‘Reeleição de Bolsonaro será um desastre para o país’, diz Meirelles
02/05/2022
Ricardo Teobaldo será homenageado com Título de Cidadão de Surubim
02/05/2022

Em Brasília, Ciro Gomes homenageia Leonel Brizola, fundador do PDT

Correio Braziliense – Pré-candidato à Presidência da República, Ciro Gomes (PDT) participou, no Dia do Trabalhador, de evento em comemoração ao centenário do político e fundador do partido, Leonel Brizola, em Brasília.
Horas antes, Ciro afirmou, em sua conta no Twitter, que “para vencer os inimigos da pátria e do trabalhador, precisamos de muita luta, esperança e rebeldia”. “Mas, especialmente, de um projeto nacional de desenvolvimento que valorize os que trabalham e os que produzem”, acrescentou.
No sábado, durante o lançamento do Movimento Cristãos Trabalhistas — cujo objetivo é aproximar o partido das igrejas evangélicas e católicas —, o ex-governador afirmou que o aborto não é uma questão a ser tratada pelo presidente da República e fez críticas a declarações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sobre o assunto.
“Chega na véspera da eleição, e o Lula vem, descuidadamente, e diz: todo mundo deveria ter direito ao aborto. Como assim, cara-pálida? Que leviandade, que pressa, que contradição. Não foi ele que mandou no Brasil por 14 anos? Ele próprio, oito anos presidente, não mexeu uma palha no assunto”, disparou. “Eu não o condeno por isso, porque não é tarefa do presidente. Isso é um trauma que qualquer sociedade humana não sabe como resolver. Não sabe pura e simplesmente”, emendou, em referência a uma declaração dada pelo ex-chefe do Executivo, seu adversário na corrida pela Presidência, no começo do mês.
Pauta econômica
A pauta econômica também marcou as declarações de outros pré-candidatos da chamada terceira via no 1º de Maio. A senadora Simone Tebet (MDB-MS) culpou o governo Bolsonaro por não proporcionar um ambiente político mais equilibrado e mais comprometido com os reais interesses do país.
Em vídeos, o pré-candidato do PSDB, João Doria, divulgou as ações que realizou à frente do governo paulista. Já Felipe D’Ávila, concorrente pelo Novo, criticou a carga tributária.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.