II “Forro do Bucho Chei” em João Alfredo…

Leia mais »

Venha pra TiConnect….

    Leia mais »

Opinião – Um amor pra toda a vida: eu e o forró…

13 de dezembro de 1912, sexta-feira, Fazenda Caiçara – zona rural de Exu – PE, região do Sertão do Araripe, nascia na casa de Sr Januário e Dona Santana: LUIZ GONZAGA DO Leia mais »

Dr. Marcos Araújo – Ginecologista obstetra…

Leia mais »

João Alfredo – Lagoa Funda terá nova Unidade Básica de Saúde…

A prefeita de João Alfredo, Maria Sebastiana (PSD), recebeu no final da tarde de ontem (11) a confirmação da liberação na ordem de R$ 663 mil, do Ministério da Saúde, destinados à Leia mais »

Category Archives: Eleições

Dia 28: PT pede a militantes que não andem sozinhos…

Folha de S. Paulo – Coluna Painel

Por Daniela Lima

No PT, há forte preocupação com ataques no dia da votação. A direção da sigla se reuniu com líderes de movimentos sociais para orientá-los a não intimidar opositores e a não cair em provocações.

Entrincheirados A cúpula do partido de Fernando Haddad (PT) também orientou militantes a não andarem sozinhos no dia da eleição.

Com o receio de atos de violência, o partido vai fazer um chamado para que países “preocupados com a democracia” observem a votação no segundo turno. Se houver ataques a petistas, o discurso será o de que Bolsonaro deve ser visto como corresponsável pela violência.

Questionado anteriormente a respeito de ataques atribuídos a seus apoiadores, Bolsonaro disse dispensar o voto de quem pratica violência.

Ibope para presidente, votos válidos: Bolsonaro, 57%; Haddad, 43%…

G1

O Ibope divulgou nesta terça-feira (23) o resultado da segunda pesquisa do instituto sobre o 2º turno da eleição presidencial. O levantamento foi realizado entre domingo (21) e terça-feira (23) e tem margem de erro de 2 pontos, para mais ou para menos.

Nos votos válidos, os resultados foram os seguintes:

  • Jair Bolsonaro (PSL): 57%
  • Fernando Haddad (PT): 43%

Na pesquisa anterior, Bolsonaro tinha 59% e Haddad, 41% dos votos válidos.

Pesquisa Ibope - 23-10 - Eleição presidencial no 2º turno — Foto: Arte/G1Pesquisa Ibope - 23-10 - Eleição presidencial no 2º turno — Foto: Arte/G1

Pesquisa Ibope – 23-10 – Eleição presidencial no 2º turno — Foto: Arte/G1

Para calcular os votos válidos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Para vencer no 2º turno, um candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um voto.

Votos totais

Nos votos totais, os resultados foram os seguintes:

  • Jair Bolsonaro (PSL): 50%

  • Fernando Haddad (PT): 37%

  • Em branco/nulo: 10%

  • Não sabe: 3%

Pesquisa Ibope - 23-10 - Eleição presidencial no 2º turno - votos totais — Foto: Arte/G1Pesquisa Ibope - 23-10 - Eleição presidencial no 2º turno - votos totais — Foto: Arte/G1

Pesquisa Ibope – 23-10 – Eleição presidencial no 2º turno – votos totais — Foto: Arte/G1

Rejeição

A pesquisa também apontou o potencial de voto e rejeição para presidente. O Ibope perguntou: “Para cada um dos candidatos a Presidente da República citados, gostaria que o(a) sr(a) dissesse qual destas frases melhor descreve a sua opinião sobre ele”?

Jair Bolsonaro

  • Com certeza votaria nele para presidente – 37%
  • Poderia votar nele para presidente – 11%
  • Não votaria nele de jeito nenhum – 40%
  • Não o conhece o suficiente para opinar – 11%
  • Não sabem ou preferem não opinar – 2%

Fernando Haddad

  • Com certeza votaria nele para presidente – 31%
  • Poderia votar nele para presidente – 12%
  • Não votaria nele de jeito nenhum – 41%
  • Não o conhece o suficiente para opinar – 14%
  • Não sabem ou preferem não opinar – 2%

Votação espontânea

O Ibope também apresentou a intenção de voto espontânea, quando o entrevistado aponta em quem pretende votar sem a apresentação dos nomes dos candidatos.

  • Jair Bolsonaro – 42%
  • Fernando Haddad – 33%

Na pesquisa anterior, Bolsonaro tinha 47% e Haddad, 33%.

Diante de recusa de Bolsonaro de ir a debate, TV Globo não chamará Haddad…

Diante da recusa do candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, de comparecer a debates televisivos, a TV Globo confirmou nesta segunda-feira, 22, que o candidato Fernando Haddad (PT) não terá espaço exclusivo. O programa da emissora seria na noite desta sexta-feira, 26.

À Globo, Bolsonaro afirmou que não irá por motivo de saúde, já que se recupera da facada que sofreu em setembro. À imprensa, ele tem declarado que se trata de uma estratégia de campanha. Nesta segunda, disse que o debate seria “apenas um bate-boca”.

Haddad tem instado a Globo e outras emissoras a “abrir o microfone” a ele, seguindo experiências de eleições anteriores. A Globo informou que já havia sido acertado com as equipes que só haveria espaço se os dois estivessem presentes.

A comunicação da Globo enviou a seguinte nota na noite desta segunda, reproduzida aqui na íntegra: “Recebemos na data de hoje último dia combinado com as campanhas dos candidatos à Presidência para confirmação do debate de sexta-feira próxima, email da campanha do candidato Jair Bolsonaro (transcrito abaixo), informando que o mesmo não poderá participar do evento, em razão de limitações de saúde. 

Já o candidato do PT, Fernando Haddad, confirmou sua disposição de estar presente. Como se trata de campanha de segundo turno, obviamente não há outros candidatos para viabilizar a realização do debate. 

Na reunião de elaboração das regras do evento foi acertado com as assessorias dos candidatos que, se Jair Bolsonaro não pudesse comparecer por razões de saúde, o debate não seria substituído por entrevistas. 

A seguir, a carta enviada à TV Globo pela campanha: 

‘Como informado pelo Rodrigo Marcondes, na reunião do dia 9 de outubro pp., a presença do candidato Jair Bolsonaro ao debate da TV Globo precisaria ser confirmada por sua assessoria, tendo em vista o seu atual quadro de saúde.

Apesar de o Dr. Antonio Macedo ter reduzido o nível de restrição de suas atividades rotineiras, o candidato continua com limitações em virtude da bolsa de colostomia. Segundo explicado pelo aludido médico, o paciente com a bolsa de colostomia fixada ao lado direito do abdômen, como no caso do candidato, não tem qualquer controle intestinal. Com isso, o seu preenchimento total pode ser rápido e inesperado, podendo levar ao rompimento da bolsa, o que gera extremo desconforto e constrangimento ao paciente.

Além disso, por orientação médica, ele ainda deve evitar esforço físico, estresse excessivo ou ficar muito tempo em pé.

Por esses motivos, ele não poderá comparecer ao debate marcado para o dia 26 de outubro, às 22 horas'”. (Agência Estado)

A partir desta terça, eleitores só poderão ser presos em flagrante…

A partir de amanhã (23), cinco dias antes do segundo turno das eleições 2018, nenhum eleitor poderá ser preso ou detido. A exceção ocorre apenas em casos de flagrante delito e ainda se houver sentença criminal condenatória por crime inafiançável ou desrespeito a salvo-conduto. A determinação está prevista no artigo 236 do Código Eleitoral.

A terça-feira também é o prazo final para que os representantes dos partidos políticos e coligações, a Ordem dos Advogados do Brasil e o Ministério Público peçam verificação das assinaturas digitais do Sistema de Transporte de Arquivos da Urna Eletrônica, do Subsistema de Instalação e Segurança e da Solução JE-Connect, instalados nos equipamentos da Justiça Eleitoral que serão utilizados no segundo turno.

Os tribunais regionais eleitorais também têm até essa data para divulgar, na internet, os pontos de transmissão de dados que funcionarão em pontos distintos do local de funcionamento da Junta Eleitoral.

O segundo turno das eleições ocorre no próximo dia 28 de outubro em todo o Brasil e mais 99 países, para a escolha do próximo presidente da República. Em 13 estados e no Distrito Federal, os eleitores também terão que definir o governador que irá comandar os Executivos locais nos próximos quatro anos. Em 19 municípios serão realizadas as chamadas eleições suplementares para a escolha de novos prefeitos e vice-prefeitos. (Agência Brasil)

PP perde espaço, PT ganha e João Campos assume pasta…

O governador Paulo Câmara estará em férias do dia 10 ao dia 20 de novembro. Faz as malas para embarcar rumo à Espanha. E só tratará de reformulações no secretariado quando retornar de viagem. De antemão, algumas mudanças já são dadas como certas no Palácio das Princesas. Estão no radar, por exemplo, o redimensionamento do PP. No governo, a expectativa era de que Eduardo da Fonte tivesse entre 250 mil e 300 mil votos. Mas o resultado do dirigente do Partido Progressista em Pernambuco ficou abaixo disso: 113.640. Também ficou aquém das previsões o quantitativo de votos do deputado estadual Cleiton Collins (106.394), antes o mais votado, ele perdeu espaço para Gleide Ângelo (412.636). Em 2014, Collins obteve 216.874. Pesam nas contas do Palácio das Princesas a redução das votações dos progressistas citados e o fato de o PP não ter feito a maior bancada.

A ordem, no Campo das Princesas, é: “Dar um certo freio de arrumação”. Um governista admite, no entanto, que o PP “continua tendo um espaço grande”. Mas segue com a ponderação de que o partido não fez a maior bancada na Assembleia Legislativa. A previsão de reajuste, inclui, cota para o PT na administração socialista. Uma corrente no PSB quer João Campos, herdeiro do ex-governador Eduardo Campos e deputado federal mais votado (460.387), integrando o primeiro escalão do Governo Paulo Câmara, o que deve acontecer. As possibilidades estão no radar, mas o governador só tratará do assunto quando retornar de viagem. A auxiliares, Câmara já avisou que só abordará o tema no final de dezembro. (Renata Bezerra)

Fernando tem tudo para ser o antagonista do PSB …

Entre meados de 2017 e 2018, o senador Fernando Bezerra Coelho rompeu com o PSB e filiou-se ao MDB no sentido de garantir o comando do partido e ser candidato a governador nas eleições deste ano. A jogada audaciosa de Fernando de buscar comandar um dos partidos mais importantes do Brasil tinha um risco muito bem calculado, e poderia fazer dele um candidato competitivo a governador ou inviabilizá-lo para o processo eleitoral, qualquer que fosse o resultado ele estaria no lucro porque tinha mais quatro anos no Senado.

Como todos sabem, a empreitada do MDB acabou não se viabilizando, tirando-o do processo eleitoral, porém ele deixou de ser um coadjuvante do PSB para ser um dos principais pilares do projeto oposicionista. Há quem afirme que se Fernando tivesse viabilizado o MDB e consequentemente a sua candidatura teria feito frente a Paulo Câmara, colocando em risco a reeleição do governador.

No grupo oposicionista, Armando Monteiro, Mendonça Filho e Bruno Araújo ficarão sem mandato a partir de 2019, nenhum deles conseguiu emplacar sucessor na política. Armando e Bruno sequer tentaram, Mendonça lançou dois e não conseguiu eleger nenhum. Já o senador Fernando Bezerra Coelho, que lidera um grupo que comanda Petrolina através do prefeito Miguel Coelho, elegeu dois deputados nesta eleição, ambos pelo DEM. Fernando Filho foi reeleito com 92.188 votos para a Câmara dos Deputados, enquanto Antonio Coelho chegou à Assembleia Legislativa de Pernambuco com 44.277 votos.

O grupo liderado por Fernando tem, além do seu mandato no Senado, uma das prefeituras mais importantes do estado, e dois mandatos de deputado. Isso faz dele o principal nome da oposição para fazer o contraponto a Paulo Câmara pelos próximos quatro anos, e lhe permite a sonhada condição de candidato a governador em 2022, uma vez que todos os nomes inviabilizados pelas urnas em 2018 quando muito tentarão mandato na Câmara dos Deputados.

Ainda não se sabe se Fernando irá dar prosseguimento à briga com o também senador Jarbas Vasconcelos pelo comando do MDB, mas é certo que Jarbas não tem mais nenhum interesse em disputas eleitorais, objetivando apenas a conclusão da sua vitoriosa carreira política através do seu mandato no Senado, o que pode haver algum tipo de entendimento entre ambos para o futuro do partido em Pernambuco. Se porventura não chegarem a um denominador comum e a briga se tornar difícil, Fernando tem pelo menos três partidos oposicionistas que lhe receberiam de braços abertos, que seriam o PTB, o PSDB e o DEM, este último mais provável por já ser o destino de seus dois filhos deputados e poderá receber o prefeito Miguel Coelho em breve.

No início do governo Paulo Câmara, Fernando Bezerra Coelho só não será o ponta de lança da oposição se não quiser ou se for atropelado pelas circunstâncias da política, em caso de assumir a batuta da oposição, se torna o nome natural para disputar o Palácio do Campo das Princesas em 2022, único cargo em Pernambuco que lhe falta, pois já foi deputado estadual, federal, prefeito, secretário, ministro e senador. (Edmar Lyra)

Cid Gomes participa de campanha a favor de Haddad…

Depois de duras críticas feitas ao Partido dos Trabalhadores (PT) na semana passada, o senador eleito Cid Gomes (PDT-CE) participou, hoje, de um adesivaço em Fortaleza (CE) a favor do candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad.

No começo da semana passada, durante ato também em Fortaleza, Cid atacou o PT e disse que, caso a legenda não faça um “mea culpa” no segundo turno, será “bem feito perder a eleição” para Jair Bolsonaro (PSL).

Depois disso, Cid chegou a gravar um vídeo de apoio a Haddad a pedido do partido. O irmão de Cid, o candidato derrotado no primeiro turno Ciro Gomes (PDT) manifestou apoio crítico a Haddad no segundo turno, mas não gravou para o partido.

Pesquisa CNT/MDA: Bolsonaro tem 57% dos votos válidos; Haddad, 43%…

Nova pesquisa do instituto MDA, feita a pedido da Confederação Nacional do Transporte (CNT) e divulgada nesta segunda-feira 22, mostra o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, com 57% das intenções de voto, contra 43% do adversário, Fernando Haddad (PT). Os números dizem respeito aos chamados “votos válidos”, que desconsideram brancos, nulos e indecisos, assim como a apuração oficial da Justiça Eleitoral.

Está e a primeira pesquisa CNT/MDA neste segundo turno das eleições 2018, registrando uma diferença levemente menor do que a verificada na semana passada por institutos como Ibope e Datafolha, que traziam o capitão da reserva entre 58% e 59%. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Entre os votos totais, Bolsonaro aparece com 48,8% e Haddad, com 36,7%. Brancos e nulos são 11% e os indecisos somam 3,5%.

Além da desvantagem de catorze pontos percentuais, o candidato do PT ainda tem pela frente, faltando apenas seis dias para o segundo turno, um alto índice de rejeição. De acordo com a pesquisa, 51,4% dos eleitores disseram que não votariam no ex-prefeito de São Paulo “de jeito nenhum”. Os que rejeitam Bolsonaro são 42,7%.

A pesquisa foi realizada entre os dias 20 e 21 de outubro de 2018. Foram ouvidas 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 Unidades Federativas, das cinco regiões do país. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais com 95% de nível de confiança. A pesquisa está registrada no TSE, sob o número BR-00346/2018. (Veja)

Voto concentrado no Nordeste será desafio para o PT…

Bruno Boghossian – Folha de S.Paulo

Dos 31 milhões de votos obtidos por Fernando Haddad no primeiro turno, quase metade saiu das urnas do Nordeste. A popularidade do PT na região não é nenhuma novidade, mas o partido nunca dependeu tanto de seus principais redutos quanto agora.

Seja qual for o resultado da corrida presidencial, a composição do eleitorado petista passa por uma mudança este ano. O desgaste profundo da imagem da sigla e o avanço de Jair Bolsonaro (PSL) na classe média impulsionam esse rearranjo.

O eleitorado nordestino foi responsável por 46% dos votos dados a Haddad no dia 7. O peso da região é o mais alto do ciclo iniciado com a primeira eleição de Lula, há 16 anos. Ao longo desse período, o partido acumulou força e transformou esses estados em suas fortalezas.

No primeiro turno de 2002, os votos do Nordeste representaram apenas 24% do desempenho de Lula. O mapa eleitoral era relativamente equilibrado. O petista ficou na frente em 23 estados e no Distrito Federal.

Perdeu para Ciro Gomes no Ceará, para Anthony Garotinho no Rio e para José Serra em Alagoas.

Continua…

TSE defende não criar marola às vésperas da eleição…

Folha de S. Paulo Coluna Painel

Por Daniela Lima

A repercussão da revelação de compra de mensagens em massa no WhatsApp contra Fernando Haddad (PT) dominou conversas de ministros do TSE, corte que lida com o caso. O entendimento majoritário –inclusive o do corregedor, Jorge Mussi, responsável pela ação contra Jair Bolsonaro (PSL)– foi o de que não caberia promover diligências extravagantes. A eleição não pode ter o curso alterado pelas mãos da Justiça, disse um magistrado. “Não sob o calor dos fatos”, concluiu.

Os integrantes do Tribunal Superior Eleitoral ponderaram que, a menos de dez dias do segundo turno, “não é hora de criar marola”. Mussi decidiu na noite desta sexta-feira (19) citar Bolsonaro para que ele se manifeste sobre o assunto. E só.

Para registro: o mesmo ministro que disse ser indesejável interferir no curso da eleição, afirmou que a investigação deve continuar correndo na corte. “Lá na frente, se for o caso, cassa a chapa.”

Paulo Câmara: Não vamos desistir do Brasil e mostraremos essa resistência em Pernambuco…

Reeleito no primeiro turno em Pernambuco, o governador Paulo Câmara (PSB) reuniu, na tarde de ontem (19), um grande conjunto de prefeitos, ex-prefeitos, vereadores, deputados e lideranças políticas pernambucanas para reafirmar o apoio ao presidenciável Fernando Haddad (PT) no segundo turno das eleições 2018. Cerca de mil líderes de todas as regiões do Estado lotaram o Centro de Convenções do Hotel Canariu’s, em Gravatá, no Agreste, para confirmar que estão ao lado de Paulo e Haddad para garantir dias melhores no Brasil.

Durante o encontro, Paulo fez um agradecimento às lideranças pelo apoio dado no primeiro turno em Pernambuco e pediu que a mobilização se repita na campanha de Haddad, sobretudo nesta reta final que antecede o pleito. “O desafio que nós temos até dia 27 é importante e necessário. O Brasil já está dando passos para trás e a gente não pode deixar dar passos mais largos ainda. Vamos em frente nesta última semana. Vocês viram no primeiro turno que na última semana aconteceu muita coisa. Não vamos desistir do Brasil e vamos mostrar essa resistência em Pernambuco”, afirmou.

O socialista destacou que a força do Nordeste será primordial para garantir resultados expressivos em favor de Haddad e lembrou os avanços promovidos na gestão do ex-presidente Lula, sobretudo na região. “O caminho de Lula de diminuir desigualdade sociais e regionais, de gerar emprego e renda são valores que não podemos deixar escapar de maneira nenhuma. Falar nisso é falar de futuro. O que a gente já conhece e sabe que dá certo. Haddad representa isso. Ele teve pouco tempo de mostrar na campanha e está se esforçando no segundo turno. As fake news estão espalhadas e com grupos poderosos por trás disso, como foi noticiado. Mas a verdade sempre estará na frente”, defendeu o governador.

Eleita vice-governadora, a presidente nacional do PCdoB, Luciana Santos, destacou que a eleição de Bolsonaro representa uma ameaça ao Brasil e que é preciso dialogar com a população e mostrar o melhor projeto presidencial. “Ele representa o que há de pior na política. Precisamos, portanto, fazer o debate de ideias. A primeira semana após o primeiro turno foi de violência política. Esta candidatura (de Bolsonaro) está fazendo caixa dois e financiamento eleitoral. É a junção de crimes cometidos com as fake news. Pernambuco vai demonstrar que tem altivez. Vamos garantir a vitória do que representa o legado do melhor presidente que já tivemos, que foi Lula”, declarou.

O senador reeleito Humberto Costa (PT) destacou a disparidade entre os projetos representados por Fernando Haddad e Jair Bolsonaro e o risco que o o candidato oposto apresenta para o Brasil. “De um lado a gente tem alguém que a gente conhece. Um candidato preparado, que foi ministro, que criou o Prouni, Pronatec, e em todo município existe uma ação de Fernando Haddad, que é representante de um projeto que nós conhecemos. O candidato da democracia, da defesa da Constituição. Do outro lado, temos um homem que ninguém sabe o que ele é. Ou melhor. A gente sabe que ele é uma pessoa despreparada, alguém folclórico”, avaliou.

Representando mais de 100 prefeitos pernambucanos que participaram do encontro, o chefe do Executivo em Afogados da Ingazeira, José Patriota (PSB), reforçou a necessidade de cada liderança municipal no pleito que se aproxima. Ele também falou da importância da vitória de Haddad para garantir as parcerias entre Pernambuco e o Governo Federal. “Não podemos baixar a cabeça e nos omitir. Esta é a hora de demonstrarmos força, coragem e autonomia. Eleição se ganha no dia com o voto. Vamos trabalhar e mostrar a liderança de Paulo Câmara garantindo uma vitória expressiva de Haddad”, pontuou.

Candidata no primeiro turno das eleições, Dani Portela (PSol) também participou da atividade e destacou a união realizada na segunda etapa do pleito em favor da Haddad. “Há poucos dias estávamos em palanques opostos. Hoje a nossa união se da para defender democracia no Brasil”, pontuou.

CAFÉ DA MANHÃ

Em mais um ato de apoio ao presidenciável Fernando Haddad (PT), o governador Paulo Câmara (PSB) reuniu, na manhã desta sexta-feira, atuais deputados estaduais e federais, novos parlamentares eleitos, além de lideranças partidárias, em um café da manhã realizado no Recife Praia Hotel, no Pina. Paulo reforçou a importância que a vitória de Haddad terá para garantia dos direitos democráticos no Brasil, a volta do crescimento do país e o impacto disso em Pernambuco. A atividade contou com a participação de representantes do PR, PP, PCdoB, PSol, PT, MDB, PSD, PPL, PSC e PSB.

Jair Bolsonaro afirma que não vai a debates no segundo turno…

O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, disse no fim da tarde de ontem (18) que não vai a debates marcados para o segundo turno das eleições. A informação foi reforçada pelo presidente do PSL, Gustavo Bebiano.

Os dois deram entrevistas após o candidato passar por uma reavaliação médica, para ver como está a recuperação após a facada que levou durante ato de campanha em Juiz de Fora, em 6 de setembro. Pela manhã, os médicos Antonio Luiz Macedo e Leandro Echenique, ouvidos pela TV Globo, disseram em mensagem que o comparecimento de Bolsonaro a debates dependia dele. Ou seja, do ponto de vista clínico, o candidato estaria liberado.

“Segundo fui informado tenho restrições, eu poderia me submeter a uma aventura, de participar de um debate, de duas ou três horas, mas poderia ter uma consequência péssima para minha saúde. Então, levando-se em conta a restrição, levando-se em conta a minha saúde e a gravidade do que ocorreu, a tendência minha é não participar do debate”, disse Bolsonaro à TV Globo, antes de confirmar que a decisão dele e de familiares é a de que ele não participe.

Bebiano reforçou a ausência de Bolsonaro nos debates com o candidato do PT, Fernando Haddad.

“Essa situação da colostomia é muito complicada e impede que ele seja submetido a estresse. Ele não tem obrigação de comparecer. Não vai comparecer”, afirmou o presidente do PSL.

De acordo com Bebiano, a intenção é também não fazer campanha na rua.

“Ele continua com a colostomia do lado direito do seu abdômen. Quando é feita do seu lado esquerdo, o paciente tem um controle do seu fluxo digestivo, ao passo que do lado direito, não. Como não há esse controle aquela bolsinha pode se encher rapidamente, pode haver um acidente. Pode estourar, como já aconteceu, então, apesar da melhora que ele vem tendo o seu estado é de desconforto”, explicou. (Do Portal G1)

Powered by WordPress | Designed by: diet | Thanks to lasik, online colleges and seo