Nota oficial: “Tragédia anunciada”, lamenta Miguel Coelho sobre queda de teto do Hospital da Restauração
03/05/2022
Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza e Sarampo inicia segunda fase nesta terça (3)
03/05/2022

Opinião: Baque na Frente Popular

Por Magno Martins – A Frente Popular está perdendo aderência muito mais cedo do que se previa. Duas lideranças de peso, o presidente estadual do PP, Eduardo da Fonte, e o presidente estadual do PSD, André de Paula, já estão praticamente fora do palanque do pré-candidato do PSB a governador, Danilo Cabral. Dudu, como é mais conhecido, está bem próximo de bater o martelo em apoio à candidatura de Marília Arraes (Solidariedade).
André convocou uma coletiva para hoje. Deve anunciar que não aceitou convite para sair candidato a vice-governador na chapa de Danulo, como assim a ele se referia o ex-presidente na Assembleia, Guilherme Uchoa. Ele queria disputar o Senado, mas o PSB preferiu entregar a vaga ao PT, que indicou a deputada estadual Teresa Leitão. Ainda ontem, André esteve com Dudu e Marília Arraes.
É possível que ambos sigam o mesmo caminho, em apoio ao projeto majoritário de Marília. Se isso se confirmar, André pode disputar o Senado na chapa da pré-candidata do SD ao Governo do Estado. Dudu já teria dito a Marília que não tem interesse no Senado e que seu projeto é a eleição proporcional, priorizando a eleição dos candidatos a deputado federal e estadual.
A chapa de Marília pode contar também com Priscila Krause, do Cidadania, na vice. Ligada ao deputado André de Paula, com quem tem uma relação antiga, Priscila assumiu compromisso com a candidatura de Raquel Lyra ao Governo do Estado, mas a ex-prefeita de Caruaru está isolada, sem condições de dar um passo à frente na montagem da chapa, podendo até retirar sua pré-candidatura.
Sebá, o próximo? – Pelo andar da carruagem, a Frente Popular pode sofrer novas baixas. O que se diz nos bastidores é que o líder do Avante na Câmara, Sebastião Oliveira, também estaria de malas prontas para desembarcar do palanque de Danulo, podendo também reforçar a aliança que está sendo costurada em torno de Marília. Sebá, como é mais conhecido, não engoliu até hoje a liberação de R$ 9 milhões para Serra Talhada, administrada pelo grupo opositor, sem receber sequer uma ligação do Palácio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.