Venha pra TiConnect….

    Leia mais »

Mesmo rifada, Marília Arraes já é a grande vencedora de 2018…

Após a vitória de Eduardo Campos em 2006, onde Marília, então estudante da Faculdade de Direito do Recife, teve atuação destacada, ela foi ungida pelo PSB para disputar um mandato de vereadora Leia mais »

Greve pode impactar recuperação econômica…

A Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação (ABIA) informou ontem (25) que toda a cadeia produtiva foi afetada pela greve dos caminhoneiros, que entrou hoje (25) no quinto dia de paralisação. O Leia mais »

General descarta choque Forças Armadas e caminhoneiros…

“Até porque a ação não é contra caminhoneiros. É para permitir o trânsito, o direito de ir e vir das pessoas e veículos, principalmente, o abastecimento”, declarou o ministro Tânia Monteiro, O Leia mais »

TSE pode impedir que nome de Lula apareça na urna em outubro…

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deve decidir na próxima terça-feira se um réu em ação penal pode se candidatar a presidente da República. O julgamento pode definir a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que foi Leia mais »

Category Archives: Ciência e Tecnologia

Mulheres são maioria entre usuários de internet no Brasil, diz pesquisa…

mulher-bonita-moletom-mexendo-computador-300x171 (1)

As mulheres são a maioria entre os usuários de internet no Brasil, aponta uma pesquisa do Ibope Inteligência. De acordo com o estudo, 53% dos internautas são do sexo feminino e 47% são do sexo masculino. A pesquisa, realizada entre julho e de dezembro de 2014 e com população acima de 16 anos, dividiu os internautas de acordo com cinco critérios específicos (veja abaixo). Um deles levou em conta o Critério de Classificação Econômica Brasil.

A maior parte dos usuários de internet se concentra nas classes B (34%) e C (52%). Já a classe A soma 4% dos internautas, embora represente 2% da população. As classes D/E possuem  10% dos internautas, apesar de represetarem 21% da população. “Ainda assim, significa que uma em cada cinco pessoas das classes D/E acessa a internet”, diz o estudo.Além disso, 53% da população acessou a internet pelo menos uma vez por mês durante os três meses anteriores ao questionário.

Segundo a faixa etária, os brasileiros que têm entre 35 e 54 anos são os que mais acessam a internet (representam 34% dos acessos totais do país). Já segundo o grau de escolaridade, 50% dos usuários têm ensino médio completo, apesar de representarem somente 37% da população.

Promoção da TiConnect…

10923647_564873903656077_1832181706227621152_n

Operadoras já estudam banda larga 5G…

854361_195503

Enquanto as redes 4G ainda engatinham no Brasil, o mundo começa a definir o padrão da próxima geração para a banda larga móvel que deve começar a ser implementada a partir de 2020. O primeiro documento sobre o 5G prevê que a evolução da tecnologia permitirá velocidades de conexão de até 1 gigabits por segundo (Gbps), atualmente alcançadas só em redes fixas.

Um grupo formado pelas 24 maiores operadoras do mundo, além de 23 fabricantes de dispositivos e 20 universidades, prevê velocidades de até 1 Gbps em pontos próximos a antenas e de pelo menos 50 Mbps em toda a extensão das redes, incluindo áreas rurais. No modelo proposto, a tecnologia de 5G seria capaz de atender até 100 mil conexões por quilômetro quadrado, e permitiria o uso da internet mesmo em deslocamentos de grande rapidez, como nas viagens de avião ou de trens-bala.

Batizado de Nova Geração de Redes Móveis (NGMN, na sigla em inglês), o grupo divulgou agora a primeira versão do estudo com as diretrizes do 5G. Os dados completos serão divulgados no fim de março, para depois serem levados à União Internacional de Telecomunicações (UIT), órgão vinculado à ONU.

Com a perspectiva de que, no futuro, casas, automóveis empresas e pessoas estarão cada vez mais conectados, a quinta geração de banda larga móvel precisará de uma arquitetura de rede que consiga prover abrangência e confiabilidade de cobertura para dezenas de bilhões de dispositivos que se comunicarão em tempo real, mas preservando a segurança e a privacidade dos dados.

O NGMN projeta um mundo no qual o 5G permitirá que a chamada “internet das coisas” esteja ligada “em todo lugar, a qualquer momento”. Para conseguir alcançar tais objetivos, o grupo vai propor à UIT a liberação pelos governos de frequências altas, acima de 6 gigahertz (GHz), atualmente utilizadas para a comunicação de satélites e radares. Essas faixas altíssimas seriam combinadas com frequências mais baixas – e geralmente ocupadas por outros serviços, como TV ou rádio – para permitir uma maior cobertura de rede.

Para efeitos de comparação, o 4G no Brasil é oferecido na faixa de 2,5 GHz, que em breve será combinada com a frequência de 700 megahertz (MHz) leiloada no ano passado.

Para o presidente da consultoria Teleco, Eduardo Tude, mais importante do que a frequência escolhida para o 5G deverá ser o tamanho da banda disponível para cada empresa. “Com certeza será necessário usar diversas frequências combinadas para oferecer o serviço de acordo com as diversas possibilidades de uso do 5G, mas o tamanho da banda será fundamental. No 4G, por exemplo, as empresas adquiriram lotes de 10 MHz (download) + 10 MHz (upload). No 5G poderemos ter leilões com lotes de pelo menos 50 MHz + 50 MHz, o que torna obrigatória a liberação de mais frequências para o setor”, diz

Competição

Com a necessidade de mais espaço para cada empresa em um espectro magnético limitado e já bastante ocupado por outros serviços, Tude avalia que os futuros leilões do 5G devem ter uma disputa acirrada entre as companhias, algo que não aconteceu no último leilão de 4G.

“Temos atualmente um modelo com quatro grandes teles competindo no mercado brasileiro que podem vir a se tornar apenas três dentro de um processo de consolidação que talvez aconteça. Não acredito em um futuro com menos operadoras que isso, então a disputa por banda de frequência no 5G será importante”, completa o especialista.

Agência Estado

Inicie 2015 com sinal de internet de qualidade…

10923647_564873903656077_1832181706227621152_n

Agora é possível saber quando mensagens são visualizadas no WhatsApp…

Whatsapp

A mais recente atualização do WhatsApp promete ser uma das melhorias mais aguardadas – ou temidas – por parte dos usuários. Agora, o aplicativo permite saber se a mensagem foi visualizada pelo destinatário por meio de “tiques” com cor azul. A distribuição do update ainda não é válida para todos, sendo liberada aos poucos para os usuários.

A atualização, válida para todas as plataformas em que o aplicativo está disponível, terá agora diferentes indicativos na troca de mensagens. Em caso de um tique, significa que a mensagem saiu com sucesso do celular; já dois tiques, indica que o texto, imagem ou áudio chegou ao destinatário; já os dois tiques em cor azul informam que o receptor já viu a mensagem. Ou pelo menos abriu a conversa. (Folha de PE)

Nono dígito do celular para AP, AM, MA, PA e RR começa em novembro…

nono_digito_001

As ligações para celulares com nono dígito vão passar a ser obrigatórias em mais cinco estados das regiões Norte e Nordeste, anunciou nesta quinta-feira (30) a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

São eles Amapá, Amazonas, Maranhão, Pará e Roraima, estados onde o código de área (DDD) começa com o número 9. A mudança vale a partir do dia 2.

Cerca de 20 milhões de usuários nesses estados serão atingidos pela mudança, que já vale para São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo. No total, 90 milhões, dos cerca de 280 milhões de celulares do país, vão passar a exigir o nono dígito nas chamadas.

Portanto, a partir da 0h de Brasília do dia 2 de novembro (próximo domingo), os usuários devem discar 9 antes dos outros oito dígitos quando forem fazer chamadas para celulares dos cinco estados. O mesmo vale para o envio de mensagens de texto (SMS).

Não vai haver mudança nos números dos telefones fixos. Mas as chamadas que partirem desses aparelhos, para celular desses estados, também vão precisar do acréscimo do nono dígito.

De acordo com a Anatel, vai haver um período de transição, até o dia 11 de novembro, em que tanto as chamadas com oito quanto com nove dígitos, para aqueles estados, serão completadas. A partir do dia 12 de novembro, as chamadas com oito dígitos passarão a ser interceptadas e o usuário vai ouvir uma mensagem sobre a mudança. Nesta fase, fica a critério da operadora completar a ligação.

A partir de 10 de fevereiro de 2015, a mensagem de orientação não será mais ouvida e apenas as chamadas com o nono dígito serão completadas.

No caso das mensagens de texto, o convívio duplo vai acontecer apenas até 11 de novembro. A partir de 12 de novembro, vão funcionar apenas com o nono dígito. De acordo com a agência, as operadoras vão oferecer aplicativos para que os usuários façam a correção de suas agendas telefônicas. Esses aplicativos, porém, só funcionam em smartphones.

Restante do país
A Anatel informou que, até 2016, todos os celulares do país terão o nono dígito. Essa medida foi tomada devido à escassez da oferta de novos números em grandes centros, principalmente em São Paulo e no Rio de Janeiro. E vai ser estendida ao restante do Brasil para padronizar os números e evitar confusão.

O cronograma prevê a implantação do nono dígito em Alagoas, Pernambuco, Paraíba, RioGrande do Norte, Ceará e Piauí a partir de 31 de maio de 2015. Em 11 de outubro do ano que vem, começa a valer em Minas Gerais, Bahia e Sergipe.

A última fase de implantação acontece em 2016, mas ainda não tem data definida. Ela vai atingir os estados do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Rondônia, Acre, Goiás, Tocantins, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, além do Distrito Federal.

Para implantar o nono dígito apenas em São Paulo, Rio e Espírito Santo, as operadoras tiveram que investir cerca de R$ 380 milhões. Nos cinco novos estados, ela vai custar R$ 58 milhões. (G1)

Entenda o leilão do 4G…

download

– O que é 4G?
É a tecnologia de internet móvel de banda larga, usada pelas operadoras de celular para oferecer acesso à web de qualquer lugar por meio de smartphones e tablets. A velocidade real estimada para as redes 4G representa um acesso de 20 a 40 vezes mais rápido, em média, do que o alcançado com as atuais redes 3G – entre 256 kilobits por segundo (Kbps) e 1 Mbps – para entre 15 megabits por segundo até 1 Gigabit por segundo.

– Que diferença faz pra quem usa celular?
Quem usa o 4G em um celular poderá acessar serviços que usam a internet rapidamente. Páginas de sites abrirão mais rápido, fotos e vídeos serão publicados no Facebook mais rapidamente. É como ter uma conexão de banda larga no bolso.

– O que é preciso para acessar o 4G?
É necessário ter um plano de dados 4G, que pode ser adquirido com as operadoras. Também é necessário que se tenha um aparelho compatível com as frequências usadas no Brasil e que as operadoras tenham instalado a tecnologia na cidade. Nem todas as cidades brasileiras são cobertas pelo 4G, embora as capitais e grandes cidades já tenham a banda larga móvel.

– O que foi leiloado?
Foram colocados à venda 6 lotes ou “pedaços” da faixa de frequência de 700 MHz (megahertz). Três deles dão direito à oferta do 4G em todo o país, e outros três são regionais.

– Quanto o governo arrecadou?
O governo fixou em edital o mínimo que aceita receber por cada um dos lotes. A soma dos preços mínimos dos seis lotes era de R$ 7,7 bilhões. Dois dos seis lote, no entanto, não tiveram compradores, e o total arrecadado ficou em R$ 5,85 bilhões.

– Quem participou da disputa?
Quatro empresas – Claro, Algar (CTBC), Telefónica/Vivo e TIM – participaram. Elas foram as únicas que entregaram propostas para os lotes, em 23 de setembro. No mesmo dia, a operadora Oi surpreendeu o setor ao informar, por meio de fato relevante, que havia desistido do leilão. A Nextel também optou por ficar de fora da disputa.

– Quem levou os lotes?
Claro, Vivo e TIM venceram a disputa pelos três lotes nacionais, que permitem oferecer o serviço de banda larga de quarta geração em todo o país. A Algar arrematou o lote 5 (regional) do leilão, que permite oferta do 4G justamente na área em que a empresa, ex-CTBC, possui concessão de telefonia. Dois lotes regionais não tiveram ofertas, e chegaram a ser oferecidos fracionados na segunda fase do leilão, mas permaneceram sem interessados.

– O que acontece agora?
Os vencedores terão direito de uso da faixa arrematada por 15 anos, com possibilidade de renovação por igual período. A outorga (valor do lance) poderá ser paga em até 8 anos.

– O Brasil já não tem internet 4G?
Sim. O serviço de 4G disponível hoje no país é operado por meio da faixa de frequência de 2,5 GHz (gigahertz), que foi leiloada em 2012. Agora, o governo vai vender “pedaços” ou lotes da frequência de 700 MHz para empresas. As frequências são como estradas e cada serviço trafega em uma faixa. Alguns países, como os Estados Unidos, também decidiram usar essa frequência, porque ela exige menor quantidade de antenas para cobertura de sinal.

– Qual o problema com as TVs?
Hoje a faixa de 700 MHz é ocupada por canais de TV analógicos, que transmitem sua programação por ela. Para dar lugar às operadoras do 4G, essas emissoras vão passar a operar em outras frequências, por meio digital. O edital prevê que o serviço de banda larga só comece 12 meses após a saída de todas as emissoras.

A limpeza da faixa de 700 MHz vai exigir gastos estimados em R$ 3,6 bilhões com compra de equipamentos para que as emissoras transmitam em frequência diferente. Esse investimento terá que ser feito pelas vencedoras do leilão desta terça.

O dinheiro também será usado para a compra e instalação de equipamentos que vão evitar interferências. A faixa que vai ser leiloada para o 4G é próxima da usada pela TV digital e isso preocupa o setor de radiodifusão, pois um serviço pode interferir no outro. (G!)

Claro, TIM e Vivo arrematam os três lotes nacionais do leilão do 4G,,,

getjujufitimjnd

As operadoras Claro, TIM e Telefônica/Vivo arremataram nesta terça-feira (30) os três lotes nacionais oferecidos no leilão do 4G, promovido pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Esses lotes são chamados de nacionais porque permitem à vencedora oferecer o serviço de banda larga de quarta geração em todo o país.

A Algar arrematou o lote 5 (regional) do leilão, que permite oferta do 4G justamente na área em que a empresa, ex-CTBC, possui concessão de telefonia. Dois lotes regionais não tiveram ofertas, e chegaram a ser oferecidos fracionados na segunda fase do leilão, mas permaneceram sem interessados.

O governo arrecadou, com o leilão, R$ 5,85 bilhões – abaixo dos R$ 7,7 bilhões previstos caso todos os lotes fossem arrematados pelos valores mínimos.

Na abertura dos envelopes para o primeiro lote, a Claro apresentou a maior oferta (R$ 1,947 bilhão), ágio de 1% em relação ao mínimo exigido pelo governo (R$ 1,927 bilhão). Ela foi seguida pela TIM (R$ 1,928 bilhão) e Vivo (R$ 1,927 bilhão, valor mínimo). A Algar não apresentou proposta para esse lote.

TIM e Vivo foram classificadas e chamadas para apresentar proposta substitutiva na fase de disputa, mas abdicaram do direito. Assim, a Claro levou o primeiro lote sem disputa.

O edital prevê, após abertura dos envelopes, classificação das propostas, da maior para a menor. As empresas que tenham oferecido valor equivalente a pelo menos 70% da primeira colocada, têm direito a participar da fase de disputa pelo lote, em que elas podem elevar suas ofertas.

Se nenhuma oferta alcançar a margem de 70% da primeira colocada após a abertura dos envelopes, apenas a segunda maior será chamada para a disputa, independente da diferença de valores.

TIM leva lote 2
A TIM foi a vencedora do segundo lote, também nacional, ofertado pela Anatel. A empresa ofereceu R$ 1,947 bilhão, ágio de 1% em relação ao mínimo exigido no edital (R$ 1,927 bilhão), mesmo valor oferecido pela Claro no primeiro lote.

A Algar novamente não apresentou proposta para o segundo lote. Já a Claro não pode disputá-lo porque arrematou o primeiro.

A Vivo apresentou proposta de R$ 1,927 bilhão, mínimo exigido no edital pelo lote 2. A empresa foi chamada a participar da fase de disputa, mas recusou. A TIM, portanto, arrematou o segundo lote sem disputa.

Vivo fica com lote 3
Como previsto, a Vivo ficou com o terceiro lote que dá direito à oferta nacional do serviço de 4G. A empresa ofereceu proposta de R$ 1,927 bilhão, mínimo exigido no edital.

A Algar novamente não apresentou proposta. Já a Claro e a TIM não puderam disputá-lo por terem arrematado, respectivamente, o primeiro e o segundo lotes do leilão.

Lotes regionais
A Algar arrematou o lote 5 do leilão, que permite oferta do 4G em 87 municípios do interior de São Paulo, Goiás, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais.

A proposta da Algar foi de R$ 29,567 milhões, R$ 7 mil acima do valor mínimo exigido no edital por esse lote (R$ 29,560 milhões). Assim como nos outros lotes, não houve disputa com as outras empresas que participam do leilão.

O lote 6, que abrange a área de concessão da Sercomtel no Paraná (cidades de Londrina e Tamarana), e o lote 4, que permite oferecer o serviço do 4G em todo o país exceto as áreas de concessão da Sercomtel e da Algar, não tiveram proposta.

Governo pretendia arrecadar R$ 7,7 bilhões
Foram colocados à venda 6 lotes ou “pedaços” da faixa de frequência de 700 MHz (megahertz).  O governo fixou em edital o mínimo que aceitava receber por cada um dos lotes. A soma dos preços mínimos dos seis lotes era R$ 7,7 bilhões. O governo Dilma Rousseff conta com esse dinheiro para reforçar o caixa num momento de queda de arrecadação de impostos e risco de não cumprir a economia a que se comprometeu para pagar dívidas, o chamado superávit primário.

Quatro empresas – Claro, Algar (CTBC), Telefónica/Vivo e TIM – participaram da disputa. Elas foram as únicas que entregaram propostas para os lotes, em 23 de setembro. No mesmo dia, a operadora Oi surpreendeu o setor ao informar, por meio de fato relevante, que havia desistido do leilão. A Nextel também optou por ficar de fora da disputa. (G1)

Mulheres recebem vaginas criadas em laboratório…

vaginas-cultivadas-laboratorio-Anthony_Atala_MDSIMA20140411_0120_21

Um grupo de médicos americanos conseguiu implantar vaginas criadas em laboratório em quatro mulheres.

Os médicos do Centro Médico do Hospital Wake Forest, no Estado americano da Carolina do Norte, usaram uma tecnologia pioneira retirando amostras de tecido das mulheres e construindo em laboratório a parte implantada a partir de um molde biodegradável.

Depois do implante, as pacientes relataram níveis normais de “desejo, excitação, lubrificação, orgasmo e satisfação”, além de não terem relatado dor durante a relação. Os especialistas afirmam que o estudo, publicado na revista especializada Lancet, é a última amostra dos avanços em medicina regenerativa. O tecido artificial foi implantando em pacientes que sofriam de má formação dos órgãos genitais.

A formação incompleta se dá, geralmente, ainda durante a gestação, o que pode acarretar outros problemas na vida adulta dessas mulheres, como anormalidades em órgãos reprodutivos. Duas das pacientes, por exemplo, tinham as vaginas conectadas ao útero. Agora, depois do implante, elas relatam vida sexual normal. Ainda não ocorreram casos de gravidez, mas em teoria isto é possível. (Fonte: Correio) 

Implante cerebral para restaurar memória é desenvolvido pelos EUA…

40004b

Sonho de muitos mortais, apagar ou recuperar da memória uma recordação pode se tornar realidade graças a um grupo de pesquisadores militares que desenvolvem um implante cerebral capaz de restaurar recordações de soldados e pacientes com problemas neurológicos.

A Agência de Investigação de Projetos Avançados de Defesa (DARPA) desenvolve um plano de quatro anos para construir um sofisticado estimulador de memória. Caso tenha sucesso, a pesquisa poderá beneficiar, por exemplo, milhões de pessoas acometidas com o Mal de Alzheimer.

O projeto faz parte de um investimento de US$ 100 milhões concedido pelo presidente Barack Obama, que visa fomentar pesquisas de aprofundamento na compreensão do cérebro humano.

A ciência nunca tentou tal façanha antes, e o tema levanta inúmeros questionamentos éticos, como por exemplo se a mente humana pode ser manipulada com o intuito de controlar feridas de guerra ou o envelhecimento do cérebro.

Assim como quem sofre de demência, as pesquisas poderão ajudar os cerca de 300 mil soldados norte-americanos que sofreram lesões cerebrais graves no Iraque e no Afeganistão.

“Se você ficou ferido no cumprimento de seu dever e não consegue se lembrar da sua família, queremos ser capazes de recuperar este tipo de função”, disse esta semana o gerente do programa do DARPA, Justin Sánchez, em conferência realizada em Washington, organizada pelo Centro de Saúde Cerebral da Universidade do Texas.

“Pensamos que podemos desenvolver dispositivos neuro-protésicos que possam interagir diretamente com o hipocampo para restaurar o primeiro tipo de recordação que apontamos, a memória declarativa”, disse.

A memória declarativa, também chamada de memória explicita, é uma forma de memória de longo prazo que armazena a identificação de pessoas, acontecimentos, feitos e números. Nenhuma pesquisa conseguiu mostrar como, uma vez perdidas, estas lembranças podem ser recuperadas.

Continua…

Governo investe R$ 36 milhões na inclusão digital em 125 distritos…

Conexão Cidadã

Cento em vinte e cinco distritos e povoados pernambucanos que não possuem acesso aos serviços de telefonia móvel e internet 3G estão sendo beneficiados por uma política pública voltada exclusivamente à inclusão digital das populações residentes nas regiões mais remotas do Estado e que possuem mais de mil habitantes. Para isso, o Governo do Estado, através da Secretaria de Ciência e Tecnologia, está investindo R$ 36 milhões no Programa Conexão Cidadã, que levará sinal de dados e voz a 400 mil pessoas até junho deste ano. O projeto piloto, lançado em janeiro no distrito de Frexeiras, município de Escada, tirou do isolamento mais de seis mil pessoas.

Na ocasião, foi inaugurada uma torre de telefonia móvel da operadora Vivo, empresa parceira no projeto. Apenas em Frexeiras, o Governo investiu R$ 285 mil em créditos de ICMS. O município também recebeu um “Espaço Conexão Cidadã” dotado de dez computadores, com acesso gratuito à Internet por meio de modens com 2 megabits de velocidade. “A democratização dos serviços de telefonia móvel e internet é um importante instrumento de difusão do conhecimento, permitindo o acesso mais fácil e rápido a conteúdos de caráter educacional e de qualificação profissional”, afirma o secretário de Ciência e Tecnologia, José Bertotti, destacando que cada uma das 125 localidades receberá unidades do Espaço Conexão Cidadã.

Cada uma das 125 localidades ganhará uma torre de conexão que garantirá a milhares de pernambucanos o direito ao acesso à informação e à comunicação. “Essa é uma ação estratégica para o desenvolvimento socioeconômico do Estado, através da melhoria do ambiente de negócio e ampliação da geração de emprego e renda nessas localidades”, afirmou Bertotti.

Até o último mês de março, 60 localidades foram beneficiadas pelo Conexão Cidadã. Outras 65 receberão o benefício até junho, completando a lista de 125 distritos e povoados que terão acesso à conexão de telefonia móvel e internet. Entre as localidades já beneficiadas estão Tupaoca (no município de Aliança), Bizarra (Bom Jardim), Carapotós (Caruaru), Fátima (Flores), São Pedro (Garanhuns), Curral Queimado (Petrolina) e Bengalas (Passira).(Foto: Divulgação/Sectec)

Telefonia fixa fica mais cara…

Telefonia-Fixa

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou ontem (10) o reajuste para as concessionárias de telefonia fixa nas modalidades local e longa distância.

Para as empresas Sercomtel, Telefôncia e Embratel e Oi, o aumento será de 0,65% e, para a CTBC, de 0,95%. O reajuste valerá a partir da próxima semana.

O relator da matéria, conselheiro Igor Vilas Boas de Freitas, lembrou que a tarifa para ligações entre telefones fixos e móveis teve uma redução de cerca de 13% em março deste ano.

Powered by WordPress | Designed by: diet | Thanks to lasik, online colleges and seo