Morre aos 103 anos idosa que se formou em Direito e atuou no primeiro júri aos 97, em MG
14/04/2021
MEC abre temporada para atualização das bolsas do Prouni
14/04/2021

Disputa pelo Senado anima postulantes governistas 

Edmar Lyra
No próximo ano o eleitorado brasileiro renovará 1/3 do Senado Federal, os senadores eleitos em 2014 estarão encerrando seu mandato. Em Pernambuco, será a vaga de Fernando Bezerra Coelho (MDB) que estará em jogo em 2022. Entusiasta da candidatura do prefeito Miguel Coelho a governador, Fernando está cada vez mais distante de pensar na reeleição, uma vez que não é interessante disputar o Senado pela oposição, e no caso de Miguel Coelho ser o nome oposicionista para governador, Fernando deverá ser candidato a deputado federal junto com Fernando Filho.
Neste contexto, a vaga de senador estará livre para que alguns nomes possam sonhar com ela. Candidato natural ao Senado após concluir seu mandato como governador, Paulo Câmara dificilmente tentará a Câmara Alta pelo fato de o PSB ter a prerrogativa de indicar o candidato a governador da Frente Popular e sabe que para ser uma ampla coligação deverá ofertar as vagas de vice e de senador a outros partidos.
Na história das últimas eleições desde 1982 quando voltamos a ter disputa para governador e senador em Pernambuco, em apenas uma ocasião o primeiro colocado para governador não elegeu seus senadores, uma característica peculiar do estado, que foi em 1994 quando Miguel Arraes não elegeu Armando Monteiro Filho na sua chapa, dando lugar a Carlos Wilson, que quatro anos antes havia sido vice de Arraes e assumido o cargo, fazendo com que o eleitor associasse mais Cali do que Armando ao vitorioso daquele pleito. Em 2006, Mendonça Filho foi o primeiro colocado do primeiro turno para governador, enquanto Jarbas Vasconcelos ficou com a vaga de senador na disputa vencida por Eduardo Campos na segunda etapa.
Sabendo da possível não tentativa de reeleição de Fernando Bezerra Coelho para o Senado Federal na oposição e da provável não candidatura de Paulo Câmara a senador, diversos nomes governistas sonham acordados com esta vaga, são eles: Eduardo da Fonte (PP), Silvio Costa Filho (Republicanos), André de Paula (PSD) e Wolney Queiroz (PDT), todos deputados federais e presidentes de partido que acreditam serem grandes as chances do nome escolhido pela Frente Popular emplacar o Senado em 2022.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.