São João 2018 de Salgadinho- PE…

Leia mais »

Clodoaldo Magalhães solicita programas do Governo do Estado para João Alfredo

  O deputado estadual Clodoaldo Magalhães, formado em Medicina e ocupando pela terceira vez consecutiva um mandato na Assembleia Legislativa, preside a Comissão de Finanças, e é membro das Comissões de Educação Leia mais »

João Alfredo – Ecos do São João da SAS 2018…

Data: 19 / 06 / 2018 Local: Ginásio Djair Santos João Alfredo – PE Fotos: divulgação Leia mais »

Ni do Badoque anuncia pré-candidatura para deputado estadual pelo Progressistas…

Ontem (19), o humorista e Youtuber Ni do Badoque reuniu os fãs, amigos e familiares para anunciar sua pré-candidatura para deputado estadual pelo partido Progressistas. Com o apoio do líder do partido Leia mais »

Festejos Juninos 2018 em João Alfredo…

Leia mais »

Tag Archives: Pernambuco

Armando: vou restabelecer a autoridade de Pernambuco…

Do Diario de Pernambuco

O senador Armando Monteiro Neto (PTB) prometeu, neste sábado (16), “restabelecer a autoridade em Pernambuco” caso vença as eleições para governador do estado. Ele fez o discurso ao encerrar uma série de compromissos no Sertão que durou três dias. Estava ao lado do pré-candidato a senador pela Frente das Oposições, Mendonça Filho (DEM). Ambos participaram de um ato considerado de peso no município de Salgueiro. 

Após intensa agenda de encontros em Petrolina com segmentos da sociedade, o evento na “Encruzilhada do Sertão” serviu para fazer uma avaliação da situação econômica e social de Pernambuco, ouvir lideranças da região e coletar sugestões e propostas para o futuro programa de governo. Na ocasião, Armando foi aclamado futuro governador por todas as forças políticas presentes.

“Esse é um momento de resgate de Pernambuco e a primeira coisa que eu vou fazer é restabelecer a autoridade em Pernambuco. Autoridade para que Pernambuco possa voltar a ter voz no cenário nacional. Precisamos que Pernambuco restabeleça seu espaço, sua voz e sua força”, informou Armando.

Mendonça Filho ressaltou que, nos três últimos dias pelo Sertão, em todos os encontros a palavra que mais ouviu foi decepção em relação à atual gestão. “A descrença com o governo é grande. É preciso falar e não deixar se enganar. Quem governa Pernambuco são os pernambucanos e temos que mostrar isso elegendo Armando Monteiro governador. Daqui até outubro é a luta que temos que travar”, conclamou.

Anfitrião do encontro, o prefeito Clebel Cordeiro (MDB) lembrou que foi uma das primeiras lideranças a apoiar o grupo liderado por Armando e que, por isso, vem sendo retaliado pelo atual governo do Estado. “O governador quando soube do meu apoio cortou tudo que o povo de Salgueiro tem direito. O que ele quer de nós? Qual a resposta que ele terá daqui? Tchau governador. Esse grupo tem compromisso com a minha cidade. Acabaram os quatro anos de atraso”, cravou. “Nós precisamos do grupo político liderado por Armando e Mendonça em Salgueiro. Salgueiro hoje  dá o pontapé inicial para buscarmos esta vitória no Sertão.”

Para o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB), que acompanhou os pré-candidatos pelo Sertão, Pernambuco andou para trás nos últimos anos e Armando é o nome certo para assumir os destinos do Estado. “Não tem ninguém mais preparado para assumir esse nosso grande estado do que Armando Monteiro. Por isso, peço a vocês para sair daqui e trabalhar para eleger Armando e Mendonça. Vamos trabalhar, com a alavanca no canto, farol aceso e alto”, afirmou. O presidente do PS, Sileno Guedes, não deu retorno ao Diario até o encerramento deste plantão.

Com informações da assessoria

Presidência de Suape passa ao comando do PP…

O anúncio deve se dar na próxima segunda-feira. Essa é a expectativa no Palácio das Princesas. Atual presidente do Porto do Recife e indicado pelo PP, Carlos Vilar assumirá a presidência do Complexo Portuário de Suape a partir da terça-feira. Isso significa que o comando do porto sai das mãos do MDB, do vice-governador Raul Henry, a quem o atual presidente de Suape, Marcos Baptista, é ligado. A movimentação atende reivindicação dos progressistas, que vinham trabalhando, inclusive, por um espaço na chapa majoritária da Frente Popular. Reduzir o espaço do MDB na atual conjuntura, quando o comando da mesma está em disputa judicial entre o grupo de Jarbas Vasconcelos e o do senador Fernando Bezerra Coelho, pode equivaler a uma garantia de espaço para os emedebistas na chapa majoritária de Paulo Câmara. Em outras palavras, o senador Jarbas Vasconcelos já vem repisando que concorrerá ao Senado, o que, em tese, deixa uma vaga a menos na chapa, na qual o PP também tentava conquistar um lugar.

O MDB, assim, pode estar abrindo mão de Suape, mas ser agraciado na chapa. Entre palacianos, já é dado como certo que Marcos Baptista só permanece no cargo até a segunda-feira. O PP já ocupava algumas diretorias de Suape, além de comandar o Lafepe, o Ipem, o Porto do Recife, a administração de Fernando de Noronha e a Secretaria de Desenvolvimento Social. Presidente estadual da sigla, Eduardo da Fonte já afirmara, à coluna, que não aceitaria “prato feito”, referindo-se à negociação do Palácio com o PT, que também pode estar na majoritária de Paulo Câmara. O aceno aos progressistas, então, chega na hora em que eles já aguardavam serem afagados. E, embora subtraia espaço do MDB na gestão, pode sinalizar para definições na majoritária envolvendo o MDB. (Renata Bezerra de Melo – Folha de Pernambuco)

Na oposição, cresce “desejo de resolver a questão André”…

A chapa pode até não ser fechada logo, mas integrantes da oposição já começam a defender, nas coxias, que o senador Armando Monteiro Neto fixe um prazo para o deputado estadual André Ferreira cravar sua decisão sobre estar ou não na aliança oposicionista. Nos bastidores, ontem, parlamentares observavam que passou a crescer no grupo um sentimento de que “os Ferreira estão usando a oposição para se valorizar junto ao Palácio das Princesas”. Em reserva, um membro do grupo Pernambuco Quer Mudar pontua: “Os Ferreira já sabem que não terão vaga no Senado ao lado de Paulo (Câmara), mas ainda assim não declaram apoio a Armando Monteiro.

E se vierem para oposição é por terem sido excluídos na chapa do governador. E isso deprecia Armando”. Outro graduado integrante desse mesmo time avalia a situação da seguinte forma: “Há um desejo de resolver a questão”. Há quem aponte que “apressar” André pode ser ainda uma forma de deixar nas entrelinhas que o incômodo cresceu a ponto de que, talvez, não seja mais confortável sacramentar essa aliança. Nesse contexto, há quem ventile o nome do deputado federal Daniel Coelho, do PPS, para ocupar a vaga do Senado, ressaltando que ele teria disposição de ir para o embate com o grupo governista. André Ferreira, no entanto, representaria um partido a mais na aliança ao agregar o PSC. Oposicionistas começaram a contagem regressiva. (Por Inaldo Sampaio)

Marina chega ao Recife hoje para cumprir agendas de pré-campanhas…

Ex-prefeito de Petrolina (D) é o candidato da Rede ao governo do estado. Foto divulgação/Facebook

A pré-candidata da Rede ao Palácio do Planalto desembarca hoje (13), no Recife, para participar de uma agenda com seus simpatizantes, ao lado do ex-prefeito de Petrolina Julio Lossio (Rede) e do pré-candidato ao Senado pela Rede, pastor Jarinho (Rede). Marina ficou apagada politicamente depois de 2014 e seu partido tem, atualmente, apenas dois deputados federais e um senador, mas ela começou a pegar embalo eleitoral desde o início do mês. O fundo eleitoral da Rede não é atrativo como o de outras legendas (são R$ 10,1 milhões para 2018) e a sigla não tem o desejado tempo de televisão para passar sua mensagem na campanha, possui apenas 10 segundos por dia. Para se ter uma ideia, o fundo do PSB este ano será de R$ 118,8 milhões, o PT terá R$ 212,3 milhões e o PSDB, R$ 185,8 milhões.

Embora tenha sido filiada ao PT em grande parte de sua carreira, Marina voltou a ser tratada como alternativa do movimento suprapartidário que busca um candidato “reformista”.  O principal nome do centro-direita ainda é o governador Geraldo Alckmin (PSDB), mas, como ele não demonstrou fôlego nas pesquisas até agora, Marina e o pré-candidato do Podemos, Álvaro Dias, voltaram a ser cortejados por esse grupo.

De acordo com Clécio Araújo, porta-voz da Rede em Pernambuco, a presidenciável irá participar, a partir das 19 horas de hoje, de uma plenária com filiados e simpatizantes, no auditório da torre 1 do Shopping RioMar. Já na quinta-feira, ela dará entrevistas em programas de rádio, concederá coletiva e prestigiará o pré-lançamento do pastor Jairinho Silva ao Senado, às 19 horas, no Hotel Jangadeiro.

Clécio afirmou que Marina tem apresentado resiliência e sido uma das postulantes ao cargo presidencial que mais cresce, sendo um ponto de equilíbrio entre a polarização de Lula (PT) e Jair Bolsonaro (PSL). “Marina vem demonstrando resiliência, apesar de não ter esses recursos do fundo eleitoral e tempo de TV. Vem demonstrando que sua candidatura tem sustentabilidade. Sua principal aliança é com a sociedade”, disse. (Aline Moura – Diario de Pernambuco)

Datamétrica: Lula lidera com 59% dos votos em PE…

As intenções de voto espontâneas para presidente sinalizam a força do ex-presidente Lula em Pernambuco. Lula aparece em primeiro lugar, com 41% das intenções de votos, seguido distantemente por Jair Bolsonaro com 9%, Ciro Gomes, com 2%, e os demais com 1% ou menos. Os resultados são da pesquisa Datamétrica, realizada nos dias 8 e 9 de junho.
Nas intenções de voto estimuladas, foram feitos dois exercícios: com Lula e sem Lula. Na simulação com Lula (PT), o ex-presidente aparece com 59%, Jair Bolsonaro (PSL) com 11%, Marina Silva (Rede) com 3%, Ciro Gomes (PDT) com 3%, Geraldo Alckmin (PSDB) com 2% e o restante com 1% ou menos.

Avaliando os estratos da pesquisa, vê-se que Lula é forte em todos os cortes. Na camada até o ensino fundamental, ele aparece com 68% das intenções. Entre os que têm 60 anos ou mais, ele atinge 74%. 
E, por outro lado, no segmento de menor frequência de intenções de voto, que é de eleitores com até o ensino médio, ainda assim as intenções de voto no ex-presidente são elevadas: 46%. Do ponto de vista da distribuição geográfica, sua força é bem distribuída: 59% das intenções de voto da Região Metropolitana do Recife e 58% dos votos das demais mesorregiões agrupadas.
Na simulação sem a opção de Lula, branco/nulo/ninguém cresce de 16% para 45%.  Marina, dentre os pré-candidatos, é quem mais se beneficia, crescendo de 3% para 15%. Ciro Gomes sobe de 3% para 6%. Os demais crescem 1% ou menos. 
Observada a migração dos votos em Lula na estimulada de primeiro turno, entre o cenário com ele e sem ele, 21% dos que apontaram Lula como opção migraram para Marina Silva e 6% escolheram Ciro Gomes. São os pré-candidatos percebidos hoje como de maior capacidade de substituí-lo. Metade dos eleitores de Lula, exatos 50% dos entrevistados, afirmam que, na falta de opção com Lula, votam branco/nulo/ninguém.

SEGUNDO  TURNO
Nas simulações de segundo turno, os resultados mostram um pré-candidato sem concorrentes, praticamente. Entre o pré-candidato do PT, Lula, e o pré-candidato do PSL, Jair Bolsonaro, Lula aparece com 69% e Bolsonaro com 14%. Na simulação entre Lula e Geraldo Alckmin, o ex-presidente apareceu com 71% o ex-governador de São Paulo com 7%.
O cenário entre Marina Silva e Jair Bolsonaro mostra Marina com 34% e Bolsonaro com 16%. Quando se substitui Bolsonaro por Alckmin nesta simulação, Marina permanece com 34% e Alckmin mostra ainda menos força, 10%. Na possibilidade de Ciro Gomes enfrentar Jair Bolsonaro ou Geraldo Alckmin, os resultados hoje não seriam mais expressivos. No primeiro caso, Ciro Gomes aparece com 22% e Jair Bolsonaro com 16%; entre Ciro Gomes e Geraldo Alckmin, temos 20% a 12%.
A pesquisa tem margem de erro de 4 pontos percentuais. Foi realizada com 600 pessoas e registrada no TRE-PE sob a numeração PE-02648/2018.

EXPECTATIVA
Hoje, 49% dos pernambucanos acreditam que Lula será eleito presidente nestas eleições, outros 16% acreditam que Bolsonaro vencerá. Os demais pré-candidatos são citados em 1% ou menos dos casos. Esta expectativa de vitória é um indicador curioso. Quando os entrevistados são perguntados se acham que Lula será realmente candidato, 58% disseram que sim e 35% disseram que não. Dos 58% que acreditam na candidatura dele, 67% acham que ele se elegerá. Entre os 35% que acreditam que ele não será candidato, ainda assim, 18% afirmaram que ele será eleito presidente. Dentre esses mesmos 35% que não acreditam na viabilidade da candidatura de Lula, 32% disseram que não sabem quem será eleito presidente.

O eleitor de Lula, ao ser perguntado sobre a intenção de voto para governador, não apresenta até o momento um viés de favorecimento à pré-candidata do PT, Marília Arraes. Na pesquisa publicada ontem pelo Diario, viu-se que Paulo Câmara teria 20%, Marília Arraes 17% e Armando 14%. Demais votos somam 49%. 

Dentre os 59% dos eleitores entrevistados que revelaram intenção de voto a presidente em Lula, os votos para governador se distribuiriam da seguinte forma: 24%, 22% e 16%, para Paulo Câmara, Marília Arraes e Armando Monteiro, respectivamente. Não há, dentre os três, um que seja particularmente preferido do eleitor de Lula neste momento.

“O que parece ser um erro de pesquisa, é na verdade uma contradição real que demonstra que muitos eleitores ainda não internalizaram a possibilidade de Lula não ser candidato. Ele (o eleitor entrevistado) cai em contradição ao reconhecer que é improvável a candidatura do ex-presidente mas, ao mesmo tempo, diz que acredita que ele será eleito”, afirma Analice Amazonas, sócia-diretora da Datamétrica Pesquisa e Consultoria Econômica. (Diário de Pernambuco)

Para o Senado disputa também é acirrada…

Foram avaliados dois cenários da candidatura ao Senado na pesquisa Datamétrica: com Jarbas Vasconcelos e sem ele. Os demais nomes foram mantidos nas duas simulações. Na simulação que inclui o ex-governador e deputado federal Jarbas Vasconcelos (MDB), ele aparece em primeiro lugar, com 23% das intenções, seguido de Mendonça Filho (DEM) com 19% e Humberto Costa (PT) com 17%. Trata-se, desta forma, de um empate técnico, em que não se pode afirmar quais dos dois, dentre os três, seriam efetivamente eleitos, fossem as eleições hoje.

Os demais nomes aparecem bem atrás: José Queiroz (PDT) com 6%, Silvio Costa (Avante) com 5%, André Ferreira (PSC) com 4%, Maurício Rands (PROS) com 2%, Eugênia Lima (PSol), Albanise Pires (PSol) e Antônio Souza (Rede) com 1% cada.

A saída de Jarbas Vasconcelos na pergunta estimulada de votos a senador mantém o empate técnico entre deputado federal e ex-ministro Mendonça Filho (22%) e o senador Humberto costa (21%). O ex-prefeito de Caruaru José Queiroz, que é quem de novo se aproxima mais, cresce de 6% para 8% somente, o ex-deputado federal Maurício Rands cresce de 3% para 4% e os demais permanecem com os mesmos números.

Se Jarbas não for candidato, como se ventila em alguns ambientes, 44% dizem que não terão um segundo candidato. O restante se distribui beneficiando os vários demais candidatos, sem uma preferência forte: 16% iriam para Mendonça Filho, 14% iriam para Humberto Costa, 11% iriam para José Queiroz. O deputado federal Silvio Costa e Maurício Rands receberiam 4% cada.

A amostra foi composta por 600 entrevistas aplicadas junto a eleitores que moram e votam no estado de Pernambuco em todas as regiões. A pesquisa foi realizada nos dias 8 e 9 de junho. A margem de erro é de 4 pontos percentuais, para mais ou para menos. Tem intervalo de confiança de 95%, foi feita por meio de entrevistas presenciais e está registrada no TRE sob o registro PE-02648/2018. (Diário de Pernambuco)

Pesquisa: empate técnico de Câmara, Marília e Armando

Do Diario de Pernambuco

A pesquisa estimulada de primeiro turno para governador de Pernambuco apresenta um empate técnico entre os três primeiros pré-candidatos, Paulo Câmara, Marília Arraes e Armando Monteiro. O governador, do PSB, vem em primeiro lugar, com 20%, seguido da candidata do PT, com 17%, e do candidato do PTB, com 14%. Os demais pré-candidatos simulados na pesquisa, Júlio Lóssio, Danielle Portela e Coronel Meira, apareceram cada um com 2%, 2% e 1%, respectivamente. É o que mostra a pesquisa Datamétrica sobre as eleições deste ano, realizada entre 8 e 9 de junho.

Em um segundo exercício, especulou-se o cenário em que Marília Arraes não seria candidata. Mantém-se um empate técnico, mais uma vez com Paulo Câmara em primeiro lugar e, neste quadro, com 23% (veja gráficos ao lado). O candidato do PTB aparece em segundo com 19%. Os demais três incluídos permanecem nas posições do outro cenário.

Sobre a migração de votos de Marília: ao suprimir o nome dela na simulação de primeiro turno, metade dos seus eleitores não migra para ninguém, enquanto a outra metade se divide entre Armando Monteiro e Paulo Câmara, com preferência pelo senador. Dos que disseram que votariam nela, 49% responderam que anulariam seu voto, votariam em branco ou não votariam em ninguém. Armando Monteiro beneficia-se com a migração de 20% dos votos dela e Paulo Câmara com 13%.

Na simulação espontânea, em que o respondente não tem acesso aos nomes dos pré-candidatos, todos os três candidatos aparecem com muito menos menção: Paulo Câmara com 12%, Marília Arraes com 8% e Armando Monteiro com 4%. Na sequência, Júlio Lóssio foi lembrado por 2%, Coronel Meira por 1%, Danielle Portela por 1%.

Em cenários de segundo turno, exercitando as possibilidades entre os três principais pré-candidatos, Marília venceria Armando por 29% a 20%, portanto fora da margem de erro – que é de 4 pontos percentuais para mais ou para menos. Marília venceria Paulo com 28% contra 27%, o que constitui um empate técnico. Paulo venceria Armando com 28% contra 24%, novamente configurando empate técnico. 
 

SEGUNDO TURNO
Em eventual segundo turno entre o governador e Armando, a migração do voto de primeiro turno de Marília é maior para o pré-candidato do PTB do que para o pré-candidato do PSB. Em cenário entre Marília e Paulo, o eleitor de Armando beneficia mais Marília do que Paulo: 44% preferem Marília, enquanto 24% preferem Paulo. Na hipótese de sair Paulo, seus votos se distribuem mais em favor de Marília: 31% migrariam para a candidata do PT e 19% para Armando. A frequência de eleitores de Marília que, diante de um cenário de segundo turno sem ela, disseram que não votariam em ninguém, chama a atenção. São 53% de eleitores que de alguma forma não votariam em nenhum dos dois candidatos.

“Estes não são resultados óbvios. Eles mostram que o eleitorado está mergulhado em motivações ideológicas e de insatisfação com a gestão que precisarão ser desvendadas por qualquer um que pretenda fazer prognósticos eleitorais este ano”, diz a sóciadiretora da Datamétrica, Analice Amazonas.

Apesar dos cenários de empate técnico que se repetem ao longo da pesquisa, o pernambucano tem a expectativa de que Paulo será reeleito governador. 26% assim afirmaram, enquanto 12% apostam em Marília e outros 11% em Armando. Chama a atenção o fato de que 47% dos entrevistados preferem não fazer prognósticos.

Dentre os três nomes mais fortes na disputa, o governador hoje é o mais conhecido: 49% consideram conhecê-lo bem, e outros 44% o conhecem de ouvir falar. Natural para um governador em seu quarto ano de mandato.

Armando Monteiro e Marília Arraes têm graus de conhecimento semelhantes, mas com o senador ligeiramente mais conhecido: 23% consideram conhecê-lo bem e 54% de ouvir falar. No caso de Marília, 20% dizem conhecê-la bem e outros 51% de ouvir falar. Marília, dos três, é a única novata em disputas majoritárias e recente na política. Portanto, a que tem mais potencial de crescimento derivado do aumento de conhecimento que ocorrerá na campanha.

Oposição não sinaliza projeto para o estado

Construção de três hospitais, redução da conta de energia, integração do transporte público. Essas foram três das propostas apresentadas por Eduardo Campos em 2006 quando se lançou candidato a governador de Pernambuco. Naquela ocasião o então governador Jarbas Vasconcelos era bem-avaliado, porém não conseguiu construir uma narrativa de continuidade, o que evidentemente fragilizou seu sucessor na disputa, mesmo tendo sido vitorioso na disputa pelo Senado.

No anúncio realizado nesta segunda-feira sobre os dois pré-candidatos da chapa majoritária da oposição, vide Armando Monteiro para governador e Mendonça Filho para senador, não se ouviu nada que diferenciasse o grupo representado na postulação de Armando do atual governo.

O que se viu foi uma enxurrada de críticas ao governo Paulo Câmara sem apresentar soluções. Para que o eleitor insatisfeito com o atual governo escolha a postulação de Armando, é preciso que ele identifique um projeto, algo que não se viu em nenhum dos quatro atos anteriores e muito menos ontem, quando era fundamental que o palanque aproveitasse aquele momento para dar um start no que será apresentado para que o eleitor enxergue efetivamente uma mudança para melhor no estado caso escolha Armando como seu candidato.

Se a oposição quiser vencer a eleição em outubro, não adianta atacar a segurança pública sem dizer como fará para resolver o problema. De nada adianta dizer que o governo não funciona se não apresentar um projeto que mostre como irá funcionar se houver uma mudança de comando.

Enquanto o time liderado por Armando Monteiro ficar restrito a críticas ao atual governador, será muito difícil conquistar eleitores indecisos, uma vez que eles estão ávidos por propostas e projetos para poder mudar. Sem propostas e projetos no campo oposicionista, o eleitor dificilmente irá trocar de governador. (por Edmar Lyra)

PM abre concurso com 500 vagas…

O edital do concurso público para o preenchimento de 500 vagas do cargo de praça da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE) foi publicado na edição desta sexta-feira (8) do Diário Oficial do Estado. Segundo o documento, o período de inscrição será entre o próximo domingo (10) e 16 de julho. A remuneração inicial do policial militar formado é de R$ 2.819,88.

Os candidatos devem ter ensino médio completo, altura mínima de 1,65m para homens e 1,60m para mulheres, carteira de habilitação categoria B e entre 18 e 29 anos. A taxa de inscrição no certame custa R$ 135. Os selecionados receberão bolsa-auxílio de R$ 1,1 mil durante os seis meses do curso de formação, que será aplicado no Campus de Ensino Metropolitano (Cemet I), localizado no bairro do Curado, em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife. 

A prova de conhecimentos será aplicada em 26 de agosto e os resultados, assim como a convocação para as etapas seguintes de exames médicos, de aptidão físicas e avaliação psicológica será em 12 de setembro.  O curso de formação, de responsabilidade da Secretaria de Defesa Social (SDS) deverá começar após março de 2019. O concurso terá validade de dois anos a partir da data da primeira homologação do resultado final. Serão chamados os 500 candidatos melhores classificados na primeira fase e aptos em todas as demais fases da primeira etapa.

O Instituto de Apoio à Fundação Universidade de Pernambuco (IAUPE) é responsável pela execução do certame. Do total de 500 vagas, 25 serão destinadas a pessoas com deficiência, o equivalente a 5%, conforme previsto na Constituição Federal. (Folha de Pernambuco)

André pode não ser anunciado ainda, mas é esperado na chapa…

A interlocutores, o deputado estadual André Ferreira já teria sinalizado a intenção de promover um evento, mesmo que em momento posterior, para anunciar sua postulação ao Senado. O assunto, segundo pessoas próximas, estaria praticamente definido entre ele e membros da oposição. Ontem, havia quem nem descartasse que o nome dele viesse a ser anunciado na próxima segunda-feira, quando serão lançados, em evento, o senador Armando Monteiro Neto como cabeça de chapa e o deputado federal Mendonça Filho, como um dos postulantes à Casa Alta. A estratégia dos oposicionistas, no entanto, seria não divulgar a chapa completa ainda, de forma a aguardar novos movimentos que poderão acontecer.

O PSC, partido de André, seria um a mais a agregar ao bloco dos oposicionistas, razão pela qual tucanos vinham incensando essa costura, admitindo, inclusive, indicar a vice e deixar o espaço do Senado a ser ocupado por André. Ontem, o deputado estadual participou de uma reunião nacional do PSC, em Brasília, na qual ficou entendido que sua postulação à Casa Alta é prioridade para o partido. Leia-se: se não há espaço na chapa de Paulo Câmara, com quem André teve várias conversas, essa candidatura deverá ser concretizada nas hostes oposicionistas. Nesse processo, a pessoas próximas, André já revelou que o presidente da Assembleia Legislativa, Guilherme Uchoa, a despeito de sua relação estreita com o Palácio das Princesas, não seria empecilho. O pedetista já teria ingressado no PSC ciente dessa possibilidade e já viu o PDT, seu antigo partido, votar em Armando Monteiro, enquanto ele defendeu Paulo Câmara. Ontem, André já dizia a aliados que julho – tempo estabelecido pelo PT para seus encontros estaduais – ficou tarde demais. Se o PSB, então, aguarda o tempo do PT, o PSC, visando ao projeto majoritário, vai definindo seu futuro antes disso com o bloco da oposição. (Renata Bezerra de Melo / Folha de Pernambuco)

Pesquisa Múltipla mostra quadro embolado para governador e senador …

O instituto Múltipla apontou um quadro bastante embolado tanto para governador quanto para senador, porém com uma significativa vantagem para Paulo Câmara, que tem 26% enquanto Marília Arraes surge com 17% e Armando Monteiro 16,16%. O quadro, pelos números, seria de segundo turno, mas chama atenção que apesar do governador representar um projeto de doze anos e enfrentar uma série de problemas conjunturais, ainda se mostra bastante competitivo, e fica latente que Marília Arraes exercerá o papel de fiel da balança nesta disputa, pois se for candidata garante o segundo turno, e se for retirada do processo, o quadro tende a se definir na primeira etapa.

Na disputa pelo Senado, Jarbas Vasconcelos surge como o favorito com 20%, com 7,3 pontos de vantagem para Humberto Costa, o segundo colocado com 12,7%. Mendonça Filho tem 10,8% e aparece tecnicamente empatado com Humberto. O deputado André Ferreira (PSC), com 5,1% e total desconhecimento em relação aos seus principais adversários pois nunca disputou majoritária, mostra que o segmento evangélico é muito forte e em sendo candidato ele tem grandes chances de crescer durante o processo eleitoral.

Faltando quatro meses para a eleição, a pesquisa ainda denota um grande distanciamento do eleitor com o processo eleitoral. Ela ainda não está na pauta do povo e fica latente que a pesquisa é apenas uma fotografia do momento, com grandes possibilidades de modificações durante o quadro eleitoral, com o início do guia na televisão.

Também será bastante interessante avaliar o quadro que pode se desenhar de Jarbas e Mendonça estarem em campos opostos disputando o mesmo cargo e pela primeira vez na história Jarbas Vasconcelos e Humberto Costa, rivais de décadas, estarem na mesma chapa majoritária, um tendo que pedir votos para o outro. É preciso aguardar o tempo passar e a campanha começar para poder interpretar qual será o comportamento do eleitor, sobretudo nesta disputa de senador que está com muita aparência de 1994 quando foram eleitos um senador de cada chapa. (por Edmar Lyra)

Jarbas lidera para o Senado, Humberto e Mendonça empatados tecnicamente…

No levantamento realizado pela Múltipla para o Senado, o deputado Jarbas Vasconcelos (MDB) lidera com 20,8% das intenções de voto, seguido do senador Humberto Costa (PT) com 12,7%, o deputado Mendonça Filho (DEM) aparece com 10,8% em terceiro e André Ferreira (PSC) surge com 5,1% na quarta colocação. Os demais surgem abaixo de 4 pontos.

 

Powered by WordPress | Designed by: diet | Thanks to lasik, online colleges and seo