Copa Craques do Futuro de Futebol de Base…

Leia mais »

Venha pra TiConnect….

    Leia mais »

“Esse Mourão está escalando golpe no Brasil”, diz Ciro…

O candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, acusou na noite de ontem o general Hamilton Mourão, candidato a vice-presidente na chapa de Jair Bolsonaro (PSL), de pretender dar um golpe de Leia mais »

Pesquisa Ibope para o Senado em Pernambuco: Jarbas, 34%; Humberto, 31%; Mendonça, 22%…

Pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira (17) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para o Senado em Pernambuco: Jarbas (MDB): 34% Humberto Costa (PT): 31% Mendonça Filho (DEM): 22% Silvio Costa Leia mais »

Pesquisa Ibope em Pernambuco: Paulo, 33%; Armando, 25%…

G1 PE Pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira (17) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para o governo de Pernambuco: Paulo Câmara (PSB): 33% Armando Monteiro (PTB): 25% Julio Lossio (Rede): 2% Maurício Rands (PROS): Leia mais »

Tag Archives: 2018

A vantagem de Paulo Câmara em números …

De acordo com o Ipespe divulgado pela Folha de Pernambuco, o governador Paulo Câmara teria 35% das intenções de voto contra 25% de Armando Monteiro e apenas 7% dos demais candidatos, brancos, nulos e indecisos formam 23% dos entrevistados e a margem de erro é de três pontos percentuais.

O Ipespe corroborou o Ibope e Datafolha que apontaram uma vantagem de nove pontos percentuais de Paulo Câmara em relação a Armando Monteiro, que surge em segundo lugar nas pesquisas. O mesmo levantamento apontou um dado que até então era motivo de comemoração dos defensores de Armando que é a rejeição. Se havia uma diferença significativa nos levantamentos anteriores, o Ipespe apontou que Paulo Câmara tem 48% de rejeição, mas Armando Monteiro também viu sua rejeição praticamente igualar com a do governador, com 46%, o que tira o discurso oposicionista que Paulo é muito rejeitado e que Armando não é.

Pois bem, quando se transforma os números do Ipespe em votos válidos, que é a contabilidade do TRE para determinar o vencedor, e exclui brancos, nulos e abstenção, o governador chega a 52,23% e já seria reeleito no primeiro turno. O seu rival Armando Monteiro chegaria a 37,31%, enquanto os adversários ficariam com 10,46% dos votos válidos.

Em se mantendo os votos válidos de 2014 que foram de 4.420.036 votos, Paulo Câmara seria reeleito com 2.308.855 votos, enquanto Armando Monteiro ficaria com 1.649.115 votos, e os demais candidatos atingiriam juntos 462.066 votos. Esses números dariam a Paulo Câmara uma dianteira de 659.740 votos em relação ao segundo colocado Armando Monteiro. Apesar de ser significativa a vantagem, ela seria a menor diferença de um governador eleito desde 1990 quando Joaquim Francisco derrotou Jarbas Vasconcelos por menos de 200 mil votos.

Faltando 24 dias para o pleito eleitoral, está cristalizada a primeira colocação de Paulo Câmara, e a vitória no primeiro turno está se consolidando a cada dia e pesquisa divulgada, cabendo a Armando, Julio Lossio, Maurício Rands e demais candidatos evitarem que a fatura seja liquidada no dia 7 de outubro, mas o tempo corre absurdamente contra os adversários de Paulo Câmara, que precisam de um fato novo para mudar a trajetória de reeleição do atual governador nas pesquisas. (Edmar Lyra)

Paulo Câmara também lidera na pesquisa IPESPE…

O governador Paulo Câmara (PSB) cresceu cinco pontos percentuais e aparece isolado na liderança, na segunda pesquisa de intenção de voto realizada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (IPESPE), em parceria com a Folha de Pernambuco. Na disputa pelo Governo do Estado, Paulo aparece com 35%, seguido do senador Armando Monteiro Neto (PTB), que oscilou um ponto percentual dentro da margem de erro, chegando a 25%. O levantamento foi feito entre os dias 6 e 8 de setembro.

A pesquisa ouviu 800 entrevistados, usando uma metodologia face a face, e contempla critérios de sexo, idade, instrução, renda e pela condição do município. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos, com um intervalo de confiança de 95,45%. O levantamento está registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob os números de protocolo BR-05453/2018 e PE-05575/2018.

A primeira pesquisa realizada pela parceria IPESPE/Folha ocorreu entre os dias 11 e 13 de agosto, servindo como base comparativa para o levantamento atual. O número de indecisos aumentou de 8% para 11%, enquanto o número de Brancos e Nulos caiu, de 27% para 23%.

O candidato do Pros, o ex-deputado federal Maurício Rands oscilou negativamente dentro da margem de erro e aparece com 2%. O ex-prefeito de Petrolina, Julio Lossio (Rede), também oscilou negativamente, surgindo com 2% das intenções de voto no estudo mais recente. A candidata do Psol, Dani Portela, registrou apenas 1%. Já Ana Patrícia Alves (PCO), que não apareceu na primeira escuta, obteve 1% das menções. (Folha de Pernambuco)

Bolsonaro segue na liderança no primeiro turno com 24%, diz Datafolha…

O deputado Jair Bolsonaro (PSL) manteve a liderança da corrida presidencial após o início da propaganda eleitoral no rádio e na televisão e o atentado que sofreu na semana passada, de acordo com a nova pesquisa realizada pelo instituto Datafolha. 

Segundo o levantamento, Bolsonaro tem 24% das intenções de voto. O presidenciável foi esfaqueado quando atravessava uma multidão em evento de campanha em Juiz de Fora (MG) na quinta (6) e está internado no Hospital Albert Einstein, onde se recupera da cirurgia sofrida após o ataque.

Na pesquisa anterior do Datafolha, realizada em 20 e 21 de agosto, antes do início do horário eleitoral, Bolsonaro tinha 22% das intenções de voto. A oscilação observada desde então está dentro da margem de erro da pesquisa, que é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Quatro candidatos aparecem empatados em segundo lugar, dentro da margem de erro. O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) tem 13% das intenções de voto, a ex-senadora Marina Silva (Rede) está com 11%, o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) aparece com 10% e o ex-prefeito Fernando Haddad (PT), com 9%.

Vice da chapa inscrita pelo PT com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como candidato a presidente, Haddad deve ser indicado como seu substituto nesta semana. O Tribunal Superior Eleitoral vetou a candidatura de Lula e estabeleceu prazo até esta terça (11) para que o PT o substitua.

O nome de Lula, que apareceu à frente nos levantamentos anteriores do Datafolha, não foi incluído desta vez nos cartões da pesquisa estimulada, em que os pesquisadores exibem aos entrevistados a lista de candidatos.

Na pesquisa espontânea, em que os eleitores expressam sua preferências sem estímulos dos entrevistadores, o apoio a Lula caiu de 20% para 9% após o início da propaganda na televisão, em que o PT só foi autorizado a apresentá-lo como apoiador. 

Condenado pelo juiz Sergio Moro e pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro e preso desde abril em Curitiba para cumprir pena, Lula está impedido pela Lei da Ficha Limpa de concorrer às eleições. 

O PT ainda discute a condenação nos tribunais superiores e recorreu ao Supremo Tribunal Federal contra a decisão do TSE, mas há pouca esperança no partido de obter uma decisão favorável ao ex-presidente.

O Datafolha entrevistou 2.804 eleitores de 197 municípios nesta segunda (10). A pesquisa foi realizada em parceria com a TV Globo. O primeiro turno das eleições está marcado para 7 de outubro, daqui a quatro semanas.

O novo levantamento mostra que Bolsonaro é o candidato com maior rejeição hoje. Segundo o Datafolha, 43% dos eleitores dizem que não votariam de jeito nenhum no capitão reformado do Exército. A resistência é maior entre as mulheres (49%), entre os mais jovens (55%), entre eleitores com curso superior (48%) e no Nordeste (51%). 

A alta rejeição explica o mau desempenho de Bolsonaro nas simulações feitas pelo Datafolha para o segundo turno da disputa. De acordo com os cenários estudados, ele perderia para Alckmin, Marina e Ciro e chegaria à segunda rodada da eleição empatado com Haddad se ela fosse realizada hoje. 

A pesquisa mostra também que a vantagem de seus adversários sobre ele em algumas dessas simulações aumentou. Se o segundo turno fosse hoje, Alckmin e Marina teriam 43% no confronto com Bolsonaro, Ciro alcançaria 45% e o capitão oscilaria entre 34% e 37%. 

A disputa seria mais acirrada se Bolsonaro chegasse ao segundo turno com Haddad. Se fosse hoje, o candidato petista teria 39% e seu adversário, 38%. A pesquisa está registrada no TSE com o número: BR 02376/2018. O nível de confiança é de 95%. (Folhapress)

Pesquisa Datafolha para o Senado em Pernambuco: Jarbas, 38%; Humberto, 28%; Mendonça, 27%…

G1-PE

Pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira (6) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para o Senado em Pernambuco:

  • Jarbas (MDB): 38%

  • Humberto Costa (PT): 28%

  • Mendonça Filho (DEM): 27%

  • Silvio Costa (Avante): 10%

  • Bruno Araújo (PSDB): 6%

  • Pastor Jairinho (Rede): 5%

  • Adriana Rocha (Rede): 3%

  • Hélio Cabral (PSTU): 2%

  • Eugênia (PSOL): 1%

  • Albanise Pires (PSOL): 1%

  • Lídia Brunes (PROS): 1%

  • Alex Rola (PCO): 0%

  • Em branco/nulo/nenhum para a 1ª vaga: 22%

  • Em branco/nulo/nenhum para a 2ª vaga: 38%

  • Não sabe para a 1ª vaga: 7%

  • Não sabe para a 2ª vaga: 10%

Sobre a pesquisa

  • Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos
  • Quem foi ouvido: 1.229 eleitores de 50 municípios do Estado, com 16 anos ou mais
  • Quando a pesquisa foi feita: 4, 5 e 6 de setembro
  • Registro no TSE: PE 00338/2018
  • O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro.

No levantamento anterior, feito de 20 a 21 de agosto, os percentuais de intenção de votos eram os seguintes:

  • Jarbas (MDB): 34%

  • Humberto Costa (PT): 25%

  • Mendonça Filho (DEM): 25%

  • Silvio Costa (Avante): 11%

  • Bruno Araújo (PSDB): 9%

  • Pastor Jairinho (Rede): 7%

  • Adriana Rocha (Rede): 4%

  • Hélio Cabral (PSTU): 2%

  • Albanise Pires (PSOL): 1%

  • Eugênia (PSOL): 1%

  • Alex Rola (PCO): 1%

  • Lídia Brunes (PROS): 1%

  • Em branco/nulo/nenhum para a 1ª vaga: 26%

  • Em branco/nulo/nenhum para a 2ª vaga: 35%

  • Não sabe para a 1ª vaga: 7%

  • Não sabe para a 2ª vaga: 10%

Ibope: Paulo Câmara, 27%; Armando Monteiro, 21%…

Do G1/PE

Pesquisa Ibope divulgada, ontem, aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para o governo de Pernambuco:

  • Paulo Câmara (PSB): 27%

  • Armando Monteiro (PTB): 21%

  • Ana Patrícia Alves (PCO): 3%

  • Julio Lóssio (Rede): 3%

  • Maurício Rands (PROS): 2%

  • Simone Fontana (PSTU): 2%

  • Dani Portela (PSOL): 1%

  • Branco/nulo: 32%

  • Não sabe/não respondeu: 8%

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo “Jornal do Commercio”. É o primeiro levantamento do Ibope realizado depois da oficialização das candidaturas na Justiça Eleitoral.

Sobre a pesquisa

  • Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos

  • Quem foi ouvido: 1.204 eleitores de todas as regiões do estado, com 16 anos ou mais

  • Quando a pesquisa foi feita: 17 a 19 de agosto

  • Registro no TRE: PE-00006/2018

  • Registro no TSE: BR-09085/2018

  • O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro

  • 0% significa que o candidato não atingiu 1%. Traço significa que o candidato não foi citado por nenhum entrevistado

Espontânea

Na modalidade espontânea da pesquisa Ibope (em que o pesquisador somente pergunta ao eleitor em quem ele pretende votar, sem apresentar a relação de candidatos), o resultado foi o seguinte:

  • Paulo Câmara (PSB): 9%

  • Armando Monteiro (PTB): 5%

  • Ana Patrícia Alves (PCO): 0%

  • Julio Lóssio (Rede): 0%

  • Maurício Rands (PROS): 0%

  • Dani Portela (PSOL): –

  • Simone Fontana (PSTU): –

  • Outros: 3%

  • Branco/nulo: 29%

  • Não sabe/não respondeu: 53%

Rejeição

O Ibope também mediu a taxa de rejeição (o eleitor deve dizer em qual dos candidatos não votaria de jeito nenhum). Nesse item, os entrevistados puderam escolher mais de um nome. Veja os índices:

  • Paulo Câmara (PSB): 43%

  • Armando Monteiro (PTB): 27%

  • Dani Portela (PSOL): 18%

  • Julio Lóssio (Rede): 18%

  • Ana Patrícia Alves (PCO): 17%

  • Maurício Rands (PROS): 17%

  • Simone Fontana (PSTU): 17%

  • Poderia votar em todos: 3%

  • Não sabe/não respondeu: 20%

Sociedade dos Criadores de Limoeiro anuncia programação da Exposição de Animais…

No período de 29 de agosto a 02 de setembro, a Sociedade dos Criadores de Limoeiro (SCL) realizará a 40ª Exposição Regional de Animais e 10ª Festa do Agronegócio. O parque Dr. Emídio Cavalcanti, localizado as margens da Rodovia PE-50, abre as portas para desfiles e julgamentos ranqueados de caprinos, equinos e bovinos. A programação ainda conta com leilão, concurso leiteiro, passeio de pônei, prova de marcha e feira de artesanato. São aguardados centenas de animais de diversas espécies, oriundos de vários estados nordestinos. No final de semana do evento também haverá uma programação de shows. Este ano, com cobrança de ingressos. Entre os nomes confirmados, estão Aldinho do Acordeon, Márcia Fellipe e Mano Walter (foto). Os valores dos ingressos ainda não foram divulgados.

Por mais um ano, a SCL conta com o apoio da Prefeitura de Limoeiro. Em nota, a administração municipal adiantou que não dará contribuição para contratação de bandas. “Ressaltamos que toda a organização é pela Sociedade dos Criadores e empresa AMBP Promoções e Eventos Empresariais. A prefeitura não entrará com investimentos do município para a contratação de bandas, e sim com a articulação junto ao Governo de Pernambuco para conseguir apoio, limpeza da área, maquinários e equipamentos para preparação do parque, articulação para uma empresa investir no show, ambulância e guarda municipal”, diz o documento.

Quinta-feira (30): Aldinho Do Acordeon, Gonzagas e Mano Walter

Sexta-feira (31): Pegada do GB, Tony Farra e Pedrinho Pegação

Sábado (01): Anjos do Forró, Amigos Sertanejos e Márcia Fellipe

(Blog do Agreste)

Disputa pelo Senado segue completamente aberta …

Com seis candidaturas a governador, a disputa pelo Senado terá doze candidatos ao Senado, mas com efetivamente cinco nomes disputando as duas vagas que estarão em aberto, que são Jarbas Vasconcelos e Humberto Costa pela coligação de Paulo Câmara, Bruno Araújo e Mendonça Filho pela de Armando Monteiro e Silvio Costa pela coligação de Maurício Rands, os demais nomes dificilmente conseguirão quebrar o protagonismo destes nomes que são extremamente conhecidos pelo eleitor e com uma campanha de tiro curto acabam beneficiados pela sistemática.

Historicamente as eleições de senador foram muito atreladas ao governador eleito, porém jamais se viu algo tão diferente como o quadro atual, que além de ter na mesma chapa os imiscíveis Jarbas Vasconcelos e Humberto Costa que sempre foram adversários, terá o quadro de muitos prefeitos e deputados apoiarem senadores de duas chapas distintas, o que não foi visto nas últimas duas eleições com duas vagas que foram em 2010 e 2002, quando os governadores reeleitos levaram os dois senadores.

No processo de 2018 muitos prefeitos, gratos pelo trabalho desempenhado por Mendonça Filho e Bruno Araújo no ministério, mesmo sendo da base do governador Paulo Câmara estão dispostos a votar em ambos porque não se sentiram atendidos por Jarbas e Humberto durante o período que ambos foram senadores da República. Enquanto Silvio Costa por ter sido mais próximo de Lula e Dilma vem conquistando a simpatia de muitos políticos de todo o estado.

É provável que os senadores eleitos alcancem o mandato com aproximadamente 25% dos votos válidos, tal como ocorreu com as vitórias de Marco Maciel e Sergio Guerra em 2002, e possa ocorrer o fato de ser eleito um senador de cada chapa como Carlos Wilson e Roberto Freire na eleição de 1994. (Edmar Lyra)

No horário eleitoral, sete terão ‘tempo de Enéas’…

A eleição presidencial terá sete candidatos com “padrão Enéas” de propaganda, ou seja, com menos de 15 segundos para pedir votos em cada bloco do horário eleitoral fixo. Um deles é o deputado Jair Bolsonaro (PSL), líder nas pesquisas no cenário em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), condenado e preso na Operação Lava Jato, não é incluído.

Também estão nessa situação Guilherme Boulos (PSOL), Cabo Daciolo (Patriota), José Maria Eymael (DC), Vera Lúcia (PSTU), João Goulart Filho (PPL) e João Amoêdo (Novo).

Na campanha presidencial de 1989, o então candidato Enéas Carneiro (Prona) se notabilizou como o mais caricato dos chamados “nanicos” por falar de forma rápida na TV e concluir sempre seus discursos, aos gritos, com o bordão “Meu nome é Enéas!”.

As regras de distribuição destinaram aos candidatos do PSDB, do PT e do MDB cerca de 85% do tempo de propaganda. O tucano Geraldo Alckmin, por formar a coligação que elegeu mais deputados na eleição anterior, terá a maior fatia: cerca de 5 minutos e meio em cada bloco de 12 minutos e 30 segundos. A seguir vêm Lula (2 minutos e 20 segundos) e o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles (MDB), com quase 2 minutos.

Até 2014, os partidos pequenos tinham acesso privilegiado à propaganda na TV – desproporcional a seu número de votos – por causa de uma regra na legislação que determinava que um terço do horário eleitoral fosse dividido igualmente entre todos os candidatos a cargos executivos. Os outros dois terços eram rateados de acordo com o tamanho das bancadas dos partidos ou coligações na Câmara dos Deputados.

Pelas regras atuais, porém, apenas 10% do tempo é dividido igualmente entre os candidatos, em vez de 33%. Os outros 90% são rateados proporcionalmente ao número de deputados eleitos. Apenas os seis maiores partidos de uma coligação são considerados nos cálculos.

Bolsonaro deve ter 9 segundos no horário fixo, 40% a menos que Enéas em 1989. O tempo é suficiente para dizer o total de palavras deste parágrafo – sem pausa para respirar.

Inserções

A desvantagem do candidato do PSL ao Palácio do Planalto também salta aos olhos quando se avalia a distribuição das inserções – peças publicitárias de 30 segundos que são divulgadas ao longo de todo o dia, em meio à propaganda comercial exibida pelas emissoras. Enquanto Alckmin poderá exibir 364 inserções nos 35 dias de propaganda, Bolsonaro terá apenas 10 à sua disposição – menos de uma inserção a cada três dias.

Embora não estejam no bloco dos “Enéas”, as coligações encabeçadas pelo senador Alvaro Dias (Podemos), pelo ex-ministro e ex-governador Ciro Gomes (PDT) e pela ex-senadora Marina Silva (Rede) não estão em posição muito confortável no chamado palanque eletrônico. Os dois primeiros terão cerca de um décimo do tempo de Alckmin, e a terceira, menos ainda. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: Estadão Conteudo

O discurso e os votos…

Cinco candidatos ao governo do estado vão tentar convencer o eleitor que Pernambuco necessita de um novo governador e também de uma gestão diferente. Com a retirada do páreo da vereadora Marília Arraes (PT), que simbolizava a renovação, o novo da sucessão passou a ser a candidatura do ex-deputado federal petista Maurício Rands (Pros), cuja chapa foi fechada nos minutos finais do prazo das convenções, após o PDT romper com Paulo Câmara (PSB).

Junto com o Avante, foi formada a frente Pernambuco que Você Quer, que se insurge contra as duas grandes estruturas existentes no estado – a Frente Popular, que trabalha para reeleger Paulo Câmara (PSB) e a que pretende levar o senador Armando Monteiro (PTB) ao Palácio das Princesas, Pernambuco Vai Mudar.

Os demais candidatos, Danielle Portela (PSol), Julio Lossio (Rede) e Simone Fontana (PSTU) têm também suas próprias cartilhas e investem igualmente na mudança só que de uma forma mais radical. Bem, o slogan Pernambuco que Você Quer do grupo Pros/PDT/Avante, está subindo os degraus da neutralidade diante da frente de Armando que prega a mudança radical e a de Paulo, que defende a continuidade. Pois é, qual é o Pernambuco que você quer?

Isso significa segundo turno à vista: ou o novo grupo está confiante de que irá para a disputa final e já trabalha o apoio de Paulo ou de Armando ou não passará para o segundo turno e já sabe de qual lado ficará.Encabeçando a chapa, Maurício Rands assegura que passará para o segundo turno. A conferir. (Da coluna de Marisa Gibson, hoje no DIARIO)

Seis candidatos na disputa ao Governo de PE; confira os nomes

A corrida para o Palácio do Campo das Princesas vai contar com seis candidaturas, uma delas lançada na última hora, como forma de protesto à aliança entre socialistas e petistas, e que trará como cabeça de chapa o ex-deputado Mauricio Rands (PROS) e, na vice, a ex-vereadora Isabella de Roldão (PDT). 

O grupo que se intitula Pernambuco Que Você Quer – e que já está sendo chamado de terceira via política estadual – foi lançado, no domingo (5) à noite, no empresarial RioMar e reúne siglas como Avante, PDT, Rede e PROS. A chapa terá como candidato ao Senado, o deputado federal Silvio Costa (Avante). 

Chapa do PROS, liderada por Maurício Rands, surge como terceira via

Chapa do PROS, liderada por Maurício Rands, surge como terceira via – Crédito: Ed Machado/Folha de Pernambuco

Frente Popular
A Frente Popular de Pernambuco também oficializou o projeto de reeleição do governador Paulo Câmara (PSB), no domingo, após várias movimentações em torno da composição da chapa. A convenção ocorreu no Clube Internacional do Recife. A atual deputada federal Luciana Santos (PCdoB) – antiga aliada dos socialistas – foi apresentada como vice da chapa.

Além do PSB, outros 11 partidos compõem a coligação da Frente Popular: SD, PPL, PMN, PSD, PR, PP, PCdoB, PT, MDB, Patriota e PRP. Recifense, Paulo Henrique Saraiva Câmara tem 45 anos e é formado em economia pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Além de Luciana, Paulo terá como companheiros de chapa dois políticos veteranos, que até alguns meses estavam em campo distintos: o senador Humberto Costa (PT) e o deputado federal Jarbas Vasconcelos (MDB).

Chapa da Frente Popular de Pernambuco é encabeçada pelo governador Paulo Câmara, que disputa a reeleiçãoChapa da Frente Popular de Pernambuco é encabeçada pelo governador Paulo Câmara, que disputa a reeleição – Crédito: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

Pernambuco Vai Mudar
A coligação Pernambuco Vai Mudar oficializou a candidatura de Armando Monteiro Neto (PTB) ao governo de Pernambuco no último sábado (4). O anúncio foi feito na convenção da chapa, realizada no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda. Além do PTB, outros 12 partidos compõem a coligação: DEM, PSDB, PRB, Podemos, PSC, PPS, PMB, PSDC, PV, PSL, PHS e PRTB. 

Natural do Recife, Armando Monteiro Neto tem 66 anos e é formado em administração pela Fundação Getulio Vargas (FGV), no Rio de Janeiro, e em direito pela Universidade Federal de Pernambuco. Ele exerce mandato de senador por Pernambuco. Armando terá como vice Fred Ferreira (PSC), ligado ao grupo Ferreira – dos irmãos Anderson (prefeito de Jaboatão) e André (deputado estadual). Os senadores da chapa serão os hoje deputados federais Mendonça Filho (DEM) e Bruno Araújo (PSDB). 

A chapa de oposição Pernambuco vai Mudar é liderada pela candidatura de Armando Monteiro Neto ao governo do EstadoA chapa de oposição Pernambuco vai Mudar é liderada pela candidatura de Armando Monteiro Neto ao governo do Estado – Crédito: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

A Esperança Vence o Medo
A coligação A Esperança Vence o Medo lançou candidatura de Dani Portela (PSOL) ao governo de Pernambuco, no último sábado. Além delas, o grupo é formado por outras três mulheres: Gerlane Simões como vice, Albanise Pires (PSOL) e Eugênia Lima (PSOL) como candidatas ao Senado. O anúncio foi feito na convenção da chapa, realizada na Casa Marielle Franco, sede do PSOL, no Centro do Recife. O Partido Comunista Brasileiro (PCB) também faz parte da chapa majoritária.

Olindense, Danielle Gondim Portela dos Santos é advogada e historiadora formada pela Universidade Católica de Pernambuco e tem mestrado em História pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Atuou como professora pela Universidade Federal da Paraíba e como pesquisadora vinculada ao Departamento de Paleontologia da UFPE.
Atualmente, a candidata do PSOL atua como advogada popular especializada em questões de violência contra a mulher. Ela atua, ainda, em questões sindicais.

Dani Portela é a candidata da chapa A Esperança Vence o Medo

Dani Portela é a candidata da chapa A Esperança Vence o Medo – Crédito: Reprodução/Facebook Dani Portella

Rede
A Rede Sustentabilidade oficializou, na última sexta-feira (3), a candidatura de Júlio Lóssio ao Governo de Pernambuco. O anúncio foi feito na convenção do partido, realizada em um hotel no Pina, na Zona Sul do Recife. Nascido em Manaus, no Amazonas, Júlio Lóssio tem 46 anos e é formado em medicina na Universidade Federal de Pernambuco, além de ter especialização em oftalmologia clínica e cirúrgica.

Ele foi eleito prefeito de Petrolina, no Sertão de Pernambuco, em 2008 e foi reeleito para o cargo em 2012, em ambos os mandatos como filiado do Movimento Democrático Brasileiro (MDB). Desde fevereiro de 2018, é filiado à Rede Sustentabilidade. A Rede não indicou candidatos ao Senado e não possui coligações. 

Julio Lóssio é o candidato pela Rede

Julio Lóssio é o candidato pela Rede – Crédito: Reprodução/Facebook Julio Lóssio

PSTU
O Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) oficializou, na última quarta-feira (1º) , a candidatura de Simone Fontana ao Governo de Pernambuco. Seu candidato a vice é o sindicalista Jair Pedro. 

Paulista, Simone Fontana é professora, tem 52 anos e é uma das fundadoras do PSTU em Pernambuco. Formada em pedagogia pela Faculdade Frassinetti do Recife (Fafire) e pós-graduada em educação e linguagem pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), ela atua na rede estadual de ensino desde 1985 e na municipal desde 1996. Já foi candidata a senadora, a deputada estadual, a prefeita e a vereadora da capital pernambucana, além de ter sido dirigente do Sindicato dos Professores do Recife (Simpere). (Folha de Pernambuco)

Oposição irá com força máxima para a disputa em outubro …

O anúncio oficial da pré-candidatura de Bruno Araújo a senador que ocorrerá neste sábado na sede do PSDB tem um significado muito forte para a disputa pelo Palácio do Campo das Princesas, que é o de a oposição estar apresentando o que tem de melhor em seu palanque para a eleição e todos eles arriscando mandatos eletivos. Com Armando Monteiro na cabeça de chapa e Mendonça Filho na outra vaga do Senado, os três principais partidos da coligação estarão contemplados na majoritária.

Muito se falava que Bruno Araújo não teria coragem de encarar uma majoritária por ter uma reeleição líquida e certa de deputado federal e estar há quase duas décadas ocupando mandatos eletivos ininterruptos. É evidente que a disputa de senador é bola dividida para todos os candidatos, tal como a de governador, e isso denota o empenho de Mendonça e Bruno para fazer de Armando governador de Pernambuco.

Além da dúvida sobre a coragem de Bruno de entrar na majoritária, o Palácio do Campo das Princesas sempre sublinhou que a oposição não conseguiria se entender para apresentar um projeto para Pernambuco. Diferentemente das pré-candidaturas do PT e do PSB, que seguem em dúvida quanto a composição completa da chapa majoritária, deixando pra última hora a definição, a oposição só falta definir o vice-governador, que poderá ser ocupado por nomes que já integram a oposição como Fred Ferreira e Daniel Coelho ou por um nome de um partido que integra a coligação governista, como Kaio Maniçoba do Solidariedade ou Sebastião Oliveira do PR, caso decidam marchar com a oposição.

Essas definições na oposição apontam que o grupo formado em 2017 por integrantes que foram expulsos da Frente Popular pelo próprio governador Paulo Câmara está com um único desejo, que é o de vencer a eleição e acabar com a hegemonia do PSB. Apesar das discórdias ocorridas recentemente, ao que parece, com a escolha de Bruno Araújo para senador, a unidade oposicionista ficou mais firme, uma vez que se houvesse qualquer tipo de aresta, jamais Bruno entraria no páreo, indicando um nome pouco representativo para a majoritária.

No futebol a gente entende como força máxima um time que coloca o que tem de melhor no seu elenco para o jogo e conquistar o campeonato. A oposição fez isso, se ganhará o campeonato, no caso a eleição, somente o tempo irá dizer, mas ninguém pode afirmar que no palanque oposicionista existem nomes irrelevantes para o jogo, entraram todos os melhores que poderiam entrar para tentar vencer a disputa. (Por Edmar Lyra)

Com 5 nomes confirmados, corrida presidencial começa a ficar mais clara…

No primeiro fim de semana das convenções partidárias visando às eleições que ocorrem em outubro, cinco nomes nas pesquisas eleitorais foram confirmados à disputa presidencial. Entre eles, dois presidenciáveis que aparecem bem cotados nas pesquisas: Jair Bolsonaro (PSL) e Ciro Gomes (PDT). Também foram confirmados Guilherme Boulos (PSOL), Paulo Rabello de Castro (PSC) e Vera Lúcia (PSTU).

A lista de candidatos oficiais deve se completar nas próximas semanas, uma vez que o prazo de realização das convenções, quando geralmente se definem os nomes a serem lançados, se estende até 5 de agosto. Já o prazo para pedir o registro das candidaturas na Justiça Eleitoral se encerra no próximo dia 15. Veja abaixo como está o quadro de disputa a presidente:

Os nomes já confirmados pelos partidos:

Jair Bolsonaro (PSL)

Líder nas pesquisas quando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é retirado da disputa, Jair Bolsonaro teve a candidatura lançada nesse domingo (22/7), mas sem um vice definido. Isolado, o deputado federal ainda busca uma coligação que aumente o tempo de tevê da época de campanha.

O senador Magno Malta (PR) e o general Augusto Heleno (PRP), mesmo após negarem o convite para compor a chapa com o deputado fluminense, estiveram na convenção. Outra presente, também cotada para o cargo de vice, foi a advogada e militante Janaína Paschoal, que, por ser do mesmo partido que Bolsonaro — o que não aumenta o tempo de tevê — ainda não recebeu um convite formal do partido.

Ciro Gomes (PDT) 

O PDT também não confirmou quem será o vice na chapa formada pelo ex-governador do Ceará Ciro Gomes. O partido confirmou a candidatura na última sexta-feira, mas a direção nacional ainda articula as alianças para o primeiro turno das eleições. 

Sem conseguir o apoio do Centrão, que tende a apoiar Geraldo Alckmin (PSDB), Ciro ainda busca o apoio do PSB, partido que se encontra internamente dividido e hoje vislumbra três possibilidades: fechar com Ciro, se aliar ao PT ou permanecer neutro, liberando os diretórios estaduais para alianças regionais.

Guilherme Boulos (PSol)

O PSol formou uma chapa puro sangue: o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, será candidato à Presidência da República, tendo a líder indígena, Sônia Guajajara, como vice. 

O partido, no entanto, disputará as eleições de outubro coligado com o PCB, que realizou convenção na última sexta-feira e aprovou a aliança. Nas últimas semanas, Boulos se aproximou do PT em busca de apoio, caso Lula seja impugnado pela Justiça Eleitoral, mas o PT deve ter candidato próprio no primeiro turno e afirma que registrará a candidatura de Lula, preso pela Operação Lava-Jato, em 15 de agosto.

Paulo Rabello (PSC)

Ex-presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Paulo Rabello foi confirmado como candidato pelo PSC, que também sofre para encontrar um vice. O partido busca um nome que agregue apoios, e o candidato demonstra disposição de ter uma mulher na sua chapa.

Vera Lúcia (PSTU)

O PSTU optou por não fazer coligações nem alianças. Após quatro campanhas com o candidato José Maria de Almeida (Zé Maria), o partido lança agora a chapa Vera Lúcia e Hertz Dias à Presidência. 

Com 50 anos, Vera Lúcia é ex-militante do PT e já se candidatou à Prefeitura de Aracaju em 2012. É cientista social. Seu vice é professor da rede pública do Maranhão e militante do movimento negro.

Próximas convenções

Nos próximos dias, outros partidos farão convenções e oficializarão os candidatos à disputa presidencial.

PT

Mesmo com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva preso, o PT afirma que lançará seu principal líder à Presidência este ano, registrando sua candidatura no dia 15 e brigando na Justiça para mantê-la. A convenção petista será realizada no dia 4 de agosto. Internamente, a legenda discute qual pode ser seu plano B caso a candidatura de Lula seja impugnada. O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad é um dos nomes mais cotados para essa missão. 

Rede 

Marina Silva será oficializada como candidata do Rede em outra convenção a ser realizada no dia 4. Mas paira dúvida sobre quem será o vice. Até o atual presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, é cogitado a ocupar a vaga. 

PSDB

O ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin também deve ter candidatura confirmada no dia 4. O presidenciável conseguiu a promessa de ter apoio do Centrão, que reúne DEM, PP, PRB, PR e Solidariedade. Com isso, ele deve ter o maior tempo de propaganda na tevê e no rádio. O PSDB sonha em ter como vice o empresário Josué Alencar (PR), filho do ex-vice-presidente José Alencar, também buscado por outros partidos. 

MDB

Em 2 de agosto, o MDB deve oficializar a candidatura do ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles. Resta a dúvida de quem vai compor a chapa. O economista já afirmou que não aceitará sair como vice-presidente do partido. No dia 4, será a vez do PT confirmar, ou não, o ex-presidente Lula como candidato. 

PSB

Com a desistência de Joaquim Barbosa, o PSB não terá candidato e definirá, na segunda-feira (30), quem o partido apoiará a presidência.

PCdoB 

Apesar de ter anunciado a pré-candidatura de Manuela D’Ávila, o partido, que nas últimas eleições integrou a coligação encabeçada pelo PT, ainda estuda se mantém a candidatura ou apoia o PT ou o PDT. A convenção da legenda ocorre em 1º de agosto. (Por: Correio Braziliense)

Powered by WordPress | Designed by: diet | Thanks to lasik, online colleges and seo