Fies do segundo semestre abre inscrições para 155 mil vagas nesta segunda…

O Ministério da Educação abriu nesta segunda-feira (16) as inscrições para 155 mil vagas da edição do segundo semestre do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Podem participar da seleção estudantes que participaram do Leia mais »

Imposto de Renda 2018: Receita paga 2º lote de restituições nesta segunda-feira…

A Receita Federal paga nesta segunda-feira (16) o segundo lote de restituição do Imposto de Renda de Pessoas Físicas (IRPF) de 2018. O lote também inclui restituições residuais de 2008 a 2017. Leia mais »

Allez Les Bleus! França bate Croácia e vence a Copa do Mundo…

Na final com mais gols na Copa do Mundo em 52 anos, a França conquistou o título pela segunda vez. A equipe passou sufoco, foi dominada durante o primeiro tempo mas deslanchou na etapa final e Leia mais »

Festa de Emancipação Política do Bom Jardim-PE…

Leia mais »

Saiba o que fazer em caso de picada de escorpião…

G1 As picadas de escorpião já são responsáveis por mais mortes no Brasil do que as picadas de cobra. Encontrados em áreas urbanas, os escorpiões se reproduzem com facilidade e costumam se Leia mais »

Tag Archives: preços

Depois de 115 reajustes de julho a dezembro os combustíveis tem redução amanhã…

A Petrobras anunciou nesta sexta-feira (12) um novo reajuste para o preço dos combustíveis, com queda de 0,70% no valor da gasolina e diesel nas refinarias. Os novos valores serão praticados no mercado a partir deste sábado (13).

A nova política de revisão de preços foi publicada pela companhia no ano passado, para acompanhar as condições de mercado e enfrentar a concorrência dos importadores. No modelo anterior, a Petrobras aguardava um mês para fazer o reajuste.

Agora, a petroleira avalia as condições do mercado e adapta diariamente as oscilações, deixando de perder em relação as importadoras. Pesam também as informações do câmbio e cotações internacionais.

Governo tenta conter aumento de remédio…

1143

Apesar de pregar um discurso de previsibilidade, o governo trava uma batalha com a indústria farmacêutica, que vive indefinição sobre os preços de medicamentos que serão praticados no ano que vem. Mais uma vez, a Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed) não divulgou o fator de produtividade ou fator X da indústria, variável essencial para o cálculo dos reajustes que serão feitos em março de 2015 e necessários para a realização do orçamento de 2016. A indústria ameaça ir à Justiça.

O fator, que é calculado pela Secretaria de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, teria de ser divulgado em setembro para que as empresas conseguissem fazer cálculos básicos de planejamento para o ano seguinte. Mas o governo não tem respeitado a regra.

Em resposta, o presidente da Sindusfarma, Nelson Mussolini, afirmou ao Broadcast Político, serviço de informação online do Grupo Estado, que o sindicato entrará com uma notificação judicial para que o fator seja divulgado rapidamente e, caso contrário, quer considerar fator de produtividade zero – de forma que os medicamentos serão reajustados pela inflação. “O governo está descumprindo norma que ele mesmo fez.” (Diário de Pernambuco)

Preços dos alimentos subiram 99,73% em 10 anos, diz IBGE…

compras-300x222

Os preços dos alimentos já subiram 99,73% nos últimos dez anos, muito acima da inflação oficial no período, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) registrou uma taxa de 69,34% de 2005 a 2014.

Os problemas climáticos e o aumento da demanda pressionam os preços de alimentos, segundo Eulina Nunes dos Santos, coordenadora de Índices de Preços do IBGE.Nos últimos dez anos, os alimentos consumidos em casa subiram 86,59%.

No entanto, a alta foi de 136,14% para os alimentos consumidos fora de casa.O item refeição fora aumentou 141,05% em dez anos, o empregado doméstico subiu 181,89%, e o aluguel aumentou 100,49%.O IBGE calculou ainda a inflação de serviços no período, que alcançou 107,56% em dez anos, e a de monitorados, com taxa de 50,41%. (fonte: Estadão /foto reprodução)

 

Preços das apostas de loteria serão reajustados…

740823_169584

A Caixa Econômica Federal foi autorizada a reajustar o preço das apostas das loterias Mega-Sena, Lotofácil e Quina, por meio de portaria publicada no Diário Oficial da União.

O valor da aposta na Mega-Sena (6 números) passa dos atuais R$ 2 para R$ 2,50 a partir de 11 de maio. A Lotofácil (15 números) sobe de R$ 1,25 para R$ 1,50, a partir de 10 de maio. A aposta na Quina (5 números) passa dos atuais R$ 0,75 para R$ 1, a partir de 11 de maio.

A Quina sofrerá reajuste também na aposta com 6 números, que terá o valor de R$ 4 reais, e com 7 números, que será R$ 10. Atualmente essas apostas custam R$ 3 e R$ 7,5, respectivamente,

A portaria informa que a Caixa Econômica Federal deverá ajustar ainda os valores das apostas da Mega-Sena de 7 a 15 números marcados na cartela. No caso da Lotofácil, também serão reajustadas as apostas com 16, 17 e 18 números.

De acordo com a portaria, os valores da premiação fixa das apostas vencedoras com 11, 12 e 13 números da Lotofácil serão reajustados, respectivamente, para R$ 3, R$ 6 e R$ 15.

A Caixa Econômica Federal deverá divulgar os novos preços das apostas com, no mínimo, 10 dias de antecedência de cada data estabelecida na portaria. Os ajustes serão efetivados mediante publicação de ato específico da Caixa Econômica, no Diário Oficial da União, até 30 de abril de 2014. (Agência Brasil)

 

BC estima preços estáveis para gasolina, gás e telefonia fixa neste ano…

Os preços da gasolina, do botijão de gás e da telefonia fixa devem ficar estáveis, este ano, enquanto a tarifa residencial de eletricidade deve subir 7,5%, de acordo com estimativas do Banco Central (BC), divulgadas na ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom).

A projeção do BC para o conjunto dos preços administrados por contrato e monitorados, em 2014, foi mantida em 4,5%, mesmo valor estimado em novembro. Para 2015, a estimativa é a mesma: 4,5%.

No último dia 15, o Copom anunciou aumento da taxa básica de juros, a Selic, em 0,5 ponto percentual para 10,5% ao ano, para tentar conter a alta da inflação.

Quando o Copom  aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida e isso gera reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. O BC tem que perseguir uma meta de inflação que é 4,5%, com margem de dois pontos percentuais para mais ou para menos. (Agência Brasil)

 

Powered by WordPress | Designed by: diet | Thanks to lasik, online colleges and seo