Pernambucano é único brasileiro a conquistar ouro na Olimpíada Internacional de Matemática
30/09/2020
João Alfredo – Boletim covid-19 / 30 de setembro de 2020
30/09/2020

Dois em cada cinco candidatos declaram não ter nenhum bem nestas eleições; 2% são milionários

G1

Um levantamento feito pelo G1 com base nas declarações de bens dos candidatos revela que dois em cada cinco (39%) têm o patrimônio zerado nestas eleições. Ou seja, 212.029 postulantes aos cargos de prefeito, vice-prefeito e vereador afirmam não ter nada. Na outra ponta estão 12.977 candidatos que dizem ter mais de R$ 1 milhão em bens (apenas 2% do total).

O percentual de candidatos sem nenhum bem é superior ao do último pleito municipal. Em 2016, 36% declararam não ter nada. Já a proporção de milionários se mantém no mesmo patamar.

Os candidatos a vereador compõem o principal grupo entre os sem patrimônio: 41% do total. Esse percentual cai para 19% no caso de candidatos a vice-prefeito e para 11% no caso dos postulantes aos Executivos municipais.

Já entre os milionários essa relação se inverte. Entre os candidatos a prefeito, 18% declaram ter mais de R$ 1 milhão. A proporção cai para 10% entre os candidatos a vice e para apenas 2% entre os postulantes a uma cadeira nas Câmaras municipais.

Há ainda nesta eleição 139 candidatos que declaram um valor negativo de bens. Basta examinar a lista, porém, para ver que é possível concluir que houve erro no preenchimento.

Para o cientista político e professor da Universidade Estadual do Norte Fluminense Vitor Peixoto, o aumento de candidatos sem bens pode estar relacionado a um maior número de postulantes sem nenhum histórico político. “Pode ser que a gente veja um aumento do rabo das candidaturas. Tem a cabeça, que são os candidatos que vêm de reeleição, que têm mais recursos. Tem o corpo, que é normalmente constituído pelos cabos eleitorais, que têm alguma chance de entrar, ainda que pequena. E tem um contingente enorme de pessoas que não têm nenhuma chance de entrar, o rabo das candidaturas. Nesse caso, não são nem os cabos eleitorais, é só para ter o voto da família do candidato.”

Isso se explica pelo fato de partidos tentarem lançar mais candidatos neste ano em razão do fim das coligações para vereador e por causa do maior rigor da cláusula de barreira para as eleições de 2022.

Sobre o fato de haver muito mais milionários concorrendo às prefeituras, Peixoto diz que esse é “um dos efeitos colaterais da retirada do financiamento por empresas”. “Isso atrai candidatos com capacidade de se autofinanciar. Quanto mais importante o cargo, mais concentrado.”

Partidos

Entre os partidos, o Novo é o que detém o maior percentual de milionários. São 132 candidatos de um total de 630 lançados (21%). O partido também é o que tem menos candidatos sem bens: 93 (ou 15%).

Os 5 partidos com mais milionários

PARTIDO

CANDIDATOS MILIONÁRIOS

%

NOVO

132

21,3

MDB

1.456

3,3

PSDB

996

3,1

PRTB

225

2,9

PP

1.083

2,9

Já com o PCO, é o contrário. O partido tem a maior proporção de postulantes sem patrimônio algum: 64 de seus 88 (ou 73%). É também o único de todos os 33 partidos que disputam a eleição que não tem nenhum candidato com mais de R$ 1 milhão em bens.

Os 5 partidos com mais candidatos sem bens proporcionalmente

PARTIDO

CANDIDATOS SEM BENS

%

PCO

64

72,7

PMB

1.609

59,6

PMN

2.678

54,4

PTC

3.454

52,3

UP

66

49,6

Nas capitais, os candidatos às prefeituras declaram um patrimônio que varia de zero a R$ 25 milhões. Dos 317 candidatos concorrentes, 95 (ou 30%) são milionários e 30 (ou 9%) declaram não possuir bem algum.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.