Proclamação da República…

InfoEscola A Proclamação da República Brasileira aconteceu no dia 15 de novembro de 1889. Resultado de um levante político-militar que deu inicio à República Federativa Presidencialista. Fica marcada a figura de Marechal Deodoro da Fonseca como Leia mais »

Júnior de Dezim esclarece sua saída da chapa para a eleição da Câmara Municipal de João Alfredo…

A propósito da matéria publicada neste blog acerca da movimentação em torno da eleição para a renovação da mesa diretora da Câmara Municipal de João Alfredo, biênio 2019/2020, o vereador Júnior de Leia mais »

Cuba abandona programa Mais Médicos após declarações de Bolsonaro…

Veja O governo de Cuba informou nesta quarta-feira que está saindo do programa Mais Médicos devido às declarações “ameaçadoras e depreciativas” do presidente eleito Jair Bolsonaro, que anunciou mudanças “inaceitáveis” ao projeto governamental. O país caribenho tomou a Leia mais »

Decisão Futsal sub-14: Náutico x João Alfredo…

O esporte no município de João Alfredo tem crescido a cada dia. E o trabalho com as categorias de base tem sido um diferencial. O exemplo maior está na Seleção de Futsal Leia mais »

Diogo Prado tem recurso negado e perde cadeira de vereador em Carpina…

O vereador carpinense Diogo Prado (PSC) teve recurso negado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) na manhã dessa quarta (14). O parlamentar, que teve o mandato cassado pelo TRE por infidelidade Leia mais »

Tag Archives: Haddad

Ciro Gomes diz em vídeo que não vai ‘tomar lado’ no 2º turno por ‘razão prática’…

Em um vídeo nas redes sociais, o candidato derrotado à Presidência Ciro Gomes (PDT), de volta ao Brasil após viagem à Europa, não declarou apoio a Fernando Haddad (PT), como parte da militância de esquerda esperava, e disse que vai “preservar um caminho” para que os brasileiros possam ter uma “alternativa”. O pedetista reconheceu que “todo mundo preferia” que ele “tomasse um lado e participasse da campanha”, mas ressaltou que não o faria.

“Claro que todo mundo preferia que eu, com meu estilo, tomasse um lado e participasse da campanha, mas eu não quero fazer isso por uma razão muito prática que eu não quero dizer agora. Porque, se eu não posso ajudar, atrapalhar é que eu não quero”, destacou.

A candidatura de Ciro à Presidência sofreu um forte baque quando o PT decidiu retirar a pré-candidatura de Marília Arraes ao governo de Pernambuco para evitar que o PSB fechasse uma aliança nacional com o PDT. Com a saída dela, o governador Paulo Câmara (PSB), que conseguiu a reeleição, ficou com o caminho aberto. A articulação foi comandada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba.

Logo depois de ter confirmada a derrota no primeiro turno, Ciro Gomes foi questionado sobre a disputa final entre Fernando Haddad e Jair Bolsonaro (PSL). Na ocasião, ele sinalizou oposição do militar: ” Ele não, sem dúvida “. Enquanto ainda concorria, o próprio Ciro chegou a dizer que votaria no ex-prefeito de São Paulo caso o petista fosse para o segundo turno em vez dele. O pedetista viajou para a Europa e frustrou a intenção do PT de tê-lo ao seu lado na campanha.

No vídeo deste sábado, o candidato recomendou o voto pela democracia e contra a intolerância. Segundo ele, o Brasil precisa, a partir de segunda-feira, construir “um grande movimento” para proteger o regime democrático e a sociedade mais pobre “dos avanços contra os direitos” e os interesses nacionais “contra a cobiça estrangeira”. (O Globo)

Joaquim Barbosa declara voto em Haddad…

“Pela primeira vez em 32 anos de exercício do direito de voto, um candidato me inspira medo. Por isso, votarei em Fernando Haddad”. Foram com essas palavras que o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, declarou seu voto no candidato à Presidência da República pelo Partido dos Trabalhadores (PT), por meio de publicação em seu perfil no Twitter neste sábado (27), véspera da votação no segundo turno.

Há algumas semanas, Barbosa foi visitado por Haddad em busca de apoio para a formação de frente democrática que se contraponha a Jair Bolsonaro (PSL). O ministro aposentado foi relator do mensalão, que condenou e prendeu petistas históricos, como José Dirceu, José Genoino e João Paulo Cunha.

Ex-presidente do STF, Joaquim Barbosa, declara voto em HaddadEx-presidente do STF, Joaquim Barbosa, declara voto em Haddad – Crédito: Reprodução / Twitter

Pesquisa CNT/MDA: Bolsonaro tem 57% dos votos válidos; Haddad, 43%…

Nova pesquisa do instituto MDA, feita a pedido da Confederação Nacional do Transporte (CNT) e divulgada nesta segunda-feira 22, mostra o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, com 57% das intenções de voto, contra 43% do adversário, Fernando Haddad (PT). Os números dizem respeito aos chamados “votos válidos”, que desconsideram brancos, nulos e indecisos, assim como a apuração oficial da Justiça Eleitoral.

Está e a primeira pesquisa CNT/MDA neste segundo turno das eleições 2018, registrando uma diferença levemente menor do que a verificada na semana passada por institutos como Ibope e Datafolha, que traziam o capitão da reserva entre 58% e 59%. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Entre os votos totais, Bolsonaro aparece com 48,8% e Haddad, com 36,7%. Brancos e nulos são 11% e os indecisos somam 3,5%.

Além da desvantagem de catorze pontos percentuais, o candidato do PT ainda tem pela frente, faltando apenas seis dias para o segundo turno, um alto índice de rejeição. De acordo com a pesquisa, 51,4% dos eleitores disseram que não votariam no ex-prefeito de São Paulo “de jeito nenhum”. Os que rejeitam Bolsonaro são 42,7%.

A pesquisa foi realizada entre os dias 20 e 21 de outubro de 2018. Foram ouvidas 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 Unidades Federativas, das cinco regiões do país. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais com 95% de nível de confiança. A pesquisa está registrada no TSE, sob o número BR-00346/2018. (Veja)

Cid Gomes grava vídeo em apoio a Haddad; assista…

Blog do Esmael

O senador eleito Cid Gomes (PDT), irmão de Ciro Gomes, gravou um vídeo reiterando seu apoio à candidatura de Fernando Haddad (PT). Ele se queixou do uso indevido de imagens suas pelo candidato da extrema direita.

“Não é correto o que fez o outro candidato usando imagens minhas editadas, sem a minha autorização. Que não fique nenhuma dúvida. Neste segundo turno, Haddad é o melhor pro Brasil. Votarei no Haddad no dia 28.”

Petistas eleitos em primeiro turno fazem força-tarefa para ajudar Haddad…

Wellington Dias, eleito no primeiro turno no Piauí, quer aumentar a diferença do presidenciável no estado (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

Diante do baixo desempenho do candidato Fernando Haddad (PT) na corrida presidencial, nomes influentes do partido se organizam para tentar uma reviravolta na fase final da campanha. Em busca de votos perdidos ou não alcançados, os três governadores do partido que venceram em primeiro turno — Wellington Dias (PI), Rui Costa (BA) e Camilo Santana (CE) — se reuniram ontem nos respectivos estados, com dirigentes da legenda, deputados e outros apoiadores para organizar melhor as estratégias. Parlamentares eleitos também se articulam em outros estados para ampliar a margem de votos.

A rejeição de 47% do eleitorado ao petista, registrada ontem pelo Ibope, preocupa os correligionários de Haddad. Há ainda a “onda Bolsonaro”, que impede que alguns aliados demonstrem publicamente o apoio, com medo de perder votos, acredita um deputado federal recém-eleito. “Neste momento, pesa muito o interesse individual”, lamentou. Dos 28 candidatos a governadores dos 13 estados e do Distrito Federal que não liquidaram a fatura no primeiro turno, apenas três apoiam explicitamente Haddad: Fátima Bezerra (PT-RN), Belivaldo Chagas (PSD-SE) e Capi 40 (PSB-AP). Bolsonaro conta com o apoio de 15. O resto está neutro ou não decidiu.

Os três governadores petistas eleitos garantem intensificar a mobilização. No Piauí, a agenda deve ser agitada a partir de agora, segundo um membro da campanha do governador. No estado, o ex-prefeito de São Paulo teve o maior percentual de votos do país no primeiro turno: 63,4%, contra 18,76% do capitão reformado do Exército. Wellington Dias se reuniu ontem com membros da campanha e disse acreditar que é possível ampliar essa diferença. Ele aposta em conquistar votos que tenham sido direcionados a candidatos de outras legendas no primeiro turno, inclusive a Bolsonaro.

Continua…

Ibope: Jair Bolsonaro tem 59% e Fernando Haddad 41% dos votos válidos…

O Ibope divulgou, nesta segunda-feira (15), a primeira pesquisa do segundo turno das eleições. Nela, o candidato pelo PSL, Jair Bolsonaro aparece com  59% dos votos válidos, 18 pontos percentuais na frente de Fernando Haddad (PT), que aparece com 41%.

O cálculo considera apenas os votos válidos, aquele que exclui nulos, brancos e indecisos. O Ibope entrevistou 2.506 eleitores em 176 municípios do país. A pesquisa foi realizada nesse sábado (13) e domingo (14). A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Rejeição

A pesquisa revela ainda que Bolsonaro é o candidato que mais tem simpatizantes convictos: 41% votariam nele com certeza enquanto 35% não votariam de jeito nenhum. 

O novo dado também traz que Haddad é o mais rejeitado. Entre os entrevistados 47% não votariam no candidato e 28% dos eleitores manifestam certeza na escolha do petista para presidente. (Diário de Pernambuco)

Haddad chama Edir Macedo de ‘charlatão’; fala é ‘criminosa’, diz Universal…

Fernando Haddad, candidato do PT à Presidência da República, subiu o tom contra seu adversário, Jair Bolsonaro (PSL), e aliados do capitão reformado. Após participar de uma missa em uma igreja católica no Jardim Ângela, zona sul de São Paulo, o petista classificou como “fome de dinheiro” o apoio dado ao candidato pelo bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus e dono da TV Record. Haddad também o chamou o religioso de “charlatão”.

“Sabe o que é o Bolsonaro? Ele é o casamento do neoliberalismo desalmado, representado pelo Paulo Guedes, […] com o fundamentalismo charlatão do Edir Macedo. Isso é o Bolsonaro”, disse.

Haddad e a candidata a vice de sua chapa, Manuela D’Ávila, participaram da missa para celebrar o dia de Nossa Senhora Aparecida. O petista tem se aproximado de católicos, uma vez que Bolsonaro é apoiado por líderes de igrejas evangélicas e possui o amparo da chamada “bancada da Bíblia” no Congresso.

Na quinta-feira, 11, Haddad se encontrou com Dom Leonardo Steiner, secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). A instituição, que não declarou apoio oficial ao petista, pediu para que eleitores escolham, neste segundo turno, candidatos comprometidos com a democracia.

Repúdio

A Igreja Universal respondeu a Haddad. Por meio de uma nota de repúdio, publicada em sua página na internet, a instituição afirmou que as declarações são caluniosas e preconceituosas.

“Com sua fala criminosa, o ex-prefeito de São Paulo desrespeita não apenas os mais de sete milhões de adeptos da Universal apenas no Brasil, mas todos os brasileiros católicos e evangélicos que não querem a volta ao poder de um partido político que tem como projeto a destruição dos valores cristãos, como a família, a honra e a decência.” (Veja)

Haddad: Josué Gomes, um grande nome para Fazenda…

Jornal Extra
Por Reuters

(Reuters) – O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, disse em entrevista à rádio CBN ontem, quando questionado sobre o futuro ministro da Fazenda em eventual governo petista, que o empresário Josué Gomes da Silva seria “um grande nome” e que teria perfil para ocupar o posto.

Na entrevista, Haddad voltou a dizer que, se eleito, não nomeará um banqueiro para comandar a pasta e criticou o economista Paulo Guedes, escolhido pelo candidato do PSL, Jair Bolsonaro, rival do petista no segundo turno da eleição presidencial, para comandar a economia caso seja eleito.

O candidato do PT foi indagado se poderia adiantar algo sobre quem ocuparia o Ministério da Fazenda em seu eventual governo e foi diretamente indagado sobre Josué, que é filho do ex-vice-presidente da República nos governos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“O nosso ministro da Fazenda será um economista ou um empresário. Você citou um que é um grande nome, que foi cotado para ser vice na nossa chapa, que tem todas as condições, de perfil, e sensibilidade social. Ou seja, geração de empregos e não cortar direitos sociais. Este é o perfil que eu busco”, disse Haddad.

O petista disse que Guedes não entende de geração de empregos, mas sim de ganhar dinheiro “especulando no mercado financeiro”. Haddad lembrou que participou da equipe econômica do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como assessor especial do Ministério do Planejamento. (Por Eduardo Simões, em São Paulo)

Haddad salta e aparece com 38% das intenções de voto em PE, segundo Ibope…

A pesquisa mais recente JC/Ibope/TV Globo, divulgada na manhã desta sexta-feira, aponta que o petista Fernando Haddad (PT) saltou e aparece com 38% das intenções de voto em Pernambuco. No último levantamento, realizado no dia 17 de setembro, Haddad contava com 26%. 

Em seguida, o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, chega aos 19% das intenções. O pedetista Ciro Gomes permanece em terceiro lugar, com 9%, oscilando em relação a última pesquisa na qual apresentava 12%. 

Marina Silva (Rede) aparece com 6%, Geraldo Alckmin (PSDB), 4%. A margem de erro é de três pontos percentuais e o nível de confiança é de 95%. A pesquisa está registrada com os números TRE 07101/2018 e TSE 06913/2018. 

ISTOÉ: Bolsonaro 30, Haddad 24, Ciro 7 e Alckmin 5…

A pesquisa eleitoral Istoé-Sensus divulgada nesta quinta-feira, 27, mostra Jair Bolsonaro e Fernando Haddad isolados à frente dos demais candidatos. Em cenário de segundo turno, os dois estão tecnicamente empatados.

De acordo com o levantamento, Jair Bolsonaro, do PSL, lidera as intenções de voto com 30,6% no quadro estimulado (quando os nomes dos candidatos são apresentados ao eleitor). Fernando Haddad, do PT, tem 24,5%. Ciro Gomes, do PDT, 7,7%. Geraldo Alckmin, do PSDB, 5,6%. Marina Silva, da Rede, que durante bom tempo figurou em segundo nas pesquisas, no levantamento ISTOÉ/Sensus aparece apenas com 2,7%, seguida de João Amoedo, do Novo (1,9%); Alvaro Dias, do Podemos (1,7%) e Henrique Meirelles, do MDB (1,6%). Ou seja, a eleição polarizou de fato entre Bolsonaro e Haddad. Somente uma reviravolta improvável será capaz de tirar os dois do segundo turno. “O quadro do primeiro turno está definido”, afirma Guedes. “O que acontecerá no segundo turno dependerá agora do desempenho de cada candidato, seus partidos, seus programas e militantes no segundo turno”.

Nas simulações de segundo turno, permanece quadro de divisão do País, com empate entre os candidatos. De acordo com a pesquisa ISTOÉ/ Sensus, Bolsonaro teria 37,2% das intenções de voto no segundo turno, contra 36,3% de Fernando Haddad. Nas simulações contra os demais candidatos, os percentuais aumentam, reforçando a ideia de que o embate se dá mesmo entre os dois. Bolsonaro teria 35,1% contra 33,5% de Ciro Gomes. Contra Alckmin, seria 38% versus 26,4%, em favor de Bolsonaro. Na disputa contra Marina, 37,4% a 26,5%, também pró-candidato do PSL. Já Haddad venceria Ciro por 29,8% contra 25,6% e prevaleceria também sobre Alckmin (35,1% a 22,3%). Contra Marina, Haddad teria 37,3% e ela 17,5%.

No quadro que mostra as intenções de voto espontâneas dos eleitores (quando o eleitor indica seu voto de memória, sem a lista dos candidatos), Bolsonaro ostenta 28% e Haddad 21,8%. Ou seja, não há grande diferença. “Quando o espontâneo cola no estimulado, isso significa cristalização das eleições”, afirma Guedes. Os eleitores, assim, já definiram suas escolhas. Somados, Bolsonaro e Haddad totalizam 51,5% das intenções de voto. Com 21,6% de brancos, nulos e ausência de respostas, os demais onze candidatos disputam 23,3% do voto do eleitorado. Portanto, só uma hecatombe alteraria o resultado do primeiro turno.

Para consolidar esse quadro, a pesquisa revela ainda 80,4% do eleitorado já decidiu o candidato da sua preferência. O Sensus ouviu 2 mil eleitores em 136 municípios de 24 estados das cinco regiões do país entre os dias 21 e 24 de setembro. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, para mais ou para menos. O índice de confiança da pesquisa é de 95%. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número BR-02407/2018.

Outro aspecto importante revelado pelo levantamento ISTOÉ/Sensus é que o voto útil tornou-se, de fato, uma ferramenta considerada por boa parte dos eleitores. Normalmente, numa eleição de dois turnos, o eleitor vota primeiro naquele candidato de sua preferência, exercendo a escolha no que lhe parece menos pior apenas no segundo turno. A pesquisa indica que tal situação já pode acontecer no domingo 7. Um percentual de 35,8% dos entrevistados afirma considerar o voto útil no primeiro turno. Destes, 23,1% já afirmam que assim farão. E 12,7% admitem votar em um candidato que não seja da sua preferência para evitar que outro candidato seja eleito. Os dois candidatos que lideram a pesquisa apresentam rejeição acima de 40%. Fica claro, de novo, o caráter plebiscitário da disputa. O eleitor votará pensando menos no que almeja e mais do que não deseja para os próximos quatro anos.

Fonte: ISTOÉ

TSE autoriza campanha a dizer que “Haddad é Lula”…

O Tribunal Superior Eleitoral autorizou na noite desta quarta-feira (26), por 6 votos a 1, que a campanha do candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, utilize como slogan “Haddad é Lula”.

Os ministros analisaram e rejeitaram uma representação apresentada pelo Partido Novo questionando propagandas da coligação do PT. Eles decidiram que a assinatura não gera confusão entre os eleitores sobre quem é o presidenciável da legenda.

O ministro Sérgio Banhos, relator da matéria, votou para considerar a assinatura da campanha petista irregular. Mas ele acabou isolado.  O ministro Edson Fachin foi o primeiro a divergir e sustentou que não se verifica no caso qualquer desinformação. A posição de Fachin foi seguida pelos ministros Alexandre de Moraes, Jorge Mussi, Og Fernandes, Tarcísio Vieira de Carvalho e Rosa Weber.

“A figura do apoiador vitaminado, hipertrofiado é ilícita? Não é. Gera confusão? Não gera. Fica muito claro que o candidato Haddad se socorre do ex-presidente Lula para obtenção de votos. Mas em momento algum aqui parece há tentativa de se ter Lula como candidato. Olha, eu sou o candidato do Lula. Em alguns locais Haddad é chamado de Andrade, mas é chamado de candidato do Lula. Não dizem que é vice de Lula. É escancarado que Haddad é o candidato do Lula”, argumentou Moraes.  (BR 247)

Ibope/CNI: Bolsonaro tem 27%, Haddad, 21%; Ciro, 12%; Alckmin, 8%…

O Globo

Pesquisa Ibope contratada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e divulgada nesta quarta-feira mostra o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, na liderança com 27% das intenções de voto. Em segundo lugar, está Fernando Haddad (PT), com 21%; seguido por Ciro Gomes (PDT), com 12%; e Geraldo Alckmin, com 8%. Marina Silva (Rede) tem 6%.

A pesquisa ouviu 2 mil pessoas nos dias 22, 23 e 24 de setembro, em 126 municípios. Na última segunda-feira, o mesmo instituto divulgou uma outra pesquisa, contratada pela TV Globo, em que 2.506 pessoas foram ouvidas entre os dias 22 e 23 de setembro. Houve pouca variação: Bolsonaro oscilou um ponto para baixo, assim como Haddad, enquanto Ciro oscilou um para cima, e Alckmin continuou no mesmo patamar.

Assim como na pesquisa divulgada na segunda-feira, numa simulação de segundo turno Bolsonaro perde para os principais candidatos, menos para Marina Silva. Num eventual cenário contra Haddad, ele fica com 38% contra 42% do petista.

Nesta pesquisa, Marina oscilou de 5% para 6% das intenções de voto, João Amoêdo (Novo) manteve 3%, Álvaro Dias (Podemos) manteve 2%, assim como Henrique Meirelles, e não sabem ou não responderam 7% dos entrevistados. Vera Lúcia (PSTU), Eymael (DC), Cabo Daciolo (Patriota) João Goulart Filho (PPL) não pontuaram.

A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos, e o nível de confiança é de 95%. O novo levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número BR-04669/2018.

O Ibope também mediu a taxa de rejeição dos candidatos. Quando perguntados em quem não votaria de jeito nenhum, 44% apontaram Jair Bolsonaro. Fernando Haddad tem 27% de rejeição, o mesmo patamar de Marina Silva. A rejeição dos outros candidatos foi: Alckmin, 19%; Ciro Gomes, 16%; Cabo Daciolo, 11%; Meirelles, 11%; Eymael, 10%; Álvaro Dias, 9%; Guilherme Boulos, 9%; Vera Lúcia, 9%; João Amoêdo, 8% e João Goulart Filho, 7%. Poderiam votar em todos 2% dos entrevistados; e não sabem ou não responderam 7%.

SEGUNDO TURNO

O Ibope ainda fez quatro simulações de segundo turno, todas com a presença de Jair Bolsonaro. O candidato do PSL só venceria numericamente Marina Silva.

Na disputa entre Fernando Haddad e Jair Bolsonaro, o petista tem 42% das intenções de voto, contra 38% do candidato do PSL. Dos entrevistados, 16% disseram votar em branco ou nulo nesta hipótese e não sabem ou não responderam 4%.

Na disputa entre Bolsonaro e Marina Silva, o candidato do PSL tem 40%, contra 38% da ex-ministra. Brancos e nulos somariam 19% e 3% não sabem ou não responderam.

Powered by WordPress | Designed by: diet | Thanks to lasik, online colleges and seo