Miguel-Fernando-Bezerra-Coelho-Filho-Fernando-Bezerra-Coelho

Contra reformas de Temer, PSB põe cargos à disposição…

Folha de S.Paulo – Daniel Carvalho O PSB decidiu na noite de ontem (24) se posicionar contra as reformas da Previdência, trabalhista e o principal ponto da política. Com isso, o partido caminha para se Leia mais »

18110756_1109095782570627_1147952184_n

Palmeirinha entra em situação de alerta e municípios sofrem com racionamento …

O longo período de estiagem que atinge a região do Agreste Setentrional contribuiu para que a Barragem de Palmeirinha, que fica no Sítio Pedra Fina, zona rural de Bom Jardim, entrasse em Leia mais »

16054519

Santana confirma: Dilma sabia de caixa 2 na campanha…

Veja Online – Laryssa Borges Marqueteiro das campanhas presidenciais dos petistas Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, o publicitário João Santana afirmou ontem, em depoimento à Justiça Eleitoral, que a Leia mais »

tucanos-ebc

Cartas embaralhadas…

Carlos Chagas Aécio Neves, Geraldo Alckmin e José Serra não penduraram as chuteiras, mas estão fora de campo. É possível que se componham, mas não mais em torno da candidatura de um Leia mais »

17124694_774517226046094_1963223324_n

1ª Corrida de João Alfredo…

Leia mais »

Tag Archives: reforma da Previdência

Reforma trabalhista permite que empregador reduza salário de funcionário…

Rogério Marinho diz que intenção não é retirar direitos, mas modernizar legislação. Juristas e entidades discordam frontalmente
Rogério Marinho diz que intenção não é retirar direitos, mas modernizar legislação. Juristas e entidades discordam frontalmente

Rogério Marinho diz que intenção não é retirar direitos, mas modernizar legislação. Juristas e entidades discordam frontalmente

O projeto de reforma trabalhista que a Câmara programou para votar nesta semana anula, na prática, direitos constitucionais que protegem o trabalhador desde a década de 1940 e também previstos pela Constituição promulgada em 1988. O principal deles é a irredutibilidade dos salários para quem continua exercendo as mesmas funções em determinada empresa. A conclusão consta de estudos feitos por várias entidades sindicais, juristas especializados no assunto e até pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Se o texto apresentado pelo deputado Rogério Marinho (PSDB-RN) virar lei, as empresas poderão reduzir os salários de todos os empregados para continuarem exercendo as mesmas funções. Para isso, basta demiti-los e recontratá-los em regime de terceirização ou por acordo fechado individualmente com cada funcionário. Pela proposta do parlamentar, nem mesmo a Justiça poderá interferir no assunto.

Segundo estudos feitos pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), Marinho foi além do que o Palácio do Planalto desejava. Ele acrescentou mecanismos que eximem as empresas do recolhimento de Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e até da contribuição para a Previdência. Isso será possível com possibilidade de contratação temporária e a troca da carteira assinada pela terceirização dos mesmos trabalhadores que continuam prestando serviços à mesma companhia.

Continua…

Próximo governo já tem “encontro marcado” com a Previdência…

size_960_16_9_aposentadoria40

size_960_16_9_aposentadoria40A reforma da Previdência já foi suavizada em vários pontos e mesmo assim ninguém sabe se o governo vai conseguir aprová-la. De qualquer forma, uma coisa é certa: o texto não é uma solução definitiva para o aumento dos gastos do país com aposentadorias e pensões. “Não é uma reforma só e acaba. O Brasil está fazendo o que vários países fizeram: ajustes progressivos. Já tem um encontro marcado dessa questão com o próximo governo”, diz Paulo Tafner, técnico aposentado do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) que estuda Previdência há décadas.

Ele calcula que a economia fiscal com o novo texto, comparado com o original, será 23% menor nos primeiros 10 anos e 32% menor em 20 anos. “Se esse foi o custo para aprovar, está bom. Vamos ter pressão fiscal e aumento da carga tributária para estabilizar a relação dívida/PIB, mas sinaliza ao mercado que estamos no caminho certo e dá um tempo para que um novo presidente carregado de legitimidade faça outros ajustes”, diz Tafner.

Continua…

Policiais civis aderem greve contra reforma da Previdência…

171301,930,80,0,0,930,522,0,0,0,0

O Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol-PE) decidiu que a categoria irá aderir à greve geral contra a Reforma da Previdência, marcada para o dia 28 de abril. Como a paralisação vai durar 24 horas, o Sinpol argumenta que não descumpre a decisão do STF, que recentemente proibiu greve das categorias policiais. Na avaliação do presidente do Sinpol, Áureo Cisneiros, a categoria tem o dever de juntar-se aos demais movimentos e sindicatos na mobilização para barrar a reforma que “praticamente acaba com a aposentadoria”. Áureo lembrou ainda que não há garantia de que os policiais estão fora da reforma.

“Não interessa que o governo tenha dito que vai retirar os policiais civis desse primeiro momento da reforma. Primeiro, porque não pretendemos ser uma elite privilegiada; e, depois, porque não adianta pensarmos apenas na nossa categoria: afinal de contas, somos policias, mas não vivemos numa ilha. Queremos uma aposentadoria digna e justa para todos os trabalhadores”, defendeu Áureo. (GP)

Opinião – A Reforma da Previdência tem que ser aprovada…

Ricardo Amorim – Gazeta do Povo

Obs.: Para melhor audição, desative momentaneamente a Rádio DS.

A proposta original da Reforma da Previdência dizia que iria tentar impedir que o déficit Previdência crescesse ainda mais, porém quanto mais a proposta fica fragilizada, mais o déficit vai crescer no futuro. Vários grupos têm pressionado, parara tentarem serem poupados dessa reforma, fazendo assim com que ela não se torne equânime.

Eu espero que o governo pare de ceder, espero que ela seja aprovada, e que a gente encare a realidade de que as promessas feitas pelos políticos no passado são impagáveis.

Reforma da Previdência começará a ser votada a partir de 8 de maio…

inss_1 (1)

inss_1 (1)

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que a reforma da Previdência começará a ser votada no plenário da Casa a partir de 8 de maio. Por se tratar de uma emenda constitucional, a proposta precisa ser votada em dois turnos e, para ser aprovada, precisa de pelo menos 308 votos favoráveis, o equivalente a 3/5 dos 513 deputados.

O parecer do relator, deputado Arthur de Oliveira Maia (PPS-BA), sobre a reforma deve ser lido nesta quarta-feira, 19, na comissão especial que analisa a matéria. Em seguida, serão concedidos prazos de vistas de duas sessões para deputados analisarem o texto, o que deve jogar a votação no colegiado para a semana entre 24 e 28 de abril. “No plenário, devemos votar a partir de 8 de maio”, disse Rodrigo Maia, em rápida entrevista ao Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, ao chegar a Câmara.

O deputado do DEM evitou comentar sobre o protesto de policiais contra a reforma da Previdência, que gerou confusão e quebradeira na Câmara. Mais cedo, um grupo de manifestantes quebrou vidraças da chapelaria, uma das principais entradas da Casa. Policiais legislativos, então, reagiram com bombas de gás lacrimogênio e gás de pimenta. “Não afeta a reforma da Previdência”, limitou-se a comentar Rodrigo Maia. (Agência de Notícias)

Idade mínima para aposentadoria feminina será de 62 anos….

reforma-da-previdencia-previdencia-social

reforma-da-previdencia-previdencia-social

Informação é do deputado Carlos Marun (PMDB-MS), presidente da comissão especial na Câmara. Outro ponto da reforma da Previdência é a idade mínima para policiais e professores federais, além de trabalhadores rurais. Para estas três categorias, o regime especial será mantido e a idade mínima será diferenciada, de 60 anos. Depois de participar de um café da manhã com o presidente Michel Temer e líderes da base aliada, o deputado Carlos Marun (PMDB-MS), presidente da comissão da reforma da Previdência na Câmara, afirmou que a idade mínima para que as mulheres se aposentem com o benefício integral será de 62 anos. Ele disse ainda que policiais, professores federais e trabalhadores rurais terão o regime especial mantido, com idade mínima de 60 anos para a aposentadoria.

Continua…

Para aprovar reforma da Previdência, Michel Temer quer suspender recesso do Congresso…

21jul2014-o-chargista-casso-brinca-com-o-chamado-recesso-branco-em-que-a-camara-e-o-senado-estarao-de-recesso-ate-as-eleicoes-de-outubro-1405797961364_956x500

21jul2014-o-chargista-casso-brinca-com-o-chamado-recesso-branco-em-que-a-camara-e-o-senado-estarao-de-recesso-ate-as-eleicoes-de-outubro-1405797961364_956x500

Embora o nome de nenhum aposentado pela Previdência Social tenha aparecido na lista do ministro Edson Fachin como beneficiário das propinas pagas pela Odebrecht, o atual governo, assim como seus antecessores Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio “Lula” da Silva e Dilma Rousseff, insiste que a ruína econômica do País é culpa dos segurados do INSS. Assim sendo, o presidente Michel Temer, em sua sanha de perseguir os trabalhadores vai tentar um novo estratagema, concentrando esforços para suspender o recesso de julho do Congresso Nacional para garantir a aprovação da reforma da Previdência antes da interrupção dos trabalhos parlamentares. Ele acredita que há grandes dificuldades no diálogo com os parlamentares governistas e o pânico gerado após as delações dos altos executivos da Odebrecht certamente será um óbice à tramitação da matéria, tanto na Câmara dos Deputados quanto no Senado Federal.

ATRASO – O governo contava com a aprovação da reforma da Previdência nas duas Casas até o último dia de votações anteriores ao recesso, marcado para 17 de julho. O receio que o pacote de maldades previstas no projeto não passe pelas duas Casas antes dessa data é evidente e fez com que o presidente pensasse no acordo com líderes das bancadas aliadas para que os congressistas não tirem férias e aprovem o texto. A suspensão do recesso, que terminaria no último dia de julho, daria fôlego extra ao Governo para obter êxito, contando com a aprovação no Senado só no fim de julho.

Continua…

Policial, professor e trabalhador rural devem ter idade mínima de 60 anos …

168147,475,80,0,0,475,365,0,0,0,0

168147,475,80,0,0,475,365,0,0,0,0

A idade mínima de 65 anos proposta na reforma da Previdência do presidente Michel Temer deve ser reduzida para 60 anos para policiais, professores e aposentados rurais. Também deve ser proposta uma nova regra para o valor do benefício assistencial pago a idosos e pessoas com deficiência de baixa renda, o BPC (Benefício de Prestação Continuada).

As novidades vão integrar a série de mudanças que o relator da proposta, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), incluirá no parecer que pretender apresentar à comissão especial na próxima semana.

Para o benefício assistencial, o governo e o relator já fizeram acordo de que não haverá desvinculação -como previa a proposta original- do valor do salário mínimo para as pessoas com deficiência.

Continua…

Ministros de Pernambuco se licenciam para votar na reforma da Previdência…

201827,475,80,0,0,475,365,0,0,0,0

201827,475,80,0,0,475,365,0,0,0,0

Com previsão de a Reforma da Previdência ser votada no próximo dia 18, ministros pernambucanos se colocaram à disposição para se licenciarem e retornarem à Câmara Federal, visando a participar da votação da matéria. Em almoço, no sábado (08), na residência oficial da Câmara, com o presidente Michel Temer (PMDB), o titular da Defesa, Raul Jungmann (PPS-PE) cuidou de comunicar, ao chefe do Planalto, que a decisão já estava tomada. “Falei com o presidente, com base no jantar que tive, ontem (sábado), com Roberto Freire”, relatou Jungmann à Folha.

“É uma tendência dos titulares voltarem em votações importantes”, realçou o presidente nacional do PPS e ministro da Cultura, Roberto Freire. Ainda durante esta semana, a executiva do partido se reunirá com a bancada para fechar questão em torno da aprovação da matéria.

Com o placar da votação apertado, o chefe do Executivo observou, aos aliados, ser preciso um esforço para garantir uma vitória na Casa Baixa. A reforma da previdência foi o ponto central levado à mesa.

Continua…

Seminário discute a Reforma da Previdência Social em João Alfredo…

download

download

Na manhã desta quarta-feira, a partir das 9h horas,  será realizado Seminário sobre a reforma da Previdência Social, a fim de esclarecer algumas dúvidas sobre a proposta do Governo Federal. Carlos Veras, presidente da CUT em Pernambuco, e Marília Arraes, vereadora pelo PT em Recife, serão os convidados especiais e expositores responsáveis por explicar os impactos e mudanças que podem acontecer nas regras da aposentadoria para os servidores e os trabalhadores de um modo geral.

O evento ocorrerá no Plenário Vereador Antônio Guilhermino dos Santos, da Câmara Municipal de João Alfredo, e contará com as presenças de vereadores, entidades de classes, estudantes e trabalhadores.

Após as exposições, serão abertas as oportunidades para perguntas e comentários. Quem tiver dúvidas sobre a Reforma da Previdência está convidado a participar. As perguntas mais frequentes serão respondidas durante o evento, assegura Luís Otávio Mendes, um dos organizadores do encontro, juntamente com representantes do Sindicato dos Trabalhadores Rurais. 

Ricardo Teobaldo votará contra a Reforma de Previdência Social…

Ricardo-Teobaldo

Ricardo-Teobaldo

Durante a semana passada, circulou no Whatsapp uma lista de deputados federais pernambucanos que votariam a favor da Reforma da Previdência, proposta pelo presidente Michel Temer (PMDB). Entre eles, estaria o deputado federal Ricardo Teobaldo (PTN). Na manhã de hoje, o parlamentar desmentiu que votaria a favor da Reforma.

A notícia foi divulgada nas redes sociais pelo vereador Marcos Sérgio (PSD), que conversou com o parlamentar a respeito do assunto. Segundo o vereador, Ricardo Teobaldo votará contra a Reforma da Previdência, e que o que circulou no Whatsapp “não passa de boato”. (Limoeiro News)

Temer admite que Congresso deve alterar proposta para a Previdência…

Brasília – O vice-presidente Michel Temer recebe o chanceler italiano, Paolo Gentiloni e o ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira (José Cruz/Agência Brasil)
Brasília – O vice-presidente Michel Temer recebe o chanceler italiano, Paolo Gentiloni e o ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira (José Cruz/Agência Brasil)

 (José Cruz/Agência Brasil)

A reforma da Previdência deve ser alterada ao passar pelo Congresso Nacional, hoje o “senhor absoluto” da matéria, admitiu o presidente Michel Temer ontem (17), em reunião com empresários na sede da CNI (Confederação Nacional da Indústria). O ideal seria preservar a “espinha dorsal” do projeto formulado pelo Executivo -que já acumula 146 emendas na passagem pela Câmara. Mas adaptações já são previstas no horizonte, como “adequações talvez sobre os mais carentes”.

Temer questionou as motivações dos que se manifestam contra a proposta. “Vejo com frequência que há movimentos de protesto que são de natureza política”, disse dois dias após setores de esquerda levarem dezenas de milhares às ruas para protestar contra a mudança nas regras da aposentadoria.

Ao lembrar da crise previdenciária nos Estados, o presidente disse que o governo federal só irá ao socorro deles se houver contrapartida, para não ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal. Caso contrário, a fatura pode chegar, disse. “Se eu piscar, vira logo um pedido de impeachment contra o presidente da República.”

Continua…

Powered by WordPress | Designed by: diet | Thanks to lasik, online colleges and seo