Ciro critica Bolsonaro: “Nazista fdp”…

Bruno Góes – O Globo O candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, discursou ontem, em Goiânia (GO), contra o “militarismo”, “o radicalismo” e a “cultura do ódio”. Terminou sua fala xingando o Leia mais »

Militância de Alckmin contra Bolsonaro no Recife:”Ele não!”…

Em sua chegada para uma palestra sobre pessoas com deficiência, numa faculdade particular do Recife, o candidato a presidente da República pelo PSDB, Geraldo Alckmin, a militância que o aguardava endossou o discurso Leia mais »

Após empate nas pesquisas, Paulo e Armando trocam farpas…

O governador e candidato à reeleição pelo PSB, Paulo Câmara, e o senador e candidato ao Governo de Pernambuco pelo PTB, Armando Monteiro Neto, trocaram diversas farpas, hoje, através de notas enviadas Leia mais »

Bolsonaro “promete salvação”, mas “ameaça o Brasil e a América Latina”, diz The Economist…

A revista inglesa The Economist, referência em todo o mundo, dedica a capa desta semana ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), “a mais recente ameaça da América Latina”. No editorial que repete a manchete, acrescenta o Leia mais »

Um fim de semana para Alckmin, Haddad e Ciro em PE…

Na pesquisa Datafolha, divulgada ontem, Geraldo Alckmin (9%), aparece tecnicamente empatado com Ciro Gomes (13%), que, por sua vez, empata na margem de erro com Fernando Haddad (16%). Os três presidenciáveis estarão Leia mais »

Tag Archives: candidato ao Senado

PSDB sacramenta Bruno Araújo no Senado…

Um tucano nacional de alta plumagem afirmou que o martelo já está batido e Bruno Araújo será mesmo candidato a senador. Ele cumprirá a missão de dar sustentação a Geraldo Alckmin em Pernambuco. Bruno deverá oficializar a decisão nos próximos dias.

A entrada do tucano na majoritária poderá colocar melhores condições a André Régis na disputa e ainda colocar João Lyra Neto para ser candidato a deputado federal, sendo o nome apoiado pela prefeita Raquel Lyra em Caruaru, herdando parte das bases de Bruno. (Edmar Lyra)

Bruno Araújo no Senado pode ser o fato novo na eleição …

No exercício do seu terceiro mandato como deputado federal, Bruno Araújo ascendeu ao ministério das Cidades após o impeachment de Dilma Rousseff e chegada de Michel Temer ao Palácio do Planalto. Até deixar a pasta no final de 2017, Bruno consolidou-se como a principal liderança do PSDB de Pernambuco, tanto que acabou assumindo a presidência estadual da sigla.

Desde a construção do palanque oposicionista que Bruno Araújo era lembrado para integrar a chapa majoritária, sobretudo pelo seu excelente trânsito entre prefeitos de todo o estado. Os prefeitos do PSDB possuem verdadeira admiração por ele, e sempre quiseram que ele estivesse na disputa majoritária, uma vez que ele sempre disputou cargos proporcionais e acreditavam que este seria o momento de entrar no jogo com vistas ao Senado.

O processo envolvendo o seu nome no Supremo Tribunal Federal foi arquivado na semana passada, ele era um óbice para que Bruno integrasse a chapa majoritária, devido a uma decisão conjunta de que quem estivesse respondendo a processos não integraria a chapa oposicionista. Após o arquivamento, o seu nome voltou a ganhar força para a disputa pelo Senado.

Tucanos avaliam que a disputa está completamente aberta, pois acreditam que Jarbas Vasconcelos dificilmente terá a legenda do MDB para a disputa devido o imbróglio jurídico envolvendo o comando do partido, uma vez que mesmo que decida candidatar-se ao Senado, passará a campanha toda no risco de ter seus votos anulados. No caso de Humberto Costa, ainda há um risco de o PT lançar Marília Arraes, o que faria o senador optar por uma candidatura a deputado federal. Então, isso acaba favorecendo a entrada do tucano no páreo.

O PSDB também não tem um nome natural para a vice de Armando Monteiro, pois Guilherme Coelho é visto como alguém que pouco agregaria ao projeto liderado pelo petebista, então caberia aos tucanos voltar ao jogo de senador com Bruno Araújo, sobretudo após a sinalização de André Ferreira de que entrar na disputa para o Senado na chapa oposicionista não seria algo exigido pelo deputado estadual. André poderá ser candidato a deputado federal e apoiar tranquilamente o segundo nome da chapa que seria Bruno.

Caso o tucano entre no páreo, e está sendo muito pressionado a isso, teremos um quadro bastante diferenciado, uma vez que os principais partidos oposicionistas estarão contemplados na majoritária com nomes com envergadura para o posto. A entrada de Bruno no jogo também tem o indicativo de que ele, Armando e Mendonça estarão confiantes na vitória oposicionista em outubro, e abriria a vaga de vice para um novo partido que esteja chegando para a oposição ou ser ocupada por algum nome de envergadura no conjunto de forças que já estão sustentando o projeto de Armando Monteiro. (Por Edmar Lyra)

André pode não ser anunciado ainda, mas é esperado na chapa…

A interlocutores, o deputado estadual André Ferreira já teria sinalizado a intenção de promover um evento, mesmo que em momento posterior, para anunciar sua postulação ao Senado. O assunto, segundo pessoas próximas, estaria praticamente definido entre ele e membros da oposição. Ontem, havia quem nem descartasse que o nome dele viesse a ser anunciado na próxima segunda-feira, quando serão lançados, em evento, o senador Armando Monteiro Neto como cabeça de chapa e o deputado federal Mendonça Filho, como um dos postulantes à Casa Alta. A estratégia dos oposicionistas, no entanto, seria não divulgar a chapa completa ainda, de forma a aguardar novos movimentos que poderão acontecer.

O PSC, partido de André, seria um a mais a agregar ao bloco dos oposicionistas, razão pela qual tucanos vinham incensando essa costura, admitindo, inclusive, indicar a vice e deixar o espaço do Senado a ser ocupado por André. Ontem, o deputado estadual participou de uma reunião nacional do PSC, em Brasília, na qual ficou entendido que sua postulação à Casa Alta é prioridade para o partido. Leia-se: se não há espaço na chapa de Paulo Câmara, com quem André teve várias conversas, essa candidatura deverá ser concretizada nas hostes oposicionistas. Nesse processo, a pessoas próximas, André já revelou que o presidente da Assembleia Legislativa, Guilherme Uchoa, a despeito de sua relação estreita com o Palácio das Princesas, não seria empecilho. O pedetista já teria ingressado no PSC ciente dessa possibilidade e já viu o PDT, seu antigo partido, votar em Armando Monteiro, enquanto ele defendeu Paulo Câmara. Ontem, André já dizia a aliados que julho – tempo estabelecido pelo PT para seus encontros estaduais – ficou tarde demais. Se o PSB, então, aguarda o tempo do PT, o PSC, visando ao projeto majoritário, vai definindo seu futuro antes disso com o bloco da oposição. (Renata Bezerra de Melo / Folha de Pernambuco)

Powered by WordPress | Designed by: diet | Thanks to lasik, online colleges and seo