05/04/2014

PT fechado com João Paulo, indicado hoje para o Senado…

O deputado federal João Paulo (PT) deverá ser homologado hoje como pré-candidato ao Senado na chapa de Armando Monteiro (PTB) na eleição para a sucessão estadual. O parlamentar conseguiu mais de quatro mil assinaturas dos correligionários para ser indicado para a disputa. Números que ajudam a reforçar a imagem de que a legenda está unida em torno do nome do deputado. Pelo regimento interno petista, João Paulo precisava recolher 2.225 assinaturas para ser o escolhido. A homologação ocorrerá durante reunião do diretório municipal do partido, hoje, a partir das 9h, mas João Paulo não comparecerá. Na próxima segunda-feira, ele concederá uma entrevista coletiva para tratar do assunto. O nome do deputado teve o apoio de todas as tendências do partido. Para ter o nome homologado, João Paulo fez uma campanha para arrecadar o número necessário de assinaturas referentes a sua inscrição em sua página no Facebook. Além disso, ele tambémcirculou pelo […]
04/04/2014

Eduardo: “Eu sinto os passos de outro Brasil que vem por aí”…

Discurso de Eduardo Campos:  Há cinquenta anos, em 1º de abril de 1964, o Governador Miguel Arraes deixava este Palácio sob escolta militar, em direção à prisão e depois ao exílio, por se recusar a renunciar ao mandato que lhe fora outorgado pelo voto democrático dos pernambucanos. Arraes saiu pela porta da frente e por ela voltou mais duas vezes, nos braços do povo, que com alegria lhe devolveu o mandato que tentara lhe usurpar o arbítrio. Hoje, depois de dois mandatos, deixo o Palácio do Campo das Princesas pela mesma porta da frente, rumo a novas lutas a que me levam compromissos sociais, históricos e políticos. Peço permissão para relembrar trecho do discurso que proferi ao assumir, pela primeira vez, o Governo do Estado, em 1º de janeiro de 2007: “Vamos construir um tempo novo, em que os que sempre perderam vão começar a ganhar. Um tempo em que […]
04/04/2014

Eduardo transmite o cargo a João Lyra…

O agora ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), também discursou no ato da transmissão de cargo, nesta sexta-feira (4), no Palácio do Campo das Princesas. O presidenciável terminou sua fala dizendo que, assim como fez em Pernambuco, vai unir o Brasil para o Brasil avançar. Em seguida disse: “Vamos para frente” e levantou a mão. Foi possível ouvir alguns gritos em referência ao seu projeto presidencial. Pessoas que prestigiaram o ato, encerrado há pouco, gritaram: “Brasil para frente, Eduardo presidente”. Eduardo Campos vai ser conduzido pelo recém-empossado governador de Pernambuco, João Lyra Neto (PSB), até o carro, junto com Renata Campos. Agora, Lyra vai recebe os cumprimentos como novo chefe do Executivo estadual. (Blog da Folha)
04/04/2014

“Nossa campanha não é de padrinhos”…

Na véspera da desincompatibilização dos socialistas para disputar as eleições estadual e nacional, o senador e pré-candidato ao Governo de Pernambuco, Armando Monteiro Neto (PTB), ironizou, ontem, a situação do secretário estadual da Fazenda, Paulo Câmara (PSB), que terá de marchar, a partir de agora, sem o padrinho político, o governador Eduardo Campos (PSB), que se dedicará à campanha presidencial. Segundo o petebista, os padrinhos não devem estar no primeiro plano deste debate, mas os próprios candidatos para que a população saiba quem são e possa avaliá-los. “Os padrinhos socorrem durante a campanha, mas, depois, no governo, os padrinhos voltam para dar orientação?”, indagou Monteiro Neto. “Nossa campanha não é uma campanha de padrinhos, estamos andando com as próprias pernas”, afirmou ele. O senador palestrou no Congresso brasileiro das Micro e Pequenas Empresas para 1,5 mil empresários de Pernambuco e do Brasil, sobre os sete anos da Lei Geral da […]
04/04/2014

Prazo máximo até amanhã (05)…

O prazo de desincompatibilização para agentes públicos que pretendem concorrer a um cargo eletivo nas eleições de outubro termina no sábado (5), seis meses antes do primeiro turno das eleições. No entanto, algumas autoridades podem deixar as funções antes para evitar dúvidas sobre o cumprimento do prazo, pelo fato de se tratar de um fim de semana. A regra está prevista na Lei de Inelegibilidades (Lei Complementar nº 64/1990), que estabelece os prazos para que agentes públicos deixem o governo para não ficarem inelegíveis. De acordo com a lei, além de ministros de Estado e magistrados, presidentes, diretores e superintendentes de empresas públicas, bem como chefes de órgãos que fazem assessoramento direto, devem pedir exenoração nesse prazo. Candidatos à reeleição para os cargos de governador e presidente da República não precisam deixar o cargo.  As demais regras eleitorais para a administração pública já estão valendo. O governo está proibido de distribuir bens, valores […]
04/04/2014

Governo quer blindar Petrobras via Áécio e Eduardo…

A base aliada da presidente Dilma Rousseff protocolou ontem, 3, no Congresso Nacional mais um pedido de instalação de uma CPI Mista que investigue, além de irregularidades na Petrobrás, episódios ligados aos partidos dos principais adversários na sucessão presidencial, o senador Aécio Neves (MG) e o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB). A expectativa dos governistas é que só essa comissão seja instalada, a partir de uma estratégia que tem como protagonistas o Palácio do Planalto, o PT e o PMDB.  (De O Estado de S.Paulo) Leia mais clicando aí:  Governo impõe CPI própria e monta estratégia para blindar Petrobrás
04/04/2014

Ibope faz Dilma nadar de braçada em AL, CE e AM…

Os números do Ibope para a eleição presidencial em três Estados (Alagoas. Ceará e Amazonas), — segundo Lauro Jardim, na sua coluna da veja — dão larga vantagem a Dilma Rousseff sobre Aécio Neves e Eduardo Campos. Entre os alagoanos, 60% responderam que votariam em Dilma, 9% escolheriam Campos e 5% Aécio. No Ceará, 66% votariam na petista. Eduardo Campos, Aécio Neves e o Pastor Everaldo ficariam empatados dentro da margem de erro com, respectivamente, 6%, 5% e 4%. ”Chamado de “Amazônia” por Dilma em uma de suas gafes mais recentes, o Amazonas foi o Estado em que a presidente teve o maior número de intenções de voto: 70%, contra 10% de Aécio e 7% de Eduardo Campos.”   (Lauro Jardim – Veja)
03/04/2014

Eduardo assina carta de renúncia e exonera secretariado…

O governador Eduardo Campos (PSB) assinou, nesta quinta-feira (3), carta de renúncia aos meses finais de seu mandato como chefe do Executivo Estadual. Na ocasião, o socialista também formalizou as exonerações, a pedido, de todos os secretários estaduais. Os atos serão publicados no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (4), data limite estabelecida pela Lei Eleitoral para que aqueles que se candidatarão a mandato eletivo se desincompatibilizem de suas funções administrativas. As exonerações foram pactuadas com o vice-governador João Lyra Neto (PSB), que assumirá o Governo de Pernambuco a partir desta sexta-feira e nomeará o novo secretariado em seguida. O secretário da Casa Civil, Tadeu Alencar, foi o portador da carta encaminhada pelo governador à Assembleia Legislativa de Pernambuco, renunciando aos meses finais do mandato de governador, para o qual foi reeleito no pleito de 3 de outubro de 2010. A Casa Legislativa se reunirá extraordinariamente para empossar João Lyra […]
03/04/2014

Aécio: no 2º turno com Dilma estará ele, não Eduardo…

O presidenciável tucano Aécio Neves está otimista. “Vai haver segundo turno”, ele afirma. “Não há razão para não haver segundo turno”, ele enfatiza. Num confronto direto contra Dilma Rousseff, “quem for para o segundo turno passa a ser favorito e vence as eleições”, ele vaticina. Candidato de mostruário, Aécio invoca um par de autocritérios para sustentar que o adversário de Dilma será ele, não o amigo Eduardo Campos (PSB). “Achamos que, pela estrutura que temos, pela clareza das nossas propostas, temos melhores condições de chegar no segundo turno.” Em entrevista ao blog, Aécio animou-se a antecipar os planos inaugurais de sua hipotética gestão. “Eu quero, no primeiro dia de um eventual mandato, propor três temas da reforma política”, disse. “São necessários para que haja uma relação minimamente estável entre Legislativo e Executivo.” Uma de suas ideias é a de acabar com a reeleição .—por ironia, um instituto empurrado para dentro […]