25/04/2017

Santana confirma: Dilma sabia de caixa 2 na campanha…

Veja Online – Laryssa Borges Marqueteiro das campanhas presidenciais dos petistas Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, o publicitário João Santana afirmou ontem, em depoimento à Justiça Eleitoral, que a ex-presidente cassada sabia do esquema de caixa dois utilizado em 2014 em sua campanha à reeleição. Santana fechou acordo de delação premiada na Operação Lava Jato e é testemunha-chave no processo em que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) vai decidir se cassa a chapa Dilma-Temer, vencedora no último pleito. Santana depôs por cerca de duas horas, por meio de videoconferência, ao ministro Herman Benjamin, relator da ação de impugnação de mandato em tramitação no TSE. Pouco antes das 9h30 desta segunda-feira, a sócia e mulher dele, Mônica Moura, também delatora da Lava Jato, relatou ter tratado pessoalmente com Dilma, em uma reunião no Palácio do Planalto em 2014, do esquema ilegal de arrecadação de recursos para a disputa […]
12/04/2017

Citações da Odebrecht contra FHC, Lula e Dilma vão para primeira instância…

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin determinou que as citações de ex-executivos da Odebrecht aos ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff sejam enviadas para a primeira instância da Justiça. O pedido foi feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR) pelo fato de os acusados não terem mais foro privilegiado no STF. De acordo com delação premiada de Emílio Odebrecht, um dos proprietários da empreiteira, a empresa teria feito o pagamento de “vantagens indevidas e não contabilizadas” para as campanhas do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso em 1993 e 1997. Com a decisão do STF, FHC deverá responder às acusações na Justiça Federal em São Paulo. As acusações contra o ex-presidente Lula foram enviadas para a Justiça Federal no Paraná. Nos depoimentos, os colaboradores ligados à Odebrecht citaram supostas tratativas com Lula para viabilizar politicamente a edição de uma medida provisória para evitar a […]
31/03/2017

Relator: cassar chapa e manter Dilma e Temer elegíveis…

O relatório final do ministro Herman Benjamin, do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), aponta que ele votará pela cassação da chapa de Dilma Rousseff-Michel Temer e contra a punição para tornar os dois candidatos inelegíveis. Segundo ministros que tiveram acesso ao documento, de caráter sigiloso, a narrativa construída por ele sinaliza uma série de irregularidades financeiras na campanha de 2014, mas também a ausência de provas cabais de que Dilma e Temer sabiam, durante aquele período, que um esquema de caixa dois abastecia as contas. Para cassar a chapa, não é necessário, destacam membros do tribunal, que os candidatos tenham ciência dos atos ilícitos. É a chamada “responsabilidade objetiva”. Mas para torná-los inelegíveis, sim, é preciso provar o dolo ou a culpa do candidato, o que os juristas classificam como “responsabilidade subjetiva”. Benjamin, relator da ação que pede a cassação da chapa, deve fazer essa diferenciação em seu voto, seguindo uma […]
08/03/2017

TSE: sem elementos para inelegibilidade de Dilma…

Ministros do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) têm dado sinais de que os dados disponíveis até agora no processo que investiga abuso de poder pela chapa de Dilma Rousseff e Michel Temer, em 2014, não obrigam a corte a declarar a inelegibilidade da ex-presidente. Já a situação de Temer seria mais delicada. A informação é de Mônica Bergamo, na sua coluna da Folha de S.Paulo desta quarta-feira. E diz mas a colunista: Por esse raciocínio, basta a comprovação da existência de caixa dois em uma campanha para o eleito ser cassado do mandato que ocupa. Como Dilma já foi afastada, só Temer poderia sofrer a pena. Daí a defesa que os apoiadores do presidente fazem de que as contas da campanha eram separadas e assim devem ser julgadas. Já a condenação à inelegibilidade, que pode afetar Dilma, só poderia ocorrer caso se comprovasse que ela tinha conhecimento do caixa dois na época da […]
19/02/2017

Dilma Rousseff: ‘Não descarto uma candidatura a senadora ou deputada’…

Dilma Rousseff parece mais relaxada do que quando estava na Presidência do Brasil. Brinca, repassa a apertada lista de conferências que a aguardam na Europa e nos Estados Unidos e, pela primeira vez, fala de seu futuro político. Destituída em 2016 pelo Congresso, sob a acusação de maquiar as contas públicas, a ex-presidente de esquerda passa seus dias em Porto Alegre, onde segue obedientemente sua rotina de exercícios físicos e passeios de bicicleta, e só parece perder a paciência quando é consultada sobre o escândalo de corrupção da Petrobras que atingiu seu governo. “Eu não serei candidata a presidente da República, se é essa a sua pergunta. Agora, atividade política, nunca vou deixar de fazer (…) Eu não afasto a possibilidade de eu me candidatar para esse tipo de cargo: senadora, deputada, esses cargos”, declarou em uma entrevista exclusiva à AFP realizada na tarde de sexta-feira em Brasília. Apesar do […]
03/02/2017

Temer melhora, mas maioria diz é pior ou igual a Dilma…

BBC A maioria dos brasileiros considera o presidente Michel Temer como igual ou pior que a ex-presidente Dilma Rousseff. A informação é da pesquisa Pulso Brasil feita pela consultoria Ipsos. Para 40% dos entrevistados, o peemedebista é visto como pior que a antecessora e, para 34%, ele é considerado igual à petista. Apenas 17% o consideram melhor e 9% das pessoas ouvidas não souberam responder. Na comparação com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, 56% afirmam que Temer é pior, 21% dizem que ele é igual, 13% melhor e 9% não souberam responder. Leia mais: Avaliação de Temer melhora em pesquisa, mas maioria diz que ele é pior ou igual a Dilma
24/12/2016

Para Dilma, eleição indireta seria um ‘golpe dentro do golpe’…

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) disse quinta-feira (22), em Buenos Aires, que, caso o presidente Michel Temer (PMDB) seja afastado do cargo ou renuncie depois de 31 de dezembro e isso cause a necessidade de uma eleição indireta, via Congresso, haveria “um golpe dentro do golpe”. E acrescentou: “Com o golpe de 1964 ocorreu algo parecido, ele só se concretizou mesmo em 13 de dezembro de 1968 [data do Ato Institucional-5, que endureceu o regime]. Também agora estamos vendo um longo processo de golpes, que começaram com a minha saída por meio de um impeachment fraudulento.” A ex-mandatária classificou o processo que vive o Brasil como um “ataque de fungos e parasitas que está corroendo nossa democracia.” Dilma participou de um evento organizado pela CLACSO (Conselho Latino-americano de Ciências Sociais), muito concorrido por um público de estudantes, militantes de movimentos sociais e políticos ligados à ex-presidente argentina Cristina Kirchner. Festejada […]
20/12/2016

Delação de caixa dois: riscos para Temer e Dilma…

Blog do Kennedy Uma reportagem do jornal “O Estado de S. Paulo” traz novo risco para o mandato do presidente Michel Temer. A notícia também tem efeitos jurídicos e políticos negativos para a ex-presidente Dilma Rousseff. De acordo com o jornal, delatores da Odebrecht disseram ao Ministério Público Federal que houve contribuição ilegal de cerca de R$ 30 milhões para a campanha da presidente Dilma em 2014. Em tese e se confirmada, a informação pode ter efeito sobre o julgamento da chapa Dilma-Temer que acontecerá no ano que vem. Até hoje, toda a defesa feita pelos advogados do PT e do PMDB no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) nega que tenha havido caixa 2 na campanha de 2014. Continua…
30/08/2016

‘Lamento não ter percebido que Temer era golpista’, diz Dilma…

A presidente afastada Dilma Rousseff demonstrou arrependimento por ter escolhido Michel Temer, o atual presidente interino, como seu vice nas campanhas eleitorais de 2010 e 2014. Questionada pelo senador Cristovam Buarque (PPS-DF) sobre quais qualidades havia enxergado em Temer para se associar a ele, Dilma respondeu que lamentava não ter se dado conta de que o vice poderia se tornar “golpista e conspirador”. “Michel Temer foi escolhido para ser meu vice porque supúnhamos que ele era integrante do PMDB democrático, progressista e transformador. Mas isso começou a mudar entre o fim do primeiro mandato e o início do segundo. Eu lamento muito por ter construído essa hipótese de que o vice representava o centro democrático que até então havia dado governabilidade ao país”, disse ela. (Waldiney Passos)