Copa Craques do Futuro de Futebol de Base…

Leia mais »

Venha pra TiConnect….

    Leia mais »

“Esse Mourão está escalando golpe no Brasil”, diz Ciro…

O candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, acusou na noite de ontem o general Hamilton Mourão, candidato a vice-presidente na chapa de Jair Bolsonaro (PSL), de pretender dar um golpe de Leia mais »

Pesquisa Ibope para o Senado em Pernambuco: Jarbas, 34%; Humberto, 31%; Mendonça, 22%…

Pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira (17) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para o Senado em Pernambuco: Jarbas (MDB): 34% Humberto Costa (PT): 31% Mendonça Filho (DEM): 22% Silvio Costa Leia mais »

Pesquisa Ibope em Pernambuco: Paulo, 33%; Armando, 25%…

G1 PE Pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira (17) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para o governo de Pernambuco: Paulo Câmara (PSB): 33% Armando Monteiro (PTB): 25% Julio Lossio (Rede): 2% Maurício Rands (PROS): Leia mais »

Category Archives: Eleições

Pernambuco vai adiar a decisão para governador…

A pesquisa IBOPE divulgada na noite desta segunda-feira (17) deixou o Palácio em sinal de alerta. Simplesmente a máquina dos governos do estado e da Prefeitura do Recife sem contar às inúmeras prefeituras não estão dando conta do recado e o medo do PSB é de que Paulo tenha chegado a um teto. Outro fator é que Armando oscilou positivamente a medida que o governador ficou estagnado. Pode ser apenas um ponto, mas os socialistas esperavam que Paulo ampliasse a sua vantagem em no mínimo 15 pontos percentuais esta semana, o que daria ao governador um “ar” para respirar aliviado para a reta decisiva que é a fase final na qual Paulo enfrentará seus adversários nos debates televisivos.

Armando Monteiro começa a crescer na hora certa e Paulo estagna na hora errada. Entramos na reta final da campanha, nos seus últimos 15 dias quando às equipes de Armando Monteiro (PTB) e de Júlio Lóssio (REDE) e Dani Portela (PSOL) preparam um verdadeiro arsenal contra o governo Paulo mostrando nos guias da TV e do Rádio que Pernambuco estagnou na era Paulo, e que é necessário urgentemente uma mudança. A pesquisa Ibope constatou um Pernambuco literalmente dividido em um segundo turno, algo que eu posso dizer que essa eleição pode ser decidida no voto a voto. Levantamentos internos captaram a estagnação de Paulo, e o crescimento de Armando e algumas já demonstram um empate técnico ainda no primeiro turno.

Este de fato não era o resultado esperado pelo PSB e o partido começa a temer que a estagnação de Paulo nas pesquisas, esfrie a militância na campanha, que até então vendia um produto que poderia liquidar a fatura no primeiro turno. Talvez, esta pesquisa do Ibope quebre um pouquinho a arrogância de quem acredita que já tem uma eleição decidida aqui em Pernambuco, porque não tem. O que tem são eleitores que estavam ligados na campanha nacional e esquecendo que vamos escolher também o mandatário do estado no dia 07. Nessa reta final, muitas pessoas tendem a decidir o seu voto, embora 35% ainda declaram que não vão votar em ninguém ou que estão indecisos. 

Armando sofreu um verdadeiro boicote na sua candidatura. Depois de ter sido adjetivado de “candidato de Temer” e pra lá vai, o PSB acreditava que poderia dar a volta por cima e dar de lavada em Armando Monteiro e no seu palanque, construído com o apoio do PSDB e do DEM.Está na hora de descer e voltar a se encontrar com a humildade de quem tem uma longa estrada pela frente a percorrer. 

Empate técnico

O Ibope detectou um empate técnico no segundo turno entre Paulo Câmara e Armando Monteiro, 41% a 37%. Esta foi a prova de que Pernambuco tende a ter uma eleição difícil e complicada e que será decidida quando fechar às urnas no dia 07. 

Pegou de surpresa

Muita gente estava pronta para aderir a Paulo Câmara após a pesquisa do IBOPE, leiam-se “prefeitos”, mas decidiram se sustentar no anonimato da campanha para governador depois da pesquisa desta segunda. O desânimo foi total após terem sido pegos de surpresa com a estagnada do governador que simplesmente parou de crescer depois de ter usado tudo: “Nomeações em D.O, apoio de Lula, presença de Haddad”. Se for confirmada a estagnação de Paulo nas próximas pesquisas da semana o efeito poderá ser reverso e muita gente que abandonou Armando, pode fazer o caminho de volta. (Silvinho Silva)

“Esse Mourão está escalando golpe no Brasil”, diz Ciro…

O candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, acusou na noite de ontem o general Hamilton Mourão, candidato a vice-presidente na chapa de Jair Bolsonaro (PSL), de pretender dar um golpe de Estado no Brasil. A afirmação foi feita durante entrevista do pedetista ao “Jornal da Globo”. Na mesma entrevista, Ciro afirmou duvidar de que o ex-presidente Lula nada soubesse sobre os desvios na Petrobras, no escândalo conhecido como “petrolão”.

Ciro foi questionado sobre uma frase dita durante a sabatina do GLOBO, na semana passada. Ele afirmou que o comandante do Exército, general Villas-Boas, tem feito comentários políticos para “tentar calar a voz das cadelas no cio que embaixo dele estão se animando”. Ao explicar a frase, revelou um encontro com Villas-Boas e acusou o vice de Bolsonaro de tentar um golpe no país.

– O General Villas Boas me convidou a conversar lá no quartel-general, durante esse processo eleitoral, eu respondi que não achava próprio. Ele perguntou se aceitaria conversar na casa dele. Aceitei. Tivemos uma conversa muito franca em que eu claramente anunciei para ele que esse general Mourão está escalando o golpe no Brasil e que eu ia enfrentá-lo. E o general Mourão considera o general Villas-Boas amigo-irmão. 

Também na sabatina do GLOBO, Ciro afirmou que Villas-Boas poderia “pegar uma cana” num governo seu por dar declarações políticas, e manteve a opiniião.

– Eu sou um brasileiro que conhece a lei. Está proibido comandante miilitar dar opiniao sobre politica. Simples assim, está na lei. No dia seguinte, o presidente do Uruguai mandou prender o comandante do Exército, que deu opinião sobre assunto político. É próprio, num país que tem a tradição que nós temos, que um comandante militar fique tutelando um processo eleitoral, coagindo as pessoas a votar por medo? Medo de quê? Eu não tenho medo deles, não.

O presidenciável também foi questionado sobre o ex-presidente Lula, a quem tem poupado dos ataques mais diretos que reserva ao candidato Fernando Hadad e ao PT. Ciro declarou duvidar que Lula não soubesse dos esquemas de corrupção na Petrobras e que ele próprio alertou o líder petista sobre o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado.

– No mensalao eu estava lá. Ele (Lula) de fato não sabia. Acredito que ele falou a verdade quando disse que não sabia. No petrolão não dá. Simplesmente nao dá. Nao é que ele sabia que as pessoas estavam roubando, mas sabia que as pessoas estavam porocurando essas indicações (de cargos na Petrobras) para roubar. Falei para ele, por exemplo, de Sérgio Machado.

Ainda sobre Lula, Ciro disse que evita atacá-lo porque se sentiria “um covarde”, pelo fato de o petista estar preso.

– (Ataco o PT) Porque o PT e o Haddad estão soltos e podem reagir. E o Lula está na cadeia. Eu me sinto um covarde. Gostaria que o Lula estivesse solto, e eu pudesse debater e refletir com ele. Sou amigo do Lula há 30 anos. Ele não é satanás como querem os coxinhas nem Deus como parte do PT quer. (Magno Martins)

O quadro da disputa após o Ibope a 19 dias da eleição …

A pesquisa Ibope trouxe a terceira rodada de levantamentos sobre a disputa pelo Palácio do Campo das Princesas. Nela, um sinal de alerta para o PSB e outro de alívio para o PTB, pois Paulo Câmara ficou com os mesmos 33% do dia 5 de setembro, enquanto Armando Monteiro oscilou positivamente dentro da margem de erro. Havia uma expectativa que Paulo Câmara pudesse ampliar sua vantagem para doze pontos, fato que não se confirmou, o que deu a Armando Monteiro uma nova chance de evitar que a fatura seja liquidada no próximo dia 7 de outubro.

No caso de Paulo Câmara, está latente a necessidade de associar a imagem do governador a de Geraldo Julio, prefeito que comanda o maior colégio eleitoral do estado e possui significativa aprovação, sendo um eleitor imprescindível na disputa pelo Palácio do Campo das Princesas. Quanto mais Paulo Câmara associar sua imagem a Geraldo Julio, melhores serão suas chances de vitória. Como o guia eleitoral tem impacto na Região Metropolitana, talvez fosse pertinente colocar no guia os prefeitos Lula Cabral, Junior Matuto e Professor Lupercio, uma vez que eles têm representatividade em seus respectivos municípios, e podem convencer quem lhe aprova a votar no atual governador.

Para Armando Monteiro, que está latente que suas chances de vitória passam por um eventual segundo turno, ele depende fortemente do empenho dos prefeitos Anderson Ferreira, Raquel Lyra, Miguel Coelho, Edson Vieira, Demóstenes Meira, Célia Sales, Bruno Pereira e Mario Ricardo que comandam eleitorados importantes. Atos nestas cidades precisam ficar cada vez mais corriqueiros nesta reta final para fazer de Armando um nome com perspectivas de chegar a uma segunda etapa.

Nestes pouco mais de quinze dias para o pleito, teremos debates, atos mais volumosos, troca de farpas no guia eleitoral, dentre outros, porque com esta pesquisa Paulo Câmara precisará redobrar o empenho para vencer a eleição no próximo dia 7, enquanto Armando Monteiro que estava desacreditado pelos seus próprios aliados ganha um fôlego a mais para tentar reverter o favoritismo de Paulo Câmara pois num eventual segundo turno todo mundo sabe que é nova eleição, e as suas chances de vitória aumentam consideravelmente. (Edmar Lyra)

Pesquisa Ibope para o Senado em Pernambuco: Jarbas, 34%; Humberto, 31%; Mendonça, 22%…

Pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira (17) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para o Senado em Pernambuco:

  • Jarbas (MDB): 34%
  • Humberto Costa (PT): 31%
  • Mendonça Filho (DEM): 22%
  • Silvio Costa (Avante): 10%
  • Bruno Araújo (PSDB): 8%
  • Pastor Jairinho (Rede): 4%
  • Adriana Rocha (Rede): 2%
  • Eugênia (PSOL): 1%
  • Hélio Cabral (PSTU): 1%
  • Albanise Pires (PSOL): 1%
  • Lídia Brunes (Pros): 1%
  • Alex Rola (PCO): 0%
  • Brancos/nulos – Vaga 1: 22%
  • Brancos/nulos – Vaga 2: 34%
  • Não sabe/não respondeu: 28%

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo “Jornal do Commercio”. É o terceiro levantamento do Ibope realizado depois da oficialização das candidaturas na Justiça Eleitoral.

No levantamento anterior, feito entre os dias 2 e 4 de setembro, os percentuais de intenção de votos eram os seguintes:

  • Jarbas (MDB): 33%

  • Humberto Costa (PT): 30%

  • Mendonça Filho (DEM): 23%

  • Silvio Costa (Avante): 12%

  • Bruno Araújo (PSDB): 8%

  • Pastor Jairinho (Rede): 5%

  • Adriana Rocha (Rede): 2%

  • Eugênia (PSOL): 1%

  • Hélio Cabral (PSTU): 1%

  • Albanise Pires (PSOL): 1%

  • Alex Rola (PCO): 1%

  • Lídia Brunes (Pros): 1%

  • Brancos/nulos – Vaga 1: 22%

  • Brancos/nulos – Vaga 2: 35%

  • Não sabe/não respondeu: 24%

Sobre a pesquisa divulgada nesta segunda, 17

  • Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos

  • Quem foi ouvido: 1.204 eleitores de todas as regiões do estado, com 16 anos ou mais

  • Quando a pesquisa foi feita: 14 a 16 de setembro

  • Registro no TRE: PE-02931/2018

  • Registro no TSE: BR-01251/2018

  • O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro

  • 0% significa que o candidato não atingiu 1%. Traço significa que o candidato não foi citado por nenhum entrevistado

Espontânea

Na modalidade espontânea da pesquisa Ibope (em que o pesquisador somente pergunta ao eleitor em quem ele pretende votar, sem apresentar a relação de candidatos), o resultado foi o seguinte:

  • Jarbas (MDB): 12%

  • Humberto Costa (PT): 10%

  • Mendonça Filho (DEM): 6%

  • Bruno Araújo (PSDB): 2%

  • Silvio Costa (Avante): 2%

  • Adriana Rocha (Rede): 0%

  • Albanise Pires (PSOL): 0%

  • Eugênia (PSOL): 0%

  • Hélio Cabral (PSTU): 0%

  • Pastor Jairinho (Rede): 0%

  • Alex Rola (PCO): –

  • Lídia Brunes (Pros): –

  • Outros: 2%

  • Brancos/nulos: 31%

  • Não sabem/preferem não opinar: 55%

Pesquisa Ibope em Pernambuco: Paulo, 33%; Armando, 25%…

G1 PE

Pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira (17) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para o governo de Pernambuco:

  • Paulo Câmara (PSB): 33%

  • Armando Monteiro (PTB): 25%

  • Julio Lossio (Rede): 2%

  • Maurício Rands (PROS): 2%

  • Ana Patrícia Alves (PCO): 1%

  • Simone Fontana (PSTU): 1%

  • Dani Portela (PSOL): 1%

  • Brancos/nulos: 24%

  • Não sabe/não respondeu: 10%

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo “Jornal do Commercio”. É o terceiro levantamento do Ibope realizado depois da oficialização das candidaturas na Justiça Eleitoral.

No levantamento anterior, feito entre os dias 2 e 4 de setembro, os percentuais de intenção de votos eram os seguintes:

  • Paulo Câmara (PSB): 33%

  • Armando Monteiro (PTB): 24%

  • Julio Lossio (Rede): 3%

  • Maurício Rands (PROS): 2%

  • Ana Patrícia Alves (PCO): 1%

  • Simone Fontana (PSTU): 1%

  • Dani Portela (PSOL): 1%

  • Brancos/nulos: 24%

  • Não sabe/não respondeu: 11%

Sobre a pesquisa desta segunda-feira, 17

  • Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos

  • Quem foi ouvido: 1.204 eleitores de todas as regiões do estado, com 16 anos ou mais

  • Quando a pesquisa foi feita: 14 a 16 de setembro

  • Registro no TRE: PE-02931/2018

  • Registro no TSE: BR‐01251/2018

  • O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro

  • 0% significa que o candidato não atingiu 1%. Traço significa que o candidato não foi citado por nenhum entrevistado

Espontânea

Na modalidade espontânea da pesquisa Ibope (em que o pesquisador somente pergunta ao eleitor em quem ele pretende votar, sem apresentar a relação de candidatos), o resultado foi o seguinte, no levantamento feito entre 14 e 16 de setembro:

  • Paulo Câmara (PSB): 18%

  • Armando Monteiro (PTB): 12%

  • Julio Lossio (Rede): 1%

  • Dani Portela (PSOL): 0%

  • Maurício Rands (PROS): 0%

  • Simone Fontana (PSTU): 0%

  • Ana Patrícia Alves (PCO): –

  • Outros: 3%

  • Branco/nulo: 25%

  • Não sabe/não respondeu: 40%

Rejeição

O Ibope também mediu a taxa de rejeição (o eleitor deve dizer em qual dos candidatos não votaria de jeito nenhum). Nesse item, os entrevistados puderam escolher mais de um nome. Veja os índices no levantamento feito entre 14 e 16 de setembro:

  • Paulo Câmara (PSB): 30%

  • Armando Monteiro (PTB): 24%

  • Simone Fontana (PSTU): 22%

  • Dani Portela (PSOL): 21%

  • Julio Lossio (Rede): 21%

  • Ana Patrícia Alves (PCO): 20%

  • Maurício Rands (PROS): 18%

  • Poderia votar em todos: 3%

  • Não sabe/não respondeu: 20%

Simulação de segundo turno

  • Paulo Câmara 41% x 37% Armando Monteiro (branco/nulo: 17%; não sabe: 6%)

Raul Henry e Zé Maurício inauguram comitê em João Alfredo…

Data: 17 / 09 / 2018

Cidade: João Alfredo – PE

Fotos: Divulgação

 

Ecos da abertura do comitê de Sebastião Oliveira e Clodoaldo Magalhães, em João Alfredo…

Data: 17 / 09 / 2018

Cidade: João Alfredo – PE

Fotos: Gordo Portela

CNT/MDA: Haddad distancia-se de Ciro e se consolida no 2º turno…

247

Pesquisa CNT/MDA divulgada nesta segunda-feira (17) aponta o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) na liderança com 28,2% das intenções de votos na modalidade estimulada (quando são apresentados os nomes dos candidatos). Fernando Haddad (PT) aparece na segunda posição, com 17,6%, seguido por Ciro Gomes, do PDT (10,8%).

Geraldo Alckmin (PSDB) alcança 6,1% e Marina Silva (Rede), 4,1%. Na sequência estão João Amoêdo, do Partido Novo (2,8%), Alvaro Dias (Podemos), com 1,9%, seguido por Henrique Meirelles (MDB), com 1,7%.

Cabo Daciolo e Guilherme Boulos (Psol) têm 0,4% cada. Vera Lúcia (PSTU) alcança 0,3%. Eymael (DC) não pontuou. Brancos e nulos somam 13,4%, e indecisos, 12,3%.

Confira o levantamento:

A 138ª Pesquisa CNT/MDA, divulgada pela CNT (Confederação Nacional do Transporte) nesta segunda-feira (17), aborda as eleições de 2018. O levantamento traz as preferências dos entrevistados em cenários de primeiro e segundo turnos e o limite de voto nos candidatos. Além disso, trata sobre o grau de interesse nas eleições e o acompanhamento das campanhas eleitorais.

Traz, ainda, a avaliação pessoal e do governo do presidente Michel Temer e a expectativa dos brasileiros para os próximos seis meses sobre temas, como economia, saúde, segurança e educação.

A pesquisa foi realizada entre os dias 12 e 15 de setembro de 2018. Foram ouvidas 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 Unidades Federativas, das cinco regiões do país. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais com 95% de nível de confiança. A pesquisa está registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), sob o número BR-04362/2018.

Continua…

Boulos critica voto útil…

Guilherme Boulos, candidato do PSOL à Presidência, criticou, hoje, em entrevista ao G1 e CBN, o “voto útil” e disse que “o momento de se juntar e derrotar o atraso é no segundo turno”. Ele defendeu, no primeiro turno, o voto no projeto que o eleitor acredita.

“Tem gente que efetivamente está com medo, que olha o [Jair] Bolsonaro [candidato do PSL] crescendo, esse cara que só fala atrocidades. […] Isso pode levar a uma ideia de não votar no projeto que acredita mais em nome de combater esse retrocesso tremendo que representa o Bolsonaro. Mas, agora, é sempre preciso lembrar o seguinte: a eleição é em dois turnos. […] O campo democrático estará no segundo turno”, disse.

Questionado sobre o baixo desempenho nas pesquisas eleitorais, Boulos disse que a sua candidatura é diferente e não se mede com intenções de votos. “Se mede também pela elevação da consciência política. Eleição não pode ser vale-tudo, eleição tem que significar colocar grandes princípios e grandes temas em debate.” Na última pesquisa divulgada, do Datafolha, Boulos estava com 1% das intenções de voto.

Jair Bolsonaro dispara, vai a 33% e derrota todos no segundo turno…

Jair Bolsonaro (PSL) despontando no primeiro lugar tanto nos cenários de voto espontâneo quanto estimulado e uma ascensão nas intenções de voto do candidato Fernando Haddad (PT), após ele ser oficializado como o nome do partido na última terça-feira (11).

É o que mostra a mais recente pesquisa FSB/BTG Pactual, divulgada nesta segunda-feira (17) e registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número BR-06478/2018. O levantamento foi realizado entre os dias 15 e 16 de setembro com 2000 eleitores e a margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

No cenário espontâneo, a intenção de voto de Bolsonaro passou de 26% para 30%, de uma semana para outra, enquanto neste último levantamento apenas 6% votariam no ex-presidente Lula, ante 12% da pesquisa anterior. Já Fernando Haddad saltou de apenas 3% para 12%, ultrapassando Ciro Gomes (PDT), que de 7% oscilou positivamente para 8%. João Amoêdo (Novo) se manteve em 3%, enquanto Geraldo Alckmin (PSDB) e Marina Silva (Rede) oscilaram negativamente de 3% para 2%.

Álvaro Dias (PODE) oscilou negativamente de 2% para 1%, Henrique Meirelles passou a pontuar com 1%, enquanto os demais não pontuaram. Não sabem ou não responderam seguiram em 22%, não votariam em ninguém foram de 13% para 8%, enquanto brancos e nulos seguiram em 4% em uma semana.

Já na intenção de votos estimulada – em que há o cenário apenas com Fernando Haddad como substituto de Lula, uma vez que o ex-presidente petista teve a sua candidatura barrada -, Jair Bolsonaro passou de 30% de intenção de voto no levantamento anterior para 33%. Enquanto isso, Haddad ultrapassou Ciro Gomes numericamente com um salto de 8% para 16%, mas empatado ainda tecnicamente com o candidato do PDT, que foi de 12% para 14% em uma semana.

Alckmin oscilou para baixo no limite da margem de erro, de 8% para 6%, empatado tecnicamente com Marina Silva, que novamente teve queda e foi de 8% para 5%. Amoêdo voltou aos 4% ante 3% da semana anterior, enquanto Alvaro Dias viu sua intenção de voto oscilar para baixo, de 3% para 2%. Meirelles tem 2% dos votos neste cenário, ante 1% de Cabo Daciolo (PATRI). A porcentagem de quem não votaria em ninguém caiu de 13% para 9%, branco/nulo somam 2%, enquanto não sabe/não responderam foi de 8% para 5%.

Os eleitores de Bolsonaro também são aqueles cuja certeza do voto é maior. Para 82% deles, a decisão de voto é definitiva, sendo seguido pelos de Haddad (81%), Amoêdo (73%), Daciolo (69%), Alvaro Dias (57%), Ciro (48%) e Meirelles (48%), Alckmin (44%) e Marina (43%). Vale destacar que 71% dos que disseram votar branco/nulo apontaram ter certeza do seu voto.

O apoio de Lula a Haddad também mostrou um aumento em sua importância. O número de pessoas que não votaria de jeito nenhum em Haddad caso Lula apoiasse o ex-prefeito paulistano caiu de 63% para 57%, enquanto o número dos que votariam com certeza subiu de 20% para 30%. Os que poderiam votar oscilou para baixo, de 12% para 11% de uma semana para outra.

Segundo turno

Pela primeira vez, o levantamento fez uma simulação de segundo turno (todas com Bolsonaro) e, ao contrário da pesquisa Datafolha da última sexta-feira, por exemplo, mostrou o candidato do PSL em vantagem no segundo turno contra Marina, Alckmin e Haddad e empatando com Ciro Gomes.

Quando o cenário é Bolsonaro contra Ciro, ambos aparecem com 42%, 5% dizem votar branco, 8% em ninguém e 3% não sabem ou não responderam. Entre Bolsonaro e Haddad, 46% disseram votar no candidato do PSL ante 38% que votariam no petista e, quando confrontado com Alckmin, Bolsonaro aparece com 43% ante 36% do tucano. A maior diferença é contra Marina Silva: 48% do candidato do PSL ante 33% da ex-senadora da Rede.

Potencial de voto X rejeição

Com relação ao potencial de voto (porcentagem dos que poderiam votar em um determinado candidato), Bolsonaro aparece na frente com 48%, forte alta ante 40% do levantamento anterior, sendo seguido por Ciro, que subiu de 36% para 45%.

Já Alckmin subiu de 30% para 39% de uma semana para outra, sendo seguido por Marina, que subiu de 29% para 36%. Haddad aparece empatado com a candidata da Rede, subindo de 24% para 36%. Alvaro Dias teve alta de 19% para 22%, mesmo percentual de Meirelles,que subiu ante os 19% de potencial de voto da semana passada, enquanto Amoêdo subiu de 12% para 16%. Cabo Daciolo e Guilherme Boulos (PSOL) têm 8% de potencial de voto, seguido por João Goulart Filho (PPL), com 7%, enquanto José Maria Eymael (DC) registra 6% de potencial de voto e Vera Lúcia (PSTU) tem 5%.

Já Marina Silva segue na dianteira na lista de maior rejeição –  ou seja, a porcentagem de quem não votaria “de jeito nenhum” no candidato/candidata -, mas caindo de 64% para 58%. Alckmin caiu em termos de rejeição, passando de 61% para 53%, mas segue sendo o segundo mais rejeitado. O tucano é seguido por Meirelles, que teve queda de 52% para 48%, mesmo percentual de Haddad, que também caiu de 52% para 48%, e Eymael. Ciro Gomes viu sua rejeição cair de 51% para 46%, enquanto Bolsonaro viu sair de rejeição de 51% dos eleitores para 45%. (Edmar Lyra)

Sebastião Oliveira e Clodoaldo Magalhães promovem caminhada e abrem comitê em João Alfredo…

Armando sobre Ciro: “Tenho que conversar com a coligação”…

Quando formou a aliança para concorrer ao Governo do Estado, o senador Armando Monteiro Neto já deixava claro que, caso o ex-presidente Lula fosse candidato, votaria em Lula. “A partir do momento que Lula não é candidato, não posso decidir nada sozinho”, sublinha ele à coluna. E prossegue: “Tenho que dividir com o conjunto da coligação. Já estamos ouvindo, discutindo com os companheiros. Estamos trocando informações e fazendo avaliações”. De concreto sobre a corrida presidencial, ele afirma que a hipótese de votar em Fernando Haddad “não existe”. “Eu teria compromisso com Lula. Não há possibilidade de apoiar Haddad. É zero essa possibilidade”, assegura o petebista. Ele explica que, embora Haddad seja do PT, com Lula “era diferente, porque eu tinha uma história com Lula”. E emenda: “Ele me apoiou em 2014, era completamente diferente”. Armando acrescenta: “Essa hipótese de Haddad está descartada. As outras hipóteses colocadas vamos examinar depois de esgotar esse processo”.

Entre aliados do senador, há manifestações nos bastidores a favor da declaração de apoio a Ciro Gomes. E há nomes como o prefeito de Araripina, Raimundo Pimentel, que já tomou a dianteira e está reunindo lideranças favoráveis ao apoio a Ciro. No PSDB, não se faz objeção e essa possibilidade é vista como “provável”. Mas a relação do PDT, de Ciro, com a gestão Paulo Câmara, onde comanda espaços, também tem pesado nas contas da coligação Pernambuco Vai Mudar e pode ser um fator a complicar essa costura. (Renata Bezerra de Melo)

Powered by WordPress | Designed by: diet | Thanks to lasik, online colleges and seo