Festa em Lagoa Comprida (Bom Jardim-PE)…

Leia mais »

Hemope lança campanha para doação de sangue no período de Carnaval…

Para atrair mais doações para o período de carnaval, a Fundação Hemope lança a campanha “Compartilhe Cultura e Solidariedade, faça a diferença, doe sangue no Hemope” onde doadores poderão participar da ação Leia mais »

Governo anuncia R$ 406 milhões para escolas em tempo integral…

O presidente Michel Temer e o ministro da Educação, Mendonça Filho, anunciaram ontem (17) a liberação de R$ 406 milhões para o Programa de Fomento às Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral. O Leia mais »

Levantamento aponta honestidade como fator prioritário para 72% dos eleitores…

Henrique Gomes Batista / O Globo Uma pesquisa inédita feito pela Ideia Big Data para o Brazil Institute do Wilson Center, aponta um descrédito da população brasileira com o Congresso, a falta Leia mais »

Retiro de Carnaval – João Alfredo…

Leia mais »

Category Archives: Eleições

Governo Temer tem três pré-candidatos…

O Palácio do Planalto trabalha com três pré-candidatos à sucessão do presidente Michel Temer nas eleições de 2018. Segundo o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, são considerados hoje o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD), o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), e o governador do Espírito Santo, Paulo Hartung (MDB).

As informações foram reveladas em entrevista à rádio “CBN”. Na ocasião, o aliado de Temer destacou respeitar a pré-candidatura de Geraldo Alckmin, governador de São Paulo, mas explicou que o PSDB tem um “projeto de poder próprio”.

Segundo ele, os sete maiores partidos que compõem a base já se reuniram para debater a questão. De acordo com o ministro, PV, DEM, PRB, PR, PSD e PTB decidiram ter uma posição de defesa do governo Temer para a sucessão presidencial do ano que vem. (PC)

Pesquisa: 4 em 10 eleitores não votam em deputado federal…

Jornal do Brasil

De acordo com um levantamento do Instituto Paraná Pesquisas, 41% dos brasileiros têm a intenção de anular o voto para deputado federal. A pesquisa, feita com mais de 2 mil eleitores de 25 estados e do Distrito Federal, revela que a disposição para anular o voto é ligeiramente maior entre os menos escolarizados.

Ainda de acordo com os dados, entre os entrevistados com ensino superior, 38,5% pretendem anular o voto para deputado, enquanto 42,1% dos que têm o ensino fundamental mostram o mesmo desejo. Outros 11% não sabem ainda o que fazer com seu voto.

A pesquisa ouviu 2.020 eleitores em todo o Brasil entre os dias 18 e 21 de dezembro. A margem de erro para os resultados gerais é de 2%. (Esmael)

DEM quer testar nome de Maia para presidente da República…

O DEM trabalha para lançar o presidente da Câmara dos Deputados Maia (RJ), como candidato à Presidência da República em 2018. A legenda investe no discurso de que ele é o único candidato com capacidade de “reunificar” a política nacional, por ser hoje um dos poucos políticos com trânsito no governo e nos principais partidos da oposição (PT, PC do B e PDT), que o ajudaram para o comando da Casa, além de manter boa relação com o Judiciário

O lançamento da pré-candidatura já tem data para acontecer: 6 de fevereiro, quando está marcada a convenção nacional do DEM. Ao lançar Maia, a estratégia do partido é testar o nome do presidente da Câmara nas pesquisas eleitorais. O parlamentar fluminense tem dito a aliados que só aceita disputar o Palácio do Planalto se atingir pelo menos 10% das intenções de voto. Nos últimos levantamentos, ele ainda patina, com menos de 5%.

“O Rodrigo tem os principais atributos que o legitimam a exercer essa função de candidato do centro: capacidade de diálogo, equilíbrio e serenidade para decisões. Hoje é um presidente respeitado pelo governo e pela oposição mostrando vocação para romper esse clima de intolerância política que agita o País”, diz o líder do DEM na Câmara, Efraim Filho (PB), um dos principais entusiastas da candidatura de Maia. (Fonte: Waldiney Passos)

Nome de Eduardo da Fonte é cotado para o Senado…

As especulações em torno do rumo do Partido Progressista (PP) na eleição do ano que ganharam novos contornos, nesta semana. A sigla, que chegou a ensaiar a formação de uma chapinha fora Frente Popular, estaria perto de voltar para o chapão governista. Para isso, o presidente estadual da legenda, deputado federal Eduardo da Fonte, já teria acertado com o Palácio do Campo das Princesas a indicação do seu nome para disputar uma vaga no Senado.

Em reserva, uma fonte governista revelou que, nos bastidores da Assembleia Legislativa, o comentário é que Eduardo da Fonte expressou seu desejo de participar da eleição majoritária e recebeu o aval do governo Paulo Câmara. Com isso, estaria disposto a abortar a formação de uma chapinha com legendas como PDT e PCdoB, que havia sido fortemente criticada por partidos da Frente Popular.

O arquivamento da denúncia contra o deputado na Lava Jato, na última segunda (18), por parte do Supremo Tribunal Federal, também teria favorecido, de acordo com a mesma fonte, a tese de que a sua postulação não causaria prejuízos para a imagem da coligação liderada pelo PSB.

O PP, que tem a segunda maior bancada na Assembleia, ganhou espaços significativos no governo, recentemente, com a nomeação de Guilherme Rocha como secretário executivo de Recursos Hídricos e de Clóvis Benevides como secretário de Desenvolvimento. Outro espaço entregue ao PP foi a Diretoria de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Suape, com indicação de Michelle Karine Zacarias de Souza, ex-gestora de Projetos do Porto do Recife.

PT

Caso a postulação de Eduardo da Fonte se consolide, a aliança entre PT e PSB, que estaria sendo costurada pelo próprio ex-presidente Lula e vem recebendo apoio de boa parte da bancada socialista, pode ficar ameaçada. Segundo a fonte governista, se Eduardo da Fonte disputar a Casa Alta, o senador Humberto Costa (PT), que pretendia se reeleger pela Frente Popular, pode ter que disputar uma vaga na Câmara Federal. (Folha de Pernambuco)

TSE aprova calendário eleitoral de 2018…

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou, ontem, o calendário das eleições de 2018, quando estarão em disputa a Presidência da República, governos estaduais, além das cadeiras para senadores, deputados federais e deputados estaduais.

 Na sessão, a Corte eleitoral também aprovou diversas normas de organização do pleito, referentes sobretudo à forma de fiscalização da propaganda eleitoral, ao registro de pesquisas de intenção de voto e registro de candidaturas. 

As regras contidas nas resoluções seguem a lei eleitoral, incorporando inclusive a minirreforma política aprovada neste ano, e detalham procedimentos a serem adotados pela Justiça Eleitoral, sobretudo em relação a prazos e formalidades nos processos judiciais.

 Ficou para o ano que vem a definição de normas para definir como será a adoção do voto impresso, que poderá alcançar somente 30 mil das cerca de 500 mil urnas eletrônicas. Também ficou para 2018 a definição de regras para o combate às “fake news”, notícias falsas que podem desequilibrar o pleito.

 O prazo final para a aprovação definitiva das resoluções é março do ano que vem. Segundo o vice-presidente do TSE e relator das normas, Luiz Fux, até lá a Corte poderá discutir eventuais ajustes nas normas aprovadas. (PC)

PSDB propõe fechar questão sem punir deputados

     

Blog de Andréia Sadi          

Integrantes da cúpula do PSDB propuseram ontem (12) a deputados da bancada que o partido feche questão pela reforma da Previdência nesta quarta, durante reunião da Executiva, mas sem punir os contrários à votação.

Ou seja: se a proposta vigorar, na prática vai servir apenas para o PSDB marcar novamente posição publicamente de que apoia a reforma, mas sem o elemento principal do fechamento de questão, que é obrigar o deputado a votar pela proposta em discussão, sob risco de penalidades.

Tucanos ouvidos pelo blog afirmam que, hoje, há cerca de 25 deputados favoráveis à reforma, em um universo de 46 parlamentares tucanos. O PSDB tem, então, maioria estreita se quiser fechar questão.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que assumiu o comando do PSDB, trabalha para conseguir unificar a bancada nesta direção. Na Executiva e na bancada do Senado já há maioria, mas a bancada de deputados segue rachada.

Manifesto da oposição ataca Governo Paulo Câmara…

As lideranças de oposição que participam do ato político Pernambuco quer Mudar, no Paço Alfândega, no bairro do Recife, lançaram um manifesto ontem (11). O documento traz críticas ao Governo do Estado em diversas áreas, que vão desde educação até obras inacabadas.

“É inegável que os Estados foram afetados pela crise. No entanto, Pernambuco apresenta situação econômica e social bem pior, quando comparado com outros Estados, como a Bahia e o Ceará. O pernambucano tem sofrido com a falta de liderança, de ousadia e de capacidade de gestão. A crise política e econômica não poder ser desculpa para a estagnação que se instalou em Pernambuco. Pelo contrário, é na crise que a superação, a criatividade e a capacidade de gestão precisam aparecer”, diz o texto.

No manifesto, os oposicionistas dizem que Pernambuco “é um canteiro de obras inacabadas, com mais de 1.200 empreendimentos paralisados com atrasos no pagamento de fornecedores”. Na questão fiscal, o documento afirma que os números expõem a situação do Estado, com a 6ª pior colocação do País. (Folha de Pernambuco)

Falta de nome forte de centro inclina DEM para Maia…

Dada a ausência de um representante do centro que se destaque nas pesquisas, o DEM decidiu testar o nome do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (RJ), para o Planalto. O deputado será lançado por aliados no congresso da sigla, em dezembro. Mas não será um voo solitário. Dirigentes do PP e do Solidariedade estimulam o plano. O democrata, dizem, ampliou o vínculo com partidos da base de Michel Temer que teriam mais simpatia por ele do que por Geraldo Alckmin (PSDB-SP).

A articulação em torno de Maia não exclui o ministro Henrique Meirelles (Fazenda). Entusiastas da ideia dizem que ela só poderá ser levada a cabo se os sinais de recuperação da economia tiverem ganhado as ruas. Meirelles poderia ser vice ou mesmo assumir a cabeça de chapa, caso o reconhecimento à sua atuação tenha reflexo nas pesquisas de opinião.

Integrantes do tucanato já perceberam a movimentação e avaliam que a atuação dúbia da sigla associada ao projeto de robustecimento do DEM com quadros do PSB e outras legendas abriu espaço para que o partido de Maia pleiteasse a proa de uma aliança centrista. (Fonte: Magno Martins)

O porquê da desistência de Luciano Huck…

Por que Luciano Huck anunciou que não seria candidato, justo quando, segundo o Estadão, crescia seu caldeirão de votos? É provável que nunca tenha tido a real disposição de disputar, a menos que houvesse uma avalanche de adesões. Alguns anos atrás, uma respeitada senhora do Interior paulista, força notável na política da cidade, era pressionada a candidatar-se. Esse colunista, consultado, foi contra: a senhora comandava as principais entidades de classe e era mais poderosa que o prefeito. Para que se candidatar? Perderia o status de unanimidade e entraria no moedor de carne das campanhas eleitorais. Mas que diriam dela, de conduta tão transparente? Insisti: se nada encontrarem, inventam. Mas que poderiam inventar contra ela? Sugeri: vão dizer que o filho dela é pai solteiro. Silêncio na sala: era. Já se faziam os exames. Desistiram da candidatura.

Imagine-se na situação de Huck, astro da maior rede de TV do Brasil, rico por si próprio, rico de família, um ídolo ligado a programas “do bem”. É bem educado, forma um casal de anúncio de margarina com uma moça que também é ídolo. Entrar numa campanha para ser xingado todos os dias, com denúncias, esculachos, armações?

Melhor emprestar seu prestígio a um candidato de sua confiança, para quem contribuirá, a quem referendará. (Carlos Brickmann)

Eleição de 2018 é mais abrangente e não será apenas de situação X oposição…

Por Ednei Freitas

Infelizmente, o governo Dilma Rousseff aprofundou o processo de corrupção e aparelhamento do Estado, herdado de Lula, e deixou este país imaginário mais longe do nosso alcance. Promoveu a maior crise econômica e ética da nossa história. Nos últimos anos retrocedemos em termos econômicos, sociais, políticos e institucionais. Não conseguimos dar continuidade ao processo de desenvolvimento rumo àquele país que desejamos.

Veio o governo Temer, que se mostrava compromissado com as reformas que são tão necessárias para a retomada de nosso crescimento. No entanto, nos métodos, sucumbiu às práticas da velha política. Loteou ministérios entre investigados na Lava Jato e denunciados por corrupção. Se enredou, pessoalmente, em tramas para atrapalhar a apuração de casos de corrupção e jogou o país novamente em uma crise política a ponto de ter sido denunciado pelo Ministério Público por corrupção e organização criminosa.

SEM CONFIANÇA – No Congresso, Temer escapou de ser afastado do cargo. Mas pagou caro por isso. Perdeu as condições, a confiança para tocar adiante um processo de renovação política e econômica de nosso país que mirasse a sociedade como um todo e não beneficiasse apenas determinados grupos dos quais se tornou refém.

Caberá ao próximo presidente tocar adiante essa batalha. O ano de 2018 bate à nossa porta com a certeza de que teremos a eleição mais importante das últimas décadas. Digo isso porque, no cenário atual, ainda não se vislumbra um candidato que possa representar plenamente os anseios da sociedade, alguém que lidere essa virada do Brasil rumo ao novo mundo. Corremos o sério risco do reacionarismo se tornar a novidade.

AINDA HÁ TEMPO – Mas a porta está aberta e o voto é o principal instrumento para essa mudança. Em 2018, poderemos voltar ao caminho que estávamos traçando rumo àquele Brasil com que sonhamos e que desejamos construir para nossos filhos e netos.

São poucas as vezes em que um país tem a chance de acertar as contas com sua história e de poder retomar o rumo de seu destino. Não a desperdicemos.

Lula diz não ter medo de reação do mercado a sua candidatura…

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, ontem (1º), que setores do mercado promovem terrorismo contra sua candidatura. Segundo participantes de uma reunião com dirigentes do PT de São Paulo, o petista afirmou que “estão criando uma guerra de classe” contra sua candidatura.

Embora anteveja o que chamou de radicalização na disputa presidencial de 2018, Lula minimizou o impacto sobre sua candidatura. O ex-presidente disse que seu governo foi uma prova de que não há risco de instabilidade para o mercado financeiro, caso volte ao Palácio do Planalto. Segundo relato de petistas, o ex-presidente disse não ter medo do mercado porque “mercado não vota”. “Quem vota é o povo”, disse. Ainda segundo presentes, Lula se referia a seus adversários como “eles”.

Continua…

Ao lançar candidatura, Alckmin se declara exemplo de “trabalho” e “seriedade”…

Por Silvia Amorim / O Globo

Com a crise moral e ética prometendo infernizar a vida de políticos e partidos na próxima eleição, o governador de São Paulo e pré-candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, se antecipa e usará a propaganda estadual do PSDB a partir desta sexta-feira para se apresentar como exemplo de “seriedade” e “trabalho”. As duas palavras são os pilares do novo slogan da campanha publicitária tucana a ser veiculada no estado de São Paulo. “É o PSDB de São Paulo mostrando que com trabalho e seriedade, sempre dá certo” — diz Alckmin em todas as inserções que irão ao ar no rádio e na TV.

NA TELEVISÃO – Serão quatro dias de exibição (1, 4, 6 e 8 de dezembro) dos vídeos, de 30 segundos, nos intervalos comerciais. Neles, Alckmin faz uma prestação de contas do seu governo, mencionando número de hospitais construídos, viaturas policiais entregues e rodovias recuperadas, e deixa uma mensagem de otimismo: “sempre dá certo”. O tucano deixará o governo em abril de 2018 para disputar a eleição presidencial. No próximo dia 9, ele será eleito presidente nacional do PSDB. A propaganda anterior do PSDB, veiculada em outubro no estado, colou em Alckmin a marca de gestor eficiente. Ao destacar que o estado havia enfrentado a crise econômica sem comprometer suas finanças, o governador encerrava o vídeo com o slogan “São Paulo dando exemplo para o Brasil”.

Continua…

Powered by WordPress | Designed by: diet | Thanks to lasik, online colleges and seo