10/06/2021

PSL abre portas para novos partidos na Frente Popular

Edmar Lyra A oficialização de José Lindoso como presidente do Porto do Recife e consequentemente a consolidação do retorno do PSL para a Frente Popular foi mais do que uma adesão pura e simples. Trata-se de um partido que era considerado imprescindível para viabilizar a competitividade da oposição, haja vista a contribuição com o tempo de televisão e de rádio, e de seu poderoso fundo eleitoral que alavancará os candidatos do partido e apoiados por ele em 2022. Esse movimento emite um sinal para a classe política que o PSB não está inerte quanto a sucessão de Paulo Câmara e evidencia que outras siglas poderão chegar para o conjunto de forças que sustenta a atual hegemonia socialista no estado, como por exemplo o PT, que está em vias de oficializar a retomada da aliança com o PSB, e o Podemos do deputado federal Ricardo Teobaldo, que declarou apoio à pré-candidatura […]
22/12/2017

PSL nega legenda para Bolsonaro e diz que “ele representa autoritarismo e intolerância’…

O PSL rechaçou ontem, 21, qualquer possibilidade do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) desembarcar no partido para eventualmente disputar a presidência da República. Em nota, a Executiva Nacional do partido admitiu que o presidente, deputado federal Luciano Bivar (PE), teve uma reunião com o deputado carioca, a pedido do próprio Bolsonaro. De acordo com o texto, o pré-candidato à Presidência não representa as ideias do partido. “Não procedem, de forma alguma, as notícias de que o deputado federal Jair Bolsonaro possa se filiar ao PSL. O projeto político de Jair Bolsonaro é absolutamente incompatível com os ideais do LIVRES e o profundo processo de renovação política com o qual o PSL está inteiramente comprometido”, disse. As informações são de  Anderson Bandeira Fonte:  O Estado de S.Paulo
22/08/2014

PSL desiste de deixar coligação de Marina…

O presidente do PSL, Luciano Bivar, informou nesta sexta-feira (22) que a executiva nacional do partido desistiu de sair da coligação Unidos pelo Brasil. Antes encabeçada por Eduardo Campos como candidato à Presidência da República, a coligação passou a ter Marina Silva como presidenciável devido à morte de Campos em acidente aéreo. Nesta quinta-feira (21), outros quatro partidos que também formavam a coligação antes da morte de Campos anunciaram que manteriam o apoio à candidatura de Marina, pelo PSB. Apenas o PSL tinha ficado de fora. Na quarta-feira, ao anunciar que o partido sairia da coligação, Luciano Bivar disse que faltava diálogo com Marina. Ele também afirmou não saber se ela cumpriria promessas de campanha de Campos. Nesta sexta-feira, no entanto, o presidente do PSL afirmou ter tido “longa conversa” com a candidata durante café-da-manhã. Segundo Bivar, o encontro o convenceu a manter o apoio à candidatura. “Foi uma conversa […]