19/09/2018

Aneel descarta revisão de bandeira tarifária em conta de luz…

O diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), André Pepitone, descartou ontem (18) a possibilidade de revisão no valor das bandeiras tarifárias. Com variação entre verde, amarela e vermelha (em dois patamares) as bandeiras geram custos adicionais à conta de luz que vão de R$ 1 a R$ 5. Há quatro meses, está sendo cobrada a bandeira vermelha no segundo patamar, o que gera cobrança extra de R$ 5 a cada 100 kilowatts-hora consumidos. “De forma alguma”, disse Pepitone ao responder questionamentos de jornalistas. De acordo com o diretor, não há, no momento, necessidade de mexer no valor das bandeiras. As bandeiras são acionadas em período de escassez de chuvas, quando há redução no nível dos reservatórios nacionais. Nesses períodos há o acionamento de usinas térmicas, cujo custo de produção é mais alto. A revisão do valor das bandeiras tem sido apontada pela Associação Brasileira dos Distribuidores de Energia […]
30/06/2018

Aneel mantém bandeira vermelha nas contas de luz de julho…

A exemplo de junho, as contas de luz terão bandeira vermelha no patamar 2 também no mês de julho – o que acarretará em uma cobrança extra de R$ 5,00 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. A manutenção da tarifa extra foi decidida ontem (29) pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), tendo por base a “manutenção das condições hidrológicas desfavoráveis e a tendência de redução no nível de armazenamento dos principais reservatórios do Sistema Interligado Nacional”. Nos quatro primeiros meses do ano, vigorou a bandeira verde, o que não implicava em cobrança extra na conta de luz. Em maio, vigorou a bandeira tarifária amarela, em que há adicional de R$ 1 na conta de energia do consumidor a cada 100 kWh consumidos. Sistema O sistema de bandeiras tarifárias foi criado, de acordo com a Aneel, para sinalizar aos consumidores os custos reais da geração de energia elétrica. A adoção […]
25/04/2018

Aneel mantém valores propostos para sistema de bandeiras tarifárias…

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) manteve as mudanças propostas no fim do ano passado para o sistema de bandeiras tarifárias. As alterações já estavam em vigor desde o mês de novembro, quando o sistema passou a levar em conta o armazenamento dos reservatórios das hidrelétricas. Até então, apenas o preço da energia no mercado era considerado. Os valores propostos inicialmente pela Aneel foram confirmados. A bandeira verde vai continuar da forma como está, sem taxa extra. Na bandeira amarela, a taxa extra é de R$ 1,00 a cada 100 quilowatt-hora consumidos (kWh).  No primeiro patamar da bandeira vermelha, o adicional é de R$ 3,00 a cada 100 kWh. E no segundo patamar da bandeira vermelha, a cobrança é de R$ 5,00 a cada 100 kWh.  O diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino, disse que vai apresentar um pedido de reexame contra a auditoria do Tribunal de Contas da União […]
29/07/2017

Aneel confirma para mês de agosto bandeira vermelha nas contas de luz…

As contas de luz dos consumidores brasileiros terão bandeira tarifária vermelha em agosto, o que significa um custo adicional, informou a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) nesta sexta-feira. As bandeiras tarifárias geram cobranças adicionais para os cientes de distribuidoras de eletricidade para sinalizar momentos de menor oferta de energia. No patamar vermelho, o custo extra é de R$ 3 a cada 100 quilowatts-hora consumidos. (Fonte: Reuters)
31/12/2016

Conta de luz terá bandeira verde em janeiro, diz Aneel…

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou ontem (30) que a bandeira tarifária para o mês de janeiro será a verde, sem cobrança extra dos consumidores. A decisão é baseada em relatório do Operador Nacional do Sistema (ONS), que aponta que a condição hidrológica está mais favorável. De janeiro de 2015, quando o sistema de bandeiras tarifárias foi implementado – até fevereiro deste ano, a bandeira se manteve vermelha, primeiramente com cobrança de R$ 4,50 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos e, depois, com a bandeira vermelha patamar 1, que significa acréscimo de R$ 3,00 a cada 100 kWh. Em março, passou para amarela, com custo extra de R$ 1,50 a cada 100 kWh; de abril a outubro ficou verde, sem cobrança extra. No mês passado, a bandeira passou para a cor amarela novamente e em dezembro está verde. O sistema de bandeiras tarifárias foi criado como forma de recompor […]
27/01/2016

Aneel aprova valores de bandeiras tarifárias e cria mais um nível para vermelha…

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou ontem (26) as faixas de acionamento das bandeiras tarifárias de 2016, com a criação de um novo – e mais barato – patamar para a bandeira vermelha, que vem sendo paga pelos consumidores brasileiros desde janeiro do ano passado. Os novos valores, mais baixos em relação aos atuais, passam a vigorar em fevereiro. O diretor da Aneel relator do processo, André Pepitone, manteve a proposta da área técnica com a criação de dois patamares de cobrança adicional no caso da bandeira vermelha, mas propôs um desconto ainda maior que o previsto anteriormente. O patamar 1 – antes estimado pelo corpo técnico do órgão em R$ 4,00 para cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos – será de R$ 3,00 para cada 100 kWh consumidos. O valor final representa um desconto de 33% sobre o preço praticado atualmente, de R$ 4,50 para cada 100 kWh No patamar 2, […]
31/10/2015

Aneel mantém bandeira vermelha para o mês de novembro…

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou hoje que a bandeira tarifária válida para o mês de novembro continuará sendo de cor vermelha. A bandeira vermelha implica um acréscimo de R$ 4,50 para cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos em todos os Estados, exceto Amapá e Roraima, que ainda não estão conectados ao Sistema Interligado Nacional (SIN). Desde o início do ano, o custo de energia está mais caro para o consumidor. A bandeira vermelha representa a existência de condições mais adversas para a geração elétrica no País. Há ainda a bandeira amarela, quando a cobrança adicional é de R$ 2 50 para cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos, e a bandeira verde, sem custo adicional. O sistema de bandeiras tarifárias, implementado com o intuito de alertar o consumidor a respeito do custo corrente de geração, além de dividir com ele esse custo, já passou por duas correções de valores desde […]
20/05/2014

Eduardo da Fonte pede ao MPF punição à Celpe e à Aneel…

O líder do bloco PP-PROS, deputado federal Eduardo da Fonte, encaminhou ao Procurador Geral da Republica, Rodrigo Janot, representação para que sejam apurados indícios de crimes de prevaricação e condescendência criminosa por parte da direção da Celpe e da Agência Nacional de Energia Elétrica, Aneel. O progressista, no documento enviado, alega que a Celpe é a responsável por 13% das mortes ocorridas por choque elétrico nas ruas de Pernambuco. Segundo os próprios dados da Aneel, em Pernambuco, ocorreram 60% mais mortes do que em São Paulo e 180% a mais que o estado do Rio de Janeiro, de acordo com dados apenas de 2012. O deputado destaca que isso faz com que a Celpe seja recordista de mortes no País. “É evidente a irresponsabilidade da Celpe e a conivência da Aneel diante dos fatos. Em cinco anos, já foram mortos mais de 100 pessoas. Não podemos admitir esse descaso de […]
02/04/2014

Adesão à luz pré-paga será voluntária, diz Aneel…

Os consumidores poderão aderir ao sistema de contas de luz pré-pagas, um modelo semelhante ao dos telefones celulares, em que o cliente compra créditos para um consumo posterior. A adesão será voluntária e não terá custo. O regulamento foi aprovado nesta terça-feira (1º) pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e a previsão do diretor-geral, Romeu Rufino, é que o modelo esteja disponível em 2015.  Quem aderir ao pré-pagamento receberá uma carga inicial de 20 kWh, que será paga na compra subsequente de energia. Depois disso, o consumidor poderá adquirir novos créditos quantas vezes quiser, desde que, no mínimo, 5kWh, em agências credenciadas ou pela internet. No caso da Eletropaulo, a carga inicial custaria R$ 4,77 em valores de hoje.  A tarifa de energia será a mesma cobrada do cliente convencional, que paga a conta depois do consumo. As distribuidoras, porém, poderão oferecer incentivos, como descontos para quem aderir ao […]