Joaquim Barbosa crescendo…

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ), 63 anos, tem de 20% a 22% e lidera de maneira isolada a pesquisa DataPoder360 de intenção de votos para presidente da República. Em 2º lugar vem Joaquim Leia mais »

II Festival do Trabalhador de Salgadinho-PE…

Vem aí o 2º Festival do trabalhador de Salgadinho, segunda-feira 30 de abril no cais de eventos a partir das 21 horas, com @capimcommel e @douglaspegador E na terça-feira dia 1º de Leia mais »

Segundo turno volta a ser possível em Pernambuco…

Com a decisão do PT de lançar candidato próprio ao governo estadual, o segundo turno volta a ser possível em Pernambuco. Não haverá essa possibilidade se a disputa ficar restrita entre o Leia mais »

Venha pra TiConnect….

    Leia mais »

Cabral chegou depois… Isto é Brasil…

Em dezembro de 1498, uma frota de oito navios, sob o comando de Duarte Pacheco Pereira, atingiu o litoral brasileiro e chegou a explorá-lo, à altura dos atuais Estados do Pará e do Maranhão. Leia mais »

Tag Archives: PT

Neta de Arraes tenta viabilizar candidatura…

Vinicius Torres Freire – Folha de S.Paulo

Marília Arraes investiu no PT quando o petismo entrava em baixa acelerada. Rompeu com o PSB em 2014, filiou-se ao novo partido em 2016 e em fevereiro deste ano marcava 20% nas pesquisas para o governo de Pernambuco, atrás apenas do governador, Paulo Câmara (PSB).

Marília, 34, vereadora do Recife, é uma rara novidade no Partido dos Trabalhadores. Ainda assim, se fez pré-candidata ao custo de embates duros na cúpula local do partido, que tendia a se aliar ao governador.

O PSB foi o partido do final da vida de Miguel Arraes (1916-2005), avô de Marília, governador de Pernambuco por três vezes, a primeira em 1963-1964, quando foi cassado e preso pela ditadura. Foi o partido de Eduardo Campos, seu primo e também neto de Arraes, morto em acidente de avião quando candidato a presidente, em 2014.

Marília desentendeu-se de vez com o PSB em meados de 2014. Comentaristas da política pernambucana dizem que Campos escanteava a prima, privilegiava seu ramo da família e sabotou candidatura dela a deputada federal. Depois do rompimento, foi vítima de ataques sórdidos.

A vereadora evita citar o nome do primo e atribui sua saída a vários conflitos políticos e ideológicos. “Sou muito uma pessoa de partido”, “socialista”, diz, “e o PSB derivava à direita, entre muitos outros problemas”.

Na carta pública em que comunicava seu desligamento, dizia que o PSB teria aparelhado os três Poderes no Estado, que a cúpula do partido era autoritária e bajulava a família Campos.

Em 2014, o PSB local aliou-se ao que Marília chama de “partidos reacionários” (DEM, PSDB, MDB e PPS) e ao PSDB de Aécio Neves e “à curriola da direita”. No estado, fez campanha pelo candidato apoiado pelo PT, o senador Armando Monteiro (PTB), ex-ministro de Dilma Rousseff, ex-presidente da Confederação Nacional da Indústria e um seu provável adversário em 2018.

Marília parece petista de raiz. Critica o “linchamento midiático” de Lula da Silva, “condenado sem provas por Sergio Moro”, parte de uma campanha para barrar nova vitória do ex-presidente, promover uma agenda “antipovo” e destruir as “conquistas” dos anos petistas.

O programa antipovo são as reformas da Previdência e trabalhista, o teto de gastos públicos, a privatização da Eletrobras. Marília é contra a venda das companhias estaduais de água e gás, cogitada pelo governo atual, diz.

Continua…

O PT está sem chapa para as eleições proporcionais…

Inaldo Sampaio – coluna Fogo Cruzado

Eventual aliança entre PT e PSB para as eleições em Pernambuco, diz o senador Humberto Costa, está sendo negociada pelos presidentes nacionais dos dois partidos, Gleisi Hoffmann e Carlos Siqueira, respectivamente, e envolve também a disputa em outros estados e o pleito presidencial. No entanto, acrescenta o senador, a questão local está “praticamente resolvida”,

Mas o que ainda incomoda o PT é a falta de uma chapa competitiva às eleições proporcionais, dado que o partido acaba de perder João Paulo (que seria seguramente deputado federal) e três potenciais candidatos à Assembleia Legislativa: o atual deputado Paulinho Tomé, filho do ex-prefeito de Tupanatinga Manoel Tomé (33.013 votos em 2014), o ex-vereador recifense Osmar Ricardo (24.588 votos) e o ex-prefeito de Águas Belas, Genivaldo Menezes Delgado, conhecido no Agreste Meridional como “Genivaldo do PT”.

A chapa de federais do partido se limita por enquanto ao próprio Humberto Costa, ao ex-deputado Fernando Ferro e à deputada estadual Teresa Leitão, donde se deduz que dificilmente o partido ficará com duas cadeiras como seria o desejável.

Já a chapa para a Assembleia Legislativa será constituída pelo deputado Odacy Amorim, o presidente da CUT-PE, Carlos Veras, o presidente da Fetape, Doriel Barros e o vereador Ronaldo Leite (São José do Egito). Em 2014, se não tivesse feito aliança proporcional com o PTB, o PT teria elegido dois deputados federais (Mozart Sales e João da Costa). Em 2018, se vingar a aliança com o PSB, correrá o mesmo risco.

Lula avisa a correligionários: Dilma quer ser candidata…

Gabriel Mascarenhas – Radar – VEJA

Dilma Rousseff está a um passo de entrar no páreo eleitoral.

Lula avisou a interlocutores da cúpula do PT que a ex-presidente quer disputar uma cadeira no Senado.

Além disso, a própria petista telefonou para uma aliada no Congresso e adiantou seu plano, numa conversa ocorrida na segunda 2.

A questão agora é por qual estado ela concorreria.

O partido contratou pesquisas para mediar a popularidade de Dilma em diferentes praças. Os questionários estão nas ruas.

Ela já recebeu convites para se candidatar por Minas Gerais, Piauí e Tocantins.

Se resolver mudar seu domicílio eleitoral do Rio Grande do Sul para qualquer outro estado, a petista tem até sexta-feira para fazê-lo.

Há grandes chances de isso acontecer. Paulo Paim, senador do PT gaúcho e candidato à reeleição, foi informado na semana passada de que Dilma não pretende disputar a corrida pelo Rio Grande do Sul.

Gente próxima à ex-presidente, no entanto, sustenta que, embora muito tentada a voltar ao cenário político, ela ainda não bateu o martelo.

Marília diz que sua candidatura está ‘firme e crescendo’…

LeiaJá

Apesar da dúvida que impera sobre qual o rumo o PT tomará em Pernambuco na eleição deste ano – sobre se a legenda vai apoiar o PSB ou lançar uma candidatura própria -, a vereadora Marília Arraes (PT), em entrevista concedida ao LeiaJá, garantiu que a sua pré-candidatura a governadora de Pernambuco está “firme”. A petista, que tem como vantagem ter o forte sobrenome Arraes, chegou a dizer que a cada dia sua candidatura cresce mais. “A minha pré-candidatura está firme e crescendo cada vez mais”, reiterou com convicção. 

A neta do ex-governador Miguel Arraes contou que, neste momento, a prioridade é defender o direito de Lula disputar a eleição presidencial de outubro. “Porque defender Lula não é defender a pessoa dele, é defender o projeto de Lula e aqui em Pernambuco está muito claro que o partido e o campo político que deve fazer isso é o representado pelo PT”.

“Não acreditamos que outros atores vão fazer essa defesa como nós temos feito junto com toda a base social que tem apoiado a nossa ideia de candidatura própria como os movimentos sociais, os sindicatos, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra e tantas outras entidades que estão nos apoiando”, ressaltou a petista.  

Marília também disse acreditar que o povo está cada vez mais consciente sobre a atual situação política do país. “Então, eu acho que por isso, pelo apoio e pela consciência cada vez maior do povo, nossa candidatura tem crescido cada vez mais e ganhado força”. 

Enquanto o grupo da oposição em Pernambuco denominado “Pernambuco quer Mudar”, composto por nomes conhecidos no Estado como os senadores Armando Monteiro Neto (PTB) e Fernando Bezerra Coelho (MDB), não decide quem será o candidato ao Governo de Pernambuco, Marília Arraes vem ganhando tempo visitando diversos municípios pernambucanos. 

Marília Arraes se diz surpresa com a possibilidade de ter sido pivô da saída de João Paulo…

O pedido de afastamento do ex-prefeito João Paulo do PT está gerando polêmica nas hostes petistas. Após fontes do PT atribuírem a saída do petista a briga interna com o grupo da vereadora Marília Arraes, a pré-candidata ao Governo encaminhou uma nota de esclarecimento em que se diz surpresa com as especulações sobre os motivos do afastamento do correligionário e garante que sempre teve admiração pelo ex-prefeito. 

“É com surpresa que tenho acompanhado o surgimento de uma série de notícias e especulações atribuindo a mim, e a pessoas de minha proximidade dentro do Partido dos Trabalhadores, supostas ações de enfrentamento/críticas/acirramento contra o ex-prefeito João Paulo, o que segundo fontes – que não mostram o rosto ou a voz – teria motivado o pedido de afastamento do partido, oficializado por João Paulo, na última terça-feira. Sou militante da esquerda desde jovem e a figura de João Paulo sempre foi, para mim, uma inspiração. Muito mais que isso, sua liderança histórica no PT, seu trabalho revolucionário no comando da Prefeitura do Recife, sua atuação aguerrida como parlamentar na Câmara Municipal do Recife, na Assembleia Legislativa de Pernambuco e na Câmara Federal são um exemplo para qualquer militante ou parlamentar que tenha compromisso com as causas populares e a justiça social”, diz Marília na nota. 

Arraes segue esclarecendo que a disposição de se lançar pré-candidata ao Governo do Estado é legítima e vem sendo construída diante do “estímulo da base partidária do próprio PT”. “Não pode ser confundida ou transformada, por pessoas costumam atuar para desagregar, em algo diferente do que é: uma proposta legítima, sempre submetida ao debate interno. O PT é um partido conhecido pela pluralidade de opiniões e pela ampla democracia interna, no qual as divergências são tratadas como degraus de uma construção coletiva”.

Marília finaliza o seu desabafo lembrando que o País vive um momento difícil e forças aliadas ao que há de retrogrado na política estariam trabalhando para tirar o foco da verdadeira luta querendo dispersar as atenções e energia. “Sigo com a certeza e a tranquilidade de quem cumpre seu papel de parlamentar, mulher, militante e cidadã pernambucana e sempre à disposição para o debate e a construção coletiva de um País e de um Pernambuco melhor para todos”, conclui. (Folha de Pernambuco)

João Paulo pede licença do PT…

Diário de Pernambuco

No Partido dos Trabalhadores (PT) desde que foi criado em Pernambuco, há 38 anos, o ex-prefeito do Recife João Paulo protocolou na sede do PT estadual, na última terça-feira, pedido de licença da legenda. Na prática, sua decisão configura-se em desfiliação, já que o estatuto do partido não prevê o licenciamento de filiados. Os motivos para decisão tão radical foram os constantes ataques de infidelidade e as acusações de que ele estaria forçando uma aliança com o PSB em detrimento da candidatura própria no estado.

As acusações estariam sendo creditadas ao grupo da vereadora Marília Arraes, principal postulante do PT para disputar o governo de Pernambuco. O pedido de licenciamento de João Paulo caiu como uma “bomba” no ninho petista. A estratégia montada pelo partido, inicialmente, foi de não divulgar a notícia para tentar demover o ex-prefeito da decisão. A partir daí, começou a operação “fica João Paulo”.

Continua…

Surubim também realiza ato de apoio a Marília Arraes…

No próximo sábado, o Diretório Municipal do PT em Surubim realizará um ato de apoio à pré-candidatura da vereadora do Recife, Marília Arraes (PT), ao Governo do Estado. A atividade está sendo coordenada pela presidente do partido na cidade, a vereadora Ivete Ramos (Ivete do Sindicato) e reunirá militantes e filiados de todo o Agreste Setentrional. O encontro acontecerá na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Surubim, a partir das 8h.

Lideranças, parlamentares e dirigentes do partido da Região Metropolitana do Recife, do Sertão, da Zona da Mata e de todo o Agreste já confirmaram presença. O primeiro grande ato público, que marcou o lançamento da pré-candidatura, aconteceu em Serra Talhada, em 27 de janeiro. Outras dezenas de atos menores já vem sendo organizados por diretórios municipais em todo o Estado. (Magno Martins)

Paulo Câmara “girou a chave” e tomou as rédeas da sua reeleição …

Por Edmar Lyra

Durante os três primeiros anos do governo, Paulo Câmara foi muito criticado por não fazer política, se preocupando exclusivamente com a gestão e os problemas do estado. Isso terminou prejudicando sua imagem perante os eleitores e a classe política. Porém nestes três anos que se passaram nem mesmo Armando Monteiro que foi seu adversário em 2014 conseguiu surfar na dificuldade do governo, o que permitiu que Paulo Câmara mesmo na adversidade não ficasse completamente inviabilizado.

Na segurança pública o governador fez massivos investimentos ao longo de 2017 e já colheu frutos em janeiro deste ano quando houve redução de 6,47% do número de homicídios em relação ao mesmo período do ano passado, o mesmo ocorreu com os estupros quando houve redução de 13,13% em relação ao ano passado.

Na educação não é diferente, há uma série de ações que mantêm o excelente resultado obtido nas gestões do PSB, sendo a melhor educação pública do Brasil. O governador vem construindo escolas, levando alunos da rede pública para o exterior, construindo quadras esportivas nas escolas de todo o estado, portanto nesta área Paulo Câmara terá muito o que mostrar.

Continua…

Marília Arraes diz: “PT de PE não vai ser tabua de salvação para governo ruim”…

A vereadora do Recife e pré-candidata a governadora, Marília Arraes (PT), comentou o encontro de ontem, dia 15, entre o ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva e Governador Paulo Câmara, Renata Campos e João Campos, esposa e filho de Eduardo Campos, em São Paulo.

De acordo com o comunicado de Lula, a visita foi uma cortesia da Família Campos, após sua declaração de relação de amizade com o ex-governador, Eduardo Campos, no programa de Geraldo Freire. No ano passado, o ex-presidente, também, visitou a Família Campos durante uma agenda pelo Nordeste.

No início da tarde desta sexta-feira, dia 16, o blog teve acesso a um áudio da neta de Miguel Arraes, reforçando o anseio da candidatura própria do PT de Pernambuco, além de defender a postura “estadista” de Lula ao receber o seu adversário político, Governador Paulo Câmara.

“Queria dar uma palavrinha com vocês sobre toda essa especulação de aproximação do PT com PSB e de aliança. É muito importante à gente ressaltar que o presidente Lula é um estadista. Ele está trabalhando para devolver o Brasil ao povo. Para que o povo volte a ser prioridade no Governo da República Brasileira, e está fazendo seu papel nesse momento tão difícil da nossa história”, disse a petista.

Continua…

Mais que um namoro de carnaval…

A Quarta-feira de Cinzas não soou tão ingrata para o palanque do governador Paulo Câmara, que disputa a reeleição. A oposição passou o carnaval sem fechar o nome que vai enfrentá-lo na eleição de 2018, enquanto o governador praticamente selou a chapa majoritária. No sábado de Zé Pereira, Paulo Câmara circulou no Galo da Madrugada ao lado de Jarbas Vasconcelos (MDB) e, no domingo, estava com o ex-prefeito do Recife João Paulo (PT) em Bezerros, numa das principais festas carnavalescas do interior.

Nenhum deles cravou a aliança, mas os adversários foram pegos de surpresa com a proximidade do governador e de João Paulo, que chegaram a entoar, juntos, Madeira que cupim não rói, no camarote montado pelo prefeito de Bezerros, Severino Otávio (PSB), conhecido como Branquinho. A música virou um hino oficial nas campanhas de João Paulo e do exgovernador Eduardo Campos.  

Segundo interlocutores presentes na festa, Fernando Bezerra estava no camarote ao lado de umas 15 lideranças políticas, entre eles o deputado federal Bruno Araújo (PSDB) e o vereador do Recife Marco Aurélio (PRTB), quando viu João Paulo. “Eles ficaram meio atordoados. FBC ficou agoniado e ficou aquele climão”, contou um observador.

Paulo Câmara e João Paulo seguiram depois para a casa do prefeito, onde foi servido um almoço regional, incluindo angu, galinha quisada e bode. Os dois conversaram sobre o cenário político e amenidades por mais de uma hora. João Paulo comeu frutas e o governador beliscou comidas da terra. A conversa foi acompanhada pelo deputado federal Fernando Monteiro (PP), um dos principais articuladores políticos do governo.

Continua…

A oferta tentadora ao PT para sacrificar Marília Arraes…

Nos bastidores do Baile Municipal do Recife não se falava noutra coisa senão na informação de que o governador Paulo Câmara oferecerá uma vaga na chapa majoritária ao PT, que seria ocupada pelo ex-prefeito do Recife, João Paulo. A dúvida seria se ele se candidataria a vice-governador ou a senador.

Além desta oferta, há a informação de que o vereador Jairo Britto assumiria uma secretaria no Recife para abrir espaço para João da Costa, e ainda seria garantida a estrutura do PSB para eleger Osmar Ricardo deputado estadual.

Por fim, Humberto Costa ficaria livre para disputar um mandato de deputado federal. Nesta conta, a fatura de Marília Arraes estaria paga pelo PSB, e o PT a sacrificaria sob a tese de encurtar o caminho para chegar ao governo. (Edmar Lyra)

Insistir com Lula pode ser um equívoco do PT…

Por Inaldo Sampaio

O PT ignorou a condenação de Lula em segunda instância e vai levar às últimas consequências a candidatura dele a presidente da República em outubro próximo. No dia seguinte à condenação, o partido fez um ato público no Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo, para “convidar” o ex-presidente para ser candidato.

E ele de pronto “aceitou” o convite. Agora, após o STJ negar um pedido de habeas corpus preventivo ao líder petista, a fim de impedir que ele seja preso, o PT acelerou o lançamento de sua candidatura. Será no próximo dia 7, em Belo Horizonte, capital de Minas, Estado governado pelo petista Fernando Pimentel. O partido não aceita o ex-presidente fora da disputa e usa como argumento até a última pesquisa do Datafolha segundo a qual, se ele ficar fora do páreo, o percentual de votos brancos subiria para 36%, algo nunca visto em nossa história.

O PT tenta encurralar a Justiça Eleitoral com base no “fato consumado”, ignorando o fato de Lula já encontrar-se inelegível com base na Lei da Ficha Limpa, mas pode estar cometendo um grande equívoco. Deveria seguir os conselhos do professor David Fleischer (UNB) no sentido de preparar o seu “plano b”, pois se a candidatura do ex-presidente for indeferida, em setembro próximo, quando o partido requerer o seu registro no TSE, o substituto dele, seja Jaques Wagner ou Fernando Haddad, teria apenas três semanas para botar o bloco na rua.

Powered by WordPress | Designed by: diet | Thanks to lasik, online colleges and seo