12/07/2021

Para 70% dos brasileiros, há corrupção no governo Bolsonaro, diz Datafolha

FolhaPress Presidente eleito sobre uma plataforma de tolerância zero com malfeitos administrativos, Jair Bolsonaro (sem partido) não convence os brasileiros neste quesito: para 70% dos eleitores entrevistados pelo Datafolha, há corrupção em seu governo. A percepção é amplificada pelas suspeitas de irregularidades em contratos do Ministério da Saúde, colocadas à luz pela CPI da Covid. Entre os entrevistados pelo instituto, acham que há corrupção na pasta 63%, e que o presidente sabia dela, 64%. Os dados foram colhidos pelo Datafolha ao entrevistar 2.074 pessoas com mais de 16 anos, nos dias 7 e 8 de julho. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou menos. Segundo o instituto, os grupos que mais veem corrupção na gestão Bolsonaro são mulheres (74%), jovens (78%), moradores do Nordeste (78%) e, claro, aqueles que reprovam a atual administração do governo federal (92%). São estratos semelhantes em sua avaliação negativa do […]
02/09/2018

Governo decide manter ligadas usinas térmicas mais caras…

O governo decidiu manter acionadas usinas térmicas mais caraspara preservar os reservatórios hídricos, em meio a uma crescente seca nas bacias da região Sudeste.  A decisão foi tomada em uma reunião extraordinária realizada sexta-feira (31). Esse acionamento de usinas mais caras – o chamado despacho fora da ordem de mérito – não ocorria desde o fim do ano passado. O custo maior com o acionamento dessas usinas é repassado ao consumidor. Além das bandeiras tarifárias (adicionais na conta de luz que variam mês a mês), esses gastos são levados em conta nos reajustes tarifários anuais das distribuidoras – que, neste ano, chegaram a taxas de dois dígitos. O acionamento é controlado pela ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico), que dá preferência às usinas mais baratas e tem um limite de quantas térmicas podem ser ligadas, o que evita uma alta ainda maior ao consumidor.  Em geral, o órgão só aciona as usinas com preços abaixo do custo médio da operação -espécie de “preço de corte”, em que só […]
04/06/2018

FHC admite golpe em Dilma e diz que governo Temer acabou…

Responsável por indicar Pedro Parente para executar o desmonte da Petrobras, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirma que o governo de Michel Temer acabou. “Dificilmente o governo atual, dada a sua origem e o encrespamento político havido, conseguirá pouco mais do que colocar esparadrapos nas feridas. Nada de significativo será alcançado sem que uma liderança embasada no voto e crente na democracia seja capaz de dar resposta aos atuais desafios econômicos e morais”, diz FHC em artigo neste domingo, 3, no jornal O Estado de S. Paulo.  Traduzindo, o tucano reconhece que Temer é ilegítimo e resultado de um golpe. Ou como diz ele, de um “impeachment baseado em arranhões de normas constitucionais”. Leia, abaixo o artigo na íntegra: Decifra-me ou te devoro A semana que acabou ontem foi plena de tensão, demonstrando a quem não percebera antes a profundidade das dissensões que vêm de há muito tempo A semana […]
25/05/2018

Caminhoneiros têm força para derrubar o governo…

Inaldo Sampaio O Brasil convive há cinco dias com uma paralisação de caminhoneiros. Mas dificilmente ela irá além deste final de semana. O governo não aguenta conviver por muito tempo com esta paralisação. Por isso, ou arranja uma saída para a greve ou será derrubado não por um golpe militar como o de 64 e sim pelo povo nas ruas como ocorreu com Dilma em 2016. Os caminhoneiros não aceitam mais a política de preços da Petrobrás, que pode até ser boa para a empresa mas é péssima para eles, que ainda sofrem os efeitos da recessão. Daí terem cruzado os braços no início desta semana para exigir do governo a retirada de tributos federais que incidem sobre o preço do diesel. Isto obrigou Temer a convencer o até então inflexível presidente da estatal, Pedro Parente, a rever a política de reajustes da empresa, ainda que momentaneamente, e o presidente […]
05/05/2018

PT-PE adia decisão sobre candidatura para o dia 10 de junho…

Em reunião, na manhã deste sábado (05), membros do PT de Pernambuco entraram em consenso e adiaram, para o dia 10 de junho, o encontro que deve definir se o partido terá ou não candidatura própria para governador, neste ano. A data, que estava agendada para o próximo sábado (12), foi remarcada após intensa negociação entre o grupo que defende a postulação da vereadora do recife, Marília Arraes, e a ala que prefere apoiar a reeleição de Paulo Câmara (PSB). Marília, que tem apoio de grande parte do partido, tentava manter a data inicial para o ‘encontro de táticas’. Porém, a direção estadual do partido propôs remarcar para o dia 27 de junho. Após chegarem a um consenso, o evento ficou fixado para o dia 10. Aliados da petista acreditam que, com isso, Marília mostra que está aberta ao diálogo e não tentará “empurrar sua pré-candidatura goela abaixo”. Mesmo com […]
25/04/2018

Oposição pode apostar em nomes novos para o governo …

Nas eleições de 2014 o então governador Eduardo Campos optou para a sua sucessão por um nome que na ótica dele envelheceria a candidatura de Armando Monteiro, que era o virtual adversário do PSB naquele pleito, que acabou se consumando como candidato. A opção por Paulo Câmara estava sendo feita na esteira de uma tese defendida por ele próprio de apresentar o novo, mas evidentemente Eduardo estava amparado em pesquisas qualitativas que sinalizavam não só o desejo de continuidade como um nome que representasse uma nova forma de fazer política. Nas eleições deste ano, o desejo pelo novo fica mais latente, uma vez que a população está saturada dos chamados políticos profissionais. Por este motivo o nome de Marília Arraes vem se constituindo na grande novidade do pleito. Marília é neta de Arraes, prima de Eduardo, petista, lulista e principalmente jovem, o que tem impulsionado seu projeto em todas as […]
23/02/2018

Governo estuda ampliar vacinação de febre amarela para todo o País…

O Ministério da Saúde vai discutir com estados e organismos internacionais a possibilidade de ampliar a vacinação de febre amarela para todo o país ainda neste ano por conta da circulação do vírus em novas áreas. O ministro da Saúde, Ricardo Barros, apresentou a proposta ontem (22), em Brasília, durante reunião da Comissão Intergestores Tripartite. A sugestão será também discutida com organismos internacionais, como a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). Ao apresentar a proposta, o ministro defendeu que estratégia de vacinar toda a população, deve ser feita de forma gradual, de acordo com as possibilidades dos estados. Segundo ele, se a ampliação for definida, haverá uma programação de vacinação para cada estado. Atualmente, alguns estados do Nordeste e áreas do Sul e Sudeste do país não fazem parte das áreas de recomendação de vacina, por não apresentarem circulação do vírus. Continua…
20/02/2018

Governo prepara pacote de projetos econômicos após naufrágio da reforma da Previdência…

Após ver a reforma da Previdência naufragar de vez e retirar a matéria da pauta, o governo decidiu focar em pacote de projetos voltados à área econômica e de segurança pública. Ao chegar para a sessão de votação do decreto da intervenção federal assinado por Michel Temer na última sexta-feira (16), prevista para a noite desta segunda-feira (19), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) afirmou que uma lista de pelo menos 15 projetos sejam analisados pela casa após os projetos de segurança pública sejam deliberados na Casa. “Nós temos uma pauta de 15 ou 16 itens que estamos discutindo com a equipe econômica e que deve ser apresentado hoje ou amanhã para a imprensa”, afirmou Maia a jornalistas. O presidente da Câmara afirmou que os projetos deverão dar um “bom caminho” para que a Casa continue votando projetos da área econômica, mas sem o impacto da reforma previdenciária. Entre os projetos estão a privatização da Eletrobras, […]
08/02/2018

Governo quer aprovar Previdência até dia 28…

O líder do governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), disse, ontem, que a ideia do governo é ter a reforma da Previdência aprovada na Casa até o dia 28 de fevereiro. Ribeiro participou de uma entrevista coletiva na Câmara ao lado do relator da proposta, deputado Arthur Maia (PPS-BA). A discussão da reforma no plenário da Câmara está marcada para começar no dia 19. Se aprovada na Casa, a reforma vai para o Senado. O governo tem dito que quer concluir a tramitação ainda em fevereiro. Para isso, corre contra o tempo para conquistar os votos que faltam de deputados e senadores. “A liderança do governo está encaminhando a todos os parlamentares, para todos os parlamentares sem distinção. Até o dia 28 espero que a gente tenha construído esse cenário com a base para a aprovação. A ideia do presidente [da Câmara] Rodrigo Maia [DEM-RJ], que tem o comando da pauta da Casa, é que […]