Termina hoje matrícula de pré-selecionados na 2ª chamada do Prouni
11/08/2021
Câmara aprova perda do mandato da deputada Flordelis, acusada de mandar matar o marido
11/08/2021

PEC do voto impresso: PSD, DEM, MDB e PSDB foram os partidos com mais traições

G1
Os deputados federais decidiram na noite da terça-feira (10) rejeitar e arquivar a proposta de emenda à Constituição (PEC) que propunha o voto impresso em eleições, plebiscitos e referendos, em uma derrota para o presidente Bolsonaro (veja mais abaixo).
A votação na Câmara ficou marcada por uma grande quantidade de deputados que não obedeceram a orientação dos seus partidos: 112 dos 513 parlamentares (22% do total).
As siglas com os maiores percentuais de votos contrários à orientação foram PSD (57%), PV (50%), DEM (46%), MDB (45%) e PSDB (44%).
PSDDEMMDB PSDB também foram os únicos partidos a ter mais votos contrários à orientação do partido do que a favor:
  • PSD: o partido orientou voto NÃO, mas teve 20 votos SIM e 11 NÃO; 4 se ausentaram e não votaram;
  • DEM: o partido orientou voto NÃO, mas teve 13 votos SIM e 8 NÃO; 6 se ausentaram;
  • MDB: o partido orientou voto NÃO, mas teve 15 votos SIM e 10 NÃO; 8 se ausentaram;
  • PSDB: o partido orientou voto NÃO, mas teve 14 votos SIM e 12 NÃO; 5 não votaram e 1 se absteve (Aécio Neves).
Outas nove siglas tiveram votos contrários à orientaçãoCidadania (38% dos filiados), Solidariedade (36%), PSB (35%), PL (27%), Avante (25%), PDT (20%), Podemos (20%), PSL (11%) e Republicanos (9%).
Na outra ponta, PTPSOLPCdoB Rede não tiveram nenhum voto contrário ao determinado pelo partido.
Por fim, seis siglas liberaram seus filiados para votar como quisessem: PPPROSPSCPTBNovo Patriota. Único deputado sem partido, Rodrigo Maia votou contra a PEC.
PodemosPSL Republicanos foram os únicos partidos que orientaram seus deputados a votarem a favor da PEC do voto impresso.
Veja todos os percentuais na tabela abaixo:

Fidelidade partidária

Partido Orientação Número de deputados Votos contra a orientação % de votos contrários
PSD Não 35 20 57%
PV Não 4 2 50%
DEM Não 28 13 46%
MDB Não 33 15 45%
PSDB Não 32 14 44%
Cidadania Não 8 3 38%
Solidariedade Não 14 5 36%
PSB Não 31 11 35%
PL Não 41 11 27%
Avante Não 8 2 25%
PDT Não 25 5 20%
Podemos Sim 10 2 20%
PSL Sim 53 6 11%
Republicanos Sim 32 3 9%
PP Liberado 41 0%
PROS Liberado 11 0%
PSC Liberado 11 0%
PTB Liberado 10 0%
Novo Liberado 8 0%
Patriota Liberado 6 0%
Sem partido Liberado 1 0%
Rede Não 1 0%
PCdoB Não 8 0 0%
PSOL Não 9 0 0%
PT Não 53 0 0%
Total 513 112 22%
Durante a votação, alguns deputados que participavam remotamente da sessão reclamaram ao presidente da Câmara, Arthur Lira, que não estavam conseguindo registrar o voto pelo celular.
Foram os casos de Alexandre Padilha (PT-SP) e Gonzaga Patriota (PSB-PE), por exemplo. Ambos se posicionam contra o voto impresso, mas aparecem no registro da Câmara como “ausente”.

Derrota para Bolsonaro

A rejeição da PEC do voto impresso representa uma derrota para o presidente Jair Bolsonaro, que sem apresentar provas vem falando em fraude no sistema de votação por meio da urna eletrônica.
O presidente da República também tem feito acusações sem fundamento a ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
A PEC precisava de no mínimo 308 votos para ser aprovada na Câmara dos Deputados, mas teve o apoio de apenas 229 deputados. Outros 218 votaram contra a PEC, 64 não votaram e um se absteve.
Os 64 deputados ausentes — entre eles vários parlamentares de legendas governistas — contribuíram para a derrota de Bolsonaro. Por ser presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) é o único que não vota.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.