”Resista, não desista. A gente segue juntas”, disse Lia de Itamaracá ao declarar apoio à pré-candidatura de Marília Arraes
22/07/2022
Miguel e Mendonça reúnem aliados no Recife
22/07/2022

Opinião: O maior espetáculo de horrores

Por Magno Martins – Não adianta construir narrativas, querer mudar os fatos com postagens editadas, tentar driblar a realidade. A Frente Popular, leia-se o PSB, protagonizou espetáculos de horrores na agenda do ex-presidente Lula por Pernambuco (Garanhuns, Serra Talhada e Recife). O que era para ser apoteose e impressionar o líder nas pesquisas virou frustração, um tremendo fiasco.
“Sensação igual só tive no 7×1 contra a Alemanha”, comparou o próprio Lula a interlocutores mais próximos. Na condição do anonimato, conversei com um dos principais assessores e coordenadores da campanha do ex-presidente. “Fizeram tudo errado. O constrangimento foi geral. Resultado: foram os atos de campanha mais deploráveis que assistimos chocados na campanha do Lula, do líder em todas as pesquisas, até o momento. Nada pode ser comparável a esse circo dos horrores”, confidenciou.
Essa mesma fonte saiu do Recife impressionado com a “panaceia” (expressão dele) de amadorismos e improvisos do PSB de Pernambuco. Na sua avaliação, os únicos instantes positivos da passagem de Lula por Pernambuco foram as manifestações espontâneas proporcionadas por pessoas comuns nos atos em Garanhuns, Serra Talhada e no Teatro do Parque. “E na hora que a gente pegou o voo de volta”, acrescentou, ironizando o glossário de efeitos negativos que assistiu, incrédulo.
“Lula cumpriu integralmente o acordo com o PSB de vir a Pernambuco anunciar apoio à candidatura de Danilo. Mas o PSB precisa entender que Lula não manda no povo. Que ele, por si só, não pode e nem vai mudar o sentimento de mudança que comprovamos pessoalmente e a rejeição que se instalou à chapa da Frente Popular. A candidata Marília está coração do povo e isso é um fato”.
Experiente em diversas campanha, ele disse ter observado sinais claros de dificuldades para o candidato Danilo. “Não foram só as vaias. Veja que não teve mobilização da militância do candidato (fomos para três cidades comandadas por prefeitos aliados) e a militância de Marília foi superior em todas; o governador Paulo Câmara e o prefeito João Campos faltaram ao ato no Teatro do Parque de propósito; as gafes da candidata ao Senado, Teresa Leitão, e do presidente estadual do PT, Doriel Barros, citando voto em Marília, e o que é mais sintomático: a ausência da viúva Renata Campos nos atos públicos da agenda. O companheiro Danilo está só. Literalmente, só politicamente”, disse.
O assessor do ex-presidente concluiu que Lula dificilmente virá de novo a Pernambuco até o final do primeiro turno. “É pouco provável. A eleição vai ser decidida em três colégios eleitorais: São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. É preciso concentrar a atenção da campanha nesses Estados. E, honestamente falando, pelo que eu vi aqui, seria dar um tiro no pé insistir numa agenda que em nada contribuiu para Lula. Pelo contrário. Só proporcionou cenas infelizes e negativas”, acrescentou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.