Ecos da visita de Miguel Coelho a João Alfredo
17/03/2022
Padaria de São Paulo muda nome de bolo de ‘nega maluca’ para ‘afrodescendente’
17/03/2022

Opinião: O efeito colateral

Por Edmar Lyra – Em se confirmando a indicação de Carlos Veras para disputar o Senado pelo PT, a federação composta por PV, PCdoB e o próprio PT sofrerá um grande abalo. Em vez de eleger até cinco federais, pode perder até duas cadeiras com a ausência de dois parlamentares.
A conta é simples, sem Marília com cerca de 200 mil votos, e Carlos Veras com 80 mil, seriam quase 300 mil votos a menos na chapa, que poderia ser compensada em alguma coisa com a entrada de Doriel Barros para federal, mas que o partido não teria segurança de eleger muitos nomes.
Uma vez que elegendo apenas três federais, uma vaga sendo de Doriel Barros e outra de Clodoaldo Magalhães, Renildo Calheiros e Teresa Leitão disputariam apenas uma vaga, e outros nomes que almejariam a federação reavaliariam a filiação nesta reta final.
O PT perde muito com a saída de Marília Arraes, não só para a disputa pelo Senado que passa a ter uma forte concorrente na oposição como também a sua chapa proporcional, que poderá eleger seguramente apenas um deputado federal em vez de até três parlamentares.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.