Hoje no Recife: Dilma e Lula no terreiro adversário…
13/06/2014
Hoje:
13/06/2014

Após decisão de apoiar Armando, José Queiroz deve deixar direção do PDT…

DSC2605

A decisão do PDT nacional de interferir na coligação pernambucana gerou uma crise no partido. A decisão do presidente da legenda, Carlos Lupi, de determinar a aliança com Armando Monteiro (PTB), desagradou o presidente estadual, o prefeito de Caruaru, José Queiroz, que deve deixar a direção do partido, da qual faz parte há mais de 20 anos. Há rumores também de que o filho de José Queiroz, o deputado federal Wolney Queiroz (PDT), não dispute a reeleição.

Lupi tomou a decisão para Pernambuco seguindo a verticalização nacional, já que o PDT alinhou-se com o PT, favorecendo a reeleição da presidente Dilma Rousseff. A convenção nacional do partido foi realizada esta semana, com a presença da presidente. No evento, realizado em Brasília, Lupi leu o estatuto do PDT, informando sobre a verticalização.

Nessa quinta (12), estava marcada uma conversa de Queiroz com Lupi, por telefone, onde o presidente nacional anunciaria a decisão. No entanto, o prefeito não divulgou o conteúdo da conversa e disparou uma nota onde afirmava que apenas nesta sexta (13) dirá o resultado. “Devido ao mega-evento da Copa do Mundo, irei me pronunciar oficialmente apenas amanhã (sexta, 13)”, diz a nota, adiando a expectativa do anúncio.

“Como Presidente da legenda, afirmo que continuo na direção do partido”, diz Queiroz em outro trecho da nota. Pedetistas ligados ao prefeito afirmaram que ele não ficaria à vontade à frente do partido após a aliança com Armando. Queiroz já havia declarado seu apoio ao pré-candidato Paulo Câmara (PSB), inclusive liderando uma comitiva com parlamentares, que esteve em Brasília afirmando o apoio ao socialista.

Caso siga com o plano da reeleição, Wolney Queiroz terá limitações pela frente. Por exemplo, não poderá produzir material de campanha em que aparece ao lado do seu aliado, Paulo Câmara. E também deverá aparecer no guia eleitoral nas inserções que apoiam Armando Monteiro (PTB).

Queiroz esteve, na grande parte da sua vida política, ligado ao grupo do PSB. Nos últimos anos, a relação chegou a ficar estremecida, mas o ex-governador Eduardo Campos (PSB) reverteu a situação, garantindo o partido na vice-prefeitura, com Jorge Gomes. Na saída do governo, Eduardo fez uma agrado a Queiroz, liberando R$ 10 milhões para realocar a Feira da Sulanca, desejo antigo do prefeito, mas que não tinha recursos. (Jornal do Commercio)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.