Joaquim Barbosa crescendo…

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ), 63 anos, tem de 20% a 22% e lidera de maneira isolada a pesquisa DataPoder360 de intenção de votos para presidente da República. Em 2º lugar vem Joaquim Leia mais »

II Festival do Trabalhador de Salgadinho-PE…

Vem aí o 2º Festival do trabalhador de Salgadinho, segunda-feira 30 de abril no cais de eventos a partir das 21 horas, com @capimcommel e @douglaspegador E na terça-feira dia 1º de Leia mais »

Segundo turno volta a ser possível em Pernambuco…

Com a decisão do PT de lançar candidato próprio ao governo estadual, o segundo turno volta a ser possível em Pernambuco. Não haverá essa possibilidade se a disputa ficar restrita entre o Leia mais »

Venha pra TiConnect….

    Leia mais »

Cabral chegou depois… Isto é Brasil…

Em dezembro de 1498, uma frota de oito navios, sob o comando de Duarte Pacheco Pereira, atingiu o litoral brasileiro e chegou a explorá-lo, à altura dos atuais Estados do Pará e do Maranhão. Leia mais »

Tag Archives: Marília Arraes

Neta de Arraes tenta viabilizar candidatura…

Vinicius Torres Freire – Folha de S.Paulo

Marília Arraes investiu no PT quando o petismo entrava em baixa acelerada. Rompeu com o PSB em 2014, filiou-se ao novo partido em 2016 e em fevereiro deste ano marcava 20% nas pesquisas para o governo de Pernambuco, atrás apenas do governador, Paulo Câmara (PSB).

Marília, 34, vereadora do Recife, é uma rara novidade no Partido dos Trabalhadores. Ainda assim, se fez pré-candidata ao custo de embates duros na cúpula local do partido, que tendia a se aliar ao governador.

O PSB foi o partido do final da vida de Miguel Arraes (1916-2005), avô de Marília, governador de Pernambuco por três vezes, a primeira em 1963-1964, quando foi cassado e preso pela ditadura. Foi o partido de Eduardo Campos, seu primo e também neto de Arraes, morto em acidente de avião quando candidato a presidente, em 2014.

Marília desentendeu-se de vez com o PSB em meados de 2014. Comentaristas da política pernambucana dizem que Campos escanteava a prima, privilegiava seu ramo da família e sabotou candidatura dela a deputada federal. Depois do rompimento, foi vítima de ataques sórdidos.

A vereadora evita citar o nome do primo e atribui sua saída a vários conflitos políticos e ideológicos. “Sou muito uma pessoa de partido”, “socialista”, diz, “e o PSB derivava à direita, entre muitos outros problemas”.

Na carta pública em que comunicava seu desligamento, dizia que o PSB teria aparelhado os três Poderes no Estado, que a cúpula do partido era autoritária e bajulava a família Campos.

Em 2014, o PSB local aliou-se ao que Marília chama de “partidos reacionários” (DEM, PSDB, MDB e PPS) e ao PSDB de Aécio Neves e “à curriola da direita”. No estado, fez campanha pelo candidato apoiado pelo PT, o senador Armando Monteiro (PTB), ex-ministro de Dilma Rousseff, ex-presidente da Confederação Nacional da Indústria e um seu provável adversário em 2018.

Marília parece petista de raiz. Critica o “linchamento midiático” de Lula da Silva, “condenado sem provas por Sergio Moro”, parte de uma campanha para barrar nova vitória do ex-presidente, promover uma agenda “antipovo” e destruir as “conquistas” dos anos petistas.

O programa antipovo são as reformas da Previdência e trabalhista, o teto de gastos públicos, a privatização da Eletrobras. Marília é contra a venda das companhias estaduais de água e gás, cogitada pelo governo atual, diz.

Continua…

Não será fácil para o PT-PE afastar Marília Arraes da disputa pelo governo estadual…

Inaldo Sampaio – Coluna Fogo Cruzado

Depois que a vereadora Marília Arraes figurou numa pesquisa da Múltipla (Arcoverde) com cerca de 20% de intenções de voto para o governo estadual, dependendo do cenário, ficou difícil para o PT pernambucano “rifar” essa candidatura para apoiar a reeleição do governador Paulo Câmara.

Como é sabido, o PSB está doido por essa aliança para afastar um “Arraes” do seu caminho e o PT, idem, na expectativa de indicar João Paulo para a vaga de vice ou Humberto Costa para uma das vagas de senador.

Além disso, o PSB também se interessa pelo apoio de Lula, ainda que o ex-presidente esteja preso, pois ele tem aqui no Estado, de acordo ainda com a Múltipla, 66% das intenções de voto. Marília chegou a este patamar sendo conhecida, apenas, por 46% dos pernambucanos, o que significa dizer que tem potencial de crescimento se vier a usar o rádio e a televisão.

Além disso, é o nome preferencial das bases petistas, por isso não será fácil a essa altura do campeonato a cúpula do PT decidir simplesmente que não a quer como candidata.

Surubim também realiza ato de apoio a Marília Arraes…

No próximo sábado, o Diretório Municipal do PT em Surubim realizará um ato de apoio à pré-candidatura da vereadora do Recife, Marília Arraes (PT), ao Governo do Estado. A atividade está sendo coordenada pela presidente do partido na cidade, a vereadora Ivete Ramos (Ivete do Sindicato) e reunirá militantes e filiados de todo o Agreste Setentrional. O encontro acontecerá na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Surubim, a partir das 8h.

Lideranças, parlamentares e dirigentes do partido da Região Metropolitana do Recife, do Sertão, da Zona da Mata e de todo o Agreste já confirmaram presença. O primeiro grande ato público, que marcou o lançamento da pré-candidatura, aconteceu em Serra Talhada, em 27 de janeiro. Outras dezenas de atos menores já vem sendo organizados por diretórios municipais em todo o Estado. (Magno Martins)

Marília Arraes diz: “PT de PE não vai ser tabua de salvação para governo ruim”…

A vereadora do Recife e pré-candidata a governadora, Marília Arraes (PT), comentou o encontro de ontem, dia 15, entre o ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva e Governador Paulo Câmara, Renata Campos e João Campos, esposa e filho de Eduardo Campos, em São Paulo.

De acordo com o comunicado de Lula, a visita foi uma cortesia da Família Campos, após sua declaração de relação de amizade com o ex-governador, Eduardo Campos, no programa de Geraldo Freire. No ano passado, o ex-presidente, também, visitou a Família Campos durante uma agenda pelo Nordeste.

No início da tarde desta sexta-feira, dia 16, o blog teve acesso a um áudio da neta de Miguel Arraes, reforçando o anseio da candidatura própria do PT de Pernambuco, além de defender a postura “estadista” de Lula ao receber o seu adversário político, Governador Paulo Câmara.

“Queria dar uma palavrinha com vocês sobre toda essa especulação de aproximação do PT com PSB e de aliança. É muito importante à gente ressaltar que o presidente Lula é um estadista. Ele está trabalhando para devolver o Brasil ao povo. Para que o povo volte a ser prioridade no Governo da República Brasileira, e está fazendo seu papel nesse momento tão difícil da nossa história”, disse a petista.

Continua…

A oferta tentadora ao PT para sacrificar Marília Arraes…

Nos bastidores do Baile Municipal do Recife não se falava noutra coisa senão na informação de que o governador Paulo Câmara oferecerá uma vaga na chapa majoritária ao PT, que seria ocupada pelo ex-prefeito do Recife, João Paulo. A dúvida seria se ele se candidataria a vice-governador ou a senador.

Além desta oferta, há a informação de que o vereador Jairo Britto assumiria uma secretaria no Recife para abrir espaço para João da Costa, e ainda seria garantida a estrutura do PSB para eleger Osmar Ricardo deputado estadual.

Por fim, Humberto Costa ficaria livre para disputar um mandato de deputado federal. Nesta conta, a fatura de Marília Arraes estaria paga pelo PSB, e o PT a sacrificaria sob a tese de encurtar o caminho para chegar ao governo. (Edmar Lyra)

Marília Arraes visita João Alfredo para prestigiar posse do diretório local do PT…

Tato Mendes e Marília Arraes (facebook)

A vereadora recifense e pré-candidata a governadora do Estado, Marília Arraes (PT), visitará o município de João Alfredo no dia 21 de janeiro, a partir das 10h, para acompanhar a posse do membros do diretório municipal do Partido dos Trabalhadores (PT), que acontecerá em um salão no Centro. A petista vem em perenigração pelas regiões pernambucanas, buscando popularizar o nome em áreas mais distantes da capital. Mesmo carregando um sobrenome (Arraes) muito conhecido entre as classes mais pobres, a vereadora não tem perdido tempo quando o assunto é eleições 2018. 

Em João Alfredo, o universitário Tato Mendes assumirá o comando da sigla, tendo como vice Gaby Luz. A diretoria ainda é composta por Fernando Cabral (tesoureiro), Érica Palmeira (secretária), Gabriel Moura e Josefa Maria (membros). O vereador carpinense e pré-candidato a deputado estadual, Diogo Prado (PCdoB), também é aguardado no evento. Ele fechou acordo com o PT local para as eleições deste ano. A prefeita de Calumbi, Sandra da Farmácia, e o prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque, são nomes cogitados na caravana de Marília.  (Blog do Agreste)

PT decide por Marília Arraes…

A decisão da executiva estadual do PT, de disputar em faixa própria o Governo do Estado nas eleições do próximo ano, já era esperada. E a candidata é a vereadora Marília Arraes, líder da oposição na Câmara do Recife, que não tem nada a perder. No caso de não ser bem sucedida, passará a ser um quadro para o futuro e renovará, dois anos depois, seu mandato na capital.

Ao final do encontro de ontem, para não antecipar o lançamento de Marília, a direção do partido citou, além da vereadora, o nome do ex-prefeito do Recife, João Paulo, como alternativa, mas ele está fora de qualquer projeto majoritário. Tentará um mandato na Câmara dos Deputados, assim como o senador Humberto Costa, sem chances de emplacar a reeleição.

O PT resolveu antecipar que terá candidatura própria 20 dias após Humberto apresentar Marília ao ex-presidente Lula. Por que o PT vai de Marília? Fato novo, cara nova, tem projeção no Grande Recife, sobrenome Arraes, dissidente do PSB, de onde migrou, e, principalmente, por ser mulher.

Será a primeira mulher candidata a governadora do Estado. O PT aposta no fenômeno e na popularidade do ex-presidente Lula para viabilizar a eleição de Marília. Quanto aos argumentos de que o senador Armando Monteiro, pré-candidato do PTB a governador, havia sido descartado para uma aliança por ter votado a favor da reforma trabalhista, isso é balela.

Continua…

Marília Arraes topa se candidatar a governadora em 2018…

marilia-arraes-lula-foto-matheusbernardes-780x542

 Folha de Pernambuco (Inaldo Sampaio)

O PT iniciou anteontem o processo de eleição direta (PED) para a renovação dos seus dirigentes em âmbito municipal, estadual e federal. É o único partido político que faz isto. Escolhe os seus dirigentes em eleição direta, dando voz e vez a todos os seus filiados. No caso de Pernambuco, o partido se uniu e reconduzirá o advogado Bruno Ribeiro ao cargo de presidente estadual.

A convenção será no próximo mês de maio, seguindo-se em junho o 6º congresso nacional do partido para a escolha do novo presidente (que deverá ser a senadora Gleisi Hoffmann) e do futuro candidato à sucessão de Michel Temer, além da política de alianças. Pernambuco pode vir com uma novidade neste processo: a candidatura da vereadora Marília Arraes ao Governo do Estado. Ela não só aceita o desafio, como está motivada para combater os governos de Paulo Câmara e de Geraldo Júlio, e o partido (PSB) com o qual rompeu um ano atrás.

Peregrinação pelo Estado

Neta de Miguel Arraes e sobrinha de Eduardo Campos, a vereadora Marília Arraes (PT) resolveu viajar pelo Estado para defender a volta de Lula em 2018 e ouvir o povo sobre a Lei da Terceirização e a reforma da Previdência. Por ser a única “cara nova” de que o PT dispõe para o pleito majoritário do próximo ano, o partido só não a convoca para o desafio se for estreito.

Marília Arraes rebate crítica de Raul Henry e acusa “parasitismo político” do deputado…

marilia1-624x465

Foi por meio de sua conta oficial no Facebook que a vereadora do Recife Marília Arraes rebateu as críticas do deputado federal Raul Henry (PMDB), vice de Paulo Câmara (PSB) na disputa pelo Governo do Estado, sobre não ter autoridade para falar sobre o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, se primo falecido no mês passado, porque o teria abandonado no momento em que ele mais precisava.

No texto, Marília Arraes diz lembrar as críticas que Raul, o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB) e o deputado federal Mendonça Filho (DEM) disparavam contra o avô Miguel Arraes, “chamando-o de ladrão e também de senil”, e contra o próprio Campos, a quem rotulariam de “ladrão dos precatórios”.

“O que é lamentável é o deputado Raul e seu time, de forma incompreensível, realizarem uma das adesões mais vergonhosas da história política de Pernambuco. Isso mostra a pura intenção do poder pelo poder e do parasitismo político”, afirma a vereadora, que disse sempre ter tido uma maravilhosa convivência familiar com o primo.

“Recebi com estranheza as críticas que ele fez a minha pessoa e fiquei com dúvidas sobre seu tão elogiado conhecimento sobre educação – uma vez que utilizou de forma equivocada a palavra AUTORIDADE”, alfinetou ainda.

No texto, também sobraram farpas para Paulo Câmara, “um cidadão tão desconhecido, inexperiente politicamente e que, visivelmente, precisaria de uma orientação maior”.

Leia a íntegra do texto:

SOBRE O QUESTIONAMENTO DE “AUTORIDADE” PARA A MINHA OBSERVAÇÃO SOBRE A UTILIZAÇÃO DE ALGUMAS IMAGENS NO HORÁRIO ELEITORAL

Em primeiro lugar, quero dizer que tenho muita estima pela pessoa do deputado federal e candidato a vice-governador, Raul Henry.

Recebi com estranheza as críticas que ele fez a minha pessoa e fiquei com dúvidas sobre seu tão elogiado conhecimento sobre educação – uma vez que utilizou de forma equivocada a palavra AUTORIDADE.

Tenho memória boa e acompanho a política desde cedo. Lembro bem do deputado Raul, do seu companheiro Jarbas, do deputado Mendonça, entre outros integrantes da extinta União por Pernambuco, quando tentaram levar à lama a imagem de Miguel Arraes, meu avô, chamando-o de ladrão e também de senil; e rotulando Eduardo Campos, meu primo, de ladrão dos precatórios. Foi a campanha mais suja e baixa que já presenciei em meus 30 anos de vida.

Antes de responder a qualquer absurdo afirmado por Raul Henry, quero esclarecer que Miguel Arraes e Eduardo Campos NÃO eram ladrões, nem corruptos, nem tampouco incompetentes. Eles lutaram com todas as forças contra o BOICOTE do Governo Federal, na época comandado por Fernando Henrique Cardoso – a quem os citados senhores davam suporte político – ao Estado de Pernambuco, que era executado por puro instinto de perseguição, bastante característico da velha política. Quem terminou sofrendo foi o povo.

Agora, devo responder ao deputado e candidato. Apesar de ser prima legítima de Eduardo Campos, ter sempre tido uma convivência familiar e maravilhosa com ele, jamais afirmei falar em nome do núcleo familiar de Eduardo que é formado por mãe, irmão, esposa e filhos. Minha crítica foi pessoal, por acreditar que alguém faleceu merece respeito e descanso. Afinal, quem pode dizer qual seria a vontade de Eduardo agora? Paulo? E, são também críticas políticas. Uma vez que não vejo avanços democráticos a serem conquistados utilizando imagens emocionantes do ex-governador Eduardo, ou até mesmo de seu funeral. Aproveito para dizer que continuo sem entender a razão política de se eleger um cidadão tão desconhecido, inexperiente politicamente e que, visivelmente, precisaria de uma orientação maior: no caso, do falecido Eduardo Campos. Espero que o debate se restrinja ao campo das ideias e da política.

O que é lamentável é o deputado Raul e seu time, de forma incompreensível, realizarem uma das adesões mais vergonhosas da história política de Pernambuco. Isso mostra a pura intenção do poder pelo poder e do parasitismo político.

Ao aderir ao ex-governador Eduardo Campos junto com Jarbas, Mendonça e a extinta União por Pernambuco, Raul mostra-se um verdadeiro poliedro – um homem que definitivamente tem vários lados. Na política só tem lugar para pessoas geometricamente retas. Ao decidir não acompanhar o rumo tomado por Eduardo, considero que o fiz por optar estar do mesmo lado em que sempre estive.

Marília Arraes

(Blog Jamildo)

Marília Arraes: “Não tenho medo de cara feia”…

87399cbe-e044-4852-9ca5-6c3000d95e86

A vereadora do Recife Marília Arraes (PSB) disse não ter medo de eventual retaliação do partido por ter anunciado apoio ao senador Armando Monteiro Neto (PTB), candidato ao Governo do Estado, pela coligação Pernambuco Vai Mais Longe. “Não tenho medo de cara feia”, disse a parlamentar, se “o partido tomar atitude ditatorial de me tirar…”. Segundo a pessebista, as suas críticas são direcionadas à condução do processo de escolha do candidato, além da falta de diálogo dentro da legenda. As declarações foram dadas durante coletiva para a imprensa, na manhã desta sexta-feira (18), em um hotel no Pina.
 
Em entrevista ao programa Folha Política, da Rádio Folha FM 96,7, ela disse que acredita que o melhor projeto é o de Armando e que ela está no mesmo projeto que sempre esteve. A pessebista também criticou a escolha “biônica” do candidato da Frente Popular e negou que a sua opção tenha sido em função de interesse contrariado. Ela disse também não saber como vai se explicar à população que o petebista não é continuidade.
 
Além de Armando Monteiro Neto (PTB) e João Paulo (PT), Marília Arraes declarou apoio a Dilson Peixoto (PT) para deputado federal e à presidente Dilma Rousseff (PT), que busca a reeleição em 2014. (Folha de PE)
 

Marilia Arraes anuncia hoje apoio a Armando Monteiro Neto…

download

Vereadora do Recife e prima do ex-governador Eduardo Campos, candidato a presidente pelo PSB, a socialista Marília Arraes convocou a Imprensa para uma coletiva hoje às 10 horas para anunciar o apoio ao candidato do PTB a governador, Armando Neto.

Deve também se posicionar a favor da reeleição de Dilma, já que o seu candidato a deputado federal é o petista Dilson Peixoto. (Magno Martins)

Powered by WordPress | Designed by: diet | Thanks to lasik, online colleges and seo