Allez Les Bleus! França bate Croácia e vence a Copa do Mundo…

Na final com mais gols na Copa do Mundo em 52 anos, a França conquistou o título pela segunda vez. A equipe passou sufoco, foi dominada durante o primeiro tempo mas deslanchou na etapa final e Leia mais »

Festa de Emancipação Política do Bom Jardim-PE…

Leia mais »

Saiba o que fazer em caso de picada de escorpião…

G1 As picadas de escorpião já são responsáveis por mais mortes no Brasil do que as picadas de cobra. Encontrados em áreas urbanas, os escorpiões se reproduzem com facilidade e costumam se Leia mais »

1º Fest Bandas de João Alfredo…

Leia mais »

Armando recebe apoio de deputado federal do PP em giro pela Mata e RMR⁩…

Após um dia de intensa atividade em municípios da Região Metropolitana do Recife e da Zona da Mata, o senador Armando Monteiro (PTB) finalizou o giro deste sábado (14) com uma importante Leia mais »

Tag Archives: candidatura

Confirmação de Marília Arraes é péssimo sinal para o PSB …

Nas últimas semanas a pré-candidatura de Marília Arraes ao governo de Pernambuco ganhou ares de consolidação, sobretudo após a visita de Gleisi Hoffmann ao estado, quando reuniu-se com o governador Paulo Câmara e não houve nenhum indicativo de que PT e PSB marchariam juntos no estado.

O enredo da retirada de Marília Arraes terminou por passar a imagem de que o PSB estava desesperado para tirá-la a todo custo do páreo, caso conseguisse o governador Paulo Câmara daria uma grande demonstração de força, e isso traduziria em maior confiança da classe política na sua perspectiva de vitória. Como ao que tudo indica a tentativa foi fracassada, o Palácio do Campo das Princesas caminha para sofrer um duro golpe na tentativa de manter a hegemonia do PSB no estado.

O governador Paulo Câmara ao dizer que votaria em Lula em qualquer hipótese, passou a impressão de que não tem força suficiente no PSB nacional para levar seu partido para uma aliança com o PT. Em outras palavras, ele deixou claro que não levará o partido para a aliança nacional com o PT. Se o governador de Pernambuco, que é o principal estado sob o comando do partido, não tem força para indicar uma aliança nacional, ele mostra claramente que não exerce qualquer tipo de influência no seu partido, mesmo tendo a envergadura do cargo que ocupa.

Ao supervalorizar a aliança com o PT no estado e não conseguir viabilizá-la, Paulo Câmara deu mostras de fragilidade na tentativa de reeleição. Com Marília no páreo, praticamente fica cristalizado o segundo turno, e como se sabe que na segunda etapa a base de sustentação de um governo geralmente fica mais dispersa, é pouco provável que Paulo Câmara tenha resultado diferente do obtido por Mendonça Filho em 2006, pois quem ganhou vai pra casa descansar e quem perdeu vai colocar a culpa no governador e tentar tirar o prejuízo votando na oposição.

Faltando poucos dias para a definição das convenções partidárias, Paulo Câmara corre um risco muito alto de nem ter o MDB e muito menos o PT na sua coligação, o que ampliaria suas chances de não conseguir convencer o eleitor a votar nele, e o que é pior, tem um risco de perder dois potenciais candidatos a senador na sua chapa, Jarbas Vasconcelos e Humberto Costa, na reta final das definições sem ter nomes a altura para colocar no lugar. (Por Edmar Lyra)

Flávio Rocha desiste de ser candidato à Presidência…

Flávio Rocha, que disputaria a Presidência pelo PRB, desistiu da candidatura

O dono da Riachuelo, o empresário Flávio Rocha, que, até o momento, era tido como nome na disputa pela Presidência da República, retirou a sua candidatura e eliminou todas as chances de concorrer nesta sexta-feira (13). “Eu e o meu partido, o PRB, entendemos que o Brasil passa por um momento turbulento, que não pode flertar com os extremos. Por isso, mais do que nunca, vemos como necessário que todos que sonham com um Brasil livre e democrático se unam num único projeto de convergência”, justificou, em vídeo divulgado por sua equipe de campanha. (Por: Gabriella Autran)

Candidatura de Marília Arraes reedita 2006 e lhe garante chances de vitória …

Na semana que passou cresceram as chances de Marília Arraes ser candidata ao governo de Pernambuco. O próprio movimento do PSB de sinalizar dar a vice a Luciana Santos está sendo interpretado como um reconhecimento de que a candidatura de Marília pode avançar para se consolidar, isto porque o governador Paulo Câmara não conseguiu levar o PSB para a aliança nacional com o PT, mesmo governando o principal estado do partido.

Caso se confirme a postulação de Marília, caminharemos para três candidaturas competitivas ao governo, e reeditaríamos as condições que levaram Eduardo Campos ao Palácio do Campo das Princesas em 2006. Os dois postulantes colocados, Paulo Câmara e Armando Monteiro, não conseguiram empolgar o eleitorado. O primeiro, eleito pela aprovação do governo Eduardo Campos atrelada a uma ampla frente política e a comoção gerada pela morte do ex-governador em 2014, passou três anos e meio no cargo e não conseguiu dar uma roupagem política ao seu governo, o que tem lhe dado críticas severas da sociedade e uma elevada rejeição ao seu governo.

Já o segundo, derrotado em 2014, Armando Monteiro não conseguiu polarizar a situação com o atual governador, e não capitalizou politicamente um único voto com a dificuldade de Paulo Câmara. Muito pelo contrário, fazendo um parâmetro das suas intenções de voto nas pesquisas atualmente com a sua votação final de 2014, Armando Monteiro está menor eleitoralmente e politicamente, causando-lhe dificuldades para crescer durante a campanha, uma vez que não está conseguindo desvencilhar-se da pecha de candidato do palanque de Temer.

Marília Arraes não conta com a estrutura de Paulo Câmara nem com a retaguarda de Armando Monteiro, mas sendo candidata será a representante de um projeto de mudança que signifique novidade. Além do mais, ela canalizará um projeto que é aprovado pelo eleitorado, que é defender o legado de Lula em Pernambuco. Se porventura consolidar sua candidatura, Marília contará em todos os municípios do estado com defensores que trabalharão de graça pelo seu projeto, sempre tendo um lado do município.

Marilia está longe de ser igual a Eduardo Campos, que era extremamente diferenciado, mas ela também é neta de Arraes, é candidata de Lula, e representa a mudança, que assim como em 2006, está sendo solicitada pelo eleitor pernambucano que desaprova Paulo Câmara e que não sente em Armando a verdadeira alternativa de mudança. Marília canaliza tudo isso, força o segundo turno, tende a estar nele e dificilmente perderia para seu adversário na segunda etapa caso seja mesmo candidata. Sua entrada no páreo é o pesadelo do PSB e da oposição liderada por Armando, que poderá ser obrigada a apoiá-la no segundo turno. (Por Edmar Lyra)

Ni do Badoque anuncia pré-candidatura para deputado estadual pelo Progressistas…

Ontem (19), o humorista e Youtuber Ni do Badoque reuniu os fãs, amigos e familiares para anunciar sua pré-candidatura para deputado estadual pelo partido Progressistas.

Com o apoio do líder do partido em Pernambuco, deputado federal Eduardo da Fonte e do pré-candidato a deputado federal, o empresário e advogado Beto Rabelo, Ni do Badoque aproveitou a ocasião na sede do partido para exibir o resumo de sua história e trajetória, mostrando seus vídeos em comunidades carentes, sempre expressando as dificuldades dos moradores.

O recifense Nielson José conta que teve uma infância com muitas dificuldades financeiras e ajudava a mãe a vender espetinhos no bairro Lagoa do Araçá.

“O povo merece mais e o meu principal papel dentro da política é lutar a favor das comunidades”, enfatiza o pré-candidato.

Bruno Araújo pode ser o representante oposicionista em 2020…

Faltando pouco para confirmar o que todo mundo já sabe, que é o de que Bruno Araújo não será candidato a senador nestas eleições, alguns oposicionistas já pensam em 2020 quando estará completando o segundo mandato de Geraldo Julio e naturalmente alguns atores surgem como alternativa real para o processo eleitoral da prefeitura do Recife.

É óbvio que não dá para antecipar a disputa de 2020, mas fica claro que independentemente do resultado de governador, esta tropa formada por PSDB, DEM, PRB, PTB, PV, Podemos e PPS deverá estar unida na disputa municipal pela capital pernambucana, pois está claro que Geraldo Julio não tem um sucessor natural e se houver uma unidade oposicionista, aumentam as chances deste grupo lançar um candidato com chances reais de vitória.

Ao sair da disputa majoritária de 2018, Bruno Araújo facilitou a atração de outras legendas, como a chegada do PSC para o grupo que compõe o Pernambuco Vai Mudar e abriu uma chance para que Armando Monteiro e Mendonça Filho pudessem formar uma frente política mais ampla com vistas as eleições. Porém, Bruno que novamente deverá ser eleito para a Câmara Federal, tem perfil de majoritário, sobretudo pelo papel que exerce no PSDB, que é de longe o partido mais representativo da oposição.

Ele surge como um nome que nunca disputou e perdeu majoritária e ainda tem um aspecto jovem, mesmo tendo 46 anos, tem aparência de alguém de menor idade. Seria um nome novo para o processo eleitoral da prefeitura. A tese ganhará mais força se Armando Monteiro for eleito governador e Mendonça Filho chegar ao Senado, uma vez que os nomes da oposição com possibilidade de disputa no Recife saíram menores do que entraram em 2016, vide Daniel Coelho e Priscila Krause, que apesar de jovens, tornaram-se produtos vencidos. (Por Edmar Lyra)

Armando admite que caminhada não será fácil…

Em seu discurso durante o lançamento da chapa majoritária de oposição, o senador e pré-candidato ao Governo do Estado, Armando Monteiro Neto (PTB), convocou todos os setores para o diálogo.

Ele prometeu visitar as 12 microrregiões de Pernambuco para ouvir as pessoas. “Meu pai sempre me disse que a vida pública não é o espaço da comunidade e do conforto”, declarou o senador diante da dificuldade de enfrentar o governo do PSB, que está no comando do estado há três mandatos.

Antonio Souza assegura apoio de Marina Silva e pré-candidatura ao Senado ganha corpo…

Único fato novo na disputa pelo Senado Federal, o empreendedor social Antonio Souza saiu da reunião com Marina Silva com um grande trunfo nas mãos: o apoio da presidenciável, líder maior da Rede Sustentabilidade, à sua pré-campanha ao Senado Federal. Com a garantia de Marina que o partido apoiará a sua candidatura, Antonio engrossa cada vez mais o pescoço rumo à Casa Alta.

Depois do movimento, a pré-campanha de Antonio, que vem ganhando corpo toda semana, com sucessivos apoios políticos, tem tudo para deslanchar de vez. Ele entra na disputa com a experiência de empreendedor social que superou uma infância de pobreza e doença para ter obtido o sucesso na vida empresarial; seu principal ativo para ingressar na vida pública.

O empreendedor social é o único postulante, vale salientar, que já agregou seis partidos no seu futuro palanque. Estão com ele, além da Rede, o PTC, PPL, PRP, PMN e o PROS. Antonio é também o único pré-candidato ao Senado que defende temas sensíveis aos pernambucanos como a implantação da Zona Franca do Semiárido Nordestino, uma área de livre comércio semelhante à de Manaus, e a instalação do INSS Digital em todo o estado.

Marina Silva, que confirmou vinda ao Recife para ato de Antonio Souza ainda a ter sua data definida, foi só elogios ao pré-candidato da Rede. “É uma satisfação poder conhecer você. Parabéns pela história, pela trajetória. E parabéns pela escolha que faz de caminhar conosco na Rede Sustentabilidade. Vamos trabalhar para a gente mudar o Brasil; mudar o estrado de Pernambuco. Para a gente ter melhores dias. Ninguém melhor do que aqueles que conseguem liderar pelo exemplo. Uma vida que mostra como é possível superar as dificuldades”, disse Marina, em um vídeo postado nas redes sociais. (Edmar Lyra)

Armando Monteiro animado para o embate de outubro …

O senador Armando Monteiro será oficializado na próxima segunda-feira como pré-candidato a governador de Pernambuco pela frente Pernambuco quer mudar. Na disputa, além da fadiga de material de 12 anos do PSB, o senador aposta numa frente mais ampla e mais robusta do que em 2014 quando tentou pela primeira vez chegar ao Palácio do Campo das Princesas.

Se em 2014 contava-se todos os partidos de uma coligação para o tempo de televisão, neste pleito a legislação mudou, e agora Armando terá PSDB, DEM, PTB e PRB que possuem bom tempo para a contabilidade, quando apenas seis siglas representarão o conjunto do guia.

Com um guia maior, Armando terá melhores condições de igualar o jogo contra Paulo Câmara, que terá o desafio de manter a hegemonia socialista em Pernambuco. Além do mais, está evidente a unidade da oposição em torno de Armando, que foi beneficiado pelas circunstâncias que o colocaram como candidato natural do grupo.

O senador também terá um importante parceiro nesta jornada, o ex-ministro Mendonça Filho, que topou disputar o Senado na chapa de Armando garantindo um projeto que terá capilaridade política para o pleito.

Candidatíssimo a governador, Armando está animado com a empreitada e espera repetir o seu avô, Agamenon Magalhães, chegando em 2019 ao Palácio do Campo das Princesas. (por Edmar Lyra)

Temer desiste de candidatura e anuncia Meirelles pelo MDB…

O presidente Michel Temer anunciou nesta terça-feira (22) sua desistência de concorrer a mais quatro anos à frente do Palácio do Planalto e lançou o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles como pré-candidato à Presidência pelo MDB. “Nós chamamos você para ser presidente do Brasil”, disse Temer ao fim de um discurso em evento do MDB, em Brasília, para o lançamento do documento “Encontro com o Futuro”.

A informação foi antecipada pela reportagem da Folha de S.Paulo na última sexta (18), de que Temer havia decidido anunciar sua desistência em ser candidato no evento da legenda.

O presidente fez um discurso de mais de 15 minutos no qual fez elogios ao ex-ministro da Fazenda. “Digo sem errar que o Meirelles é o melhor entre os melhores.” Temer falou ainda esperar que o ex-chefe da equipe econômica seja o único candidato de centro à Presidência da República.

Ele disse ainda que sentirá muito orgulho se um dia Meirelles for eleito presidente.
Ao elogiar os atos de seu governo na área econômica, Temer disse ainda que o país estará em boas condições para o próximo presidente. “Meirelles, você vai pegar o país com uma tranquilidade absoluta”, afirmou.  (FolhaPress)

PT vai à briga se TSE vetar candidatura de Lula…

Diante das informações de que ministros do TSE buscam uma forma de rejeitar a inscrição de Lula na corrida presidencial de ofício, sem dar margem para discussão, a direção do PT começou a levantar casos de candidatos que disputaram eleições com registros indeferidos e depois, escolhidos pelo voto, reverteram a inelegibilidade.

O estudo, conduzido pelo advogado Luiz Fernando Pereira, usa dados a partir de 2002 e vai sustentar a ofensiva retórica do partido nas ruas e nos tribunais.

PT sabe que será difícil encontrar apoio à causa, especialmente porque o ministro Luiz Fux, que estará no comando do Tribunal Superior Eleitoral em agosto, quando haverá o registro de candidaturas, já deu declarações que indicam posição contrária à inscrição de Lula.

Pereira sustenta tese segundo a qual o que existe hoje em relação ao ex-presidente é uma inelegibilidade provisória.

Com base no material colhido pelo advogado, o partido produzirá campanhas com o mote “Lula será exceção à regra?”.

Já o documento “Encontro com o Futuro”, que o MDB apresentará na terça (22), dedica capítulo ao Nordeste. O texto destacará propostas de valorização da economia e de políticas sociais para a região. (Daniela Lima – Folha de S.Paulo)

Paulo Câmara estará em Brasília para sacramentar retirada de Marília Arraes…

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, ontem esteve reunida com o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, e o ex-prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda. Na conversa ficou acertada a aliança em Minas Gerais para a reeleição do governador Fernando Pimentel, e também sacramentou a retirada de Marília Arraes do páreo.

Hoje o governador Paulo Câmara e o prefeito do Recife Geraldo Julio irão a Brasília apenas para consolidar a decisão já tomada pelo PT nacional de aliança entre os dois partidos em Pernambuco. Este desfecho teve as digitais do senador Humberto Costa, que por ter guilhotinado Marília Arraes, deverá ser recompensado com a candidatura à reeleição para o Senado na chapa do governador Paulo Câmara. (Por Edmar Lyra)

Marília tende a ser esmagada pelo PT nacional…

A cúpula do PT pernambucano já tem uma data acertada, o chamado timing, para decidir se a vereadora Marília Arraes será candidata ou não ao Governo do Estado pela legenda: dia 10 de junho. É muito improvável que sua candidatura se viabilize. Apesar de se situar bem nas pesquisas, aparecendo na casa dos 14% a 15%, em algumas empatando tecnicamente com o governador Paulo Câmara (PSB) e o senador Armando Monteiro (PTB), a parlamentar neopetista dificilmente viabilizará seu projeto, porque os mandatários do feudo petista preferem o alinhamento ao PSB, em apoio à reeleição do governador.

Ainda a maior liderança do PT no Estado, o senador Humberto Costa ocupou a tribuna do Senado na semana passada para defender a aliança com Câmara, sob a alegeção de que no plano nacional o PSB não terá um candidato próprio a presidente, caminhando provavelmente para uma coligação com o PT. Ele pegou como “gancho” a desistência do ex-ministro do STF, Joaquim Barbosa, que chegou a se filiar ao PSB com a intenção de disputar a Presidência da República, mas jogou a toalha antes do jogo começar. “É uma coalizão de forças que, quando couber, deve ser repetida nos Estados. E eu entendo que isso deve ocorrer em Pernambuco, onde o PDT e o PCdoB já formam uma aliança com o governador Paulo Câmara, do PSB”, alega Humberto.

Marília sabe das enormes dificuldades que terá para se contrapor a esse projeto, que vem de cima para baixo, ou seja, da cúpula nacional, em Brasília, mas está fazendo a sua parte, tendo marcado um ato em defesa da sua candidatura para o próximo dia 20, no Recife. Ela tem uma grande militância e bases no interior torcendo e trabalhando pela sua candidatura. Isso, entretanto, não tem muita importância no processo, devido ao peso que representa a executiva nacional, a quem cabe a decisão.

Se não se viabilizar, Marília deve sair candidata a deputada estadual ou federal, sendo mais provável a última opção devido ao crescimento do seu nome no segmento do voto de opinião com a exposição que vem tendo na mídia desde que se colocou como pré-candidata a governadora. (Magno Martins)

Powered by WordPress | Designed by: diet | Thanks to lasik, online colleges and seo