IMG-20141030-WA0039

João Alfredo – Prefeitura prepara cemitérios para receber visitantes em Finados…

A Prefeitura de João Alfredo, através da Secretaria de Obras, está com tudo pronto para receber milhares de pessoas que devem visitar os túmulos de seus entes queridos, já a partir de Leia mais »

nono_digito_001

Nono dígito do celular para AP, AM, MA, PA e RR começa em novembro…

As ligações para celulares com nono dígito vão passar a ser obrigatórias em mais cinco estados das regiões Norte e Nordeste, anunciou nesta quinta-feira (30) a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). São eles Amapá, Amazonas, Maranhão, Pará e Roraima, Leia mais »

20141029194951128478o

Romário Dias deve liderar oposição em Pernambuco…

A liderança da futura bancada de oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco deverá ficar com o deputado estadual eleito Romário Dias (PTB). O nome dele é dado como “praticamente certo” no grupo Leia mais »

20141030122921783830o

Jessica Netely, ex-Sedutora, lança nova carreira em tempo recorde…

Poucos dias após anunciar a saída da Banda Sedutora, Jessica Netely define os próximos passos na carreira e encontra um novo lugar no cenário da música brega pernambucana. Ela assinou contrato com Leia mais »

Michel-Temer-e-Julio-Lossio

Lóssio discute com Temer desafios da gestão…Blog da Folha)

Em encontro em Brasília, ontem, o prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio (PMDB), ouviu do vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), os desafios da gestão da presidente Dilma Rousseff (PT) para os próximos Leia mais »

João Alfredo – Dilma Rousseff 66,25% e Aécio Neves 33,75%…

Aécio-e-Dilma-divulgação1

JOÃO ALFREDO

Eleitorado: 22.729 eleitores

Abstenção: 5.715 eleitores (25,14%)

Comparecimento: 17.014 eleitores (74,86%)

DILMA ROUSSEFF: 10.655 votos (66,25%)

AÉCIO NEVES: 5.428 votos (33,75%)

Em branco: 299 votos (1,76%)

Nulos: 632 votos (3,71%)

Fonte: TSE

Dilma deve se descolar da imagem de Lula no 2º mandato, avaliam aliados…

dilmaportoalegre - Cópia

dilmaportoalegre - Cópia

Afilhada política do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a presidente Dilma Vana Rousseff, 67 anos, tende agora – reeleita – a se descolar do padrinho, segundo avaliação de dois políticos gaúchos que a acompanham desde quando ela exerceu o primeiro cargo público, nos anos 1980, como secretária da Fazenda da Prefeitura de Porto Alegre.

Ex-militante de esquerda nos anos 1970, presa e torturada pelo regime militar (1964-1985), Dilma teve Lula como principal fiador político de suas duas vitórias eleitorais. Ao longo dos oito anos em que ele governou o país (2003-2010), Dilma comandou o Ministério de Minas e Energia e o da Casa Civil.

Ex-prefeitos da capital gaúcha e ex-governadores do Rio Grande do Sul, Alceu Collares (PDT) e Olívio Dutra (PT) foram chefes da presidente reeleita em uma época em que ela sequer cogitava governar o país. Collares trabalhou com Dilma na prefeitura e no governo estadual. Dutra, no governo estadual.

Na visão de Collares, um dos fundadores do PDT, Lula teve a “sensibilidade” de identificar o potencial político da petista no momento em que o ex-ministro José Dirceu se inviabilizou para disputar a Presidência em razão do escândalo do mensalão do PT.

O ex-governador gaúcho, entretanto, acredita que apesar de Lula ter sido crucial para a primeira vitória de Dilma nas urnas, o peso da influência política do ex-presidente foi menor na eleição deste ano. Por isso, ele prevê sua ex-secretária da Fazenda e de Minas e Energia conquistará a independência política nos próximos quatro anos.

“Lula, pela sua sensibilidade, viu que ela [Dilma] tinha as condições de ser presidente. A era política que vem por aí não é do [Leonel] Brizola, do Getúlio [Vargas] ou do Lula. O que vem por aí obrigará os partidos a girarem em nome de ideias e propostas, e não em torno de pessoas. Dilma, ela vai ser 1 milhão de vezes melhor no segundo mandato”, opinou Collares.

Para o petista Olívio Dutra, que teve Dilma como subordinada no governo gaúcho e foi ministro junto com ela na gestão Lula, a presidente reeleita “sempre teve a identidade afirmada”.

“Ele [Lula], pelo meu entendimento, nunca teve a postura de colocar Dilma debaixo do braço. Ela sempre teve a identidade afirmada. Fazemos parte de um projeto que não é personalista, é coletivo”, destacou Olívio.

Primeiro mandato
Filha de um imigrante búlgaro e de uma professora mineira, Dilma disputou neste domingo (26) sua segunda eleição. Na primeira vez em que concorreu a um cargo eletivo, em 2010, ela foi eleita presidente com 55,7 milhões de votos.

Em seus primeiros quatro anos de governo, a presidente reeleita deu continuidade às principais bandeiras políticas de Lula, como Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), o Bolsa Família, o  Minha Casa, Minha Vida e o Prouni. Ela, no entanto, também tentou imprimir sua própria marca política com a criação, entre outras iniciativas, do programa Mais Médicos e do Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino e Técnico e Emprego), que concede bolsas de estudos para estudantes de cursos profissionalizantes.

O primeiro ano de mandato foi de instabilidade, com escândalos que levaram à demissão de seis ministros: Antônio Palocci (Casa Civil), Alfredo Nascimento (Transportes), Wagner Rossi (Agricultura), Orlando Silva (Esporte), Carlos Lupi (Trabalho) e Pedro Novais (Turismo).

A crise política, entretanto, em vez de desgastar a petista, turbinou os índices de popularidade dela. A então “mãe do PAC” ganhou fama de gestora austera ao cortar de seu primeiro escalão os auxiliares suspeitos de envolvimento em irregularidades, entre os quais presidentes nacionais de partidos que integram a base governista.
 
A chamada “faxina ministerial”, que degolou em poucos meses 15% dos ministros do governo Dilma, se estendeu ao segundo ano de mandato – o então ministro das Cidades, Mário Negromonte, foi afastado do cargo após ser alvo de uma série de denúncias de irregularidades.

Em meio ao seu primeiro mandato, a presidente teve de lidar ainda, durante quase cinco meses, com o desgaste resultante da condenação de ex-integrantes da cúpula do PT no julgamento do processo do mensalão do partido no Supremo Tribunal Federal (STF).

Outro momento delicado da primeira fase do governo Dilma ocorreu em junho de 2013, quando milhares de pessoas foram às ruas do país reivindicar melhoria dos serviços públicos. Mesmo não sendo o foco principal das reivindicações populares, a petista viu a popularidade cair em meio à onda de protestos. Na tentativa de tentar se reabilitar politicamente, ela apresentou uma série de propostas ao país, entre as quais a convocação de uma constituinte exclusiva para promover uma reforma política. A ideia, contudo, sofreu resistência no Congresso Nacional e acabou engavetada. (G1)

Dilma é reeleita Presidente do Brasil…

dilmarousseff_moto_620

dilmarousseff_moto_620

dilma

A presidente Dilma Rousseff (PT) venceu Aécio Neves (PSDB) na disputa em segundo turno e foi reeleita neste domingo (26) para um novo mandato como presidente da República (2015-2018). O resultado foi confirmado pelo sistema de apuração do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) às 20h30, quando 98% das urnas estavam apuradas e não havia mais possibilidade matemática de virada. Até a última atualização desta reportagem, a petista tinha 53.317.776 votos (51,45%) e o tucano, 50.310.129 votos (48,55%).

Com a vitória, Dilma completará um período de 16 anos do PT no comando do governo federal, desde a primeira eleição de Luiz Inácio Lula da Silva, em 2002. É o dobro do tempo do PSDB, que teve dois mandatos com Fernando Henrique Cardoso (1995-1998 e 1999-2002). Desde antes da reeleição de Dilma, o PT trabalha com a hipótese de uma nova candidatura de Lula em 2018, conforme voltou a defender neste domingo o presidente do partido, Rui Falcão.

A presidente se reelegeu na disputa considerada a mais acirrada desde a redemocratização. No início da campanha, a petista manteve-se na dianteira nas pesquisas de intenção de voto, mas depois chegou a ter a liderança ameaçada por Marina Silva (PSB), derrotada no primeiro turno, e Aécio, que chegou a aparecer numericamente à frente dela no segundo turno.

Foi também a sexta eleição marcada pela polarização entre PSDB e PT, que desde 1994 sempre chegaram nas duas primeiras posições na corrida presidencial. Assim como em 2010, a candidatura de Marina despontou neste ano como terceira força, alcançando 21,3% dos votos no primeiro turno. (G1)

Dilma bate Aécio em Pernambuco: 70,32 % a 29,68%…

PERNAMBUCO

Dilma Rousseff ….. 3.060.473 votos (70,32%)

Aécio Neves ………. 1.291.879 votos (29,68%)

Em branco ……………… 90.009 votos (1,94%)

Nulos . ……………………199.164 votos (4,29%)

 

 

Eleitores se dirigem ao comitê do PT na Boa Vista…

O clima é de animação no comitê de Dilma no Recife, localizado no cruzamento da Rua do Príncipe com a Gervásio Pires, na Boa Vista. O espaço em frente ao comite está tomado de pessoas. Cerca de 300 eleitores estão confiantes na vitória e entoam gritos de guerra, ornados com bandeiras e chapéus da petista. Eles recebem o apoio dos motoristas que passam buzinando no local. Tereza Leitão e Humberto Costa já estão no comitê.

Tereza Leitão afirmou que está animada. O PT encomendou duas pesquisas de boca de urna nacionalmente. E o resultado: está Dilma com 52% e Aécio 48%, e Dilma 53% e Aécio 47%.

Ela recebeu informações, também de boca de urna em relação ao estado de Pernambuco, com vitória petista na Zona da Mata, nos municípios de Ribeirão, Gameleira, Cortez, Palmares, Goiana e outros. No Agreste do estado a votação está sendo expressiva e pode haver surpresa em Caruaru, onde Dilma perdeu no primeiro turno. (Diário de Pernambuco)

Leninha, irmã do ex-prefeito Severino Cavalcanti, morre em São Paulo…

Leninha Cavalcanti - Foto arquivo
Leninha Cavalcanti - Foto arquivo

Leninha Cavalcanti – Foto arquivo

Faleceu na tarde de ontem (25) em São Paulo-SP, Helena Cavalcanti – “Leninha”, 72 anos, irmã do ex-deputado federal e ex-prefeito de João Alfredo, Severino Cavalcanti.

Em virtude da lamentável perda, o ex-prefeito Severino Cavalcanti e o deputado estadual reeleito José Maurício (PP) embarcaram à capital paulista na noite de ontem, para participar do sepultamento programado para a tarde deste domingo.

Helena Cavalcanti participou da política joãoalfredense nas eleições municipais de 1988, quando se registrou como candidata à prefeitura até o dia 5 de outubro daquele ano, quando foi promulgada a Constituição Federal, cujo artigo das Disposições Transitórias permitiu que o então deputado estadual Severino Cavalcanti disputasse a sucessão do próprio filho,Cavalcanti Júnior, que estava à frente da edilidade municipal.

Apesar da substituição, Severino Cavalcanti (PDC) foi derrotado por Sebastião Mendes (PMDB) por uma diferença de 192 votos, nas eleições realizadas no dia 15 de novembro. 

Dona Elzita, aos 101 anos, vai votar…

ELZITA

ELZITA

Já quase sem falar, Elzita Santa Cruz, de 101 anos, não abriu mão de votar neste domingo (26). Vestida de vermelho, foi levada pelos filhos ao Colégio Imaculado Coração de Maria, no município metropolitano de Olinda, onde mora. “Dilma!”, revelou ela, baixinho. Para facilitar sua entrada na seção de votação, usou uma cadeira de rodas disponibilizada pela escola.

Símbolo da luta pela resistência à ditadura militar, Elzita Santa Cruz é incansável na busca por notícias do paradeiro do filho Fernando Santa Cruz, desaparecido em 1974, aos 26 anos, durante confronto entre militares e militantes da Ação Popular Marxista-Leninista (APML). Até hoje não se sabe o que aconteceu. De acordo com um dos seus oito filhos vivos – ela teve dez -, o vereador Marcelo Santa Cruz, Elzita sempre valorizou a eleição e o primeiro político a contar com seu voto foi Luiz Carlos Prestes, em 1945, no Rio de Janeiro.

(Estadão Conteúdo)

Após votar, Lula diz ter “esperança e expectativa”…

20141026121143_cv_LUlaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaavotaemsaobernardoimages_cms-image-000401058_gde

20141026121143_cv_LUlaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaavotaemsaobernardoimages_cms-image-000401058_gde

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva votou neste domingo em São Bernardo do Campo(SP) e defendeu ‘melhoras’ no Brasil sob governo de sua candidata, a presidente Dilma Rousseff, que tenta a reeleição pelo PT.

Lula compareceu à sua zona eleitoral acompanhado da esposa, dona Marisa Letícia, e do candidato derrotado do PT ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha.

‘Cada eleição pra mim é a consagração de mais um dia de convivência, de aperfeiçoamento democrático’, disse a jornalistas, após votar.

O ex-presidente disse ter ‘muita esperança e muita expectativa’ com o resultado das eleições e que disse não acreditar em tentativas de tirar Dilma da Presidência, caso seja reeleita.

‘Eu não acredito por duas razões: primeiro, porque o país já aprendeu a valorizar a democracia. Segundo, porque Dilma tem grande parte da sociedade ao lado dela’, afirmou.

Lula defendeu ainda sua candidata, dizendo que o país melhorou ‘muito’ em seu governo, mesmo em uma situação de crise internacional. (UOL – Agência Reuters – Maria Carolina Marcello)

Aécio Neves já votou em Belo Horizonte…

20141026105953_cv_Aeciaovotacomamulheraecio9_20141026103209_gde

20141026105953_cv_Aeciaovotacomamulheraecio9_20141026103209_gde

O candidato à Presidência da República, Aécio Neves, votou neste domingo (26) às 10h30 em escola do bairro de Lourdes, na região central de Belo Horizonte. O presidenciável compareceu ao local acompanhado da mulher, Letícia Weber.

Aécio cumprimentou eleitores e mesários na sala de votação e posou para fotos fazendo um “45″ com as mãos e sinalizando um “V”, de “vitória”. Ele levou menos de 10 segundos para votar.

A previsão é que o Aécio conceda entrevista coletiva ainda nesta manhã em hotel próximo à escola onde votou. Ele deverá passar o dia na capital mineira para acompanhar a apuração dos votos.

O presidenciável vota na Escola Estadual Governador Milton Campos, conhecida como Estadual Central. O colégio é o mesmo onde sua adversária, Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, estudo em sua juventude, quando morava na capital mineira. (Do Portal G1)

Dilma já votou em Porto Alegre…

1429960 (1)

1429960 (1)

A presidente Dilma Rousseff ganhou um chimarrão de presente ao votar na escola estadual Santos Dumont, na zona sul de Porto Alegre, na manhã deste domingo (26). O regalo foi dado por Rogério Leal, fiscal do PMDB, partido que, no Rio Grande do Sul, é rival de Genro. O governador enfrenta o ex-prefeito de Caxias do Sul José Ivo Sartori, à frente nas pesquisas.

Acompanhada pelo governador gaúcho, Tarso Genro (PT), Dilma foi saudada por apoiadores ao chegar ao local e votou às 8h45. A presidente, que passou a noite na capital gaúcha, ficou 7 minutos na seção eleitoral não falou com a imprensa. (Magno Martins)

Hoje:


26 de outubro:

Dia do Trabalhador da Cons. Cívil

Dia de Santo Evaristo.
Dia Nacional da Áustria.

Nesta data em :

1905 – A Suécia reconhece a independência da Noruega.
1994 – É assinado o Acordo de paz entre Israel e a Jordânia.
2004 – Segunda passagem da sonda Cassini por Titã.

Nasceram neste dia…

1802 – Rei D. Miguel I de Portugal (m. 1866).
1916 – François Mitterrand, presidente francês (m. 1996).
1942 – Milton Nascimento, na imagem, cantor e compositor brasileiro.

Morreram neste dia…

889 – Alfredo de Inglaterra (n. 849).
1933 – José Malhoa, pintor português (n. 1855).
1976 – Di Cavalcanti, pintor brasileiro (n. 1897)

Por ordem judicial, Veja publica resposta de Dilma…

Já na madrugada deste domingo, o site da revista Veja publicou o direito de resposta a que foi obrigado pelo TSE  a dar a presidente Dilma Rousseff. O motivo foi o fato de a revista ter antecipado capa da edição que circularia neste domingo, reproduzindo acusações que teriam sido feitas pelo doleiro Alberto Rousseff. O doleiro – veiculou a publicação,– teria declarado, em delação premiada à Polícia Federal, que a presidente e o ex-presidente Lula sabiam da corrupção que ocorria na Petrobras.

Abaixo, na íntegra, a nota publicada na madrugada pela revista:

”Direito de resposta

VEJA veicula a resposta conferida à Dilma Rousseff, para o fim de serem reparadas as informações publicadas na edição nº 2397 – ano 47 – nº 44 – de 29 de outubro de 2014.

A democracia brasileira assiste, mais uma vez, a setores que, às vésperas da manifestação da vontade soberana das urnas, tentam influenciar o processo eleitoral por meio de denúncias vazias, que não encontram qualquer respaldo na realidade, em desfavor do PT e de sua candidata.

A Coligação ‘Com a Força do Povo’ vem a público condenar essa atitude e reiterar que o texto repete o método adotado no primeiro turno, igualmente condenado pelos sete ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por terem sido apresentadas acusações sem provas.

A publicação faz referência a um suposto depoimento de Alberto Youssef, no âmbito de um processo de delação premiada ainda em negociação, para tentar implicar a Presidenta Dilma Rousseff e o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva em ilicitudes. Ocorre que o próprio advogado do investigado, Antônio Figueiredo Basto, rechaça a veracidade desse relato, uma vez que todos os depoimentos prestados por Yousseff foram acompanhados por Basto e/ou por sua equipe, que jamais presenciaram conversas com esse teor.” (Magno Martins)

Powered by WordPress | Designed by: diet | Thanks to lasik, online colleges and seo