Paulo Câmara estará em Salgadinho, João Alfredo e Bom Jardim nesta sexta-feira (27)
26/05/2022
Pagamento dos precatórios do Fundef tem regras definidas em Pernambuco
26/05/2022

Opinião: Ferida entre PP e PSB continua aberta

foto reprodução

Por Wellington Ribeiro/Blog Ponto de Vista – Para aqueles que apostavam que a relação entre o PSB e o Progressistas estaria caminhando para um entendimento, as declarações do pré-candidato a deputado federal Lula da Fonte contra o deputado federal Milton Coelho (PSB) expôs que a ferida entre as duas siglas segue aberta.
Em entrevista na última terça (24) ao Programa Debate na Nova, apresentado pelo comunicador Pedro Paulo e que contou com a participação deste blogueiro e de Diego Lagedo, Lula da Fonte, aproveitou a oportunidade para descarregar duras críticas a Milton Coelho, político que no final do mês de abril apontou a mira e centrou fogo contra o Progressistas. Lula, que concentrou a sua entrevista em propostas, quando provocado por Diego Lagedo a falar sobre a permanência ou não do PP na Frente Popular, ressaltou que o partido irá deliberar sobre o assunto em meados do mês de junho e passou recibo sobre as falas de Milton Coelho. “Eu espero do fundo do meu coração, já que ele não teve o respeito necessário com a gente, que o seu desespero de colecionar insucessos eleitorais não contagie a Frente Popular. Ele, que está há dois anos na Câmara Federal, vem desenvolvendo um mandato extremamente opaco”, disparou.
Vice-presidente estadual do Progressistas e filho do deputado federal Eduardo da Fonte, que comanda a sigla em Pernambuco, Lula, ao requentar o episódio ocorrido com Milton, não pode ter a sua fala vista como uma voz dissonante do PP, mas sim o seu posicionamento é considerado uma clara expressão do sentimento do partido, o que só reforça que os problemas entre as duas siglas não foram dirimidos e que um possível desembarque do PP da Frente Popular é bem possível.
BASTIDORES 1 – Ao Blog, uma fonte, que prefere manter o nome sob reserva, revelou que entre os socialistas mais radicais é dada como certa a saída do PP da Frente Popular. Este grupo defende a substituição das indicações dos Progressistas já no início de junho. O objetivo é distribuir o quanto antes os espaços com o PSB e os demais partidos que apoiam a pré-candidatura de Danilo Cabral ao Governo.
BASTIDORES 2 – Por sua vez, a ala socialista mais cautelosa prefere esgotar todas as alternativas de diálogo com o PP na esperança de evitar que o partido engrosse a base de apoio de Marília Arraes levando não só o tempo de televisão, mas deputados, prefeitos e outras lideranças junto.
BASTIDORES 3 – Por fim, ainda segundo esta fonte, existe também um movimento dentro do ninho socialista que aposta no convencimento de alguns deputados progressistas para criar dentro do partido uma resistência pró-permanência na Frente Popular. O difícil é acreditar que haja entre os dez deputados estaduais algum que se rebele caso Eduardo da Fonte decida pelo desembarque.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.