Busca por aposentadoria cresce em meio a debate da reforma…

Em uma típica corrida para escapar da reforma da Previdência, 775,6 mil segurados do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) pediram aposentadorias por tempo de contribuição no primeiro semestre deste ano. O número é Leia mais »

Ministra de Bolsonaro: ações ligadas a Joesley e Wesley…

Rubens Valente e Catia Seabra – Folha de S.Paulo A futura ministra da Agricultura do governo Jair Bolsonaro (PSL), Tereza Cristina (DEM-MS), concedeu incentivos fiscais ao grupo JBS na mesma época em que manteve uma “parceria pecuária” com a Leia mais »

A reunião da irresponsabilidade fiscal…

No mesmo dia em que anunciou um “momento de regeneração”, Jair Bolsonaro foi a uma esquisita reunião de governadores eleitos copatrocinada pelo paulista João Doria. Nada havia sido combinado com sua equipe. O que muitos governadores Leia mais »

Novembro Azul…

Leia mais »

Venha pra TiConnect….

    Leia mais »

Category Archives: Sem categoria

Reflexão do dia…

Reflexão do dia…

Fragmento Bíblico…

Eunício diz que colegas estão “horrorizados” após conversa com Paulo Guedes: “Povo de rede social”…

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), não teve exatamente uma boa impressão do economista Paulo Guedes em seu primeiro contato com o “guru econômico” de Jair Bolsonaro (PSL) já na condição de ministro do próximo governo. O senador fez uma relato sobre a conversa que teve na última terça-feira (6) com Paulo, na presença de outros senadores, pouco antes da celebração dos 30 anos da Constituição Federal, cerimônia que marcou a volta de Bolsonaro ao Congresso depois das eleições. Dizendo que seus colegas ficaram “horrorizados” com a postura do economista, Eunício saiu dessa conversa com uma certeza:

“Esse povo que vem aí não é da política; é da rede social”.

Segundo Eunício, Paulo Guedes o pressionou para que pautasse logo, para aprovação ainda neste ano, da polêmica reforma da Previdência, proposição que poderia auxiliar o governo Bolsonaro a equacionar o grave desequilíbrio das contas públicas. Para tanto, lembrou Eunício, é necessário que o presidente Michel Temer (MDB) suspenda ou encerre a intervenção federal decretada na segurança pública do Rio de Janeiro no início do ano, uma vez que a reforma é uma propostas de emenda à Constituição. E, como reza a própria Carta Magna, PEC não pode ser votada enquanto qualquer ente da Federação estiver sob intervenção.

A conversa foi relatada por Eunício ao site Buzzfeed, que a reportou ontem (sexta, 9) com exclusividade. Era véspera da sessão plenária em que senadores concederam reajuste para ministros do Supremo Tribunal Federal e chefes da Procuradoria-Geral da República, o que representará mais despesa para o próximo governo e uma sinalização para a gestão Bolsonaro.

Eunício disse a Paulo Guedes que obedece à vontade da maioria dos pares, vocalizada pelos líderes de bancada, e por isso não poderia pautar a matéria de qualquer jeito. Lembrou ainda que há prioridades como a votação do orçamento para 2019, que costuma centralizar as atenções dos parlamentares no meio e no fim de cada ano. A conversa começou “em tom ameno” e depois se tornou ríspida, disse o senador.

“Ele olhou para mim e disse que orçamento não é importante, importante é aprovar reforma da Previdência. […] Ele me disse: ‘Vocês não aprovam orçamento, orçamento eu não quero que aprove não’. Mas não é o senhor querer, a Constituição diz que só podemos sair em recesso após a aprovação”, relatou Eunício, acrescentando ter sido interrompido quando falou sobre a impossibilidade de recesso parlamentar sem a aprovação do orçamento.

“Não, eu só quero reforma da Previdência. Se vocês não fizerem vou culpar esse governo. Vou culpar esse Congresso e o PT volta, e vocês vão ser responsáveis pela volta do PT”, bradou o economista, sempre segundo o relato do presidente do Senado.

A certa altura da conversa, Eunício deixou a sala ao avistar a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, e deixou Paulo Guedes conversando com o atual líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE). “Então eu vi a Raquel Dodge lá na frente e saí para conversar com ela, e ele seguiu conversando com o Fernando Bezerra, que saiu de lá horrorizado”, recorda o senador.

O Buzzfeed lembra que “o mal-estar aumentou depois da solenidade” dos 30 anos da Constituição, quando Guedes declarou os jornalistas, na entrada do Ministério da Fazenda, que uma “prensa” tinha que ser dada no Senado para que a reforma da Previdência fosse logo votada. A declaração soou, para além de pressão, como ameaça.

“Ele foi lá para a porta do Ministério da Fazenda e disse que tem que dar uma prensa. Eu digo que aqui ninguém dá prensa. Aqui você convence, discute, ganha, perde. Agora, prensa ninguém vai dar em mim”, rebateu Eunício.

Obsessão

Desde que foi eleito, Bolsonaro – a exemplo do próprio Paulo Guedes e de outros próceres do novo governo, como o deputado e também futuro ministro Onyz Lorenzoni (DEM-RS) – tem falado recorrentemente sobre a importância que ele diz ver na aprovação da Previdência. Diante da alta rejeição da matéria no Congresso, principalmente à primeira versão elaborada pela equipe de Temer, o deputado do PSL passou a dizer que um texto mais palatável deveria ser apreciado antes mesmo de sua posse, em 1º de janeiro de 2019.

Mais recentemente, noticiou-se que o trabalho de reformar a Previdência, um mastodonte de centenas de bilhões de reais, poderia ser iniciado antes do fim do ano por meio de alterações infraconstitucionais, que não requerem apresentação de proposta de emenda à Constituição. No Congresso, o clima é de ânimo zero para votar as matérias, principalmente por parte da atual oposição (PT, PCdoB, PDT, Psol etc).

Coincidência ou não, Bolsonaro desmarcou compromissos que tinha não só com Eunício, mas também com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). O compromisso com o senador deveria ter sido realizado ontem (sexta, 9). Com Maia, a agenda da próxima terça-feira (13) foi cancelada, segundo a equipe de transição de governo que o auxilia. (Congresso em Foco)

Com TCC escrito à mão, mulher de 87 anos se forma em Jundiaí…

G1

Luísa Valencic Ficara, de 87 anos, mostrou que nunca é tarde para realizar seus sonhos (e nem seu TCC).  Nascida na Itália, Luísa imigrou para a América do Sul durante a Segunda Guerra Mundial. Ela mora há 40 anos em Jundiaí, no interior de São Paulo, mas anteriormente morou em três países sul-americanos.

Após o falecimento do marido e de sua irmã, ela decidiu voltar a estudar para manter a cabeça ocupada.

“Não adianta ficar em casa que começam as dores. Dores crônicas, dores de saudade. Ter a casa vazia traz tudo isso.”, disse, em entrevista ao G1.

Com isso em mente, ela se matriculou no curso de nutrição do  Centro Universitário Padre Anchieta.

Ela relatou que quando entrou na sala, no primeiro dia de aula, a turma ficou um pouco surpresa com sua presença. Mas com o tempo, ela disse que foi vencendo sua própria timidez e fez amizades.

A graduação foi concluída após seis anos de estudos, já que Dona Luísa, como é conhecida, precisou refazer algumas matérias.

Para ajudar a simpática senhora, seus professores, funcionários e colegas da universidade a ajudaram com a parte da digitação, configuração e impressão do trabalho.

E vocês pensam que ela está satisfeita? Jamais! Ela também frequenta aulas de alemão, inglês e francês e já está planejando ingressar em um curso de pós-gradução!

Parabéns, Dona Luísa!

Via

Fotos: Artfinal Eventos/Divulgação

Reflexão do dia…

Hoje:

10 de novembro:

Dia do Ruralismo.

Dia do Balconista.

São Leão I

Dia do Trigo

Nesta data em:

1549- É convocado o conclave que escolheria o Papa Júlio III.
1937 – É instaurado o Estado Novo no Brasil.
2006 – O Sport Lisboa e Benfica entra para o livro Guiness World Records por ser o clube com mais sócios no mundo.

Nasceram neste dia…

1683 – Jorge II, R ei da Grã-Bretanha (m. 1760).
1759 – Friedrich Schiller, poeta, filósofo e historiador alemão (m. 1805).
1919 – Mikhail Kalashnikov, armeiro russo.

Morreram neste dia…

1891 – Arthur Rimbaud, poeta francês (n. 1854).
1938 – Kemal Atatürk, o “pai” da Turquia moderna (n. 1881).
1990 – Mário Schenberg (na imagem), físico, crítico e escritor brasileiro (n. 1914).

2006 – Jack Palance, ator de cinema norte-americano (n.1919).

2009 – Ken Wlaschin, escritor e historiador norte-americano, especializado em cinema e ópera (n. 1934).

2010 – Dino De Laurentiis, ator e produtor de cinema ítalo-americano (n. 1919).

2017 – Marcia Cabrita, atriz e humorista brasileira (n. 1964).

Reflexão do dia…

Fragmento Bíblico…

 

Fragmento Bíblico…

Fragmento Bíblico…

Opinião – Pernambuco sem oposição no próximo ano…

É bem sabido que, nos primeiros meses de uma nova gestão, o Executivo, se houver auferido maioria nas eleições proporcionais, tem quase poderes absolutos. A necessidade de apoio no governo, faz com que até deputado eleitos pela oposição tendam a ser mais maleáveis. No caso de Perrnambuco, Armando ficará sem mandato a partir de 2019 e não terá mais Brasília para ancorar alguma força entre os deputados. Sem um líder maior, fragorosamente derrotado pela segunda vez e agora sem mandato, a antiga oposição do estado deve deixar de existir provisoriamente e só deverá retornar com a proximidade das eleições municipais de 2020.

Não obstante, o governador Paulo Câmara terá muito mais força para aprovar projetos e emendas de seu gosto, a exemplo da substituição da Delegacia de Crimes contra a Administração e Serviços Públicos (DECASP) pelo Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRACO). O único membro de alta plumagem da oposição que ainda tem condições de unir os cacos da oposição é o senador Fernando Bezerra Coelho, que terá mais 4 anos no cargo, mas somente deve se mover no segundo semestre do ano que vem. O senador eleito Humberto Costa  seguirá como oposição em Brasília e dificilmente se lançaria na oposição de Pernambuco porque isto significaria perder espaço no Palácio do Campo das Princesas e beber água durante 4 anos. (Marcelo  Velez)

Powered by WordPress | Designed by: diet | Thanks to lasik, online colleges and seo