Allez Les Bleus! França bate Croácia e vence a Copa do Mundo…

Na final com mais gols na Copa do Mundo em 52 anos, a França conquistou o título pela segunda vez. A equipe passou sufoco, foi dominada durante o primeiro tempo mas deslanchou na etapa final e Leia mais »

Festa de Emancipação Política do Bom Jardim-PE…

Leia mais »

Saiba o que fazer em caso de picada de escorpião…

G1 As picadas de escorpião já são responsáveis por mais mortes no Brasil do que as picadas de cobra. Encontrados em áreas urbanas, os escorpiões se reproduzem com facilidade e costumam se Leia mais »

1º Fest Bandas de João Alfredo…

Leia mais »

Armando recebe apoio de deputado federal do PP em giro pela Mata e RMR⁩…

Após um dia de intensa atividade em municípios da Região Metropolitana do Recife e da Zona da Mata, o senador Armando Monteiro (PTB) finalizou o giro deste sábado (14) com uma importante Leia mais »

Category Archives: Eleições

Governador começa a perder o controle do PSB…

Não é irrelevante uma declaração prestada na última sexta-feira pelo deputado federal Felipe Carreras de que respeita “decisões partidárias”, mas não votará em Lula ou em qualquer outro candidato do PT para presidente da República “de jeito nenhum”. 
A declaração é em si contraditória porque a decisão do PSB de Pernambuco é no sentido de apoiar o ex-presidente, conforme manifestação externada na véspera pelo governador Paulo Câmara. E se torna ainda mais relevante porque Carreras foi secretário estadual de Turismo até abril passado. Isto pode ter sido o primeiro sinal de que o governador começa a perder o controle do PSB pernambucano. Se a insubordinação tivesse partido de um parlamentar da Frente Popular, mas não filiado ao PSB, era perfeitamente compreensível porque muitos fizeram oposição ao PT a vida inteira e certamente não se sentirão à vontade participando da campanha lulista.

É o caso, por exemplo, do deputado André de Paula, que construiu sua carreira política no extinto PFL como liderado político do ex-senador Marco Maciel. Exigir dele engajamento na campanha de Lula seria quase uma violência, sabendo-se que tem um passado antipetista. É claro que o deputado Carreras tem todo o direito de votar em quem quiser. Mas para ser coerente com o que escreveu não deveria ter dito que “respeita decisões partidárias”. Se já anunciou antecipadamente que não votará em Lula, que será o candidato do PSB estadual, óbvio que estará afrontando o seu próprio partido, que faz um enorme para ter o PT como aliado. (Inaldo Sampaio)

Armando recebe apoio de deputado federal do PP em giro pela Mata e RMR⁩…

Foto : Leo Caldas

Após um dia de intensa atividade em municípios da Região Metropolitana do Recife e da Zona da Mata, o senador Armando Monteiro (PTB) finalizou o giro deste sábado (14) com uma importante declaração de apoio à sua pré-candidatura ao governo do Estado pela frente “Pernambuco Vai Mudar”. Em discurso proferido durante a comemoração do aniversário do prefeito de Camaragibe, Demóstenes Meira (PTB), em uma casa de eventos em Aldeia, no município metropolitano, o deputado federal Marinaldo Rosendo (PP) saudou Armando como “futuro governador”.

“Não deixei o PSB em vão. Depois que o ex-governador Eduardo Campos se foi, entendemos que Pernambuco precisa de uma mudança. E eu tenho certeza de que os pernambucanos vão eleger Armando governador”, afirmou Rosendo, no palco da casa de evento, ao lado do pré-candidato ao governo e de seu companheiro de chapa, o deputado federal Mendonça Filho (DEM), pré-candidato ao Senado, e do também deputado federal Daniel Coelho (PPS).

“Conheço Marinaldo há muitos anos. É um empreendedor, um lutador, um homem que sempre teve uma presença, gerando empregos em Pernambuco. Um homem que tem tem sido muito correto nas suas relações. Teve uma relação muito estreita com o ex-governador Eduardo Campos, que tinha muito apreço a ele. Mas como disse Marinaldo, o tempo de Eduardo era um tempo em que Pernambuco se reconhecia como um Estado que crescia. Hoje, o que se assiste é uma outra coisa: um Estado parado, que não andou para trás porque o povo de Pernambuco não deixa”, reforçou o senador.

O aniversariante Demóstenes Meira fez questão de agradecer ao apoio de Armando Monteiro à sua candidatura em 2016. “Trago aqui homens de bem, de personalidade, homens que têm políticas públicas voltadas para o povo”, disse Meira, que completou 55 anos. Armando retribuiu as palavras do prefeito: “Sou muito grato pelas demonstrações de lealdade e confiança.  Camaragibe pode contar com a nossa colaboração”, salientou.

Armando espera por apoio do MDB…

Diário de Pernambuco

O senador Armando Monteiro Neto (PTB) afirmou, ontem, em Petrolina, que ainda espera ter apoio de outros partidos à sua pré-candidatura ao governo do estado.

Em entrevista à imprensa local, ele citou especificamente o MDB, que enfrenta uma disputa jurídica entre o grupo do vice-governador Raul Henry e o de Fernando Bezerra Coelho.

“Tenho muita confiança de que, ao final, o MDB será comando por Fernando Bezerra Coelho. Não porque ele está alinhado conosco. Mas porque, conhecendo um pouco a legislação e conhecendo precedentes, o que se verifica é o seguinte: quando uma decisão de destituir o diretório anterior foi tomada pelo órgão máximo do partido, que é a executiva nacional, a deliberação foi feita por voto da executiva nacional, ou só posso imaginar que essa decisão tem uma legitimidade inquestionável do ponto de vista jurídico”, declarou. 

Indagado se estava preocupado com a aliança entre o PSB e PT no estado, ele disse que não. Frisou estar preparado para uma disputa em qualquer cenário político.

“O que o Pernambuco quer saber é o seguinte: como a gente pode melhorar as condições do estado? Como pode melhorar a saúde e a segurança?

Acho que essas são as questões que vão orientar o debate”, avaliou, lembrando que, nesta semana, houve um assalto cinematográfico de quatro bancos em Surubim, no Agreste do estado, e as pessoas querem saber, por exemplo, o que vai ser feito para combater a violência local.

Oposição de Taquaritinga do Norte anuncia apoio a Alessandra Vieira e André de Paula…

Em um encontro no salão do Hotel Jorge Eduardo, realizado nesta sexta-feira (13), o grupo de oposição de Taquaritinga do Norte anunciou apoio à pré-candidatura de Alessandra Vieira (PSDB) para deputada estadual e à reeleição do deputado federal André de Paula (PSD), para as eleições de outubro próximo.

O ato contou com a presença dos ex-prefeitos da Terra das Dálias, Jânio Arruda, Jarbas Pinto e Erivaldo Araújo, além de vereadores, suplentes e lideranças da cidade. De Santa Cruz do Capibaribe estiveram presentes o prefeito Edson Vieira, vereadores e lideranças. O presidente da Câmara de Toritama, Arimatea de Carvalho, também prestigiou o evento.

Entre as falas mais esperadas da noite estava a de Jânio Arruda, que declarou seu apoio e de seu grupo político a pré-candidatura de Alessandra e André de Paula, e destacou o que o levou a escolher a dupla que une experiência e renovação. “Tive reuniões com Edson e Alessandra para que a gente pudesse fazer parte desse projeto e firmar parcerias para agora e para o futuro. Não tenho dúvidas de que fizemos a escolha certa, de que ela vai fazer um grande trabalho na Assembleia. Precisamos nos fortalecer para recuperar o crescimento de nossa terra e por isso estamos unidos em torno dos projetos de Alessandra e também de André que tem representado tão bem Taquaritinga do Norte”, disse Jânio.

Edson Vieira, que representou a cidade duas vezes como deputado estadual, falou da satisfação de ser recebido novamente em Taquaritinga e ver o grupo de oposição unido em torno dos pré-candidatos. “Agradeço o carinho e a lealdade de todos os amigos do grupo, é com grande satisfação que estou aqui nessa cidade onde sempre fui presente e mantive laços. Não tenho dúvidas de que Alessandra e André vão representar muito bem Taquaritinga do Norte e Pernambuco, vamos cobrar dos dois que trabalhem pela cidade, para que a população volte a ter dias melhores”, pontuou Vieira.

Alessandra Vieira aproveitou sua fala para agradecer a confiança do povo da Dália da Serra. “É com muita alegria que estou aqui hoje com todos esses amigos. Agradeço as belas palavras dirigidas a mim por todos da mesa, especialmente a Jânio Arruda por nos abraçar. Nos meus anos de militância aprendi que fazer política é estar junto do povo, é servir ao povo, e é isso que pretendo fazer. Tenho certeza de que Taquaritinga do Norte não vai se arrepender de confiar em mim. Eu e André vamos ser uma boa dupla de trabalho e vamos estar sempre presentes na vida do povo dessa cidade”, falou a pré-candidata.

Os discursos do evento foram encerrados pelo deputado federal André de Paula, que falou do seu trabalho por Taquaritinga e definiu Alessandra Vieira como a voz da cidade na Assembleia Legislativa. “Estou muito feliz por estar ao lado de políticos experientes e de pessoas que representam renovação, como Alessandra. As mulheres hoje são sub-representadas na política e Alessandra teve a coragem de colocar seu nome à disposição para representar sua região. Não acredito em políticos que não conhecem o povo que representa, por isso reitero suas palavras de que é preciso estar presente e eu estou presente em Taquaritinga do Norte há 20 anos”, destacou o deputado.(Por Edmar Lyra)

Estratégia é dividir apoio a Lula com Marília Arraes…

O day after do encontro de Paulo Câmara com Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT, foi de reações diversas, entre elas resistências oferecidas abertamente à eventual aliança tanto por socialistas como por petistas. Ao antecipar que o PSB de Pernambuco vai apoiar o ex-presidente Lula na corrida pelo Planalto, ainda que o PT não tenha nem retirado a candidatura de Marília Arraes do páreo, o governador de Pernambuco agiu em cima da estratégia de não deixar a vereadora ter Lula no palanque sozinha. O Palácio das Princesas tem levado em consideração o potencial eleitoral do líder-mor do PT no Estado. E tem ciência de que Marília, a despeito de adversária ferrenha do PSB, não terá como negar ou reclamar de apoio do chefe do Executivo estadual ao ex-presidente. No governo, já se trabalha com a hipótese de Marilia ser mesmo candidata. Mas, ao mesmo tempo, observa-se que a postulação dela está “congelada”.

Ou seja: não foi lançada até o momento pelo PT, ainda que, por previsões originais, a essa altura, isso já poderia ter ocorrido. Se costurar apoio formal ao PT era, em tese, a carta na manga do vice-presidente nacional dos socialistas para ver Marília fora da disputa, ele fez “o gesto” mesmo sem ter qualquer garantia de que terá reciprocidade dos petistas. Não deve estar sozinho na movimentação porque, no Nordeste, estar ao lado de Lula, ainda que ele siga preso, pode significar votos. Na Bahia, mesmo que Lídice da Mata tenha ficado de fora da chapa de Rui Costa, apoiará a candidatura do governador à reeleição e o PT nacionalmente. É a aposta que se faz no PSB, assim como se dá a previsão para a Paraíba, governada por Ricardo Coutinho. (Renata Bezerra de Melo / Folha de Pernambuco)

Confirmação de Marília Arraes é péssimo sinal para o PSB …

Nas últimas semanas a pré-candidatura de Marília Arraes ao governo de Pernambuco ganhou ares de consolidação, sobretudo após a visita de Gleisi Hoffmann ao estado, quando reuniu-se com o governador Paulo Câmara e não houve nenhum indicativo de que PT e PSB marchariam juntos no estado.

O enredo da retirada de Marília Arraes terminou por passar a imagem de que o PSB estava desesperado para tirá-la a todo custo do páreo, caso conseguisse o governador Paulo Câmara daria uma grande demonstração de força, e isso traduziria em maior confiança da classe política na sua perspectiva de vitória. Como ao que tudo indica a tentativa foi fracassada, o Palácio do Campo das Princesas caminha para sofrer um duro golpe na tentativa de manter a hegemonia do PSB no estado.

O governador Paulo Câmara ao dizer que votaria em Lula em qualquer hipótese, passou a impressão de que não tem força suficiente no PSB nacional para levar seu partido para uma aliança com o PT. Em outras palavras, ele deixou claro que não levará o partido para a aliança nacional com o PT. Se o governador de Pernambuco, que é o principal estado sob o comando do partido, não tem força para indicar uma aliança nacional, ele mostra claramente que não exerce qualquer tipo de influência no seu partido, mesmo tendo a envergadura do cargo que ocupa.

Ao supervalorizar a aliança com o PT no estado e não conseguir viabilizá-la, Paulo Câmara deu mostras de fragilidade na tentativa de reeleição. Com Marília no páreo, praticamente fica cristalizado o segundo turno, e como se sabe que na segunda etapa a base de sustentação de um governo geralmente fica mais dispersa, é pouco provável que Paulo Câmara tenha resultado diferente do obtido por Mendonça Filho em 2006, pois quem ganhou vai pra casa descansar e quem perdeu vai colocar a culpa no governador e tentar tirar o prejuízo votando na oposição.

Faltando poucos dias para a definição das convenções partidárias, Paulo Câmara corre um risco muito alto de nem ter o MDB e muito menos o PT na sua coligação, o que ampliaria suas chances de não conseguir convencer o eleitor a votar nele, e o que é pior, tem um risco de perder dois potenciais candidatos a senador na sua chapa, Jarbas Vasconcelos e Humberto Costa, na reta final das definições sem ter nomes a altura para colocar no lugar. (Por Edmar Lyra)

Flávio Rocha desiste de ser candidato à Presidência…

Flávio Rocha, que disputaria a Presidência pelo PRB, desistiu da candidatura

O dono da Riachuelo, o empresário Flávio Rocha, que, até o momento, era tido como nome na disputa pela Presidência da República, retirou a sua candidatura e eliminou todas as chances de concorrer nesta sexta-feira (13). “Eu e o meu partido, o PRB, entendemos que o Brasil passa por um momento turbulento, que não pode flertar com os extremos. Por isso, mais do que nunca, vemos como necessário que todos que sonham com um Brasil livre e democrático se unam num único projeto de convergência”, justificou, em vídeo divulgado por sua equipe de campanha. (Por: Gabriella Autran)

João Fernando acerta PROS na vice de Marília Arraes…

O deputado federal João Fernando Coutinho, presidente estadual do PROS, decidiu levar o partido para a coligação de Marília Arraes. A indicação veio do diretório nacional, uma vez que o partido fechou aliança com o PT nacionalmente. O partido, inclusive, indicará o vice de Marília Arraes. Com isso, a pré-candidata petista já conta com PT, PROS e Avante, tendo Silvio Costa candidato ao Senado. (Edmar Lyra)

FBC candidato a governador…

Foto: Roque de Sá/Agência Senado

A tese defendida pelo MDB nacional no sentido de trocar o comando do partido em Pernambuco foi, sobretudo, pela narrativa de lançar uma candidatura própria ao governo. Na seara das definições jurídicas sobre o caminho do partido, o senador Fernando Bezerra Coelho poderá ser obrigado a disputar o Palácio do Campo das Princesas para fundamentar juridicamente e politicamente a troca de comando no partido. É importante frisar que a defesa de Raul Henry utiliza a tese de que Fernando não será candidato a governador na disputa travada juridicamente.

Uma convenção sendo feita lançando Fernando candidato a governador teria muito mais embasamento jurídico do que levando o partido a apoiar Armando Monteiro. Se assim fizer, Fernando estará perdendo o principal argumento que fundamentou a dissolução do partido. E caso oficialize a entrada de Fernando no páreo, Armando Monteiro ficará satisfeito uma vez que terá um aliado para a tabelinha na campanha e uma garantia de apoio no segundo turno e principalmente a certeza que o MDB não estará na Frente Popular. (Por Edmar Lyra)

Gleisi reconhece legitimidade da candidatura de Marília…

A presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffman disse ontem no Recife que a  pré-candidatura da vereadora do Recife Marília Arraes ao governo do estado,  reconheceu a legitimidade do pleito e o peso da base que quer levar o projeto adiante, mas alegou que o pessoal (defensores de Marília) “entende a estratégia nacional e sabe que o que muda a vida do povo efetivamente é um projeto nacional de mudança das bases na condução da política brasileira”,.

Gleisi Hoffmann também reafirmou a posição do PT de consolidar a parceria nacional com o PSB. “Achamos importante formar um campo de centro esquerda no país que possa lutar junto com os brasileiros. O que estamos vivendo no nosso país hoje é uma tragédia para o nosso povo”, justificou a petista. Sobre a possibilidade do PSB liberar os diretórios estaduais na eleição presidencial, a petista frisou que a decisão do PT é de uma aliança nacional.

“Temos conversado com o nosso partido internamente a respeito disso. Sabemos das questões locais. O governador também tem conversado com o PSB. Acho que devemos fazer um esforço para formatar um campo firme para resgatar o Brasil”, analisou. (Do Diario de Penambuco – Rosália Rangel)

Governador Paulo Câmara garante apoio à candidatura de Lula…

Depois de conversar, nesta quinta-feira (12), por quase uma hora com a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, no Palácio do Campos das Princesas, o governador Paulo Câmara (PSB) reforçou o desejo de apoiar formalmente a candidatura do ex-presidente Lula (PT) na eleição presidencial. Ficou claro, inclusive, que a parceria no âmbito nacional se dará mesmo que o acordo entre PT/PSB não se repita em Pernambuco na campanha dele para reeleição. Durante entrevista, Câmara fez questão de frisar que a decisão em prol de Lula já foi tomada pela direção estadual do PSB.

“A direção estadual (do PSB) já se manifestou sobre a aliança com o PT em favor da candidatura do presidente Lula. É isso que estamos defendendo internamente no partido (direção nacional). Vamos continuar a defender e fazer todos os esforços para que essa aliança se concretize”, assegurou o governando, argumentando mais uma vez que “o pernambucano tem uma gratidão, uma solidariedade ao presidente Lula por tudo que ele fez pelo estado”.

Ele destacou, ainda, que o PSB é um “partido democrático” e que nesta eleição terá candidaturas majoritárias em vários estados. “Temos que respeitar tudo isso, mas no âmbito da nossa direção estadual e das nossas discussões nacionais, levaremos ao congresso (da sigla) esse posicionamento de Pernambuco em favor da aliança formal com o PT”. De acordo com Paulo Câmara, estados do Nordeste, do Centro-Oeste e Sudeste também defendem a tese de fechar parceria com os petistas e que Pernambuco, por ser a ala mais forte no PSB, não estaria isolado nessa defesa.

Ao falar com os jornalistas, Gleisi Hoffamann disse, inicialmente, que veio a Pernambuco para agradecer o posicionamento do governador que, na visão dela, “tem sido firme” na defesa de Lula. “Tanto da prisão do presidente, como no episódio do último domingo em que tivemos uma ação totalmente fora do devido processo legal e de perseguição ao presidente Lula. O governador foi um dos governadores que assinou uma nota se posicionando, além da posição firme que ele tem tido em relação a esse apoio político ao presidente em Pernambuco”, ressaltou a petista.

Sobre a pré-candidatura da vereadora do Recife Marília Arraes ao governo do estado, a líder petista reconheceu a legitimidade do pleito e o peso da base que quer levar o projeto adiante, mas alegou que o pessoal (defensores de Marília) “entende a estratégia nacional e sabe que o que muda a vida do povo efetivamente é um projeto nacional de mudança das bases na condução da política brasileira”, afirmou a senadora.

Gleisi Hoffmann também reafirmou a posição do PT de consolidar a parceria nacional com o PSB. “Achamos importante formar um campo de centro esquerda no país que possa lutar junto com os brasileiros. O que estamos vivendo no nosso país hoje é uma tragédia para o nosso povo”, justificou a petista. Sobre a possibilidade do PSB liberar os diretórios estaduais na eleição presidencial, a petista frisou que a decisão do PT é de uma aliança nacional. “Temos conversado com o nosso partido internamente a respeito disso. Sabemos das questões locais. O governador também tem conversado com o PSB. Acho que devemos fazer um esforço para formatar um campo firme para resgatar o Brasil”, analisou.

Em relação ao prazo para fechar a aliança com o PSB, Hoffmann acredita que tudo dever ser resolvido até o dia 5 de agosto, por conta do início das convenções partidárias. “Vamos trabalhar com bastante calma, dedicação e tranquilidade nesse processo para que a gente possa construir uma aliança que seja realmente propositiva”, previu. A senadora veio a Pernambuco acompanhada dos deputados federais Paulo Teixeira (PT/SP) e Márcio Macedo (PT/SE), vice-presidente nacional do partido. (Diário de Pernambuco)

Imbróglio do MDB está apenas começando …

Movimento realizado em julho do ano passado, o senador Fernando Bezerra Coelho foi convidado pela executiva nacional do MDB para filiar-se ao partido no sentido de ser candidato a governador nas eleições deste ano. Ele negociava com o DEM e caminhava para definir sua ida para o partido quando recebeu o convite da sigla e acabou optando pelo caminho do MDB. O movimento não era de fácil execução, uma vez que por diversas vezes tentaram tirar o partido de Jarbas Vasconcelos e ninguém havia conseguido.

Quando houve a sua entrada em setembro, Fernando sempre deixou claro que tinha por objetivo levar o partido para a oposição, uma vez que o PSB de Pernambuco se posicionou contra Michel Temer desde que ele chegou ao Planalto, mas não aceitava perder o partido para a oposição. Jarbas Vasconcelos e Raul Henry, cujo partido foi a tábua de salvação de ambos no momento mais difícil de suas vidas que foi após a derrota de Jarbas para Eduardo, voltaram ao poder no estado graças, sobretudo, ao tempo de televisão do partido, que foi de fundamental importância para a vitória de Geraldo Julio em 2012 e depois para a vitória de Paulo Câmara em 2014. Sem o partido, talvez Jarbas e Raul não tivessem dado a volta por cima na política.

Eles sabiam que sem o MDB perderiam valor na equação de 2018 e decidiram ir pra guerra, sobretudo na seara jurídica, e atingiram o objetivo de tirar Fernando Bezerra Coelho do jogo, que era um adversário muito mais perigoso para Paulo Câmara por conta da sua forma de fazer política, sendo um verdadeiro trator para trabalhar. Para o Palácio esse movimento foi imprescindível, porque o governador Paulo Câmara teve que enfrentar novamente um adversário que já derrotou em 2014 e que em três anos e meio de governo não polarizou com Paulo, que é Armando Monteiro.

Porém na vida e na política não existe ações sem consequências. Se por um lado Jarbas e Raul tiveram papel determinante para tirar Fernando do jogo, agora quem tem a bola é Fernando, que por não ter absolutamente nada a perder, tem as condições colocadas para tirar Jarbas Vasconcelos da chapa majoritária do governador Paulo Câmara e principalmente tirar o tempo de televisão do MDB da Frente Popular. Na última semana houve movimentações que lastreiam a tese de Fernando no sentido de colocar água no chopp de Jarbas, Raul e Paulo Câmara.

Para Fernando é fundamental que Jarbas não se eleja senador, mesmo que tenha legenda para ser deputado federal, e está óbvio que Jarbas e Raul não têm votos para elegerem os dois federais. Com Jarbas deputado federal e Raul sem mandato, Fernando torna-se o principal político do partido no estado devido à hierarquia do cargo em relação ao federal e pelo seu alinhamento com o MDB nacional, não há dúvidas que neste cenário ele será mesmo o comandante do partido, passando a ter grande relevância na engenharia política do estado, sobretudo em 2020 quando pode ter protagonismo na equação da disputa pela prefeitura do Recife, devido à importância do MDB na equação do guia eleitoral e do fundo eleitoral.

Vale salientar que o que sustenta Raul Henry no comando do partido é uma liminar que Ricardo Lewandowisk concedeu e deixou o imbróglio parado. Mas por conta da proximidade com as eleições, o ministro será obrigado a tomar alguma decisão sobre o tema. A própria Carmen Lúcia já foi fustigada sobre o caso, e é extremamente plausível que até o dia 5 de agosto tenhamos alguma definição sobre essa questão, o que ampliaria o risco de Jarbas Vasconcelos sair da majoritária de Paulo Câmara e atrapalhar tudo que foi articulado para a composição da chapa da Frente Popular. Quem achar que Jarbas está garantido na majoritária de Paulo Câmara, bem como o MDB, é bom refazer as contas, porque o risco de não entregarem a mercadoria é muito alto. (Por Edmar Lyra)

Powered by WordPress | Designed by: diet | Thanks to lasik, online colleges and seo