10h, em sessão extraordinária. Reportagem publicada ontem (1ª) no jornal Valor Econômico informa que a área técnica do TCU apontou uma série de irregularidade que fundamentariam a reprovação das contas do exercício de 2015. A assessoria de imprensa do tribunal não confirmou a informação. O relator do processo será o ministro José Múcio, que não quis comentar o assunto com a imprensa na sessão de hoje do TCU. Se o plenário do tribunal confirmar a rejeição das contas de 2015, deverá ser dado um prazo de 30 dias para que Dilma apresente sua defesa aos ministros. Continua…