Hoje:
10/03/2021
Lula diz que foi ‘vítima da maior mentira jurídica em 500 anos de História’
10/03/2021

Volta de Bolsonaro ao PSL é complexa, afirma Luciano Bivar

Blog da Folha
Precisando se filiar a um partido para buscar a reeleição em 2022, o presidente da República, Jair Bolsonaro, tem tido o seu nome especulado em diversas legendas, como PTB, Patriota, PSC e PMN. No entanto, nos bastidores, também é ventilada a possibilidade do presidente fazer o caminho de volta para o PSL, partido pelo qual foi eleito em 2018. O retorno à legenda, no entanto, não seria acatado sem um movimento amplo de diálogo dentro da legenda.
Por meio de nota enviada por sua assessoria de imprensa, o presidente nacional do PSL, o deputado federal Luciano Bivar, afirmou que uma eventual refiliação de Jair Bolsonaro ao partido não será decidida apenas pela executiva do PSL. “As conversas paralelas entre parlamentares do PSL sobre a refiliação do presidente ao partido, é uma decisão que cabe aos convencionais e a toda sua bancada, portanto, não cabe a executiva isoladamente tomar qualquer decisão de pronto. Certamente, é algo que leva um tempo de maturação e convencimento de todos”, enfatizou o parlamentar. 
Ainda de acordo com Luciano Bivar, diante das condições postas ao presidente da República visando a reeleição, seria natural Bolsonaro querer mais celeridade para a definição do seu futuro partidário, ainda mais com várias legendas manifestando disposição em contar com o Chefe do Executivo Federal como candidato para as eleições presidenciais de 2022. “Não acredito que o presidente, como legítimo e favorito candidato a reeleição tenha tempo para esperar a decisão do PSL, quando muitos outros partidos se oferecem para abriga-lo”, sublinhou Bivar.  
Jair Bolsonaro deixou o PSL em novembro de 2019. Na ocasião manifestou o objetivo de, com a saída da sigla, criar o seu próprio partido político. A legenda iria se chamar Aliança Pelo Brasil e já tinha até o número para ser utilizado nas urnas, o 38. Entretanto, em dezembro de 2020, após um ano em busca da viabilização da sigla, o presidente da República admitiu que o partido não seria formado e, desde então, tiveram início as especulações em torno de qual sigla será a escolhida por ele. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.