Rodrigo Maia diz que decidirá sobre pedidos de impeachment após votar denúncia…

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que vai começar a decidir sobre os pedidos de impeachment protocolados na Casa após a apreciação da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer. A peça de Leia mais »

Deputados decidem sobre resíduos sólidos…

Apesar de o número de aterros sanitários, espaços destinados à decomposição dos resíduos sólidos gerados pelo ser humano, terem subido de 8 para 14 unidades em Pernambuco, somente nos últimos quatro anos, Leia mais »

Briga na Justiça promete ser longa contra decisão da cura gay…

 Correio Braziliense A decisão judicial que permite aos psicólogos oferecerem, no Brasil, reorientação sexual, causou reações de movimentos LGBT e ativistas de direitos humanos, esquentou a internet com discussão sobre a medida, Leia mais »

IV Bate e Volta de Motociclismo de João Alfredo…

Leia mais »

1,2 milhão de MEIs correm o risco de ter registro cancelado até dezembro…

Cerca de 1,2 milhão de microempreendedores individuais, os chamados MEIs, podem ter o registro cancelado até dezembro e, consequentemente, perder o CNPJ, por inadimplência e não cumprimento das regras do programa, disse Leia mais »

Category Archives: Bom Jardim

Prefeito João Lira explica situação do FUMAP em Bom Jardim-PE…

foto arquivo

A recente aprovação de um projeto de lei do Executivo Municipal que altera em 2% as contribuições mensais dos funcionários efetivos e a parte patronal para com o Regime Próprio de Previdência Social (FUMAP), causou grande polêmica entre a população, principalmente pelos que fazem a oposição ao atual prefeito João Lira (PSD).

A matéria foi aprovada com 6 votos favoráveis contra 5 votos, durante sessão extraordinária da Câmara Municipal realizada na manhã da última terça-feira (19). Na oportunidade, o recinto da casa legislativa foi tomado por grande número de populares, em sua maioria funcionários, que protestaram contra o aumento de alíquota proposto na matéria em tela. Usaram da palavra, dentre outros, os vereadores oposicionistas Roberto Lemos (PP), Rufino Filho (PTC) e Jotinha (PSC), que classificaram a medida proposta pela municipalidade como “contrária aos interesses dos funcionários”. Em tom provocador, Jotinha sugeriu ao povo presente que “gravasse os nomes dos edis que votassem favoráveis a este injusto aumento, que sacrifica principalmente os assalariados”.

Por sua vez, Roberto Lemos frisou que jamais votaria em matéria que considerasse prejudicial à população. “Sei que a situação do FUMAP não está boa, mas não concordo que os funcionários paguem por erros de gestores; quem dever que pague”. Rufino Filho disse que “outras medidas deveriam ser tomadas antes de mexer com os salários dos esforçados funcionários”.Nenhum vereador da situação usou da palavra.

Apesar da agitação e da gritaria reinante durante a sessão, o projeto de lei foi aprovado sob vaias e apupos de muitos dos presentes. Através das redes sociais, os vereadores da situação e o próprio prefeito João Lira foram bastante criticados por partidários da oposição.

Na manhã desta quarta-feira (20), o prefeito João Lira, através de entrevista ao publicitário Rogério na Rádio Cult-FM, rebateu as recentes criticas a sua pessoa em razão da aprovação do aumento da alíquota das contribuições previdenciárias dos funcionários municipais.  Inicialmente o gestor frisou que jamais tomaria medidas que fossem negativas aos interesses dos munícipes, especialmente os funcionários. “Se não tomarmos as devidas medidas de forma urgente o nosso FUMAP não terá condições de suprir as aposentadorias e pensões em curto tempo. Aumentamos a alíquota atendendo ao cálculo atuarial recentemente feito por técnicos especializados, indispensável para que o nosso RPPS tenha solvência perante seus segurados. Não procuramos, com isso, prejudicar os segurados e sim, garantir seus direitos no futuro”, pontuou o prefeito.

Lira também  fez breve relato de sua gestão à frente da municipalidade bonjardinense durante quase nove meses, enfatizando os esforços empreendidos para habilitar o município para receber recursos oriundos das esferas estadual e federal. “A dívida previdenciária (INSS e FUMAP) que encontramos no início da atual gestão beira os 15 milhões de reais, mas não queremos condenar os culpados, pois isso é com a Justiça, e sim, devemos resolver os problemas e tocar a administração”, frisou Lira, relatando que os débitos estão sendo parcelados em 200 meses, de acordo com matérias também aprovadas na CMBJ neste sentido.

Em relação às críticas e agressões verbais que lhe foram dirigidas por alguns professores e outros funcionários, João Lira aconselhou que o palanque eleitoral fosse desarmado. “Quem quiser disputar eleição, prepare-se para o embate a ser realizado daqui a três anos; agora é hora de trabalhar, pois Bom Jardim espera que cumpramos nossa obrigação com justiça, liberdade e muita responsabilidade”, finalizou o prefeito.

Bom Jardim-PE : Ecos do Desfile de 7 de Setembro…

Fotos: Joab Silva

Este slideshow necessita de JavaScript.

Perdemos Manuel Mendes, “O menino de Bom Jardim para o mundo”..

Veja fotos e conheça um pouco mais da história desse grande jornalista, escritor e um dos  pioneiros na construção de Brasília, a capital do Brasil.

Colégio Santana de minha infância, a primeira escola regular que frequentei, guardo as mais doces recordações. As madres alemãs eram habilidosas no trato com as crianças, sem esquecer a rigidez disciplinar própria dos alemães.

Outra preocupação, que ia além do simples ABC, era incutir nos alunos o gosto pela música, pelo teatro, pela cultura enfim. Como me lembro das brincadeiras que a madre Duária (Ilduaria) fazia! Ou da música, canções, piano, teatrinho sob o comando da autoritária madre Maurícia! Minha irmã, Maria, e eu, apesar dela está com 90 e eu com 91 anos, ainda temos vivas em nossas memórias as canções e algumas dessas peças infantis de que participamos, como O Sapateiro. Fui um dos sete sapateiros que formavam o elenco dessa peça e minha irmã, com mais seis outras coleguinhas, as freguesas que levavam os sapatos para consertar. Quando a cortina abria, mostrava o palco com sete banquetas de sapateiro e sete tamboretes, com alguns sapatos em volta. Os sete sapateiros entravam em fila, comigo à frente, por ser o menor do grupo. Vestíamos um avental de trabalho e levávamos um martelo numa mão e um pedaço de sola na outra. Íamos batendo na sola e cantando, com madre Maurícia ao piano:
Bum, Bum, Bum,
É tão bom ser sapateiro
Pois, enquanto o dia inteiro
Pula e brinca sem cessar,
Depois vai trabalhar. (Bis)
Cada menino ocupava sua banqueta. Entram então as meninas, dançando e cantando:
Vamos passear
E depois dançar,
Até a sola se estragar…
Vamos passear
e depois dançar
Até a sola se estragar.
Cada uma postava-se em frente de um sapateiro:
Bom dia, meu senhor,
Lhe rogo por favor,
Este meu sapatinho
Conserte-o direitinho.
Os meninos se levantam e fazem uma reverência:
Às ordens, senhorita,
Aqui estou,
Seu pé me deixe ver. (As meninas levantam o pé)
Mas, quanto este sapato
Se estragou,
Um novo vou fazer.
As meninas dão uma tira de papel e cantam:
Pois, tome a medida,
Assim serei servida.
Conserte-o bem melhor.
Obrigada, meu senhor.
E saem cantando a mesma canção da entrada. Pouco depois saem os meninos, cantando e batendo, tal como entraram. Havia uma outra peça, só para meninas maiores, A Lavadeira, com pedras e bacias d’água no palco. O grupo entrava com uma trouxa de roupa na cabeça. Colocava-a no chão, tirava de lá uma peça, mergulhava na bacia e depois batia com ela na pedra, sempre cantando:
Bate, bate lavadeira,
Bate e lava sem parar
E depois desta canseira
Como é bom o descansar!

A memória infantil é algo fabuloso mesmo. Tudo parece ter sido ontem, quando o foi lá por volta de 1935/6. Os versos estão um pouco forçados porque eles são tradução do original alemão. Também os estou repetindo com base na memória de minha irmã, pois nada temos escrito. É provável que haja falha, mas, no geral, dá uma ideia do nosso teatrinho de que Marly Mota, que dele participava, fala em seus livros. Para aumentar o espaço do teatrinho — na época, o colégio ocupava apenas um prédio, o original — as paredes que separavam as salas de aula eram de madeira e de correr, um recurso engenhoso que permitia assim um vão maior para as cadeiras e o palco improvisado nos dias de festa. (Manuel Mendes) 
https://www.youtube.com/watch?v=RD8benhimuk

Blog Prof. Edgar

Assassinato brutal em Bom Jardim-PE nesta madrugada…

Segundo informações passadas ao Blog Agreste Conectado, um homem conhecido como Cego capoeirista foi alvejado por vários disparos de arma de fogo após ter sua casa invadida por cinco homens fortemente armados, sem chance de defesa veio a óbito no local.

Cego era conhecido na cidade, ele participava de um grupo de capoeirista e dava aulas de capoeira.

O crime aconteceu na data de hoje 23-07-2017 por volta das 02:00 horas de hoje.

Os assassinos fugiram com destino ignorado a polícia foi acionada para averiguações.

Agreste Conectado

Bom Jardim-PE: Ecos da festa de emancipação política (2)

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos: Ênio de Andrade e Facebook

Bom Jardim-PE: Ecos dos festejos da emancipação política (1)…

Imagens: Rodrigo Sedícias

Este slideshow necessita de JavaScript.

Tem festa em Bom Jardim-PE…

Tem festa em Bom Jardim-PE…

Aniversário de emancipação política do Bom Jardim-PE…

Festa da emancipação política do Bom Jardim-PE…

Tem festa no Feijão (Bom Jardim-PE)

Tem festa em Bom Jardim-PE…

Powered by WordPress | Designed by: diet | Thanks to lasik, online colleges and seo