Forçar relação com Lula não é o melhor caminho para conquistar o eleitor …

É indiscutível a importância do ex-presidente Lula para o Brasil, sobretudo para Pernambuco, pois foram nos seus oito anos de governo que o Brasil vivenciou o melhor momento econômico da história recente, e em Pernambuco não foi diferente com o boom econômico de Suape com a chegada do Estaleiro, a Refinaria e tantos outros investimentos públicos que chegaram ao estado por interferência direta de Lula.

Apesar disso, Lula está inelegível pela Lei da Ficha Limpa e não será candidato nestas eleições. Em ocasiões anteriores tivemos candidatos apoiados por Lula que foram derrotados nas urnas, como por exemplo Humberto Costa em 2006 que ficou em terceiro lugar, se o apoio de Lula fosse determinante como muitos querem fazer crer, Humberto teria chegado ao segundo turno daquela eleição e teria sido governador.

Em 2012, com PT e PSB em campos distintos, Humberto Costa novamente candidato majoritário acabou figurando em terceiro lugar, perdendo para o pouco expressivo naquela ocasião Daniel Coelho, do PSDB à época, que não tinha nenhuma tradição eleitoral na capital pernambucana. Em 2014 apoiado por Lula, Armando Monteiro começou com 50% das intenções de voto, e acabou com 31% dos votos válidos nas urnas. O apoio de Lula foi insuficiente para levar Armando ao Palácio do Campo das Princesas, Dilma Rousseff perdeu no primeiro turno para Marina Silva e João Paulo acabou derrotado por Fernando Bezerra Coelho. Naquela eleição o PT de Lula não elegeu único deputado federal em Pernambuco, mesmo sendo um estado considerado lulista.

Dois anos depois, na disputa pela prefeitura do Recife, João Paulo que havia sido eleito, reeleito e feito o sucessor, com o apoio de Lula, sofreu uma acachapante derrota para Geraldo Julio no segundo turno. Em todas estas ocasiões citadas, Lula estava em evidência e estava solto para pedir votos para os seus candidatos e não resolveu a disputa a favor deles, não será agora, preso em Curitiba, que será determinante para decidir a escolha do próximo governador.

Os dois principais candidatos a governador, Paulo Câmara e Armando Monteiro, travam uma disputa pela relação com Lula no sentido de criar no imaginário do eleitor a tese de que eles são próximos ao ex-presidente, como se fosse Lula que tivesse uma varinha mágica para resolver, da cela de Curitiba, os problemas da violência, do desemprego, do desequilíbrio fiscal do estado e de tantas outras demandas para a população.

Dividir a eleição sobre quem tem melhor relação com Lula é desrespeitar o eleitor, é minimizar os problemas do estado, é diminuir a importância do cargo de governador de Pernambuco. A população exige mais do que isso, Lula apesar de ser bem-avaliado pelos pernambucanos num claro e justo reconhecimento a tudo que foi feito pelo estado, representa o passado, e o que está em jogo é o futuro do estado e somente com projetos e propostas é que os problemas de Pernambuco serão resolvidos. Esse é o caminho para vencer a eleição, quem trilhar outro inexoravelmente será derrotado. (Edmar Lyra)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by WordPress | Designed by: diet | Thanks to lasik, online colleges and seo