Câmara aprova Marco Civil da Internet…
26/03/2014
Jorge Corte Real coordenará seminário da CNI sobre desenvolvimento do Nordeste…
26/03/2014

Duas mulheres se casam em Gameleira – PE…

20140325124619623292u (1)

Depois de 16 anos juntas, a artesã aposentada Maria Madalena Ferreira, 49 anos, e a dona de casa Virgínia Maria Lins da Silva, 39, oficializaram a união na manhã desta terça-feira no cartório da cidade de Gameleira, na Mata Sul do estado. Numa cerimônia simples, mas com direito a vestido branco, buquê de rosas, terno e gravata, Madalena e Virgínia celebraram o casamento homoafetivo com alegria, na companhia de parentes e amigos. 

Após a solenidade no fórum da cidade, elas seguiram para festa em frente à residência, no centro do município. A festa, um almoço com direito a bebidas, foi um presente dos padrinhos. A lua de mel será na Praia de Gaibú, no Cabo de Santo Agostinho. A união civil homoafetiva foi a primeira realizada na Mata Sul do estado.

O sonho de se unir oficialmente já era antigo. “Fizemos o que muita gente deseja, mas não tem coragem”, disse a dona de casa Virgínia, logo após assinar a documentação diante da juíza Christiane Caribé. Segundo a magistrada, que realizou pela primeira vez um casamento entre mulheres, a constituição proibe a discriminação. “Os juízes não podem se negar a fazer o casamento”, explicou a juíza. 

Agora, Madalena e Virgínia estão acobertadas juridicamente. Madalena e Virgínia já foram casadas com homens, mas se separaram. A artesã aposentada tem uma filha de 30 anos, que aprovou a união. (Diário de Pernambuco)

4 Comentários

  1. edimilson disse:

    Muito ridiculo isso tanto casar com uma outra rachuda muito feio isso

  2. Augusto Sampaio disse:

    ISTO É UMA VERGONHA…..É O FINAL DOS TEMPOS…..

  3. Brunno Sobral disse:

    O contrato de união estável garante direitos como aposentadoria, direito a herança, etc… É justo a qualquer pessoa que convive junto dividindo problemas e ajudando a construir um patrimônio ao longo de uma vida, um avanço da justiça brasileira. Quanto o fato das pessoas serem do mesmo sexo isso não cabe a ninguém julgar nem aceitar, só precisamos respeitar.

  4. luiz severino da silva disse:

    Isso será normal quando uma engravidá a outra kkkk

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.