Sebá, o vice de Marília 
18/06/2022
PSB vai expulsar filiados que declararem apoio a pré-candidatos de outras chapas ao Governo de Pernambuco e ao Senado
18/06/2022

Mesmo sem confirmados ainda, Armando e Mendonça são os preferidos para o Senado

Blog Magno Martins – Na última postagem sobre a pesquisa de junho, do Instituto Opinião, em parceria com este blog, contendo o cenário da sucessão estadual, os números para o Senado. Antes, um esclarecimento: Armando Monteiro, embora não confirmado, entrou na pesquisa porque tende a ser o candidato de Raquel Lyra (PSDB), enquanto Mendonça Filho, também incluso, está sendo especulado como alternativa na chapa Miguel Coelho, pré-candidato do União Brasil ao Governo do Estado.
Sendo assim, ambos lideram e aparecem empatados na corrida para a Casa Alta. Se as eleições fossem hoje, Armando (PSDB) teria 18,3% dos votos, seguido de Mendonça Filho (UB), com 16,9%. A pré-candidata do PT, Teresa Leitão, esta já confirmada, teria 7,5% dos votos, André de Paula, pré-candidato do PSD, também já confirmado, 5,7%. Já o pré-candidato do PL, Gilson Machado, aparece com 4,3%. Eugênia Lima, do Psol, é a última, com 0.8%. Brancos e nulos somam 18,9% e os indecisos chegam a 27,6%.
Na espontânea, modelo pelo qual o entrevistado é forçado a lembrar o nome do seu candidato preferido, Armando também lidera. Aparece com 5,5%, Mendonça tem 2,8%, Gilson 1,9%, Teresa 1,8% e André de Paula 1,4%. No quesito rejeição, Mendonça lidera. Entre os entrevistados, 8,9% disseram que não votariam nele de jeito nenhum, seguido de Armando, com 8,3%, Teresa 6,8%, André de Paula 5,8%, Gilson 4,9% e Eugênia 3%.
Na estratificação por regiões, Armando tem 14,8% na Metropolitana, 20,1% na Zona da Mata, 20,8% no Agreste, 21,6% no Sertão e 21,4% no São Francisco. Mendonça, por sua vez, tem 18,8% na Metropolitana, 16,4% na Zona da Mata, 16,1% no Agreste, 12,3% no Sertão e 16% no São Francisco. Teresa Leitão tem 7,4% na Metropolitana, 9,7% na Zona da Mata, 6,2% no Agreste, 8,4% no Sertão e 6,9% no São Francisco.
André de Paula, por sua vez, aparece com 4,9% na Metropolitana, 8,1% na Zona da Mata, 6,5% no Agreste, 6,2% no Sertão e apenas 0,8% no São Francisco. Gilson tem 3,8% na Metropolitana, 6% na Zona da Mata, 4,8% no Agreste, 3,5% no Sertão e 3,1% no São Francisco. Eugênia, por fim, tem 0,7% na Metropolitana, 0,7% na Mata, 0,6% no Agreste, 1,3% no Sertão e 1,5% no São Francisco.
A pesquisa foi a campo entre os dias 11 a 14 de junho, sendo aplicados dois mil questionários em 80 municípios das mais diversas regiões do Estado.  O intervalo de confiança estimado é de 95,0% e a margem de erro máxima estimada é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.
A modalidade de pesquisa adotada envolveu a técnica de Survey, que consiste na aplicação de questionários estruturados e padronizados a uma amostra representativa do universo de investigação. A pesquisa está registrada sob os protocolos BR-02808/2022 e PE-02007/2022.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.