Paulo Câmara comemora comprovação de eficácia da Coronavac
08/01/2021
Trump chama invasão ao Capitólio de ‘ataque odioso’ e pede ‘cura e reconciliação’ aos EUA
08/01/2021

Covid-19: Pernambuco prevê imunizar, inicialmente, mais de 2,8 milhões em quatro fases

Folha de Pernambuco

Foi realizada, ontem (7), a primeira reunião do comitê técnico que acompanhará as ações relacionadas à campanha de vacinação contra a Covid-19 em Pernambuco.

No encontro, comandado pelo secretário estadual de Saúde, André Longo, foi apresentada uma versão preliminar do plano operacional, que prevê imunizar, em um primeiro momento, mais de 2,8 milhões de pessoas – o Estado tem mais de 9 milhões de habitantes. 

A prioridade será para profissionais de saúde e pacientes do grupo de maior risco para desenvolver quadros graves da doença, além de trabalhadores de áreas de impacto público, como profissionais da educação e da força de segurança. Essa vacinação ocorrerá em quatro grupos distintos. 

O primeiro grupo contemplará os trabalhadores da saúde que atuam na vigilância em saúde, os índios aldeados nas 11 etnias do Estado, os idosos acima de 75 anos e pessoas acima de 60 anos que residem em lares de longa permanência. 

A segunda fase abrangerá os idosos acima de 60 anos, enquanto a terceira fase será destinada aos indivíduos que possuem comorbidades que oferecem risco de agravamento em caso de infecção pelo novo coronavírus. Essas comorbidades serão detalhadas posteriormente e será necessário apresentar laudo. 

O quarto grupo contará com profissionais da educação, da força de segurança, dos transportes coletivos e do porto de Suape, além dos quilombolas. Cada grupo terá uma estratégia de vacinação, em centros de vacinação ou, no caso dos idosos, a domicílio ou com sistema de drive-thru, segundo explicou a superintendente de Imunizações da SES-PE, Ana Catarina de Melo. 

No caso dos profissionais de saúde, por exemplo, a indicação é de que a vacina seja aplicada nas respectivas unidades de atuação. Outra opção é criar centros de vacinação para a Covid-19 nos municípios, centralizando as ações e mantendo as atividades de rotina nas demais unidades.

Leia também
• Pernambuco tem quase mil internados em UTIs com suspeita de Covid-19• Secretário de Saúde reafirma que Pernambuco tem seringas para iniciar vacinação do grupos de risco• Pernambuco autoriza seleção de 828 profissionais de Saúde

O registro da vacinação será nominal e os técnicos deverão informar a data da volta para a segunda dose, quando a proteção estará completa. Como existe a possibilidade de uso de imunizante de mais de um fabricante no País, é indispensável registrar qual foi o tipo utilizado em cada indivíduo. 

“O registro será no Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunização (PNI). Nos casos de unidades sem conectividade, é preciso fazer à mão e, de preferência no mesmo dia, repassar para o sistema. Esse trabalho deve ser diário para que possamos acompanhar com mais segurança o andamento da campanha”, disse Ana Catarina de Melo.

“O apoio dos municípios é fundamental para que a gente tenha a execução e uma cobertura vacinal adequada”, complementou o secretário André Longo. 

“Nosso PNI Estadual tem uma expertise já muito grande com a disponibilização e operacionalização de vacinação todos os anos. Junto com os municípios, Pernambuco tem sido destaque nacional, batendo metas antes de outros estados em várias campanhas de vacinação. Então, temos focado em estar preparados do ponto de vista da infraestrutura para, tão logo haja disponibilidade de vacina, a gente poder fazer o que cabe aos estados”, ratificou Longo.

A secretária de Saúde do Recife, Luciana Albuquerque, destacou a importância do comitê para o compartilhamento e alinhamento das informações, pela dinâmica de atualização que vem ocorrendo no decorrer da pandemia. “Os municípios têm um grande desafio também pela frente, que é organizar suas salas de vacinas para que esteja tudo dentro dos conformes, organizar sua rede de frio, organizar equipes itinerantes. Mas acho que quando a gente está junto e compartilhando como estamos nesse comitê, tem tudo para dar certo”, afirmou Luciana. 

Agora, o comitê irá analisar a versão preliminar para que sejam realizadas discussões em busca de aprimoramento. A intenção é de que o plano seja finalizado até a próxima semana. 

Comitê
O comitê é presidido por André Longo e coordenado pela Secretaria Executiva de Vigilância em Saúde da SES-PE. Conta ainda com representantes das secretarias estaduais de Educação, Defesa Social e Saúde; do Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei), Conselho de Secretários Municipais de Saúde de Pernambuco (Cosems-PE), Conselho Estadual de Saúde de Pernambuco, Instituto Aggeu Magalhães (Fiocruz-PE), Sociedade Brasileira de Imunizações em Pernambuco (SBIm), Sociedade Pernambucana de Infectologia, Comitê Assessor Permanente de Imunizações (CAPI/PE), Hospital Universitário Oswaldo Cruz (Huoc), Secretaria de Saúde do Recife e da Superintendência do Ministério da Saúde em Pernambuco. 

Cada representante do comitê conta com um suplente, que o substituirá em caso de ausências ou impedimentos. As reuniões ordinárias serão realizadas quinzenalmente. Sendo necessário, ainda poderão ser convocadas reuniões extraordinárias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.