São João “Pau de Arara” em João Alfredo
20/06/2020
João Alfredo – Boletim covid-19 / 20 de junho de 2020
20/06/2020

Recife registra 34 dias de queda nos casos da Covid-19

A medical workers holds test samples of suspected Covid-19 cases at the laboratory of the IESS Carlos Andrade Marin hospital in Quito, on June 17, 2020. - Ecuador, one of the Latin American countries hardest hit by the pandemic, has surpassed 4,000 deaths since it declared the presence of the coronavirus in its territory on February 29, the government said Wednesday. (Photo by RODRIGO BUENDIA / AFP)

Diário de Pernambuco

Após 100 dias de combate à pandemia causada pelo novo coronavírus, o Recife atingiu a marca de 34 dias de diminuição nos novos casos da Covid-19. A tendência de queda nesses registros começou no dia 16 de maio, data de início da quarentena mais rígida na capital e em outras quatro cidades da Região Metropolitana, o que possibilitou a sustentação desses dados. O prefeito Geraldo Julio fez o anúncio na manhã de quarta-feira, quando também registrou a marca de 1.600 altas nos hospitais de campanha da Prefeitura do Recife. 

“Hoje nossa cidade chega a 31 dias (na quarta-feira passada) de redução na curva de novos casos da Covid-19. Isso mostra o acerto nas decisões que foram tomadas logo no início da pandemia, de fazer o isolamento social e de aumentar a rede de saúde. A gente chega também a 1.600 altas dos hospitais de campanha construídos pela Prefeitura do Recife. A pandemia está completando 100 dias em nossa cidade e, desse tempo, um terço já é de queda no número de novos casos do coronavírus. Então, eu quero agradecer a todos que conquistaram esse resultado, fazendo o isolamento social e também a todos que construíram as unidades de campanha e aos que trabalham fazendo atendimentos aos pacientes e salvando vidas”, afirmou o prefeito Geraldo Julio.

A tendência de queda se dá desde o dia 16 de maio, quando 991 casos da Covid-19 foram registrados no Recife. Na terça-feira passada, 182 casos da doença foram confirmados, com curva média em tendência de queda contínua há 31 dias consecutivos. Desde o início da pandemia do novo coronavírus, o Recife aliou a tomada de medidas restritivas e de isolamento social desde muito cedo, com a criação de um sistema robusto de saúde especialmente voltado para o novo coronavírus. Em tempo recorde, foram construídos sete hospitais de campanha, que hoje já têm 971 leitos, dos quais 289 são Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

O secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia, destacou que a queda também se reflete em outros indicadores do sistema de saúde, mas alertou para a responsabilidade e cautela necessárias nesse momento de convivência com a pandemia. “Todas essas informações nos permitem pensar que, em uma reabertura gradual, ela deve ser feita com responsabilidade, com os novos protocolos e os novos hábitos, como o uso das máscaras, lavagem das mãos, atenção aos grupos de risco, com comorbidades e aos mais idosos. É preciso lembrar que as pessoas devem sair, somente se necessário e se possível. Quem puder deve permanecer em casa”, pontuou.

Entre os dados de redução no sistema de saúde, a Secretaria de Saúde (Sesau) do Recife chegou a ter 977 profissionais afastados por suspeita da Covid-19. Nesta terça-feira, esse número foi de apenas 113 trabalhadores. Já o Samu Metropolitano do Recife registrou redução nos chamados por causas respiratórias em quase 70% entre o início do mês de maio e o início deste mês de junho. O número de chamados diários caiu de uma média de 160 para cerca de 50 neste período. No dia 11 de maio, as 22 unidades de referência da Atenção Básica para atendimento de pacientes com suspeita de Covid-19 chegaram a fazer 706 atendimentos, enquanto, na terça-feira passada, foram atendidas 159 pessoas.

Esse trabalho permite que hoje a Prefeitura do Recife, em conjunto com o governo do estado, coloque em prática o Plano de Convivência com a Covid-19. A prefeitura contratou ao Porto Digital um estudo baseado num grande banco de dados que permite a leitura dos indicadores e a possibilidade de avanço ou retrocesso nas etapas de convivência com as atividades econômicas e sociais da cidade.

O D.A.D.O, como foi denominado, é uma plataforma de dados e algoritmos para facilitar e instrumentar a tomada de decisão sobre qualquer operação de interesse da cidade – se divide em Indicadores de Risco da Cidade, Risco por Microrregião e Matriz de Prioridade de Abertura de Atividades. O indicador de Risco da Cidade é calculado a partir da análise de índices do sistema de saúde, como a ocupação de UTIs e progressão de casos e óbitos por Covid-19, índice de isolamento social e outros. Já o Risco por Microrregião leva em conta como esses dados se comportam nas diferentes áreas da cidade. O grupo formado pelos cientistas responsáveis pela plataforma e gestores das áreas afins da Prefeitura do Recife avaliam periodicamente os indicadores e tomam a decisão sobre os estágios do plano de convivência.

CASOS CONFIRMADOS DE COVID NO RECIFE 

16 de maio – 991 casos registrados no Recife

16 de junho – 182 casos confirmados

PROFISSIONAIS DE SAÚDE – a Secretaria de Saúde (Sesau) do Recife chegou a ter 977 profissionais afastados por suspeita de Covid-19.

Na terça (16), o número foi de apenas 113 trabalhadores. 

SAMU METROPOLITANO – redução de quase 70% de chamados por causas respiratórias entre o início do mês de maio e o início deste mês de junho. 

O número caiu de uma média de 160 para cerca de 50 por dia, neste períodoATENÇÃO BÁSICA – Atendimento a pessoas nas 22 unidades de referências da Atenção Básica para atendimento de pacientes com suspeitas de Covid-19. 

Dia 11 de maio – 706 atendimentos

Dia 16 de junho – 159 pessoas

INFRAESTRUTURA – Em tempo recorde foram construídos sete hospitais de campanha que hoje já têm 971 leitos, dos quais 289 são Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.