16/06/2022

Marília tem mais que o dobro das intenções de voto de Raquel

Por Mano Martins – Pesquisa do Instituto Opinião, em parceria com este blog, sobre a sucessão em Pernambuco, aponta a pré-candidata do Solidariedade, Marília Arraes, na liderança com 28,1%, seguida pela pré-candidata do PSDB, Raquel Lyra, mas bem distante. A tucana tem apenas 12,6%. Já os pré-candidatos do PL, Anderson Ferreira, e Miguel Coelho, do União Brasil, se situam em um empate, com 8,8% e 8,7%, respectivamente. O pré-candidato do PSB, Danilo Cabral, tem apenas 4,5%. Entre os nanicos, Esteves Jacinto (PRTB) e João Arnaldo (PSol) foram citados por 0,6% dos entrevistados, enquanto Jadilson Bombeiro (PMB) aparece com 0,5% e Jones Manoel (PCdoB) tem 0,3%. Brancos e nulos somam 13,3% e indecisos chegam a 22%. Na espontânea, modelo pelo qual o entrevistado é obrigado a citar o nome do seu candidato sem o auxílio da cartela, Marília também lidera com 10,8%, Raquel tem 5,7%, Miguel 4,8%, Anderson 4%, e Danilo […]
15/05/2022

Opinião: Com André no Senado e Sebastião de vice, Marília ganha musculatura na sucessão estadual

Por Elielson Lima – A confirmação de Teresa Leitão no Senado da Frente Popular levou o deputado federal André de Paula desembarcar do Governo e ser anunciado na chapa da pré-candidata a governadora Marília Arraes (SD), na próxima segunda-feira.  Outra articulação feita por Marília foi atrair o deputado Sebastião Oliveira ofertando a ele a vaga de vice. Aliados de Sebá já confirmam que ele aceitou o convite e vai lançar seu irmão Valdemar Oliveira em seu lugar como candidato a federal. A estratégia de Marília é criar um fato por semana. Por isso, Sebastião só deve ser anunciado na outra semana. Ele esteve recentemente no Palácio numa articulação para que permaneça na Frente Popular. Diante desse quadro, Marília amplia  sua força na sucessão estadual, pois sai do isolamento do seu partido. Com o PSD e Avante, ela amplia o tempo de propaganda eleitoral e ainda pode receber a adesão do […]
28/11/2017

Fernando Bezerra Coelho e Armando entram no páreo 

Dois candidatos a governador reafirmaram, ontem, suas postulações ao Palácio do Campo das Princesas. O primeiro, o senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB), reafirmou em entrevista à Rádio Jornal que é pré-candidato ao Governo do Estado nas eleições de 2018. Fernando explicou que as oposições de Pernambuco estão num processo de diálogo, que deve ser intensificado em dezembro, mas confirmou que pretende participar da disputa. “Sou pré-candidato e estou animado. Meu nome está colocado, como o de várias outras lideranças políticas estaduais. Vamos unir forças e definir propostas, para que possamos levar ao povo de Pernambuco um projeto que traduza os sonhos das pessoas”, disse. Fernando, no entanto, ponderou que ainda é cedo para que os nomes de uma possível chapa de oposição sejam consolidados. “Vamos aprofundar mais as discussões, poderemos até ter mais de uma candidatura, mas o principal é que possamos dialogar sobre o futuro”, destacou o governador Paulo […]
24/05/2017

É inconstitucional diferenciação de união estável e casamento para fins de sucessão, define STF…

O Plenário do STF definiu recentemente que é inconstitucional o artigo 1.790 do Código Civil, o qual estabelece diferenciação dos direitos de cônjuges e companheiros para fins sucessórios. Acerca do tema, foi fixada a seguinte tese, de autoria do ministro Luís Roberto Barroso: “No sistema constitucional vigente, é inconstitucional a distinção de regimes sucessórios entre cônjuges e companheiros, devendo ser aplicado em ambos os casos o regime estabelecido no artigo 1.829 do CC/02” Dois recursos Na sessão plenária foram analisados dois recursos sobre o mesmo tema, ambos com repercussão geral reconhecida: RE 646.721 e RE 878.694. O primeiro a ser julgado foi o RE 646.721, de relatoria do ministro Marco Aurélio, sobre um caso de união estável homoafetiva, em que se discutia a partilha de bens entre a mãe e o companheiro de um homem falecido em 2005. No caso, o TJ/RS concedeu ao companheiro apenas 1/3 da herança, e […]
18/05/2017

Terceira na linha sucessória para a Presidência, Cármen tem a fila nas mãos…

Por Pedro Canário A serem confirmadas as informações divulgadas pelo jornal O Globo — de que o presidente Michel Temer incentivou o dono do frigorífico JBS, Joesley Batista, a comprar o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e de seu financista, Lúcio Funaro —, o Supremo Tribunal Federal será empurrado ainda mais para dentro do redemoinho político. Desenha-se um cenário remoto em que a presidente da corte, ministra Cármen Lúcia, terceira na linha sucessória da Presidência da República, terá em mãos o poder de controlar o andamento da própria fila para ocupar a cadeira de Temer. A informação publicada pelo colunista Lauro Jardim tem tudo para influenciar o julgamento da candidatura de Temer no Tribunal Superior Eleitoral. A corte julga se a chapa Dilma-Temer cometeu abuso de poder econômico durante as eleições de 2014. Quem acompanha o caso aponta que ministros da corte estavam inclinados a separar Dilma de Temer, dando o que seria um […]
16/04/2016

Se a Dilma sair, quem assume a presidência do Brasil?

Se a Dilma sofrer impeachment, quem assume automaticamente o seu cargo é Michel Temer, do PMDB-SP, atual vice-presidente da República. Ele ficaria no cargo até o fim do mandato. Se Michel Temer também acabasse sendo afastado até o final de 2016, que representa o final da primeira metade do mandato, novas eleições seriam convocadas. Se Temer fosse afastado a partir de 2017, as eleições seriam indiretas. E Eduardo Cunha é a próxima pessoa na linha de sucessão de Michel Temer enquanto as eleições acontecessem. Por fim, se  Eduardo Cunha também for afastado, quem assumiria a presidência seria Renan Calheiros, do PMDB-AL.
17/02/2014

Eduardo e o segredo sobre a sucessão…

Escalado pelo governador Eduardo Campos para conversar com os dirigentes de partidos aliados sobre o conteúdo programático que norteará a sucessão estadual, o secretário de Governo do Recife e presidente estadual do PSB, Sileno Guedes, acostumou-se a ouvir sempre a mesma pergunta dos interlocutores: “Sim, mas quem foi que o governador escolheu para a disputa?” O questionamento tem um motivo de ser. O grande número de cotados que surgiu fez com que a discussão girasse mais em torno de nomes que de propostas. As especulações geraram tamanho desgaste dentro do partido que o governador orientou dirigentes e auxiliares a silenciarem. A partir daí, estabeleceu um cronograma para ouvir aliados e depois anunciar o nome. Com uma pasta embaixo do braço contendo as diretrizes programáticas definidas por PSB e Rede, Sileno vem ouvindo os partidos desde segunda-feira da semana passada. Ao Diario, disse que até a próxima quinta-feira terá o retorno […]
10/02/2014

Eduardo prepara sua sucessão em família…

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos, provável candidato do PSB à Presidência, prepara sua sucessão no Estado com uma lista de opções circunscrita ao seu clã familiar e político. Os três nomes cotados por Campos para disputar o governo pernambucano em outubro têm algum grau de parentesco direto ou indireto com ele. Primo de primeiro grau de Renata, mulher do governador, o ex-deputado Maurício Rands voltou de uma temporada na República do Chade para, segundo ele, ficar “na retaguarda” do governador. Depois de romper com o PT, ele se filiou ao PSB em outubro do ano passado, no limite do prazo legal para ser elegível. Considerado por aliados de Campos uma pessoa de sua estrita confiança, Rands representa a opção com mais experiência política da lista tríplice. Outro nome que desponta na sucessão pernambucana é o do secretário da Casa Civil, Tadeu Alencar. Além do filho dele, Tomás Alencar, ser […]
17/01/2014

O tititi da sucessão só faz esquentar em Pernambuco…

As tentativas do governador Eduardo Campos (PSB) de segurar o ímpeto dos seus correligionários no quesito “sucessão estadual” não têm sido bem sucedidas. As movimentações continuam intensas nos bastidores, com conversas diárias e um ambiente interno de muita disputa no PSB. Grupos estão se formando na tentativa de alavancar ou derrubar nomes, uma prática que se caracterizou como uma agenda negativa do Partido dos Trabalhadores. Comenta-se nos bastidores governistas que essa também seria uma maneira de o governador testar alguns de seus auxiliares, por isso, a ideia de deixar a situação correr. Nessa quinta-feira, com Eduardo Campos nos Estados Unidos, onde recebeu na quarta (15) prêmios da Organização das Nações Unidas (ONU) na área de Segurança Pública e da Junta Comercial, os integrantes do PSB cotados para sucedê-lo se dedicaram às articulações políticas.   Ainda que especulações apontem para um quadro de dúvida entre os secretários da Casa Civil, Tadeu […]