Ciro critica Bolsonaro: “Nazista fdp”…

Bruno Góes – O Globo O candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, discursou ontem, em Goiânia (GO), contra o “militarismo”, “o radicalismo” e a “cultura do ódio”. Terminou sua fala xingando o Leia mais »

Militância de Alckmin contra Bolsonaro no Recife:”Ele não!”…

Em sua chegada para uma palestra sobre pessoas com deficiência, numa faculdade particular do Recife, o candidato a presidente da República pelo PSDB, Geraldo Alckmin, a militância que o aguardava endossou o discurso Leia mais »

Após empate nas pesquisas, Paulo e Armando trocam farpas…

O governador e candidato à reeleição pelo PSB, Paulo Câmara, e o senador e candidato ao Governo de Pernambuco pelo PTB, Armando Monteiro Neto, trocaram diversas farpas, hoje, através de notas enviadas Leia mais »

Bolsonaro “promete salvação”, mas “ameaça o Brasil e a América Latina”, diz The Economist…

A revista inglesa The Economist, referência em todo o mundo, dedica a capa desta semana ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), “a mais recente ameaça da América Latina”. No editorial que repete a manchete, acrescenta o Leia mais »

Um fim de semana para Alckmin, Haddad e Ciro em PE…

Na pesquisa Datafolha, divulgada ontem, Geraldo Alckmin (9%), aparece tecnicamente empatado com Ciro Gomes (13%), que, por sua vez, empata na margem de erro com Fernando Haddad (16%). Os três presidenciáveis estarão Leia mais »

Tag Archives: Bruno Araújo

Bruno Araújo entra definitivamente na disputa pelo Senado…

Último candidato das duas principais chapas ao Senado, Bruno Araújo era visto como alguém que demorou muito a entrar no jogo e arriscar de forma considerável o seu mandato praticamente garantido de deputado federal. Eleito em 2014 com 131.768 votos, Bruno Araújo foi o sétimo mais votado daquele pleito e teria uma reeleição encaminhada após sua passagem pelo ministério das Cidades.

Tão logo definiu pela sua candidatura a uma vaga na Câmara Alta, Bruno se diferenciou de alguns de seus adversários na disputa e não lançou substitutos, distribuindo suas bases com vários deputados federais, isso fez com que o meio político começasse a observar com outros olhos a sua postulação.

Ontem a pesquisa Ibope trouxe uma notícia positiva para sua candidatura, que já lhe colocou com dois dígitos para o Senado, e lhe aproximou de seus principais adversários, Jarbas Vasconcelos, Mendonça Filho e Humberto Costa. Mas a grande evidência foi a oficialização do apoio do PP, que está na Frente Popular, para a sua candidatura, cujo partido tem condições de atingir até 1,4 milhão de votos para deputado estadual, elegendo até 17 parlamentares, e possui ainda o candidato com potencial para ser o mais votado na disputa de deputado federal que é Eduardo da Fonte.

Hábil articulador político, Bruno Araújo ainda é desconhecido de quase 70% do eleitorado, então com um bom guia eleitoral e com uma rede de apoios as chances de crescimento são significativas, pois seus principais adversários possuem recall de disputas majoritárias anteriores.  Diferentemente do que muitos apostavam, Bruno está no jogo e poderá emplacar um mandato, que até então parecia distante. (Edmar Lyra)

A competitividade de Bruno Araújo para o Senado …

No exercício do seu terceiro mandato como deputado federal, sempre figurando entre os dez mais votados, Bruno Araújo decidiu entrar na sua primeira disputa majoritária. Foi o último dos principais candidatos a oficializar o seu nome por uma vaga de senador. Com apenas 46 anos, Bruno também tem no currículo dois mandatos de deputado estadual e a presidência da Assembleia Legislativa de Pernambuco com apenas 28 anos, sendo o mais jovem deputado a presidir aquela Casa.

De todos os postulantes ao Senado, é de longe o que mais exercita o poder de articulação e possui excelente trânsito entre os pares e principalmente entre os prefeitos pernambucanos. Bruno após oficializar sua postulação a senador já recebeu sinalização de diversos prefeitos de todas as regiões do estado, além disso teve um grande diferencial ao decidir não lançar nenhum candidato a deputado federal em seu lugar, dividindo suas bases entre os colegas que pudessem lhe apoiar.

No ministério das Cidades não fez qualquer distinção sobre os prefeitos, atendendo às demandas de todos aqueles que lhe procuraram. Apesar da boa passagem pelo ministério, Bruno deixa claro que sua vocação é para o legislativo, tendo condições de fazer no Senado um mandato destacado e garantindo a atenção de muitos políticos que por terem duas opções para a disputa, estão lhe garantindo pelo menos um voto.

Muita gente achava que Bruno Araújo estava entrando na disputa pelo Senado apenas para cumprir tabela, mas depois de alguns dias que consolidou sua candidatura, o sentimento geral é de que ele não somente disputará com chances de vitória como poderá acabar em primeiro lugar na disputa pelo Senado, pois é o voto híbrido mais diversificado da disputa, exercendo o papel que Carlos Wilson conseguiu na eleição de 1994, pois existem muitos prefeitos que são eleitores de Bruno e Jarbas, Bruno e Mendonça e até mesmo Bruno e Humberto em maior proporção do que as demais composições.

Bruno é de longe o senatoriável mais palatável aos prefeitos e deputados de todo o estado, pois nunca entrou em majoritárias para ter o desgaste de seus concorrentes, e poderá surpreender todos os prognósticos iniciais que lhe consideravam carta fora do baralho para vencer a eleição. (Edmar Lyra)

Bruno Araújo vai para o senado…

O deputado federal Bruno Araújo (PSDB) decidiu e concorrerá ao senado federal na chapa de Armando Monteiro. A confirmação do nome de Bruno veio através de familiares e amigos do deputado, presidente do PSDB. O tucano poderá ser o maior beneficiado da disputa caso o deputado Mendonça Filho (DEM) seja escolhido vice na chapa de Geraldo Alckmin, além de tantos outros percalços na chapa da Frente Popular.

“Há uma lacuna muito grande na disputa pelo senado que é reconhecida por todos, e o Bruno Araújo tem espaço para crescer” afirmou uma fonte ao Blog.

O anúncio oficial de Bruno Araújo pode acontecer até o dia 29, próximo domingo. (Blog Silvinho)

Bruno será anunciado senador na chapa de Armando…

O presidente do PSDB de Pernambuco e deputado federal Bruno Araújo será anunciado hoje pré-candidato a senador na chapa de Armando Monteiro. O anúncio encerra o provável rompimento do PSDB com a coligação de Armando, e mostra que foi resolvido o impasse que havia entre os dois.

Segundo informações o anúncio será feito por meio de uma nota e a única briga que ocorreu foi pela vaga do senado. “Nada de visita de Lula, Armando comunicou a ele,a João Lyra, a Raquel (Prefeita de Caruaru) e a Mendonça, e todos aceitaram” disse em reserva uma fonte que confirmou que ainda hoje sairá o anúncio. (Blog Silvinho Silva)

“Existe vida fora do PT” diz Bruno Araújo…

O deputado federal Bruno Araújo, presidente do PSDB em Pernambuco embarcou para São Paulo afim de participar de reuniões partidárias. A viagem aconteceu nesta segunda-feira. O destino da viagem pode ser o destino do PSDB nas eleições para o governo de Pernambuco.

Bruno Araújo disse a aliados antes de embarcar que existe “vida fora do petismo, e o PSDB de Pernambuco pode exercer esse papel no estado de Pernambuco”. Após a nota do presidente do PSDB que gerou diversas ações do pré-candidato petebista, Armando Monteiro, os membros do partido estão muito animados com a possibilidade de uma candidatura própria tucana. (Blog Silvinho Silva)

Saída do PSDB fragiliza ainda mais Armando Monteiro …

Após o anúncio de que Armando Monteiro seria o candidato das oposições em 11 de junho, a expectativa era que o petebista pudesse criar fatos políticos positivos para a sua postulação, que reunia partidos importantes como PSDB e DEM, que em 2014 marcharam com a eleição de Paulo Câmara. Por ser o maior partido da coligação, cabia ao PSDB a vaga que quisesse na majoritária, indicando o nome que julgasse mais pertinente.

O movimento do anúncio do PSC, que rompeu com Paulo Câmara entregando os cargos, teria todas as condições de fazer de Armando Monteiro um nome bastante competitivo, isso se o petebista tivesse habilidade política para montar uma chapa competitiva. Se André Ferreira quisesse disputar o Senado e Bruno Araújo quisesse indicar o vice, era o caminho mais do que natural para a composição da majoritária, mas se porventura Bruno optasse pelo Senado, teria toda condição de ser o nome, uma vez que é o presidente estadual da sigla e maior liderança do partido, e a André Ferreira caberia ser o vice ou indicar um nome de sua confiança, que poderia ser Fred Ferreira.

Em vez de ficar satisfeito que Bruno Araújo estava disposto a entrar na majoritária, arriscando um mandato líquido e certo de federal, para demonstrar que estava entrando de corpo e alma na campanha de Armando, o petebista optou por apegar-se ao detalhe de Bruno ter sido ministro de Temer. É como se Armando tivesse vergonha de ter Bruno como aliado. O PSDB servia para dar a contribuição do tempo de televisão, mas não poderia indicar seu principal nome para a majoritária.

Armando deu demonstrações de inabilidade quando, nas especulações de que Bruno Araújo seria o nome para o Senado, afirmou ser ele o comandante da aliança e caberia a ele a escolha da chapa completa. A afirmação foi recebida como uma declaração autoritária por parte do petebista, que poderia ter enaltecido a figura de Bruno e dizer que ainda não tinha nada definido para a composição.

Não se dando por satisfeito, Armando sabe lá orientado por quem, decidiu fazer uma visita a Lula na prisão, talvez achando que por isso o eleitor que aprova Lula fosse votar nele. Ledo engano, caberia a Armando, na condição de uma frente política distanciada do PT, falar para o eleitorado não-lulista do estado. Quando Armando fez aquela visita estapafúrdia a Lula conseguiu desagradar a todos. Nem conquistou o eleitorado lulista, que não vai votar nele por causa disso, e ainda ficou mal na fita com o eleitor que desaprova Lula no estado, que agora pode querer outra opção para votar.

Bruno Araújo, relegado a uma condição de total coadjuvante no processo, ficou insatisfeito com a sucessão de erros adotada por Armando, que preocupado com a pecha de palanque de Temer, acabou por perder o principal partido da sua coligação. O ônus de ter um ex-ministro de Temer na sua majoritária seria de longe menor do que o ônus de perder o PSDB, que agora deverá lançar uma candidatura própria ao governo para tentar conquistar o eleitor que Armando com sua atitude de visitar Lula desprezou, e fragilizou ainda mais a candidatura do petebista, que na ótica generalizada da classe política corre um sério risco de minguar no decorrer da campanha porque não conseguiu se posicionar corretamente na conjuntura eleitoral. (Por Edmar Lyra)

PSDB:Motivo do rompimento foi Daniel Coelho…

O PSDB em Pernambuco está pronto para a guerra. Após o deputado federal Bruno Araújo ter sido vetado pelo senador Armando Monteiro (PTB) como segundo senador na chapa, o tucano saiu insatisfeito da base de apoio do trabalhista. Somado a isso, houve a cobrança de Alckmin por um palanque em Pernambuco, qual seja o deputado federal Bruno Araújo na chapa ao governo. O PSDB já prepara a chapa para concorrer ao governo do estado, podendo atrair algumas legendas para a sua seara. 

Durante o dia de ontem alguns partidos já teriam acenado presença na chapa de Bruno Araújo ao governo de Pernambuco. O trabalho do grupo agora é além da montagem da chapa majoritária, uma boa chapa proporcional que dê possibilidades de disputa no pleito.

Quanto a Daniel Coelho (PPS) que é o escolhido de Armando para disputar o senado, ainda não acenou favoravelmente, aguardando assim a decisão do MDB, para definir se concorrerá ao senado, ou se ficará mesmo na Câmara Federal.(Blog Silvinho Silva)

Bruno Araújo rompe com o candidato ao governo Armando Monteiro…

O deputado federal Bruno Araújo, presidente do PSDB, enviou uma carta para o pré-candidato ao Governo de Pernambuco Armando Monteiro (PTB) revelando insatisfação com o grupo Pernambuco Vai Mudar. Especula-se que Araújo poderá sair como candidato ao Governo para dar palanque a Geraldo Alckmin em Pernambuco. Leia a carta na íntegra:

Companheiros e Companheiras do PSDB.

Desde o ano passado somos, junto com outros partidos, protagonistas na busca de uma alternativa de Governo para os pernambucanos. Nos últimos dias tem havido um debate interno no conjunto de nossa aliança com a discussão do meu nome a uma das vagas do Senado, indicado pela totalidade do nosso partido

Mesmo não havendo fato novo que descaracterize o perfil dos nomes até então por nós cogitados para colaborar nas candidaturas majoritárias, ficou evidente a dificuldade levantada por esse conjunto em dar seguimento ao meu nome para uma das vagas ao Senado, sob argumentos que me reservo o direito de discordar, pois eram de conhecimento de todos desde nossas primeiras tratativas.

Registro meu agradecimento a totalidade de meu partido e especialmente a um grande conjunto de lideranças das mais diversas correntes partidárias e campos políticos que manifestaram o seu voto de confiança naquele movimento pelo Senado.

Sigo também firme para defender um projeto nacional que precisa oferecer aos pernambucanos outra alternativa ao congestionamento político que existe aqui de apoio a um único candidato presidencial, que não deve ser a única alternativa oferecida a um Estado de histórica e rica diversidade política como o nosso.

Devolvo a meu Partido a honrosa indicação que recebi para que defina o melhor caminho para continuar ajudando a melhorar a vida das pessoas.

Pernambuco nunca faltou ao Brasil…

Bruno Araújo.
Presidente Estadual do PSDB

(Blog Roberta Jungmann)

Candidatura de Bruno Araújo fortalece palanque de Armando …

Muito tem se falado que Bruno Araújo candidato a senador daria a Armando a cara de palanque de Temer, porém isso deverá ser assimilado somente por aquele eleitor que já não votaria em Armando em hipótese alguma. No meio político o sentimento é que a candidatura de Bruno ao Senado, que será confirmada em breve, contribuirá de forma efetiva para o projeto oposicionista devido ao excelente trânsito que Bruno tem entre os prefeitos pernambucanos.

Desde que Bruno comunicou a aliados que será candidato a senador que a sua postulação vem conquistando aderência entre os prefeitos de todas as regiões do estado, isso porque assim como Mendonça Filho, ele não fez nenhuma discriminação com prefeitos pernambucanos quando estava no ministério das Cidades.

A entrada de Bruno Araújo na disputa majoritária também tem um fator determinante, que é o de dar a Armando Monteiro a condição de candidato competitivo, uma vez que não terá na chapa nenhum arremedo de candidato, tanto Armando quanto Mendonça e Bruno são nomes com envergadura para os cargos que estão dispostos a ocupar. Isso tem um efeito político e eleitoral significativo tanto na classe política quanto perante o eleitor.

Também deve ter lastreado a decisão de Bruno o alto grau de indefinição da chapa governista, uma vez que nem Jarbas Vasconcelos nem Humberto Costa estão garantidos no Senado da Frente Popular devido às dúvidas suscitadas quanto ao destino eleitoral de seus respectivos partidos. Na eventualidade de não ter nem Jarbas nem Humberto na disputa, dificilmente surgirá um quarto nome competitivo para o cargo, tendo apenas Mendonça, Bruno e Silvio Costa disputando efetivamente as duas vagas de senador, uma vez que o governo terá que construir dois nomes de última hora, o que não será tarefa fácil para torná-los competitivos.

Faltando menos de 20 dias para a convenção oposicionista, marcada para o próximo dia 4, a oposição estará apresentando uma chapa muito forte para o jogo, dando demonstração de que está entrando na disputa para vencer porque identificou claramente a fragilidade do governo, que chega na reta final numa posição de dificuldade do ponto de vista político para fechar a chapa majoritária. (Por Edmar Lyra)

PSDB sacramenta Bruno Araújo no Senado…

Um tucano nacional de alta plumagem afirmou que o martelo já está batido e Bruno Araújo será mesmo candidato a senador. Ele cumprirá a missão de dar sustentação a Geraldo Alckmin em Pernambuco. Bruno deverá oficializar a decisão nos próximos dias.

A entrada do tucano na majoritária poderá colocar melhores condições a André Régis na disputa e ainda colocar João Lyra Neto para ser candidato a deputado federal, sendo o nome apoiado pela prefeita Raquel Lyra em Caruaru, herdando parte das bases de Bruno. (Edmar Lyra)

André admite abrir espaço na chapa para Bruno Araújo…

Presidente estadual do PSDB, Bruno Araújo, encontra-se, ao longo desta semana, fora do País. Mas as conversas sobre composição da chapa majoritária da oposição seguem ocorrendo. Ontem, o prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira, chegou a dialogar com o senador Armando Monteiro Neto sobre essas arrumações. Depois que o processo que investigava Bruno Araújo – no qual ele era citado no inquérito da Odebrecht, – foi arquivado pelo ministro do STF, Dias Toffoli, a possibilidade de o tucano vir a ocupar a vaga do Senado passou a ser ventilada. Embora já tenha aberto mão do referido espaço em prol da atração de uma sigla nova para o bloco, o PSDB segue trabalhando para estar na chapa e não descarta que Bruno possa vir a se colocar como alternativa para a Casa Alta.

Diante do novo cenário, o deputado estadual André Ferreira admite, à coluna, a hipótese de fazer um gesto ao tucano. “Do jeito que ele abriu espaço para gente, a gente abriria para ele”, considera o parlamentar, que tem o nome cotado para concorrer a senador. E emenda: “Estamos muito alinhados”. Em relação ao plano original de disputar a Casa Alta, André pondera: “Estamos fazendo uma avaliação”. E observa: “Esse espaço já foi cedido para o PSC, mas isso não impede que outro partido da frente venha a ocupá-lo”. André, então, assegura que isso “não vai ser um cavalo de batalha”. Durante o ato no qual os Ferreira declararam apoio às oposições, André realçou que não chegava para impor. De outro lado, o processo, agora, arquivado por Toffoli era empecilho considerável para Bruno encarar o desafio de ingressar na majoritária. Solucionada a pendência, os cálculos na oposição podem ser refeitos. André e Bruno devem conversar na semana que vem, quando o tucano retornar ao Brasil. (Por Renata Bezerra de Melo)

Bruno Araújo no Senado pode ser o fato novo na eleição …

No exercício do seu terceiro mandato como deputado federal, Bruno Araújo ascendeu ao ministério das Cidades após o impeachment de Dilma Rousseff e chegada de Michel Temer ao Palácio do Planalto. Até deixar a pasta no final de 2017, Bruno consolidou-se como a principal liderança do PSDB de Pernambuco, tanto que acabou assumindo a presidência estadual da sigla.

Desde a construção do palanque oposicionista que Bruno Araújo era lembrado para integrar a chapa majoritária, sobretudo pelo seu excelente trânsito entre prefeitos de todo o estado. Os prefeitos do PSDB possuem verdadeira admiração por ele, e sempre quiseram que ele estivesse na disputa majoritária, uma vez que ele sempre disputou cargos proporcionais e acreditavam que este seria o momento de entrar no jogo com vistas ao Senado.

O processo envolvendo o seu nome no Supremo Tribunal Federal foi arquivado na semana passada, ele era um óbice para que Bruno integrasse a chapa majoritária, devido a uma decisão conjunta de que quem estivesse respondendo a processos não integraria a chapa oposicionista. Após o arquivamento, o seu nome voltou a ganhar força para a disputa pelo Senado.

Tucanos avaliam que a disputa está completamente aberta, pois acreditam que Jarbas Vasconcelos dificilmente terá a legenda do MDB para a disputa devido o imbróglio jurídico envolvendo o comando do partido, uma vez que mesmo que decida candidatar-se ao Senado, passará a campanha toda no risco de ter seus votos anulados. No caso de Humberto Costa, ainda há um risco de o PT lançar Marília Arraes, o que faria o senador optar por uma candidatura a deputado federal. Então, isso acaba favorecendo a entrada do tucano no páreo.

O PSDB também não tem um nome natural para a vice de Armando Monteiro, pois Guilherme Coelho é visto como alguém que pouco agregaria ao projeto liderado pelo petebista, então caberia aos tucanos voltar ao jogo de senador com Bruno Araújo, sobretudo após a sinalização de André Ferreira de que entrar na disputa para o Senado na chapa oposicionista não seria algo exigido pelo deputado estadual. André poderá ser candidato a deputado federal e apoiar tranquilamente o segundo nome da chapa que seria Bruno.

Caso o tucano entre no páreo, e está sendo muito pressionado a isso, teremos um quadro bastante diferenciado, uma vez que os principais partidos oposicionistas estarão contemplados na majoritária com nomes com envergadura para o posto. A entrada de Bruno no jogo também tem o indicativo de que ele, Armando e Mendonça estarão confiantes na vitória oposicionista em outubro, e abriria a vaga de vice para um novo partido que esteja chegando para a oposição ou ser ocupada por algum nome de envergadura no conjunto de forças que já estão sustentando o projeto de Armando Monteiro. (Por Edmar Lyra)

Powered by WordPress | Designed by: diet | Thanks to lasik, online colleges and seo