Copa Craques do Futuro de Futebol de Base…
28/09/2018
Ex-esposa acusou Bolsonaro de furto de cofre e agressividade, diz Veja…
28/09/2018

Nervos à flor da pele…

As cenas e depoimentos dos programas do guia eleitoral evidenciam o nervosismo que tomou conta dos bunkers da Frente Popular e da coligação Pernambuco Vai Mudar,  a pouco mais de uma semana das eleições. Pela pesquisa do Ibope, divulgada ontem, verifica-se uma vantagem do governador Paulo Câmara (PSB) e uma eventual vitória no segundo turno, mas com percentuais ainda abaixo do esperado.

Mesmo com o reforço da passagem em Pernambuco do presidenciável  Fernando Haddad (PT), o lento crescimento da candidatura de Paulo ainda vai exigir muito da Frente Popular, nessa reta final da campanha. Ao contrário dos governadores petistas no Nordeste que concorrem à reeleição – José Wellington Dias (Piauí), Camilo Santana (Ceará) e Rui Costa (Bahia) – e lideram com folga as pesquisas, em Pernambuco o apoio do PT parece fraquejar.

Será que valeu a pena o partido sacrificar a candidatura da vereadora Marília Arraes (PT) ao governo em troca da  neutralidade do PSB na sucessão presidencial?

O crescimento fulminante de Haddad não é fruto da retirada do PSB do palco nacional, mas a incapacidade da Frente Popular em abrir uma vantagem mais ampla de Paulo sobre Armando Monteiro (PTB) é, em parte, consequência do acordo PSB/PT, mal digerido pela militância petista.

Além disso, há o agravante de um outro arranjo eleitoral, o MDB de Jarbas Vasconcelos, que também não foi aceito pelos petistas. Esses fatores contribuem para que a sucessão pernambucana seja a mais indefinida em todo o Nordeste. (Marisa Gibson, na coluna DIARIO POLÌTICO)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.